(Parte 2 de 3)

Os sistemas de defesa são ações táticas coletivas que objetivam um melhor rendimento defensivo, podem ser classificados em: a) individual b) zona c) sob pressão d) mista e) combinada

Esportes Coletivos – Douglas Flesch Cygainski 8

Defesa Individual: É o sistema que tem como principal característica a situação de um contra um, ou seja, cada defensor marca um atacante determinado.

Vantagens Desvantagens dificulta passes e arremessos de meia e longa distância facilita as penetrações à cesta, proporcionando os arremessos de curta distância exige do defensor a correta execução dos fundamentos individuais de defesa pode provocar um grande número de faltas pessoais define responsabilidades exige um certo grau de preparação física

Tipos: 2.1.21.2.2 1.3.1 2.3 3.2 2.2.1

Defesa por Zona: É o sistema que tem como característica a marcação por áreas e o deslocamento dos defensores nessas áreas. Esse deslocamento é determinado pela movimentação da bola.

Vantagens Desvantagens propicia o posicionamento dos defensores em regiões, de acordo com a estatura dos jogadores poderá provocar indecisão na marcação do(s) atacante(s) posicionado(s) naquela determinada área facilita o rebote de defesa facilita a troca de passes facilita as saídas para o contra-ataque facilita arremessos de média e longa distância dificulta o jogo próximo à cesta necessita de muito entrosamento entre defensores para a execução das coberturas facilita a volta organizada para a defesa, devido ao posicionamento pré-determinado

Esportes Coletivos – Douglas Flesch Cygainski 9

Defesa Sob Pressão: Tem como principal característica a situação de dois defensores marcando um atacante e a agressividade. Este tipo de defesa requer dos defensores muita condição física para suportar o ritmo de marcação a ser imposto para surpreender o adversário e tentar mudar o ritmo de jogo. Além de suas próprias características, utiliza-se também de conceitos e características de outras defesas, ou seja, a pressão pode ser individual e por zona.

Vantagens Desvantagens a possibilidade de fazer com que o adversário altere seu ritmo de jogo, em função da agressividade da defesa o ataque pode utilizar de forma eficiente os atacantes que momentaneamente estejam sem marcação, situação provocada pelo fato da defesa realizar 2 em 1 o fator surpresa, que pode levar os atacantes a cometerem erros e/ou violações maior possibilidade de cometer faltas pessoais forçar o ataque a realizar passes e/ou arremessos precipitados aumentar as possibilidades de recuperação de bola pela defesa

Esportes Coletivos – Douglas Flesch Cygainski 10

Defesa Mista: É o tipo de defesa no qual se utilizam dois sistemas simultaneamente em um mesmo ataque. Exemplo: um defensor marca um determinado atacante individualmente e os demais defensores marcam por zona.

Vantagens Desvantagens faz com que o adversário tenha que se adaptar à defesa, com movimentações de ataque que nem sempre são treinadas desguarnece a área restritiva em função da retirada de um defensor, que realiza uma marcação especial altera o ritmo de jogo do adversário exige maior atenção com relação à movimentação da bola e das coberturas dificulta a ação do principal atacante da equipe adversária

Defesa Combinada: É o sistema de defesa que se utiliza de dois ou mais sistemas distintos em momentos diferentes do ataque. Requer muito entrosamento entre os jogadores, pois qualquer desatenção ou falha poderá provocar uma situação ideal para que o ataque converta uma cesta.

Vantagens Desvantagens alterando a movimentação, a defesa acaba confundindo o ataque, que poderá perder tempo para se reorganizar é necessário grande entrosamento entre os defensores para que não ocorram falhas, prejudicando todo o sistema defensivo

Sistema de Ataque

Os sistemas de ataque são movimentações táticas coletivas que têm como objetivo principal a obtenção da cesta. É importante definir os nomes e funções das posições que um jogador pode desempenhar no ataque. Existem três posições que são distribuídas em função das características físicas e técnicas dos atacantes: Armador, Pivô e Lateral (ala).

