Questionários da obra Teoria Geral da Administração, de A. C. Amaru Maximiano. Disciplina: Teoria da Administração do curso TECNOLOGIA EM LOGÍSTICA E

Questionários da obra Teoria Geral da Administração, de A. C. Amaru Maximiano....

(Parte 1 de 2)

Centro Paula Souza

FACULDADE DE TECNOLOGIA DE CARAPICUÍBA

Teoria Geral da Administração: questionários

Questionários da obra Teoria Geral da Administração, de A. C. Amaru Maximiano. Disciplina: Teoria da Administração do curso TECNOLOGIA EM LOGÍSTICA E TRANSPORTES (1º Ciclo - Noite)

Profº: Joelson

Alunos: Edson Luiz Fogo

Suzete Augusta da Silva

Carapicuíba

2009

Teoria Geral da Administração: questionários

SUMÁRIO

I - Afinal, quem manda aqui?

II - Taylor resolve um problema

III - Telelatina

IV - Criatividade versus regulamentação na 3M

V - Seleção de um executivo

VI - Elton Mayo faz umas perguntas

VII - Idade ou experiência?

I - Afinal, quem manda aqui?

1- Quais as causas principais do conflito entre Ricardo e seus filhos?

A transformação de uma pequena empresa em uma grande organização e a maneira de administrar diferentes tipos de organização, além da diferença de formação entre pai e filhos.

2 – Quem deve “mandar” na empresa?

Deve haver uma conciliação entre os três, porque tanto a experiência prática de Ricardo e o conhecimento acadêmico de Sergio e Alberto são experiências complementares e importantes para uma empresa.

3 – Qual o peso relativo da experiência e da educação formal, no processo de administrar a empresa?

Os dois são importantes, mas nas empresas de pequeno porte (pequenas e micro empresas) a administração é um processo mais simples e pode prescindir da educação formal. Nas organizações de grande porte a presença de pessoal qualificado com conhecimento técnico e acadêmico em diversas áreas é imprescindível.

4 – Você acha que um consultor é necessário? Que papel ele teria? Como você convenceria Ricardo de sua necessidade?

A contratação de um consultor é necessária porque existem novos desafios (evolução tecnológica, concorrência acirrada, situação financeira delicada) que exigem pessoal qualificado para enfrentá-los. O consultor definiria diretrizes para recuperação da empresa através de reorganização administrativa, redefinição de metas/estratégias de vendas e lançamento de novos produtos. Ricardo poderia ser convencido mostrando que até mesmo grandes corporações já contrataram consultores e executivos com a missão de reverter a aparente irreversível queda nas vendas.

5 - Quais as conseqüências previsíveis de Ricardo continuar administrando a empresa?

Queda nas vendas e falência, porque o método de administração de Ricardo, eficiente no passado, ficou desatualizado e não consegue superar os novos desafios colocados para a empresa.

6 - Quais as conseqüências previsíveis de os filhos ficarem com a empresa?

Dificuldades iniciais por falta de experiência prática, mas com grande chance de recuperação já que possuem formação acadêmica e mente aberta para adotar novos procedimentos administrativos.

7 – Quais as conseqüências previsíveis de não haver acordo entre as duas partes?

Principalmente no início, dificuldades desnecessárias para superar os problemas financeiros porque a experiência prática e conhecimento do mercado de Ricardo seria muito útil aos novos administradores.

8 – Você conhece casos semelhantes a este?

Apesar de não lembrarmos os nomes das empresas, tempos atrás (anos 90) o jornal Folha de S. Paulo publicou reportagem sobre as empresas familiares centenárias.

9 - Em caso afirmativo, qual foi o desfecho?

Algumas empresas familiares não se adaptaram às mudanças e fecharam as portas, aquelas que profissionalizaram sua administração ultrapassaram os cem anos de idade.

II - Taylor resolve um problema

1- O que aconteceria se Taylor não obrigasse os homens a descansar? Você acha que eles se esgotariam e sua produtividade diminuiria, como Taylor previu?

Haveria queda na produtividade. Taylor mostrou na prática que o descanso foi fundamental para diminuir o esgotamento físico e, conseqüentemente, aumentar a produtividade.

2 – De forma geral, qual a conseqüência do trabalho duro e ininterrupto?

Esgotamento e outros problemas físicos; desperdício de mão-de-obra e recursos; e queda na produtividade.

3 – O que Taylor comprovou com essa experiência?

Uma administração adequada consegue aumento na produtividade e nos lucros.

4 – Você acha que trabalhar menos produz mais em qualquer situação? Você recomendaria isso a seus auxiliares?

