Efeitos dos Processos Industriais

Efeitos dos Processos Industriais

(Parte 1 de 10)

Introdução

Este estudo visa a boa compreensão na área de processos de produção em industrias e no meio onde o homem esta inserido.

Neste assunto colocaremos em pauta todos os aspectos do meio ambiente, sua formação, sua subsistência, sua degradação devido a ação antrópica, ou seja, o que estamos fazendo para degradar e/ou recuperar este meio no qual vivemos.

O processo industrial engloba todas as industrias que estão envolvidas de alguma forma, no atendimento do consumo e na demanda da população, devido esta carência as industrias trabalham a todo vapor para o atendimento destas necessidades e de alguma forma gera-se resíduos que deverão ser dispostos e gerenciados para minimização de impactos ao meio ambiente.

Veremos que esta tarefa não é tão simples como parece, há exigências quanto à disposição e tratamento de resíduos, que muitas vezes as indústrias vêem nesta a impossibilidade de se adequar.

No processo produtivo há geração de resíduos liquido, gasoso e sólido, o que fazer com estes resíduos gerados? Existe uma preocupação quanto a esta geração e a sua disposição? O que fazer?

São perguntas que iremos responder a medida em que avançarmos com nossos estudos.

Bem vindos ao Curso de Processos Industriais!!!

Introdução: Meio Ambiente e Poluição

De maneira simples, define-se Meio Ambiente como “tudo aquilo que nos cerca”, englobando os elementos da natureza como a fauna, a flora, o ar, a água, sem esquecer os seres humanos.

O conceito de meio ambiente é global e percebemos isso nas relações de equilíbrio entre os diversos elementos.

Trata-se de uma área de conhecimento que envolve diversas disciplinas e suas práticas exigem profissionais das áreas de educação, tecnologia, administração, engenharia, biologia, física, química, geologia, etc.

Desde a Revolução Industrial, o meio ambiente tem sido alterado intensamente pelas atividades humanas. Apesar da melhoria das condições de vida proporcionadas pela evolução tecnológica, observam-se diversos fatores negativos:

• explosão populacional • concentração crescente da ocupação urbana

• aumento do consumo com a utilização em maior escala de matérias primas e insumos (água, energia, materiais auxiliares de processos industriais)

• piora da qualidade de vida

Em conseqüência do aumento das atividades urbanas e industriais, agravouse a poluição, atingindo todos os elementos do meio ambiente.

Assim, definimos poluição como: “degradação da qualidade ambiental, resultante de atividades que direta ou indiretamente:

• prejudiquem a saúde, a segurança e o bem estar da população;

• criem condições adversas às atividades sociais e econômicas;

• afetem desfavoravelmente a Biota (Conjunto de seres vivos de um ecossistema);

• afetem as condições estéticas ou sanitárias do meio ambiente;

• lancem matérias ou energia em desacordo com os padrões ambientais estabelecidos”.

Esse conceito de poluição está presente na Lei 6938, de 31/08/81, que trata da Política Nacional de Meio Ambiente.

Quando a poluição de um recurso resulta em prejuízos à saúde do ser humano, dizemos que há contaminação.

Isto ocorre como resultado de processos poluidores que lançam no ambiente substâncias tóxicas que causam prejuízos aos organismos.

1) Desequilíbrios globais

Muitos problemas ambientais do planeta foram provocados porque não foram consideradas as relações que existem entre os elementos que compõem o meio ambiente.

Um distúrbio no solo, num curso d’água ou no ar em um determinado local, pode afetar um outro local de maneira complexa e inesperada. Por exemplo:

• o desmatamento de florestas na Índia e no Nepal teve como conseqüência enchentes catastróficas em Bangladesh;

• a emissão de certas substâncias químicas na atmosfera por anos a fio destruiu parte da camada de ozônio que protege a Terra;

• o uso de combustível fóssil prejudica florestas em todo o mundo e contribui para mudanças climáticas em todo o globo terrestre.

Alem disto, a degradação ambiental gera problemas políticos e econômicos num país, influindo na qualidade de vida do seu povo.

