Balanço Patrimonial

Balanço Patrimonial

(Parte 1 de 8)

Balanço Patrimonial

BALANÇO PATRIMONIAL : GRUPOS DE CONTAS

A T I V O

PASSIVO E PATRIMÔNIO LIQUIDO

Circulante

São os bens e direitos que estão em constante giro (em movimento) sendo a sua conversão em dinheiro realizada até o fim do exercício seguinte. Classifica-se primeiro aquele que se transformar em dinheiro mais rapidamente.

Ativo Realizável a Longo Prazo

Representam os bens e direitos que serão transformados em dinheiro após o exercício social seguinte ao do levantamento do balanço. Incluem-se também os adiantamentos e empréstimos a sócios, acionistas, diretores, empresas ligadas, coligadas ou controladas, desde que não constituam negócios usuais do objeto social da empresa.

Ativo Permanente

São os bens e direitos que não se destinam a venda e tem vida útil longa, no caso dos bens.

  • Investimentos

Representam as aplicações financeiras de caráter permanente com o objetivo de gerar rendimentos; não são necessários à manutenção das atividades normais da empresa.

  • Imobilizado

Representam os bens de Natureza permanente que são utilizados para a manutenção das atividades normais da empresa.

  • Diferido

Representam as aplicações em despesas que contribuirão para a obtenção de receitas em exercícios futuros.

Circulante

São as obrigações (dívidas) exigíveis que deverão ser pagas até o fim do exercício seguinte.

Exigível a Longo Prazo

São as obrigações exigíveis que deverão ser pagas após o exercício social seguinte ao do levantamento do Balanço.

Resultados de Exercícios Futuros

As receitas diminuídas dos custos e despesas quando se referirem a exercícios futuros.

Patrimônio Líquido

São os recursos que os proprietários aplicaram na empresa. São chamados de recursos próprios e significam o capital mais os rendimentos (lucros e reservas) menos as perdas (prejuízos). O lucros ou prejuízos são apurados no resultado.

ANALISE DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS (BALANÇOS)

Não basta saber identificar as Demonstrações Contábeis se não tiver um mínimo de conhecimento sobre a analise de balanços como é mais conhecida a Análise das Demonstrações Financeiras ou Demonstrações Contábeis.

Antigamente era analisado apenas o Balanço, daí a expressão da Analise de Balanços para designar a análise das Demonstrações Financeiras (Contábeis) ter se mantido ao longo dos tempos.

Todas as Demonstrações Contábeis são suscetíveis de analise e são as seguintes:

  • Balanço Patrimonial

  • Demonstrativo do Resultado do Exercício

  • Demonstração dos Lucros ou Prejuízos Acumulados (ou Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido)

  • Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos (DOAR)

A ênfase é dada as duas primeiras demonstrações, pois é através delas que se verifica a situação Patrimonial, Econômica e Financeira de forma objetiva (identificadas no Balanço Patrimonial e Demonstrativo do Resultado do Exercício)

TÉCNICAS DE ANALISE DE BALANÇOS E DE RECLASSIFICAÇÃO

As técnicas mais conhecidas de analise de balanços são: Analise Horizontal, Analise Vertical e Análise dos Índices ou Quocientes sendo estes últimos melhores para analisar a saúde financeira das empresas.

Para uma melhor e mais segura e eficiente interpretação dos dados contidos nos relatórios contábeis (BP e DRE) é necessário proceder a reclassificação de alguns itens contidos nos demonstrativos em exame.

Exemplo:

  1. Duplicatas Descontadas → que são classificadas como contas redutoras dos Clientes ou Duplicatas a Receber (Ativo Circulante), devem ser reclassificadas para o Passivo Circulante, uma vez que a operação realizada foi um empréstimo caucionado por parte das contas a receber de clientes.

  2. Despesas Pagas Antecipadamente → é o único grupo de contas do ativo circulante que não se converte em dinheiro, classificado no (AC) para atendimento do regime de competência, sendo este gasto apropriado como despesa, nas contas de resultado, aos períodos que pertencerem.

