Relatório Gabarito de Obra

Relatório Gabarito de Obra

(Parte 1 de 2)

ETECVAV – ESCOLA TÉCNICA VASCO ANTONIO VENCHIARUTTI

PROCESSOS E TÉCNICAS CONSTRUTIVAS DE INFRAESTRUTURA

EDIFICAÇÕES

RELATÓRIO

LOCAÇÃO DE CASA

POR: ALEXANDER DE CASTRO FARIA, N° 02, 1° L

OBJETIVO

Realizar a locação da casa, identificando as divisas do terreno, a montagem do gabarito, os eixos e a posição dos piquetes para perfuração.

MATERIAIS E EQUIPAMENTOS

- 10 Sarrafos (ou conforme as medidas do perímetro do gabarito)

- 14 Estacas (ou conforme as medidas do perímetro do gabarito)

- 20 Piquetes (conforme projeto)

- 1 sc Pregos

- 01 Mangueira de Nível

- 01 Metro de Bambu

- 01 Trena

- 01 Prumo de Centro

- 01 Martelo

- 01 Marreta

- 02 Rolo de Linha

- 01 Lápis

Procedimentos ou Descrição das Atividades:

1° ETAPA – TRAÇADO DO TERRENO

- Para realizar o traçado, após consulta à planta, verificamos que o terreno apresentava 10m de frente e 20m de fundo, em formato de retângulo com ângulos de 90°.

- Em espaço aberto, pegamos uma estaca e, com a marreta, cravamos ela em qualquer ponto no espaço, observando a possibilidade de abranger os 200m² do terreno. Tomamos cuidados para que a estacada ficasse bem firme no solo. Chamamos essa marcação de “ponto1”.

- Pegamos mais 02 estacas e às cravamos a 10m (frente, ponto 2) e +/- 20m (fundo, ponto 4) do ponto 1.

- Amarramos uma linha, próxima a base da estaca, de forma que todas as estacas ficassem conectadas, fazendo um “L” entre elas. Cuidamos para que a linha ficasse bem esticada.

- Contudo, observamos que o alinhamento entre as estacas não estava perfeito. Passamos então, a realizar um procedimento para encontrar o ângulo de 90° no traçado. Para isso, adotamos o Triângulo de Pitágoras à partir do ponto 1.

Obs: Triângulo de Pitágoras: consiste em formar um triângulo, através das linhas dispostas perpendicularmente, cujos lados meçam 3 – 4 – 5m.

- Do ponto 1, utilizando uma trena, medimos 3m até o ponto 2 e, utilizando a linha esticada como base, identificamos os 3m com um nó de um pedaço de linha avulsa amarrado na linha esticada. Tomamos cuidados para que o nó seja bem apertado para que não se movimente na linha esticada.

- Após identificar os 3m, passamos a identificar os 4m entre o ponto 1 e o ponto 4. Amarramos, também, um pedaço de linha para a marcação.

- Para finalizar, restou apenas medir os 5m, o qual seria a diagonal entre as linhas esticadas.

- Para isso, determinamos que o ponto 1 e ponto 2 ficassem fixos. Uma pessoa ficou segurando a ponta inicial da trena na marca de 3m e outra tinha a função de identificar a diagonal de 5m até a marca de 4m. Uma 3° pessoa, ficou no ponto 4, este tinha a função de soltar a estaca do solo e posicioná-la (deslocando-a para direita ou esquerda) conforme a orientação da pessoa que estava medindo os 5m da diagonal (hipotenusa). Quando a marca de 4m da linha encostou na medida de 5m da trena, a estaca do ponto 4 foi cravada no solo naquela nova marca.

- Com o ângulo definido, conferimos a medida de 20m entre o ponto 1 ao ponto 4, pois notamos que houve grande variação do alinhamento inicial.

- Após a checagem, realizamos a marcação do ponto 3, que compreendia os 20m desde o ponto 2 e 10m deste o ponto 4, fechando assim o retângulo.

