Manual de Tanatologia

Manual de Tanatologia

(Parte 1 de 7)

Coletânea ConexãoPsi Coletânea ConexãoPsi

Dados internacionais de catalogação na publicação Bibliotecária responsável: Mara Rejane Vicente Teixeira

Designer Responsável: Leandro Roth Designer Gráfico: Cristiane Borges Ilustrações: Vicente Sledz e Cristiane Borges Impressão e acabamento:Artes Gráficas e Editora Unificado grafica@unificado.com

Foto da Capa: Carlos Gutemberg Todos os direitos desta edição reservados ao Conselho Regional de Psicologia - 8ª Região - Av. São José, 699 - Cristo Rei - Curitiba - PR - CEP 80050-350

Fischer[et al.]. - Curitiba : Gráfica e Editora

Manual de tanatologia / Joyce Mara Kolinski Unificado, 2007. 57 p. : il. ; 20 cm.

1. Tanatologia. 2. Morte. I. Fischer, Joyce Mara Kolinski
CDD ( 21ª ed.)

Coletânea ConexãoPsi

O Conselho Regional de Psicologia, através da gestão ConexãoPsi, com sua finalidade precípua de promover a

Psicologia, a Ética e a Cidadania na sociedade, vem através desta coletânea informar e orientar psicólogos e usuários dos serviços psicológicos sobre as questões admi nistrativas, pertinentes à gestão financeira-política da categoria, e sobre as questões técnicas que atinam às práticas psicológicas.

O momento é ímpar para tal mister, uma vez que a Sociedade se debate com inúmeras questões relacionadas com o comportamento humano. A contribuição que esta coletânea pretende trazer é de ampliar o conhecimento, resgatar a história de 28 anos de lutas do CRP-08, que através do idealismo de muitos profissionais, que contribuíram e continuam contribuindo neste projeto, proporcionar subsídios e informações consistentes para a efetiva utilização da ciência e da técnica psicológica.

A entrega da Coletânea ConexãoPsi, com a série administrativa e a série técnica, é mais uma das ações concretas em direção aos objetivos com que nos comprometemos ao sermos eleitos.

A série técnica da Coletânea ConexãoPsi compõe-se, em seu lançamento, por doze títulos. E elaborada pelas

Comissões do CRP-08, tem o intuito de esclarecer dúvidas e oferecer subsídios para o estudo e exercício das práticas psicológicas. Os cadernos são compostos pelo histórico, definição, utilização e objetivos dos diversos campos de atuação dos psicólogos. Desta forma, a Coletânea ConexãoPsi se propõe a ser um ponto de referência e apoio para os profissio - nais e estudantes de Psicologia, bem como para futuros colaboradores das Comissões. Além de serem uma importante fonte de esclarecimento para a sociedade que como usuária tem a necessidade e o direito de ter mais conhecimentos sobre a Psicologia.

A série administrativa das Coletâneas ConexãoPsi, formada por seis títulos, tem o objetivo de orientar conse - lheiros, colaboradores e psicólogos sobre as normas e procedimentos que norteiam a gestão do CRP-08, dentro dos princípios de transparência e democracia adotados.

Transmitir a experiência administrativa desenvolvida por nossa gestão é colaborar para que o Conselho

Regional de Psicologia da 8ª Região continue crescendo; é auxiliar na capacitação dos novos e futuros conselheiros, bem como firmar ainda mais a sua imagem de Instituição com Administração Ética e Competente, com responsabi - lidade social e fiscal.

Ao Conselho Regional de Psicologia da 8ª Região cabe desenvolver políticas em prol do desenvolvimento da

Profissão, da Cidadania, das Políticas Públicas, da Ética, com uma administração coerente com esses propósitos. Este foi sempre o compromisso do IX Plenário Gestão ConexãoPsi (2004-2007): muita seriedade, trabalho responsável e coerência no discurso e nas ações.

Raphael Henrique C. Di Lascio - CRP 08/00967 Conselheiro Presidente

Guilherme Azevedo do Valle - CRP 08/02932 Conselheiro Vice-Presidente

Alan Ricardo Sampaio Galleazzo - CRP 08/04768 Conselheiro Tesoureiro

Deisy Maria Rodrigues Joppert - CRP 08/1803 Conselheira Secretária

IX Plenário CRP-08 Gestão ConexãoPsi 2004-2007

Conselheiros Efetivos Curitiba

-Raphael Henrique C. Di Lascio - CRP 08/00967 Conselheiro Presidente

-Guilherme Azevedo do Valle - CRP 08/02932 Conselheiro Vice-Presidente

-Alan Ricardo Sampaio Galleazzo - CRP 08/04768 Conselheiro Tesoureiro

-Deisy Maria Rodrigues Joppert - CRP 08/1803 Conselheira Secretária

-Aldo Silva Junior - CRP 08/00646 (in memorian)

-Tonio Dorrenbach Luna - CRP 08/07258

-Thereza Cristina de A. Salomé D'Espíndula CRP 08/04776

Londrina -Sérgio Ricardo B. da Rocha Velho - CRP 08/07140

Maringá -Rosemary Parras Menegatti - CRP 08/03524

Cascavel -Fabiana da Costa Oliveira - CRP 08/07072

Foz do Iguaçu -Flávio Dantas de Araújo - CRP 08/05993 (in memorian)

Conselheiros Suplentes

Umuarama -Rosângela Maria Martins - CRP 08/01169

Campos Gerais -Marcos Aurélio Laidane - CRP 08/00314

Londrina -Denise Matoso - CRP 08/02416

Curitiba -Eugênio Pereira de Paula Junior - CRP 08/06099

-Caçan Jurê Cordeiro Silvanio - CRP 08/07685

IX Plenário CRP-08 Gestão ConexãoPsi - 2004/2007

Série Técnica - Manual de Tanatologia

Autoras

Joyce Mara Kolinski Fischer - CRP 08/07613

Lucia Regina Terlizzi de Araújo - CRP 08/10582

Solange do Carmo Bowoniuk Wiegand - CRP 08/03266 Thereza Cristina de Arruda Salomé D’Espíndula - CRP 08/04776

Prefácio

No caminho que traçamos na discussão dos temas ligados à Tanatologia, contamos muitas vezes com a compa - nhia do pediatra Luis Carlos Blegger Torres. No ano de 2000, durante o Congresso Internacional de Psicanálise e Clínica de Bebês, participamos da mesa-redonda “A equipe de saúde, a família e a morte do bebê: processos de luto”. Luis Carlos comentou que recolhera mais de 200 definições sobre a morte. Depois perguntou aos pacientes de sua clínica, crianças com mais de oito anos, o que era a morte. Ouviu que era a ausência de vida. Considerou que, na simplicidade da criança, estava a boa definição e a ela acrescentou outras oito, abrangendo conceitos clínicos.

Na tarde de hoje o amigo pediatra partiu e, ao escrever este prefácio, penso na expressão: ausência de vida. Na minha infância, foi através dele que soube que se podia ficar órfão. Um pai podia morrer. Meu colega de turma e filho de minha professora perdera o pai. Quando nos encontrávamos, comentamos estes fatos como marcantes em nossas vidas. Dimensões diferentes, com certeza, mas presentes no nosso percurso profissional.

Aqui o paradoxo se instala: o que é a vida? Para a criança, para o adulto, para os poetas, para religiosos, para profissionais, para os suicidas, para os idosos, para os amantes, para os amigos...

(Parte 1 de 7)

Comentários