Relatório de Faust

Relatório de Faust

RELATÓRIO Nº 01 DATA 05/04/2010 TÉCNICA DE FAUST

CURSO: Biomedicina

PERÍODO: 3° DISCIPLINA: Parasitologia PROFESSOR RESPONSÁVEL:

Rosana Catisti

Centro Universitário Hermínio Ometto UNIARARAS

RELATÓRIO Nº 01 DATA 05/04/2010 TÉCNICA DE FAUST

CURSO: Biomedicina

PERÍODO: 3° DISCIPLINA: Parasitologia PROFESSOR RESPONSÁVEL:

Rosana Catisti

Centro Universitário Hermínio Ometto UNIARARAS

1. INTRODUÇÃO

Algumas parasitoses intestinais são comuns no Brasil. Muitos fatores influem no sentido de que exista e persista essa situação, mas entre eles figuram como proeminentes, sem dúvidas, a freqüente má educação para a saúde e o deficiente saneamento básico vigente em numerosas regiões. (CASTILHO, P. L. V et al, 1980)

O diagnóstico coproparasitológico é o recurso laboratorial mais utilizado para a detecção de infecções gastrointestinais. A técnica de centrífuga-flutuação com sulfato de zinco (Faust et al, 1938.) é técnica de eleição no diagnóstico de estruturas parasitárias leves, podendo também ser usada para detecção de ovos pesados, o que sugere ser uma técnica com boa sensibilidade diagnóstica. (DANTAS, S. M. L et al, 2007.)

O método de FAUST e cols. (1939) objetiva pesquisar ovos ou larvas de helmintos e cistos de protozoários.

2. OBJETIVO Separação do corpo de fundo para análise da amostra em questão.

3.MATERIAL E MÉTODOS

Material: Lâmina Lamínula

ZnSO4 a 3% Material fecal

Microscópio Óptico Lugol Alça Tubo Falcon Centrífuga Água destilada Cálice de Sedimentação Tamis descartável

Métodos:

Foi-se feita à diluição do material fecal com H2O e filtrou-se o material, no cálice de sedimentação, se pega deste cálice 12 mL do material colocando em tubo falcon e levando-se a centrífuga por um minuto a 2000 RPM após a centrifugação pode-se observar a sedimentação e o sobrenadante no tubo falcon, despreza-se o sobrenadante e faz-se a ressuspensão com água e centrifuga-se novamente por um minuto a 2000 RPM, é feito esse processo até o sobrenadante ficar límpido, em seguida é colocado ZnSO4 3% até próximo a boca do tubo falcon e leva-se a centrífuga novamente por mais um minuto a 2000 RPM. Assim que retirado da centrífuga observa-se uma película, essa película é retirada com a ajuda de uma alça e colocada na lâmina, cola-se uma gota de lugol e a lamínula e analisa-se em microscópio óptico.

4.RESULTADOS E DISCUSSÃO

Em todas as lâminas analisadas foram encontrados cistos de Entamoeba coli.

Cisto de E. coli (fonte: http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/ameba/imagens/entamoeba-coli-2.jpg

Tanto os cistos quanto os trofozoítos podem ser encontrados nas fezes, sendo que os primeiros, conforme o grau de desenvolvimento contém de um a oito núcleos e, à medida que o número de núcleos aumenta, o diâmetro nuclear e a quantidade de cromatina do cisto reduzem.

Devido à semelhança existente entre os cistos de Entamoeba histolitica e os de Entamoeba coli, é preciso fazer o diagnóstico diferencial através da morfologia e do número de núcleos do organismo, entretanto a diferenciação de cistos nem sempre é conclusiva.

5. CONCLUSÃO

As análises realizadas permitiram verificar a presença de Cisto de E. coli nas fezes. Todas as análises foram realizadas com sucesso atingindo-se resultados satisfatórios e compatíveis com o que se era esperado.

Livros:

1.DANTAS, L. M. S; et al: Técnica de Centrífugo-flutuação com Sulfato de Zinco no Diagnóstico de Helmintos Gastrointestinais de Gatos Domésticos. Ciência Rural UFSM – Santa Maria, v. 37, n 003, mai./jun. 2007. Disponivel em:<http://redalyc.uaemex.mx/redalyc/pdf/331/33137351.pdf>. Acessado em 19 de março de 2010. 2.CASTILHO, V. L. P; et al: Estudo Comparativo entre os Métodos de Faust &

Col. e de Ritchie, para Exame Parasitológico de Fezes. Instituto de Medicina – São Paulo, v.2, n 6, nov./dez. 1980. Disponível em: <http://w.imt.usp.br/revista/1980%20v%202/2%206/319-32.pdf>. Acessado em 19 de março de 2010. 3.DIAS, D. G; et al: Comparação de Técnicas de Centrífugo-Flutuação (Faust) e

Flutuação Espontânea (Willis) para Diagnósticos de Parasitoses Intestinais em Cães. Pós Graduação em Parasitologia UFPel – Pelotas. Disponível em: <w.ufpel.edu.br/cic/2005/arquivos/CS_00654.rtf>. Acessado em 19 de março de 2010. 4. Disponível em: <http://w.ufrgs.br/para-site/siteantigo/Imagensatlas /Protozoa/Entamoebacoli.htm>. Acessado em 21 de março de 2010.

Comentários