(Parte 1 de 3)

Esportes Coletivos – Douglas Flesch Cygainski 1

Prof. Douglas Flesch Cygainski 2010

Esportes Coletivos – Douglas Flesch Cygainski 2

História do Handebol

O Handebol não foi criado ou inventado, a bola é sem dúvida um dos instrumentos desportivos mais antigos do mundo e vem cativando o homem há milênios. O jogo de Urânia, praticado na antiga Grécia com uma bola do tamanho de uma maçã, usando as mãos mas sem balizas, é citado por Homero na Odisséia.

Também os Romanos, segundo Cláudio Galeno (130-200 d.C), conheciam um jogo praticado com as mãos, o Harpastum. Mesmo durante a idade média, eram os jogos com bola praticados como lazer por rapazes e moças. Na França, Rabelais (1494-1533 d.C) citava uma espécie de handebol (esprés jouaiant â la balle, à la paume). No ano de 1848, o professor dinamarquês Holger Nielsen criou, no Instituto de Ortrup, um jogo denominado Haandbold, determinando suas regras. Na mesma época, os tchecos conheciam um jogo semelhante denominado Hazena. Fala-se também de um jogo similar na Irlanda e no El Balon do uruguaio Gualberto Valetta, como precursores do handebol.

Todavia o Handebol, como se joga hoje, foi introduzido na Alemanha, como

Raftball. Quem o levou para o campo, em 1912, foi o alemão Hirschmann, então Secretário da Federação lnternacional de Futebol.

O período da I Grande Guerra (1915-1918) foi decisivo para o desenvolvimento do jogo, quando um professor de ginástica, o berlinense Max Heiser, criou um jogo ao ar livre para as operárias da Fábrica Siemens, derivado do Torball, e quando os homens começaram a praticá-lo, o campo foi aumentado para as medidas do futebol.

Em 1919, o professor alemão Karl Schelenz reformulou o Torball, alterando seu nome para Handball com as regras publicadas pela Federação Alemã de Ginástica para o jogo com 1 jogadores. Schelenz levou o jogo como competitivo para a Áustria, Suíça, além da Alemanha. Em 1920, o diretor da Escola de Educação Física da Alemanha tornou o jogo desporto oficial.

A divulgação na Europa deste novo desporto não foi difícil, visto que Karl Schelenz era professor na então famosa Universidade de Berlim onde seus alunos, principalmente os estrangeiros, difundiram as regras então propostas para vários países.

Por sua vez, existia na Tchecoslováquia desde 1892 um jogo praticado num campo de 45m x 30m e com 7 jogadores que também era jogado com as mãos e o gol era feito em balizas de 3m x 2m. Este jogo, o Hazena, segundo os livros, foi regulamentado pelo Professor Kristof Antonin, porém, somente em 1921 suas regras foram publicadas e divulgadas

Esportes Coletivos – Douglas Flesch Cygainski 3 por toda a Europa. Mas, foi o Handebol jogado no campo de futebol, que chamamos de Handebol de Campo, que teve maior popularização, tanto que foi incluído nos Jogos Olímpicos de Berlim em 1936.

Com o grande crescimento do futebol com quem dividia o espaço de jogo, com as dificuldades do rigoroso inverno, muitos meses de frio e neve, o Handebol de Campo foi paulatinamente sendo substituído pelo Hazena que passou a ser o Handebol a 7, chamado de Handebol de Salão, que mostrou-se mais veloz e atrativo. Em 1972, nos Jogos Olímpicos de Munique (Alemanha), o Handebol (não mais era necessário o complemento "de salão") foi incluído na categoria masculina, reafirmou-se em Montreal (Canadá) em 1976 (masculino e feminino) e não mais parou de crescer.

O Handebol no Brasil

Após a I Grande Guerra Mundial, um grande número de imigrantes alemães vieram para o Brasil estabelecendo-se na região sul por conta das semelhanças climáticas. Dessa forma os brasileiros passaram a ter um maior contato com a cultura, tradição folclórica e por extensão as atividades recreativas e desportivas por eles praticadas, dentre os quais o então Handebol de Campo. Foi em São Paulo que ele teve seu maior desenvolvimento, principalmente quando em 26 de fevereiro de 1940 foi fundada a Federação Paulista de Handebol, tendo como seu primeiro presidente Otto Schemelling.

O Handebol de Salão somente foi oficializado em 1954 quando a Federação

Paulista de Handebol instituiu o I Torneio Aberto de Handebol que foi jogado em campo improvisado ao lado do campo de futebol do Esporte Clube Pinheiros, campo esse demarcado com cal (40m x 20m e balizas de madeira 3m x2m).

Este Handebol praticado com 7 jogadores e em um espaço menor agradou de tal maneira que a Confederação Brasileira de Desportos – CBD, órgão que congregava os desportos amadores a nível nacional, criou um departamento de Handebol possibilitando assim a organização de torneios e campeonatos brasileiros nas várias categorias masculina e feminina.