Não, mas Taylor provou que o descanso é necessário porque desgaste físico traz queda na produtividade. Recomendaria sessões de descanso aos meus auxiliares.

5 – Você conhece outras situações em que pessoas precisam descansar para poder realizar uma tarefa?

Várias: linha de montagem ou produção de uma indústria; trabalhos braçais; rotinas administrativas; competições esportivas.

6 – Em sua opinião, por que algumas pessoas trabalham demais: necessidade, excesso de trabalho, falta de método, compulsão, vontade de agradar o chefe, recompensa elevada ou outro motivo?

As pessoas trabalham demais devidos aos motivos citados e também por: pressão da chefia e insegurança quanto ao futuro. Às vezes devido à combinação de um ou mais desses fatores.

7 – Você acha que, de forma geral, as pessoas que trabalham com inteligência não precisam trabalhar muito para alcançar bons resultados?

As pessoas que aplicam sua inteligência para resolver seus problemas no trabalho têm a possibilidade de se desgastar menos e alcançar melhores resultados do que aquelas que não aplicam.

III - Telelatina

1 – Quais os principais problemas deste caso, no que diz respeito ao processo administrativo? Avalie a qualidade dos processos de planejamento, organização, execução e controle da mudança que a Telelatina fez.

O principal problema foi na execução. Os “novatos” da Telelatina não observaram um “paradigma clássico da administração” que é direção versus coordenação. Coordenação pressupõem a participação e envolvimento de outros funcionários nas estratégias da execução, mas os tais “novatos” optaram pela visão clássica do processo administrativo, isto é, administrar é sinônimo de dirigir. Assim a mudança foi boicotada.

Esta falha na execução comprometeu todo o bom trabalho realizado nas fases de planejamento e organização.

2 – Qual sua sugestão para resolver o problema agora? Esboce um plano, com objetivos e formas de controle, organização da equipe e etapas da execução.

A sugestão é cancelar a implantação e rediscutir as mudanças. A discussão das mudanças também deve envolver os funcionários antigos, para que exista um maior comprometimento destes e que os mesmos não as enxerguem apenas como uma iniciativa dos novatos.

3 – Você conhece casos parecidos, em que tenha havido problemas por causa de falhas no processo de planejar, organizar, executar e controlar? Qual o desfecho? Escolha um caso para relatar a seus colegas.

No Metrô de Superfície de Campinas (SP) ocorreram falhas de planejamento. A falha mais gritante era a localização da estação terminal (antiga estação ferroviária), muito longe do centro comercial de Campinas, o que ocasionou uma subutilização deste meio de transporte posteriormente extinto, apesar de em determinada época as tarifas serem gratuitas.

4 – Faça uma síntese, com base em sua experiência e neste estudo de caso, sobre “os fatores críticos de sucesso no processo de administração”.

Um planejamento mal feito tem boas chances de fazer um projeto fracassar; um bom planejamento pode ser destruído por uma má organização; erros na execução também destroem um projeto bem planejado e organizado. Então, existem vários fatores podem contribuir para o fracasso e o sucesso de um projeto.

Como vimos, o Metrô de Campinas fracassou devido à problemas de planejamento.

IV - Criatividade versus regulamentação na 3M

1- De que forma a inovação encaixava-se nos planos do novo presidente para a empresa?

McNerney sabia que a tradicional energia criativa era necessária e procurou manter esse espírito, mas a alta administração passou a determinar onde verbas com pesquisa e desenvolvimento seriam gastas e estabeleceu padrões uniformes de desempenho para toda a 3M, acabando com a liberdade de chefes de unidades de negócios.

2 – Em sua opinião, qual modelo de organização o novo presidente encontrou ao chegar à 3M? Qual modelo de organização o novo presidente estava pretendendo implantar? Até que ponto esse modelo era adequado para o tipo de ambiente em que a 3M atua?

Encontrou o modelo de organização de tipo orgânico onde “a natureza cooperativa do conhecimento é enfatizada” e existia “contínua redefinição de tarefas”. McNerney procurou implantar o modelo de tipo mecanicista onde “a hierarquia de controle é bem definida” e “a responsabilidade pela coordenação, (...), pertence exclusivamente à alta administração. Quando uma crise financeira se converte em queda nas vendas e faturamento é necessário reorganizar a empresa para reduzir custos e recuperar sua saúde financeira, normalmente isso acontece trocando um modelo que não está funcionando por outro. Então, a mudança para tipo mecanicista foi adequado.

3 – Gastar o dinheiro dedicado à inovação “nem sempre com sabedoria” pode ser o resultado de algum tipo de disfunção organizacional? Identifique a disfunção, se for o caso, ou indique outra possibilidade.

(Parte 1 de 2)

Comentários