Os valores das despesas antecipados são reclassificadas para despesa reduzindo o lucro e conseqüentemente o Patrimônio Liquido.

Outros detalhes como estoques obsoletos que devem ser reclassificados como despesa reduzindo lucro e o Patrimônio Liquido; Resultados de Exercícios Futuros que se houver obrigação de qualquer tipo de devolução deverão ser reclassificados para o Passivo ou se não houver obrigatoriedade de devolver o mesmo será reclassificado para o Patrimônio Líquido aumentando-o, outros detalhes que o analista poderá está identificando dentro da empresa.

Analise Horizontal

Após a padronização das demonstrações , a na;alise horizontal é feita estabelecendo o ano inicial da série analisada como índice de base 100, expressando os valores dos anos seguintes em relação ao ano base.

Na análise horizontal estamos comparando valores ou índices de dois ou mais anos. As Demonstrações são dispostas uma ao lado da outra comparando as variações de um ano em ralação ao outro, as demonstrações são distintas e a leitura é feita horizontalmente. Verifica-se acréscimo ou decréscimo das contas de um ano para outro, constatando-se uma tendência de aumento ou redução dos elementos patrimoniais e de resultado.

Análise Vertical

Análise vertical é feita extraindo-se relações percentuais entre itens pertencentes a uma mesma Demonstração Financeira.

A finalidade desta analise é dar uma idéia de representatividade de um determinado item ou subgrupo de uma demonstração contábil em relação ao um total ou subtotal tomado como base. Tem uma aplicação bem prática, quando se verifica a relação dos diversos grupos de despesas com as receitas. A análise vertical é feita para um único ano, de cima para baixo ou seja, verticalmente.

Cálculos de Quocientes

A análise de quocientes ou índices das Demonstrações Contábeis relaciona os itens e grupos do Balanço Patrimonial e da Demonstração do Resultado. Por esta é relacionado grupos de contas do ativo com o passivo, resultados do período são relacionados com grupos do ativo e do passivo para uma leitura conjunta das demonstrações financeira.

A seguir destacamos vários quocientes ou índices mais usados, porém, recomendamos a leitura e pesquisa da bibliografia indicada, pois o que discorremos aqui é insuficiente para um conhecimento adequado da analise de balanços. Enfatizamos que além dos índices aqui destacados há outros de suma importância que não foram relacionados, mas que veremos no decorrer do semestre.

QUOCIENTES

FÓRMULAS

Síntese da Interpretação

 

 

 

Revela quanto a empresa

 

1. Participação de Capitais

Exigível Total *

utiliza de capitais de terceiros

Estrutura

de Terceiros em relação aos

Exigível Total +Patrimônio Líquido

em relação ao total dos capitais

de

Recursos Totais

 

 

 

Capitais

 

 

Revela quanto a empresa deve a

 

2. Composição do

Passivo Circulante

a curto prazo em relação ao

ou

Endividamento

Exigível Total

total das obrigações existentes

 

 

 

 

 

Endividamento

 

 

Revela quanto a empresa deve

 

3. Participação de capitais de

Exigível Total *

a curto e longo prazos em relação

 

em relação aos capitais próprios.

Patrimônio Líquido

aos capitais próprios

 

 

 GRAU DE ENDIVIDAMENTO

 

 

 

 

 

 

 

 

 

4. Liquidez Geral

Ativo Circulante +

Evidencia quanto a empresa tem de

 

 

Ativo Realizável a Longo Prazo

A C + A R L P para cumprir com o

 

 

Passivo Circulante +

total de suas obrigações.

 

 

Passivo Exigível a Longo Prazo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

5. Liquidez Corrente

Ativo Circulante

Revela quanto a empresa tem de

 

 

Passivo Circulante

A C para honrar com o P C

Liquidez

 

 

 

 

ou

 

 

Revela quanto a empresa tem de

Insolvência

6. Liquidez Seca

Ativo Circulante - Estoques

A C deduzidos os estoques

 

 

Passivo Circulante

para honrar com o PC

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Revela quanto a empresa possui de

 

 

7. Liquidez Imediata

Disponibilidades

dinheiro em Caixa, Bancos e Apliq.

