Casos de corrosão

  • Casos de corrosão

Tensões alternadas ou cíclicas

  • Tensões alternadas ou cíclicas

Limite de fadiga Tensão específica máxima de tração que pode ser aplicada alternada e indefinidadamente sem causar ruptura.

  • Limite de fadiga Tensão específica máxima de tração que pode ser aplicada alternada e indefinidadamente sem causar ruptura.

  • Os ensaios de fadiga são apresentados numa curva tensão x número de ciclos (curva S-N ou

  • curva de Wohler)

Metal sujeito a esforços cíclicos

  • Metal sujeito a esforços cíclicos

  • +

  • Meio corrosivo

Os meios aquosos que causam corrosão são numerosos e não específicos:

  • Os meios aquosos que causam corrosão são numerosos e não específicos:

A resistência à corrosão sob fadiga está mais relacionada com a corrosão em si do que com a resistência mecânica do material.

  • A resistência à corrosão sob fadiga está mais relacionada com a corrosão em si do que com a resistência mecânica do material.

Mecanismo

  • Mecanismo

  • Fadiga acentuada pela corrosão que depende do valor da frequência, das condições corrosivas e do tempo.

Parede de tubo em contato com ambiente corrosivo rompido depois de repetidos ciclos de pressurização.

  • Parede de tubo em contato com ambiente corrosivo rompido depois de repetidos ciclos de pressurização.

Metais no estado sólido

  • Metais no estado sólido

  • +

  • tensões externas

  • +

  • contato com metais fundidos

  • Processo não envolve modificação química do metal

  • Crescimento da trinca pára caso o suprimento de líquido seja interrompido

  • Fratura intergaranular

  • A previsão da fragilização ainda não é possível. Dados experimentais não são suficientes.

Mecanismo proposto pro Griffith :

  • Mecanismo proposto pro Griffith :

Hidrogênio interage com a maioria dos metais

  • Hidrogênio interage com a maioria dos metais

  • Modificação das propriedades mecânicas

  • Fratura frágeis e altamente danosas

Alguns dos importantes processos nos quais o hidrogênio é absorvido:

  • Alguns dos importantes processos nos quais o hidrogênio é absorvido:

  • Decapagem ácida:

  • Fe + 2H+  Fe2+ + H2

  • Reação entre aço e NaOH (conc)

  • Fe + 2NaOH  Na2FeO2 + H2

  • Decomposição térmica de hidrocarbonetos, em temperaturas elevadas CH4 C + 2H2

  • C2H4  C2H2 + H2

Mecanismo

  • Mecanismo

  • Fragilização irreversível: Presença de hidrogênio compromete a estrutura mecânica, mesmo que ele seja eliminado posteriormente.

  • Fragilização reversível: A eliminação do hidrogênio antes da aplicação da tensão restaura a ductibilidade do metal

Contato com fluido em movimento.

  • Contato com fluido em movimento.

Ação abrasiva de fluidos

  • Ação abrasiva de fluidos

Alteração de projeto

  • Alteração de projeto

  • Acréscimo do diametro da tubulação

  • Materiais mais resistentes

  • Tubulações direcionadas para o centro dos tanques

  • Partes vulneráveis substituíveis

  • Deaeração

  • Revestimentos

  • Proteção catódica

Choque do líquido

  • Choque do líquido

Eliminar quedas de pressão.

  • Eliminar quedas de pressão.

  • Modificar para evitar turbulência e vibração de partes críticas.

  • Introdução de ar no fluido para aliviar as áreas de baixa pressão.

  • Emprego de materiais mais resistentes.

  • Emprego de inibidores.

  • Proteção catódica.

  • Solda seguida de retificação.

Fluxo turbulento do líquido: áreas de baixa pressão, estrangulamentos, cotovelos e curvas.

  • Fluxo turbulento do líquido: áreas de baixa pressão, estrangulamentos, cotovelos e curvas.

Agravado na ocorrência de:

  • Agravado na ocorrência de:

  • Aumento de velocidade do fluido.

  • Turbulência local.

  • Presença de oxigênio.

  • Poluição da água.

  • Aumento das dimensões.

  • Aumento das quantidades de bolha na água.

Usar ligas de cobre especificas.

  • Usar ligas de cobre especificas.

  • Reduzir a velocidade do fluido.

  • Diminuir a quantidade de ar ou partículas sólidas.

  • Modificar a geometria dos equipamentos evitando curvas acentuadas, etc.

  • Usar placas defletoras.

É a fratura de certos materiais, quando tensionados em certos ambientes, sob condições tais que nem a solicitação mecânica nem a corrosão ambiente isoladamente conduziriam à fratura.

  • É a fratura de certos materiais, quando tensionados em certos ambientes, sob condições tais que nem a solicitação mecânica nem a corrosão ambiente isoladamente conduziriam à fratura.

  • ATENÇÃO ! A fragilidade do metal, isoladamente, sem que haja um processo de corrosão não é considerada como corrosão, mas sim como uma característica física do metal.

Quando se observa a fratura dos materiais, a corrosão sob tensão é denominada CORROSÃO SOB TENSÃO FRATURANTE.

  • Quando se observa a fratura dos materiais, a corrosão sob tensão é denominada CORROSÃO SOB TENSÃO FRATURANTE.

As tensões residuais que causam corrosão sob tensão são geralmente provenientes :

  • As tensões residuais que causam corrosão sob tensão são geralmente provenientes :

  • De operações de soldagem

  • De deformações a fria como estampagem e dobramento.

Comentários