Construção Enxuta - Processo de Construção Civil

Construção Enxuta - Processo de Construção Civil

(Parte 2 de 7)

No entanto, a necessidade de um modelo que explicasse, de forma mais adequada, as práticas da construção civil foi abordada por Koskela (1992). Esse autor apresentou ao setor da construção civil a possibilidade de utilização de uma Nova Filosofia de Produção, para a Construção ou Construção Enxuta. Uma das idéias que diferencia a Produção Enxuta da produção baseada no modelo de conversão é o fato de que a primeira considera os processos como sendo constituídos de atividades de conversão e fluxo, enquanto que a segunda só considera as atividades de conversão.

Koskela (1992) identifica o processo e produção como um fluxo de materiais e/ou informação desde a matéria-prima ao produto acabado. Durante o processo, o material passa pelo processamento ou conversão (alteração no material) e ainda por atividades de inspeções, transporte e espera, que constituem as chamadas atividades de fluxos da produção. Portanto, o gerenciamento de processos deve considerar estes dois tipos de atividades, procurando tornálas transparentes (KOSKELA, 1997e ALARCON, 1997).

Devido aos princípios do gerenciamento tradicional, na construção civil, as atividades de fluxo, normalmente, não têm sido controladas ou melhoradas. A preocupação tem sido com as atividades de conversão. Isto tem levado a um complexo, incerto e confuso processo de fluxo nos canteiros de obras e, conseqüentemente, ao aumento de atividades que não agregam valor e redução do valor final dos produtos (KOSKELA, 1992).

Nos últimos anos, esforços estão sendo realizados no sentido da modernização do setor. Estes esforços incluem estudos e pesquisas desenvolvidos pela comunidade acadêmica, programas institucionais envolvendo entidades setoriais e governamentais e também iniciativas individuais por parte de algumas empresas de construção.

Tais iniciativas são de importância estratégica para o setor, na medida em que a indústria da construção cumpre um importante papel, na ampliação e manutenção da infraestrutura necessária para suprir as necessidades básicas da população (habitação, saúde, educação e transporte). Esta importância se destaca, também, na realização de outras atividades econômicas, além de ter um grande impacto na geração de empregos diretos e indiretos.

Diversos pesquisadores do Brasil (HEINECK, 1998; CARVALHO, 1998;

FORMOSO, 1999; BERNARDES, 2003;) e de outros países (LAUFER e TUCKER, 1987; LIRA, 1996; BALLARD e HOWELL, 1997; ALARCÓN et al, 1997; TOMMELEIN e BALLARD, 1997; KOSKELA, 2000) têm dedicado muitos de seus trabalhos ao desenvolvimento de um referencial teórico, que contribua para a formulação de modelos de planejamento e controle do processo construtivo e introdução dos princípios da Construção Enxuta nos canteiros de obra.

A adaptação e aplicação dos conceitos e princípios da Produção Enxuta, na construção, são um desafio, principalmente, porque esse processo representa a construção de uma teoria para o gerenciamento da construção.

Nesse sentido, Hirota (2000), defende que os conceitos e princípios da Nova Filosofia de Produção na Construção precisam ser colocados em prática para que, através do estudo empírico, a teoria possa ser consolidada. Para tanto, torna-se necessário disseminar seu conteúdo, para possibilitar sua aplicação.

Com base nestas considerações iniciais, destaca-se a questão da pesquisa: “Como podem ser introduzidos os princípios da filosofia de Construção Enxuta, oportunizando melhorias no processo de produção de obras de edificação, com base em um estudo de caso na cidade de Passo Fundo?”.

1.3 Justificativa

As empresas da construção da região de Passo Fundo -RS estão em busca da qualificação de seu produto. Com esta finalidade, ingressaram em programas de gestão da qualidade e estão em processo de certificação, conforme o sistema evolutivo do Programa Brasileiro de Qualidade e Produtividade no Habitat (PBQP-H).

As construtoras buscam melhorar a eficiência dos seus processos produtivos, através da criação de um ambiente de transparência em seus canteiros de obras e da utilização de ferramentas e práticas de gerenciamento e controle da produção. Desta forma, a apresentação dos conceitos da Construção Enxuta, neste momento, contribui com a formulação de estratégias de melhoria e apoio gerencial para estas empresas.

Segundo Picchi (2001), são diversas as empresas que têm atingido o importante passo de estabilização dos processos produtivos, garantindo a qualidade de seu produto, utilizando os conceitos da mentalidade enxuta. As empresas procuram formas de dar passos além, na direção de ganhos significativos de produtividade e competitividade.

A mentalidade enxuta é, sem dúvida, um caminho para este salto esperado, como tem sido demonstrado, em diversos setores e por experiências iniciais na construção. Por outro lado, a base propiciada por estes sistemas de gestão, com a utilização de procedimentos padronizados, controle e melhoria da qualidade, servem de apoio à implantação da Produção Enxuta (PICCHI, 2001).

Segundo Paliari (1999), se, por um lado, a ocorrência das perdas de materiais/componentes tem uma expressão significativa, no que se refere à possibilidade de redução dos custos de produção, por outro, as implicações de tal ocorrência extrapolam o âmbito dos canteiros de obras, pois ao se desperdiçar materiais/componentes, estar-se-á incorrendo em desperdício de recursos naturais.