Mesmas medidas nas diagonais

- Confirmamos a exatidão do alinhamento, realizando as medidas em diagonal do ponto 1 ao ponto 3 e do ponto 2 ao ponto 4, os quais apresentaram os mesmos valores.

2° ETAPA – MONTAGEM DO GABARITO

- Para montarmos o gabarito, encontramos na planta as medidas do recuo entre a divisa do terreno (linha que acabamos de esticar e esquadrejar) até os eixos externos das paredes da casa.

Eixos Externos

Divisa

- Após verificar as distâncias, concluímos que o gabarito deveria ser montado com uma certa “folga” entre a divisa do terreno e os eixos (para facilitar os trabalhos das escavações futuras). Adotamos 0,5m de recuo, a partir da divisa do terreno aos eixos, para a construção do gabarito.

Posição do Gabarito

Ou seja, se adotarmos a medida de 3m entre a divisa e o eixo externo, o gabarito deverá ser montado com 2,5m da divisa.

- Após apontarmos a distância do p1 até seus eixos (horizontal e vertical), recuamos os 0,5m e cravamos a 1° estaca. A essa estaca demos a indicação de “estaca 1”. Da mesma maneira que a estaca 1, fizemos a colocação das demais estacas conforme as medidas da planta.

- Com as estacas dos vértices do gabarito já cravadas no solo, iniciamos o procedimento para identificar o nível do terreno. Para isso, verificamos visualmente que a estaca 3 era a estaca que estava no ponto mais elevado do terreno e passamos a puxar o nível por ela.

- Junto à estaca 3 e com o metro de bambu, medimos a distância de 10 cm do chão. Com o lápis fizemos uma marcação horizontal na estaca.

- Com a mangueira de nível, puxamos o nível para a estaca 2, depois para a estaca 1 e, por fim, para a estaca 4, sempre realizando a marcação horizontal das estacas com o lápis.

- Para visualizarmos os desníveis, medimos a distância entre as marcações e o chão e anotamos.

- Antes de pregarmos os sarrafos, medimos a distancia de 0,8m para cima da marcação do nível em todas as estacas, depois passamos a linha entre elas, de forma que, a linha sempre estivesse paralela ao risco dos 0,8m. Assim podíamos ver qual seria a altura que o sarrafo deveria ficar.

- Com o martelo e pregos, passamos a pregar os sarrafos, cuidando para que a borda do sarrafo ficasse paralela à linha. Assim preservaríamos o nível do gabarito.

- Verificamos que precisaríamos de estacas intermediárias para apoiar os sarrafos, pois as medidas do perímetro superavam o comprimento do material.

Obs: A linha tracejada em verde representa a marcação de nível.

- Cuidamos para que os sarrafos fossem pregados com a extremidade superior no mesmo nível, para isso, ao pregar o sarrafo na estaca, verificávamos se ele estava paralelo à linha já esticada.

- Tiramos a linha que circundava a estrutura, pois não havia mais necessidade.

- Iniciamos as determinações dos eixos do comprimento do terreno. Verificamos 5 eixos na planta. Tomando o ponto 1 ao 4 e a estaca 1 à estaca 4 como referência, medimos da linha da divisa a distância descrita na planta até o eixo 5 e, fazendo um risco com o lápis no sarrafo da largura do terreno, determinamos o eixo 5.

. medimos da marcação do eixo 5 até o eixo 4 e marcamos no sarrafo;

. medimos da marcação do eixo 4 até o eixo 3 e marcamos no sarrafo;

. medimos da marcação do eixo 3 até o eixo 2 e marcamos no sarrafo;

. medimos da marcação do eixo 2 até o eixo 1 e marcamos no sarrafo.

- Usando os mesmos pontos de referência, iniciamos as marcações dos eixos da largura. Medimos a distância da linha de frente até o eixo F e marcamos um risco no sarrafo de frente.

. medimos da marcação do eixo F até o eixo E e marcamos no sarrafo;

. medimos da marcação do eixo E até o eixo D e marcamos no sarrafo;

. medimos da marcação do eixo D até o eixo C e marcamos no sarrafo;

(Parte 1 de 2)

Comentários