 

 

Passivo Circulante

Liq. Imediata honrar suas dividas

 

 

 

de curto prazo (P C)

 

 

 

 

Evidencia quanto a empresa

 

8. Giro do Ativo

Vendas Líquidas

vendeu do seu ativo total ou

 

 

Ativo Total

quantas vezes o ativo total

 

 

 

girou no período

 

 

 

 

Revela quanto a empresa obteve

Quociente de

9. Margem Líquida

Lucro Líquido

de lucro líquido em relação às

 

 

Vendas Líquidas

vendas líquidas

 

Rentabilidade

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

10. Rentabilidade do Ativo

Lucro Líquido

Evidencia o lucro líquido para cada

 

 

Ativo Total

real de investimentos totais

 

 

 

 

 

 

 

 

Revela quanto a empresa ganhou

 

11. Rentabilidade do

Lucro Líquido

de lucro líquido sobre o total de

 

Patrimônio Líquido

Patrimônio Líquido

capital próprio investido

 

 

 

 

 

* Exigível Total = Passivo Circulante+Passivo Exigível a Longo Prazo.

BALANÇO PATRIMONIAL

A T I V O

19x1

19x2

P A S S I V O

19X1

19X2

Disponível

Circulante

Caixa

20.200,00

27.500,00

Fornecedores

385.400,00

652.320,00

Bancos

58.200,00

76.750,00

Impostos a pagar

162.320,00

282.080,00

Total Disponível

78.400,00

104.250,00

Salários e Encargos

320.000,00

387.000,00

Outras contas a pagar

95.600,00

101.260,00

Contas a Receber

Emprest. e Financ.