Posição/Características Fisicamente Tecnicamente

Armador normalmente o armador é o mais baixo e o mais rápido da equipe

Deve passar e driblar bem, ter uma boa visão de jogo, deve decidir o momento exato de passar ou arremessar a bola na cesta.

Esportes Coletivos – Douglas Flesch Cygainski 1

Pivô o pivô deve ser alto e forte

Deve saber fintar e girar, ter um bom assremesso de curta distância (jump e gancho) e boa noção de posicionamento para rebote ofensivo.

Lateral ou Ala pode ser um jogador de estatura média e que não pode ser muito lento

Deverá ter um bom arremesso de média distância, boa noção de rebote.

Classificação dos Sistemas de Ataque

Os sistemas de ataque NÃO apresentam uma clara definição em sua classificação. Isto devese especialmente à multiplicidade de opções que se apresentam na elaboração de um ataque.

Esportes Coletivos – Douglas Flesch Cygainski 12

Principais Regras

1. Quadra a) A quadra de jogo terá dimensões de 28m (comprimento) x 15m (largura). b) As federações nacionais tem autoridade para aprovar, para suas competições, quadras de jogo já existentes com dimensões mínimas de 26m x 14m.

2. Equipes a) As equipes serão compostas por 5 jogadores cada (em jogo), mais 7 suplentes. b) O jogo não pode começar se uma das equipes não estiver em quadra com 5 jogadores prontos para jogar. c) Uma equipe perderá por número insuficiente de jogadores, se durante a partida, a equipe tiver menos que dois jogadores em quadra prontos para jogar.

3. Inicio do Jogo O jogo começa com um lançamento da bola ao ar, pelo árbitro, entre dois jogadores adversários no circulo central.

4. Duração do Jogo

5. Reposição da bola em jogo Depois da marcação de uma falta, o jogo recomeça por um lançamento fora das linhas laterais, exceto no caso de lances livres. Após a marcação de ponto, o jogo prossegue com um passe realizado atrás da linha do campo da equipe que defende.

6. Como jogar a bola A bola só pode ser jogada com as mãos, não é permitido andar com a bola ou provocar contato com os pés ou pernas, bater na bola com o punho fechado também é proibido.

7. Pontuação a) 1 ponto: lance livre b) 2 pontos: uma cesta da área de dois pontos c) 3 pontos: uma cesta da área de três pontos (atrás da linha de 6,15m)

8. Empate Se o placar estiver empatado no final do quarto período, a partida continuará c tempos extras de 5 minutos forem necessários para desempatar.

9. Três, cinco, oito e vinte e quatro segundos

3 segundos

Um jogador não pode ficar na área restri que da bola

5 segundos Um jogador marcado de perto deve passar, arremessar ou driblar a

8 segundos

Sempre que um jogador ganha o controle da bo defesa, sua equipe deve fazer com que a bola chegue a sua zona de

24 segundos Sempre que um jogador ganhar o controle de uma bola em quadra, sua

10. Zona de defesa A bola vai para a zona de defesa da equipe quando: a) Ela toca na zona de defesa b) Ela toca um jogador que tenha parte de seu corpo em contato com a zona de defesa

1. Bola pressa Considera-se bola presa quando dois ou mais adversários sobre a bola, ficando presa. A posse da bola será da equipe que tiver a seta a seu favor.

12. Lance livre Os jogadores nas posições de rebote do lance livre ocuparão espaços em posições

Esportes Coletivos

Se o placar estiver empatado no final do quarto período, a partida continuará c tempos extras de 5 minutos forem necessários para desempatar.

Três, cinco, oito e vinte e quatro segundos

Um jogador não pode ficar na área restritiva do adversário por mais que três segundos consecutivos enquanto sua equipe tem o controle da bola na quadra de ataque e o cronômetro de jogo estiver ligado.

(Parte 2 de 3)

Comentários