Polidrâmnio e Oligodrâmnio

Polidrâmnio e Oligodrâmnio

A maior fonte de LA na 2º metade da gestação é a urina fetal;

  • A maior fonte de LA na 2º metade da gestação é a urina fetal;

  • O volume de LA aumenta progressivamente durante a gestação até alcançar valores máximos por volta de 36-37 semanas;

  • As variações do volume de LA são determinadas pelas trocas de água e solutos através das membranas, pela produção da urina fetal, além de pulmões e tubo digestivo, entre outros;

  • A pressão hidrostática do LA é importante no desenvolvimento do pulmão fetal;

  • Oligodrâmnio pode causar hipoplasia pulmonar fetal.

Definição:

  • Definição:

    • Presença de bolsão vertical mais profundo de líquido amniótico ≥ 8 cm ou pelo índice de líquido amniótico (ILA) superior ao percentil 97,5 para a idade gestacional. (Moise, 1997)
  • Ambos os parâmetros são avaliados por meio da USG semiquantitativa.

  • Prevalência entre 0,4 e 1,5%

A causa ainda continua desconhecida.

  • A causa ainda continua desconhecida.

  • Aspectos da fisiopatologia do polidrâmnio:

    • Trocas materno-feto-amnióticas de água
    • Bioquímica do líquido amniótico
    • Malformações do concepto

O excesso de líquido decorre, a priori, de aumento na formação ou de diminuição na reabsorção.

  • O excesso de líquido decorre, a priori, de aumento na formação ou de diminuição na reabsorção.

  • É um distúrbio no mecanismo regulador da circulação do fluido amniótico.

Na polidrâmnia há acentuada baixa do teor de lipídeos, tão pronunciada que não se explica pela maior diluição. O teor habitual de 0,48 g/L é reduzido a 0,09 g/L. (Hanon, Carnot & Pignard)

  • Na polidrâmnia há acentuada baixa do teor de lipídeos, tão pronunciada que não se explica pela maior diluição. O teor habitual de 0,48 g/L é reduzido a 0,09 g/L. (Hanon, Carnot & Pignard)

  • Esses achados sugerem profundo distúrbio metabólico, sendo o aumento do volume do líquido amniótico mera consequência.

É conhecida a grande associação de malformações congênitas, especialmente a anencefalia e as atresias altas do tubo digestivo (esôfago e duodeno), com polidrâmnio.

  • É conhecida a grande associação de malformações congênitas, especialmente a anencefalia e as atresias altas do tubo digestivo (esôfago e duodeno), com polidrâmnio.

Na anencefalia o polidrâmnio ocorre por 3 mecanismos:

  • Na anencefalia o polidrâmnio ocorre por 3 mecanismos:

    • As lesões encefálicas condicionariam distúrbios da deglutição;
    • Lesões hipotalâmicas e hipofisárias, por intermédio da produção do ADH, modificam a função renal;
    • Líquido cefalorraquidiano.

É mais frequente polidrâmnio na gestação dupla, uni ou biovular, num ou nos dois ovos;

  • É mais frequente polidrâmnio na gestação dupla, uni ou biovular, num ou nos dois ovos;

  • Diversas malformações congênitas não mensionadas antes;

  • Concomitância de patologias placentárias e funicular;

  • Associação com doenças maternas;

  • Recorrência em novas gestações;

Anamnese

  • Anamnese

  • Exame físico

  • Ultra-Som

Sintomas dependem da compressão do útero

  • Sintomas dependem da compressão do útero

  • Volume desmedido do útero

  • Velocidade de crescimento do útero

Feto Normal – prolongar a gravidez, aliviar os sintomas decorrentes do excesso do líquido

  • Feto Normal – prolongar a gravidez, aliviar os sintomas decorrentes do excesso do líquido

  • Feto Malformado e/ou cariótipo anormal

Acentuada redução do volume de liquido amniotico.

  • Acentuada redução do volume de liquido amniotico.

  • A incidencia varia em torno de 0,5 a 5%.

Ruptura prematura das membranas;

  • Ruptura prematura das membranas;

  • Síndrome da restrição do crescimento intra-uterino;

  • Insuficiência placentária;

  • Pós maturidade

  • Anomalias fetais

  • - Agenesia renal, rins policísticos

  • - Obstrução uretral ou ureteral

  • Uso de medicação pela mãe durante a gravidez

Suspeita clínica:

  • Suspeita clínica:

  • Diminuição da altura uterina

  • Fácil percepção das partes fetais à palpação obstétrica.

  • Confirmação – USG

  • Índice de liquido amniótico <= 5

Critérios pela USG:

  • Critérios pela USG:

  • - Ausência obvia de LA

  • - Diminuta interface liquido/feto

  • - Aconchegamento acentuado das pequenas partes fetais

A oligoidrâmnia quando instalada até o 2º trimestre, tem prognóstico reservado, e a mortalidade perinatal, relatada em alguns trabalhos varia entre 43 e 100%.

  • A oligoidrâmnia quando instalada até o 2º trimestre, tem prognóstico reservado, e a mortalidade perinatal, relatada em alguns trabalhos varia entre 43 e 100%.

Maior incidência de cesárea

  • Maior incidência de cesárea

  • Malformações ou compresão funicular

  • Indução do parto

  • Interrupção da gravidez

Mortalidade perinatal

  • Mortalidade perinatal

  • -Deve-se aos fatores causais

  • Sequelas da oligoidrâmnia

  • - O concepto tem facie caracteristica:

  • Inplantação baixa das orelhas, epicanto, achatamento da base do nariz.

  • - Hipoplasia pulmonar

Amnioinfusão:

  • Amnioinfusão:

  • - Infusão contínua de SF, Ringer lactato ou glicose a 5% na câmara amniótica.

  • - O volume ideal p/ melhorar a visão USG corresponde ao ILA de 8,5cm.

  • - Após a aminioinfusão é possível confirmar a suspeita de malformação fetal e agenesia renal.

Hiperidratação materna:

  • Hiperidratação materna:

  • -Via venosa 4litros de ringer lactato ou SF a cada 24hs

  • - Acompanhamento diário pela USG avaliando o ILA.

  • - Ideal entre 26 e 34 semanas.

Rezende, Jorge de. Obstetrícia. 9ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara koogan S. A., 2002.

  • Rezende, Jorge de. Obstetrícia. 9ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara koogan S. A., 2002.

  • Costa FC, Cunha SP, Berezowski AT. Avaliação prospectiva do índice de líquido aminiótico em gestações normais e complicadas. Radiol Bras. 2005;38(5):337-341.

  • Molinari MB, Filho FM, Chúfalo JE, Ferreira AC, Pagnano PR, Bürgos MB,Molinari RB. Índice de Líquido Amniótico: Variabilidade Inter e Intra-Observador. RBGO 20 (8): 443-448, 1998.

Comentários