Valuation USIMINAS SA

Valuation USIMINAS SA

(Parte 1 de 4)

TRABALHO FINAL DE CURSO - PARTE I Avaliação Econômica da empresa USIMINAS S/A

Autor: Júlio César Ferraro Filho Supervisor: Prof. Renato Minelli Figueira

No presente trabalho será feita a Avaliação Econômica da USIMIAS S/A empresa de grande porte do setor siderúrgico nacional, essa avaliação consistirá no Demonstrativo do Valor Adicionado, Balanço Patrimonial Consolidado, Demonstrativo do Resultado Consolidado, Demonstrativo do Fluxo de Caixa Consolidado, Demonstração das Mutações do Patrimônio Liquido Consolidado, Demonstração do Valor Adicionado Consolidado e através do conceito da Perpetuidade chegaremos a um valor aproximado do valor total da empresa e a partir deste a um valor por ação.

1 INTRODUÇÃO1
2 OBJETIVO2
3 REVISÃO BIBLIOGRÁFICA3
3.1 Conceitos Básicos Relevantes ao Desenvolvimento do Trabalho3
3.1.1 Conceito EBITDA3
3.1.2 Conceito EBIT4
3.1.3 Conceito de Ativo Circulante e Não Circulante4
3.1.4 Conceito de Passivo Circulante e Passivo não Circulante5
3.1.5 Conceito de Patrimônio Liquido5
3.1.6 Conceito de Resultado Operacional5
3.1.7 Conceito do Capital Asset Pricing Model (CAPM)5
3.1.8 Conceito de Necessidade de Capital de Giro6
METODOLOGIA7
3.2 Cálculo do Ativo Total7
3.3 Cálculo do Passivo Total7
3.4 Cálculo do Patrimônio Liquido8
3.5 Cálculo do Lucro ou Prejuízo do Período8
3.6 Cálculo do EBIT9
3.7 Cálculo do EBITDA9
3.8 Cálculo do Custo de Capital Próprio e Custo de Capital de Terceiros9
3.9 Cálculo dos Parâmetros1
3.10 Cálculo do Valor da Empresa12
4 RESULTADOS E DISCUSSÃO15
4.1 Resultados do Ativo Total15
4.2 Resultados do Passivo Total e do Patrimônio Liquido16
4.3 Resultado do Lucro ou Prejuízo do Período17

SUMÁRIO 4.4 Resultados do EBIT e EBITDA ..................................................................... 17

4.5 Resultado do Custo do Capital de Terceiros18
4.6 Resultado do Custo de Capital Próprio e CMPC19
4.7 Resultado dos Parâmetros19
4.8 Valor da Empresa e Valor Justo do Patrimônio Liquido20
5 CONCLUSÃO21

I 6 RE FERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS .................................................................... 2

Tabela I: Resultados do Ativo Total da USIMINAS S/A15
Tabela I: Resultados do Passivo Total e Patrimônio Líquido da USIMINAS S/A16
Tabela I: Resultados do Lucro ou Prejuízo do Período da USIMINAS S/A17
Tabela IV: Resultados do EBIT e EBITDA da empresa USIMINAS S/A17
Tabela V: Custo de Capital de Terceiros em moeda nacional18
Tabela VI: Custo de Capital de Terceiros em moeda estrangeira18
Tabela VII: Custo de Capital de Terceiros em Debêntures18
Tabela VIII: Custo de Capital de Terceiros com Pessoas Ligadas18
Tabela IX: Custo do Capital Próprio19
Tabela X: Resultados dos parâmetros utilizados na valorização19
Tabela XI: Valores da estimativa crescimento potencial da empresa20

LISTA DE TABELAS Tabela XII: Fluxo de Caixa da USIMINAS S/A. ........................................................... 20

1 INTRODUÇÃO

Quando se realiza a avaliação de determinada empresa, procura-se alcançar o valor justo de mercado, ou seja, aquele valor que representa as potencialidades de determinada companhia. Entretanto, cabe observar que o preço do negócio somente será definido quando houver a interação dos compradores com as expectativas do vendedor no processo de negociação. O valor deve ser determinado para um propósito específico, consideradas as perspectivas das partes na transação. [1]

Alguns métodos e modelos quantitativos são utilizados no sentido de avaliar o valor de uma empresa, no entanto é importante ressaltar que estes não são fundamentos de uma ciência exata, por trabalhar com algumas hipóteses e premissas de âmbito pessoal, o que nos impede de fazer uma comprovação exata dos resultados.

Vários métodos podem ser usados para calcular o valor justo de um negócio, podendo ser utilizados em conjunto ou separadamente. Porém nenhum método isolado pode ser considerado perfeito. Entretanto, existem métodos de avaliação mais consistentes que – de acordo com as premissas implícitas de avaliação - revelam-se tecnicamente mais adequados em respeito às circunstâncias de avaliação e à qualidade das informações disponíveis.

Os métodos de avaliação oferecem importante instrumento para auxiliar aqueles que estão envolvidos no processo de apreçamento de empresas, além de funcionarem como referência no oferecimento de suporte a importantes decisões estratégicas.

O método do fluxo de caixa descontado (FCD) é o mais utilizado pelas empresas de consultoria e pelos bancos de investimento, sendo amplamente difundido no mercado financeiro. É também o mais indicado para avaliação de empresas para fins de fusões e aquisições.

2 OBJETIVO

Alcançar o valor patrimonial justo para a empresa do setor siderúrgico USIMINAS S/A, através do modelo de fluxo de caixa descontado utilizando o conceito da Perpetuidade.

