Resumo: TEORIA GERAL DA ADMINISTRAÇÃO (Amaru, caps. 1 e 2)

Resumo: TEORIA GERAL DA ADMINISTRAÇÃO (Amaru, caps. 1 e 2)

Resumo: TEORIA GERAL DA ADMINISTRAÇÃO (Amaru, caps. 1 e 2)

Administração é o processo de tomar e colocar em prática decisões sobre objetivos e utilização de recursos. As funções do administrador são:

  • planejar: definição de objetivos e recursos;

  • organizar: disposição dos recursos em uma estrutura;

  • executar: realização dos planos;

  • controlar: verificar resultados.

Na sociedade moderna, todos estão cercados de organizações (escola, clube, sindicato, prefeitura, etc), conforme aumenta a quantidade de recursos empregados mais complexo torna-se o processo de administrar.

Teorias da administração são conhecimentos organizados, produzidos pela experiência prática das organizações; o conjunto dessas teorias é chamado de Teoria geral da administração. O processo de formação e disseminação das teorias administrativas é produzido pela observação e análise crítica da experiência prática das organizações e de seus administradores. Há duas fontes principais desses conhecimentos: a própria experiência prática e os métodos científicos.

A moderna Teoria geral da administração tem muitos conceitos que foram criados pelos primeiros administradores. Esses conceitos ao longo dos séculos, evoluíram continuamente, influenciados pelas circunstâncias de cada momento histórico. No início do século XXI, a globalização, a passagem para a era pós-industrial e a Revolução Digital (que representou a complementação e a substituição de certas atividades intelectuais por computadores) provocaram a mudança de muitas concepções tradicionais, como: mudança no papel dos chefes; competitividade; foco no cliente; qualidade de vida; emergência do Terceiro Setor.

Gerentes são agentes ou protagonistas do processo administrativo. São os funcionários responsáveis pelo trabalho de outros funcionários nas organizações. Em muitas organizações, os chefes compartilham sua autoridade com seus funcionários.

O papel e o trabalho dos gerentes são temas centrais no estudo da administração e as reflexões de Fayol, Sloan, Simon, Mintzberg, Barnard, Grove, Lee Iacocca, AkioMorita, Bill Gates e Taichi Ohno sobre o tema são muito importantes. Além dos executivos de nível mais elevado, as organizações também têm dois outros tipos de gerentes: gerentes intermediários e supervisores de primeira linha.

A divisão de responsabilidades entre os três níveis principais de administração sofreu radicais transformações desde que os primeiros autores escreveram a respeito da administração. Anteriormente, os três níveis principais subdividiam-se em inúmeros níveis intermediários. A partir da década de 80 do século XX, ganharam força os processos de downsizing, que provocaram a diminuição dessa hierarquia, reduzindo-a a três ou quatro níveis efetivos. Dos anos 90 em diante, tornaram-se comuns as pirâmides achatadas.

EDSON LUIZ FOGO – Logística – 1º Ciclo Noturno

Comentários