Este trabalho propõe aplicar práticas embasadas nos conceitos da filosofia de

Construção Enxuta, para análise sistemática das oportunidades potenciais de melhoria no setor da construção em Passo Fundo - RS. Essa discussão deve ajudar a entender as complexas relações que existem entre os conceitos e técnicas e na identificação de lacunas e prioridades, para futuros estudos, na região de Passo Fundo -RS. A proposta é baseada em um estudo de caso.

1.4 Objetivos

1.4.1 Objetivo geral

RS, observando as oportunidades de melhorias no processo de produção da empresa

O objetivo geral deste trabalho é a introdução dos elementos fundamentais dos princípios da Construção Enxuta, em uma empresa de construção na cidade de Passo Fundo -

1.4.2 Objetivos específicos

− Conhecer técnicas e métodos utilizados no sistema de Construção Enxuta e casos de implantação na construção civil;

− Identificar e apresentar os princípios da Construção Enxuta para a empresa em estudo;

− Propor práticas que evidenciem a implementação dos princípios da Construção Enxuta no canteiro de obras;

− Coletar informações sobre as melhorias observadas no processo de produção da empresa;

− Elaborar uma lista de verificação para diagnóstico e identificação dos princípios da Construção Enxuta em canteiros de obras;

− Identificar os fatores críticos para a implantação dos princípios da Construção Enxuta, no estudo de caso.

1.5 Escopo e delimitação do trabalho

No que tange ao desenvolvimento deste trabalho, apresenta-se os princípios da Lean

Contruction enfatizando seus desdobramentos em melhorias, modificações e inovações tecnológicas simples. Para ilustrar, utiliza-se um banco de dados de imagens recolhidas da obra do estudo de caso. Faz parte, também, do propósito da pesquisa, o envolvimento da gerência de obra e da direção da empresa nos conceitos da filosofia de Produção Enxuta. Para auxiliar na implantação dos princípios utiliza-se o modelo de planejamento e controle da produção proposto por Bernardes (2001) para as empresas construtoras, o qual é implementado na obra em estudo.

A apresentação de algumas boas práticas para a introdução da Construção Enxuta, descritas neste estudo não tem o objetivo de esgotar o assunto, mas de contribuir, através de discussão, para a introdução desta filosofia de produção e dos benefícios proporcionados por ela, nas empresas de construção da região de Passo Fundo.

1.6 Estrutura do trabalho

Além do presente capítulo, no qual se apresenta o problema de pesquisa, a justificativa, os objetivos e as delimitações do trabalho, este relatório de dissertação está composto por mais quatro capítulos.

No capítulo 2, discute-se o surgimento e os conceitos da produção enxuta e as aplicações na indústria. São discutidos, também, a gestão da produção da construção, o modelo atual de produção e sua adaptação para a Construção Enxuta. Para compreender a aplicação da Construção Enxuta, são abordados os seus princípios e formas de sua aplicação na indústria da construção.

No capítulo 3, apresenta-se o método de pesquisa utilizado no presente trabalho.

Ainda, nesse capítulo, a estratégia, o delineamento da pesquisa, assim como as atividades realizadas, são discutidas detalhadamente.

No capítulo 4, são apresentados os resultados das três fases da pesquisa. A Fase I, exploratória, com a identificação da empresa para o estudo e observação direta no canteiro de obras, para a descrição de seus processos; a Fase I, a apresentação dos princípios da Construção Enxuta e a intervenção na obra; e na Fase I, a avaliação e discussão dos resultados e uma proposta de diagnóstico para empresas construtoras.

No capítulo 5, apresentam-se as conclusões da pesquisa, discutem-se as perspectivas de utilização do modelo proposto e sugerem-se novos trabalhos relacionados ao tema estudado.

Linha do tempo Dinheiro Pedido

(reduz pela remoção dos desperdícios sem valor agregado)

2 REVISÃO BIBLIOGRÁFICA

2.1 A Produção Enxuta: surgimento e conceitos

Produção Enxuta (Lean Production) é a denominação de uma nova concepção dos sistemas de produção, que teve origem na indústria japonesa, a partir da década de 50, mais especificamente na Toyota Motor Company, a partir do trabalho desenvolvido por Taiichi Ohno e Shigeo Shingo. Diante da necessidade de produzir pequenas quantidades de numerosos modelos de produtos, Ohno (1997) estudou os sistemas de produção norteamericanos, adaptou seus conceitos para a realidade japonesa da época, que se caracterizava pela escassez de recursos (materiais, financeiros, humanos e de espaço físico), e aplicou novas abordagens para a produção industrial, o que acabou consolidando, na prática, o chamado Sistema Toyota de Produção ou Produção com Estoque Zero (CORIAT, 1994).

O conceito Lean Thinking (Mentalidade Enxuta) é baseado no Sistema Toyota de

Produção (também conhecido pela sua sigla em inglês TPS) e foi desenvolvido em um ambiente de manufatura, mais especificamente, na indústria automobilística. O termo “enxuto” foi adotado por Womack e Roos (1990), visando caracterizar um novo paradigma de produção, para contrapor ao paradigma tradicional da produção em massa.

A base da mentalidade enxuta é a eliminação de desperdícios. Na definição de Taiichi

Ohno (1997) “reduzir a linha do tempo, do momento que o cliente faz o pedido até o ponto de receber o dinheiro, removendo os desperdícios que não agregam valor ao longo desta linha”. A Figura 1 representa esquematicamente esta definição.

Fonte: Ohno, 1997 Figura 1 - Linha de tempo da produção

Ohno (1988) apud Koskela (1992), líder do desenvolvimento do Sistema Toyota de

(Parte 2 de 7)

Comentários