480.000,00

620.000,00

Duplicatas a Receber

765.200,00

847.300,00

Provisão para IR

200.000,00

232.140,00

(-) Dpl. Descontadas

-56.000,00

-65.000,00

Total passivo circulante

1.643.320,00

2.274.800,00

(-) Provisão p/ Dev. Duvidosos

-22.960,00

-25.420,00

Outras Contas a Receber

21.700,00

23.200,00

Total contas a receber

707.940,00

780.080,00

Exigível a Longo Prazo

0,00

0,00

Estoques

Emprest. de Coligadas

Produtos Acabados

303.500,00

597.950,00

Produtos em Processo

120.000,00

230.930,00

Matérias-Primas

502.800,00

620.450,00

Patrimônio Líquido

Importações em Andamento

100.300,00

94.320,00

Capital Social

1.000.000,00

1.500.000,00

Total estoques

1.026.600,00

1.543.650,00

Reserva de Capital

500.000,00

0,00

Reserva de Reavaliação

0,00

0,00

Despesas Antecipadas

Reserva de Lucros

90.000,00

152.000,00

Seguros

46.000,00

54.000,00

Lucros (prej.) Acumulados

957.530,00

1.500.480,00

Imposto Predial

36.400,00

35.380,00

Total Patrimônio Líquido

2.547.530,00

3.152.480,00

Soma Despesas Antecipadas

82.400,00

89.380,00

TOTAL DO PASSIVO

4.190.850,00

5.427.280,00

TOTAL ATIVO CIRCULANTE

1.895.340,00

2.517.360,00

Ativo Realizável a Longo Prazo

Adiantamentos a coligadas

120.000,00

145.000,00

EVENTUAL DIFERENÇA

0,00

0,00

Empréstimos Compulsórios

122.400,00

147.900,00

Total A. R. L. Prazo

242.400,00

292.900,00

Ativo Permanente

Investimentos

Empresas Coligadas

240.000,00

326.800,00

Imobilizado - Custo Corrigido

2.451.300,00

2.980.000,00

(-) Depreciações Acumuladas

-638.190,00

-689.780,00

Imobilizado Líquido

1.813.110,00

2.290.220,00

Ativo Diferido

Diferido

0,00

0,00

(-) Amortização Acumulada

Diferido Líquido

Total do Ativo Permanente

2.053.110,00

2.617.020,00

T O T A L DO A T I V O

4.190.850,00

5.427.280,00

Demonstrativo do Resultado do Exercício

Receita Bruta de Vendas

19x1

19x2

Receita Bruta de Venda

5.459.700,00

8.850.620,00

(-) Dedução das Vendas

-794.760,00

-1.223.380,00

(=) Receitas Líquidas

4.664.940,00

7.627.240,00

(-) Custo dos Produtos Vendidos

-2.379.120,00

-3.565.820,00

(=) Lucro Bruto

2.285.820,00

4.061.420,00

(-) Despesas Operacionais

Com Vendas

-534.000,00

-1.093.110,00

Administrativas

-905.000,00

-1.789.350,00

Despesas Financeiras

-196.420,00

-253.870,00

(=) Resultado Operacional

650.400,00

925.090,00

(+/-) Resultados não Operacionais

0,00

0,00

(=) Lucro antes do I R

650.400,00

925.090,00

(-) Provisão p/ I R

-200.000,00

-232.140,00

(=) Lucro Líquido

450.400,00

692.950,00

OUTRAS ANÁLISE DE INTERESSE

ROTAÇÃO DOS ESTOQUES (RE) OU IDADE MÉDIA DOS ESTOQUES (IME)

A rotação dos estoques (RE) procura mostrar quantas vezes se renovou os estoques, por causa das vendas num determinado período. Pode ainda ser definido como idade media dos estoques (IME), que representa, em média, quanto tempo os estoques ficam parados em função das vendas.

Fórmulas

Custo dos Produtos Vendidos = CPV

R E = --------------------------------

Estoque Médio

Estoque Final

IME = ----------------------------- x Período

Custo Produtos Vendidos = CPV

Exemplo: Estoque Final ou Estoque Médio $ 20.000,00 e Custo dos Produtos Vendidos $ 100.000,00

100.000,00

RE = ----------- = 5 vezes → 12 meses/5 vezes = 2,4 meses = 72 dias

20.000,00

20.000,00 20.000,00

IME= ---------- x 12 meses = 2,4 meses; ou ----------- x 360 dias = 72 dias

100.000,00 100.000,00

PRAZO MÉDIO DOS RECEBIMENTOS = PMR

Este índice ou quociente indica quantas dias semanas ou meses a empresa espera em média, para receber suas vendas a prazo. Na dificuldade em se determinar o total das vendas a prazo em cada período, este pode ser substituído por prazo médio dos recebimentos em dias de vendas, para tanto basta substituir vendas a prazo pelas vendas do período.

OBS.:

O prazo dos recebimentos deriva de vários fatores, tais como: usos e costumes do ramo de negócio, política de concessão de créditos, eficiência dos serviços de cobrança, a situação financeira de liquidez dos clientes.

Estes são os principais fatores que deverão ser trabalhados para encurtar os prazos de recebimentos.

Contas a Receber

PMR = ---------------- x Período

Vendas a Prazo

Exemplo:

1.500,00

PMR = ---------- X 360 dias = 58 dias

9.300,00

PRAZO MÉDIO DOS PAGAMENTOS = PMP

Este índice ou quociente indica em média, quantos dias a empresa demora para pagar suas compras a prazo. Na dificuldade em se determinar o total das compras a prazo em cada período, este pode ser substituído por prazo médio dos pagamentos em dias de vendas, para tanto basta substituir as compras a prazo pelas vendas do período.

O prazo médio dos pagamentos é mais difícil de ser modificado sensivelmente, restando agirmos sobre o prazo médio dos recebimentos e sobre a margem de lucro.

Fornecedores

PMP = --------------- x Período

Compras a Prazo

8.500,00

PMP = --------- x 360 dias = 45 dias

68.500,00

POSICIONAMENTO RELATIVO = PR

Este índice ou quociente indica se os prazos de recebimentos estão mais alongados que os prazos de pagamentos. O ideal é que seja inferior a 1 (um) ou pelo menos muito próximo de 1 (um), para garantir uma situação neutra no mínimo.

PMR

PR = -----

(Parte 1 de 8)

Comentários