3 REVISÃO BIBLIOGRÁFICA

3.1 Conceitos Básicos Relevantes ao Desenvolvimento do Trabalho

A seguir estão descritos alguns conceitos básicos que são utilizados na analise econômica de empresas, portanto serão imprescindíveis no estudo de Valorização (Valuation) da empresa USIMINAS S/A.

3.1.1 Conceito EBITDA

O EBITDA é a sigla inglesa de Earnings Before Interest, Taxes, Depreciation and Amortization e que em português LAJIDA significa, literalmente, Lucro antes de Juros, Impostos, Depreciação e Amortização. Este indicador é usado na análise financeira de empresas.

Por não incluir as despesas com depreciação e amortização, a margem LAJIDA pode ser vista como uma aproximação do fluxo de caixa (e não do lucro) da empresa em cada $ de vendas antes de descontar despesas financeiras ou impostos.

A margem LAJIDA é calculada como sendo o quociente entre o LAJIDA da empresa e sua receita líquida de vendas, e representa o dinheiro gerado pela empresa e disponível para:

Financiar os investimentos em bens de capital (capex); Financiar as necessidades de Fundo de Maneio;

Efetuar o pagamento de impostos;

Cumprir os encargos com a dívida;

Criar reservas;

Remunerar os acionistas através de dividendos.

3.1.2 Conceito EBIT

O EBIT é a sigla em inglesa Earnings Before Interest, Taxes, e que em português LAJIR significa literalmente, Lucro Antes de Juros e Imposto de Renda.

Reflete o resultado das atividades operacionais da empresa. Ao contrário da definição de lucro operacional no Brasil, o cálculo do LAJIR permite estimar o resultado das operações sem a inclusão das receitas ou despesas financeiras.

Para empresas brasileiras, a margem LAJIR (Lucro Antes de Juros e Imposto de Renda) é equivalente à margem operacional em outros países, já que mede os lucros da empresa em cada R$ 1 de vendas, antes de descontar as despesas financeiras e os impostos.

A margem é calculada como sendo o LAJIR dividido pela receita líquida de vendas da empresa.

3.1.3 Conceito de Ativo Circulante e Não Circulante.

Ativo Circulante: Dinheiro em caixa ou em bancos; bens, direitos e valores a receber no prazo máximo de um ano, ou seja, realizável a curto prazo, (duplicatas, estoques de mercadorias produzidas, etc), aplicações de recursos em despesas do exercício seguinte.

Ativo não Circulante: São incluídos neste grupo todos os bens de permanência duradoura, destinados ao funcionamento normal da sociedade e do seu empreendimento, assim como os direitos exercidos com essa finalidade. O Ativo Não Circulante será composto dos seguintes subgrupos:

Ativo Realizável a Longo Prazo Investimentos Imobilizado Intangível

3.1.4 Conceito de Passivo Circulante e Passivo não Circulante.

Passivo Circulante: obrigações ou exigibilidades que deverão ser pagas no decorrer do exercício seguinte; duplicatas a pagar, contas a pagar, títulos a pagar, empréstimos bancários, imposto de renda a pagar, salários a pagar.

Passivo não Circulante: obrigações da entidade, inclusive financiamentos para aquisição de direitos do ativo não-circulante, quando se vencerem após o exercício seguinte.

3.1.5 Conceito de Patrimônio Liquido.

O patrimônio líquido representa o registro do valor que os proprietários de uma empresa têm aplicado no negócio.

3.1.6 Conceito de Resultado Operacional.

É aquele que representa o resultado das atividades, principais ou acessórias, que constituem objeto da pessoa jurídica.

3.1.7 Conceito do Capital Asset Pricing Model (CAPM).

O CAPM (Capital Asset Pricing Model) é um modelo de precificação de ativos que estabelece uma relação entre o retorno esperado do ativo e a parcela de seu risco não diversificável. O risco sistemático, também conhecido como não-diversificável, é aquele que atinge todas as empresas e não pode ser eliminado por meio da diversificação. São decorrentes de fatores de mercado, tais como, guerras, inflação, questões internacionais, decisões políticas, etc.

O CAPM utiliza betas para medir, em ativos isolados ou carteiras, o risco nãodiversificável. Os betas obtidos no modelo CAPM, são estimativas dos riscos dos ativos ligados aos retornos esperados. Como os betas são representações do risco sistemático (fatores incontroláveis de mercado), à medida que haja mudanças neste mercado, os betas também acompanharão tais mudanças, configurando-se assim em uma medida volátil. Eles são estimados a partir de informações históricas através de técnicas de regressão.

3.1.8 Conceito de Necessidade de Capital de Giro.

Capital de giro é o conjunto de valores necessários para a empresa fazer seus negócios acontecerem (girar). Existe a expressão "Capital em Giro", que seriam os bens efetivamente em uso.

Em geral de 50 a 60% do total dos ativos de uma empresa representam a fatia correspondente a este capital. Além de sua participação sobre o total dos ativos da empresa, o capital de giro exige um esforço para ser gerido pelo administrador financeiro maior do que aquele requerido pelo capital fixo.

O capital de giro precisa ser acompanhado e monitorado constantemente, pois está sofrendo o impacto das diversas mudanças no panorama econômico enfrentado pela empresa de forma contínua.

As dificuldades relativas ao capital de giro numa empresa são devidas, principalmente, à ocorrência dos seguintes fatores:

(Parte 1 de 4)

Comentários