Entre os problemas ambientais globais que vêm afligindo toda a humanidade podemos citar alguns exemplos:

A chuva ácida é provocada pelos óxidos de nitrogênio e enxofre, proveniente de processos industriais e da combustão nos motores, lançados na atmosfera. Esses óxidos gasosos contaminam a água da chuva. A acidez da atmosfera provoca problemas de saúde, queima as plantas e deixa os lagos mais ácidos, provocando a morte das plantas e dos animais aquáticos. Há hoje leis internacionais que obrigam as indústrias a usar filtros contra gases poluentes e os veículos atualmente são dotados de catalisadores. Manter o carro bem regulado ajuda a diminuir a poluição do ar.

O mais grave da chuva ácida, que também ataca prédios e monumentos, é que ela não conhece fronteiras. Os poluentes produzidos em um local podem ser carregados pelos ventos centenas ou milhares de quilômetros de distância.

Desta forma, passa a ser responsabilidade de todos adotar medidas que previnam ou reduzam as emissões destes poluentes na natureza. Alguns exemplos dessas medidas são:

• a substituição do petróleo por fontes de energia não poluentes (aquecimento solar, energia eólica etc.);

• a redução do teor de enxofre nos óleos combustíveis;

• medidas para diminuir o tráfego em aglomerações urbanas, tais como o incentivo ao uso do transporte público e a implantação de rodízio de veículos automotores.

necessárias à manutenção da vida no planeta

A energia proveniente do Sol atravessa o espaço e a atmosfera terrestre na forma de radiação. Em contato com a Terra, essa radiação transforma-se em calor, aquecendo a Terra e sua atmosfera fornecendo as condições

A queima de petróleo e seus derivados e as queimadas das matas provocam uma grande concentração de gás carbônico. Esse gás age na atmosfera de modo semelhante ao vidro em uma estufa de plantas: deixa passar a radiação solar e retém o calor, aumentando, gradativamente, a temperatura da Terra.

inundaçõesPode também tornar áridas e desérticas terras hoje produtivas.

A mudança de temperatura da Terra provoca alterações climáticas que afetam a agricultura e os ecossistemas. Nas áreas costeiras, podem ocorrer

Uma das maneiras de prevenir estes problemas é promover reflorestamento de grandes áreas, para aumentar a absorção do dióxido de carbono(gás carbônico).

Os efeitos dos gases poluentes são agravados quando ocorre o fenômeno da inversão térmica. É sabido que o ar quente é mais “leve”, menos denso, que o ar frio, e tende a subir, enquanto o ar frio tende a descer. Porém, condições climáticas desfavoráveis podem inverter esse movimento do ar. No inverno, principalmente, o ar não se aquece e não sobe, impedindo o movimento das correntes de ar verticais que ajudam a dissipar as fumaças e os gases poluentes.

Assim, os gases poluentes ficam presos nas camadas mais baixas da atmosfera, causando muito desconforto para a população, como irritação dos olhos, problemas respiratórios e intoxicação.

O elemento oxigênio, além de fazer parte do oxigênio(O2) no ar que respiramos, também se encontra na forma de O3, o ozônio, que compõe uma camada situada na alta atmosfera, entre 15 e 40 km de altitude.

Essa camada tem a importante função de proteger a Terra dos efeitos nocivos dos raios ultravioletas do Sol e que podem causar câncer de pele e outros danos às espécies vivas.

Nos últimos tempos, o mundo está alarmado por uma diminuição significativa das espessuras da camada de ozônio. A esse efeito foi dado o nome de buraco na camada de ozônio.

Os cientistas atribuem o fato ao uso de CFC’s, compostos de Cloro, Flúor e Carbono, presentes em aerossóis e sistemas de refrigeração. Estes, quando lançados no ar, reagem destruindo as moléculas de ozônio. A proibição do uso destes compostos tem sido adotada por diversos países visando proteger a integridade dos sistemas ambientais globais.

(Parte 1 de 10)

Comentários