Contudo, a grande difusão do Handebol em todos os estados adveio com a sua inclusão nos I Jogos Estudantis Brasileiros realizado em Belo Horizonte em julho de 1971 como também nos Jogos Universitários Brasileiros realizado em Fortaleza em julho de 1972. Como ilustração, nos JEB's/72 o Handebol teve a participação de aproximadamente 10 equipes femininas e 12 masculinas, já em 1973 nos IV JEB's em Maceió tivemos cerca de 16 equipes femininas e 20 masculinas. A atual Confederação Brasileira de Handebol - CBHb foi fundada em 1º de junho de 1979, tendo como primeira sede São Paulo e o primeiro Presidente foi o professor Jamil André.

Esportes Coletivos – Douglas Flesch Cygainski 4

Fundamentos

Os fundamentos técnicos individuais e coletivos dos jogadores de linha do handebol são: Passe, Arremesso, Finta, Recepção, Progressão, Drible.

Passe: É a ação de entregar a bola ao companheiro de equipe. Trata-se de uma ação técnica de extrema importância. É o fundamento mais importante do handebol sob o ponto de vista de que é a partir de passes corretos que acontecerão os demais fundamentos. a) objetivo: dar seqüência ao jogo, progressão, preparação do ataque ou contra-ataque b) classificação quanto à distância: curtos (até 10m), médios (até 15m), longos (acima de 15m) c) classificação quanto à trajetória: direto, picado (quicado), parabólico

Arremesso: É a ação de impulsionar a bola em direção ao gol. Este é o objetivo máximo de um jogo de handebol, os demais fundamentos serão os que estarão em direção a este fundamento. a) objetivo: fazer o gol b) classificação quanto à distância:

6 metros geralmente feito até em menores distâncias, quando o jogador se projeta para o interior da área.

7 metros equivalente ao pênalti do futebol 9 metros ou mais praticado na maioria das vezes por jogadores fortes c) classificação quanto à mecânica corporal: de ombro, com queda, com giro, com salto e inclinação, etc.

Finta: É a ação consciente de ludibriar o adversário com ou sem a posse de bola, acontece ainda, simultaneamente ao passe ou quando há a ameaça do arremesso a gol. objetivo: ludibriar o adversário com o propósito de conseguir espaço para arremessar, passar ou dar seqüência à jogada.

Recepção: É o ato de receber e controlar ou dominar a bola. Poderá ser feita com uma ou com as duas mãos, em movimento ou parado. a) objetivo: dar continuidade ao jogo b) técnica: deve-se dominar a bola usando as mãos côncavas, em forma de concha, em seguida deverá estar predisposto a ações rápidas e definitivas.

Esportes Coletivos – Douglas Flesch Cygainski 5

Progressão: É a ação individual ou coletiva (2x2, 3x3 ou todos da equipe) de progredir com a bola a) objetivo: dar o ritmo ao jogo com propósitos de ataque ou contra-ataque b) classificação: poderá ser realizado de modo individual, duplas, trios, quartetos, com toda a equipe

Drible: É o ato de superar o adversário com a posse de bola, tanto no ataque como na defesa. Sua prática se dá a partir do controle da bola com sucessivos quiques da bola ao solo. a) objetivos: superar o adversário e assim conseguir uma melhor posição para o arremesso, o passe ou a progressão.

Sistema e Tática

Sistema Tática

É a forma de dispor (posicionar) os jogadores em quadra, podendo ser no ataque ou na defesa.

É a maneira pela qual são postos em ação os sistemas adotados em um jogo, tanto na defesa como no ataque, com a intenção de superar o adversário.

Sistema Defensivo no Handebol É a maneira de coordenar as individualidades defensivas em conjunto.

Tipos de defesa

Individual: pode ser em toda a quadra, meia quadra ou próxima aos nove metros.

Zona: cada jogador defende em um determinado espaço. Mista (combinado): é a fusão da defesa individual com a defesa mista.

Respeitando-se uma disposição gráfica e linear, as apresentadas das seguintes maneiras:

Sistema Ofensivo

Da mesma maneira que os sistemas de defesa, estes sistemas de ataque também possuem suas vantagens, desvantagens e aplicabilidade, seguinte maneira:

Posicional: rápida circulação da bola, cada jogador ocupa a sua posição característica, quem circula é a bola.

Circulação: os atletas deverão estar em constante movimentação, com troca de posições e de passes rápidos.

Combinado: caraterizado pela mistura do posicional e do circulação, alguns jogadores permanecem em suas posições características enquanto os outros circulam, principalmente próximo à área de 6 metros.

Esportes Coletivos se uma disposição gráfica e linear, as linhas de defesa podem ser apresentadas das seguintes maneiras:

Da mesma maneira que os sistemas de defesa, estes sistemas de ataque também possuem suas vantagens, desvantagens e aplicabilidade, podendo ser classificado da rápida circulação da bola, cada jogador ocupa a sua posição característica, os atletas deverão estar em constante movimentação, com troca de ões e de passes rápidos.

caraterizado pela mistura do posicional e do circulação, alguns jogadores permanecem em suas posições características enquanto os outros circulam, principalmente próximo à área de 6 metros.

Esportes Coletivos – Douglas Flesch Cygainski 6 linhas de defesa podem ser

(Parte 1 de 3)

Comentários