Epistemologia genética de piaget-resumo

Epistemologia genética de piaget-resumo

EPISTEMOLOGIA GENÉTICA DE JEAN PIAGET

(09/08/1896 – 16/09/1980)

Epistemologia – estudo do conhecimento.

Genética – parte do equipamento biológico

Piaget buscava a relação entre o sujeito agente ou pensante e os objetos do seu conhecimento.

Processos cognitivos = processos mentais relativos ao conhecimento como memória, percepção, imagens, raciocínio etc.

Para ele a lacuna existente entre o problema filosófico da epistemologia e seu substrato psicológico seria preenchida pela psicologia.

Visão interacionista (meio + organismo) = nem organicista/ natista/ nem mecanicista/ empirista.

“Conhecimento construído por cada indivíduo na interação com seu meio ambiente.”

Visão de homem ativo: homem procura, organiza e assimila o conhecimento a seu estado anterior. (influencia e é influenciado pelo meio através da ação)

O que promove o desenvolvimento é a necessidade e não o estímulo, pois provoca desequilíbrio. Atenção voltada ao construtor do conhecimento, ao ser cognoscente ou sujeito epistêmico. (estudo dos processos de pensamento presente desde a infância até a idade adulta)

Desconsideração ao contexto social (a partir do momento que interagimos mudamos a nossa estrutura).

  • Piaget, partindo de R “erradas” de crianças em testes de inteligência concluiu: “A inteligência de crianças mais novas é qualitativamente diferente das mais velhas e não quantitativamente, ou seja, não é uma questão de maior ou menor número de itens respondidos corretamente, a maneira de pensar é diferente.”

  • “A natureza e a caracterização do modo de pensar da inteligência muda com o tempo, sendo que as operações (ações que ocorrem na imaginação) intelectuais caminham para o raciocínio lógico.”

  • “O pensamento deriva da ação da criança sobre o meio em que vive”.

  • “Durante a ação da criança sobre o meio social e físico começam a se formar as estruturas dos reflexos inatos, num processo de adaptação”.

  • Estagio final do desenvolvimento: operações lógicas-formais, desenvolvendo-se por estágios: sensório-motora, pré-operacional, operacional concreto e operacional formal .

  • O processo de adaptação (estrutura posterior com base numa anterior) resulta em ajustamento ao ambiente decorrente de equilíbrio entre acomodação e assimilação.

  • Processo de adaptação= a nova situação ou elemento é incorporado e assimilado a um sistema já pronto. Acomodação = processo de modificação de estruturas antigas c/ vista a solução de um novo problema. Assimilação = tenta solucionar a situação nova c/ base nas estruturas antigas.

“Para Piaget, o desenvolvimento é um processo de equilibração progressiva que tende para uma forma final, qual seja as operações formais”.

ESTÁGIOS DE DESENVOLVIMENTO

Fundamentação

  • Os estágios caracterizam formas de interagir com o meio ambiente nas diversas faixas etárias, sendo assim: a cada estágio correspondem determinados tipos de aquisições mentais e de organização destas que condicionam a atuação da criança com o seu meio ambiente. (Para Freud a cça não toma parte em seu des/o e para Piaget a cça é agente de seu pp des/o)

  • Natureza do des/o é relativamente seqüencial e fixa. Porém, a criança é que constrói seu des/o a partir de quatro determinantes: maturação, estimulação do ambiente físico, aprendizagem social e tendência ao equilíbrio.

  • Piaget, no desenvolvimento da inteligência, distinguiu um conjunto de etapas características chamadas de fases ou estágios, as quais devem corresponder aos seguintes critérios:

  • - constância de ordem de sucessão das aquisições;

  • - caráter integrativo das fases (as estruturas construídas numa idade tornam-se parte integrante das estruturas da idade seguinte);

  • - compreensão da fase como uma estrutura de conjunto.

  • - distinção entre os processos de formação e as formas de equilíbrio final em cada fase.

  • As diferentes fases/ etapas/ estágios de desenvolvimento denotam a unidade profunda dos processos que, da construção do universo prático da inteligência sensório-motora do bebê, levam a reconstrução do mundo pelo pensamento hipotético-dedutivo do adolescente, passando pelo conhecimento do universo concreto elaborado pelo pensamento operatório da segunda infância.

  • As etapas denotam que estas construções sucessivas consistem em descentrar o ponto de vista imediato e egocêntrico da partida para adaptá-lo a uma realidade cada vez mais ampla e extensa;

  • Para Piaget o pensamento nasce da ação.

  • Por falar em fases, erroneamente pode-se entende que Piaget é maturacionista, porém sua ênfase é na estimulação ambiental com limitações dadas pela maturação biológica. Interacionista.

ESTÁGIO SENSÓRIO-MOTOR (0 A 2 ANOS)

  • Extraordinária importância no desenvolvimento mental: conquista, através da percepção e dos movimentos de todo universo prático que rodeia a criança, fundamento de toda a atividade intelectual superior futura.

  • Trabalhos de Piaget nesta área demonstra a importância do brincar e que a atividade intelectual não seria iniciada somente aos 7 anos.

  • Inteligência sensório-motora é uma inteligência sem pensamento ou sem representação, sem linguagem, sem conceitos.

  • Para Piaget, para exprimir o cpto inicial da criança, relata “... o mundo é uma realidade a sugar...”

  • A inteligência se determina na presença do objeto, das pessoas e das situações e cujo instrumento é a percepção.

  • Inteligência essencialmente prática: opera através da percepção, das posturas e dos movimentos, sem evocação simbólica.

  • No ponto de partida da evolução mental não há diferenciação entre o eu e o mundo exterior. As impressões vividas e percebidas não são relacionadas nem a consciência pessoal (eu) nem a objetos concebidos como exteriores. Bloco único (indissociação primitiva). Só se oporão futuramente.

  • O eu é o centro da atividade, mas é Ics a si mesmo. Só a medida que o eu se constrói como realidade interna ou subjetiva (na ação/atividade), é o que o mundo exterior vai se objetivando.

  • “A consciência começa por um egocentrismo Ics e integral, até que progressos da inteligência sensório-motora levem a construção de um universo objetivo, onde o pp corpo aparece como elemento entre os outros, e o qual se opõe a vida interior localizada neste corpo”.

  • Fç importante da inteligência nesta fase: diferenciação entre os objetos externos e o pp corpo.

  • Obras importantes sobre esta fase: “O nascimento da inteligência na criança (1936)”, “A construção no real na criança (1937)”.

Do ponto de vista do observador, Piaget descreve seis subestágios:

Exercício reflexo (0 – 1 mês):

  • Bbs exercitam os reflexos inatos e ganham custo controle sobre os mesmos;

  • Piaget denominada de “assimilação funcional” (exercício pelo prazer);

  • Não pegam um objeto que estão olhando;

  • Não desenvolveram a permanência de objeto.

Primeiros hábitos adquiridos e a reação circular primária (1 – 4 meses ½)

  • Repetem cptos agradáveis que primeiramente ocorreram por acaso (ex: sugar);

  • Atividades focalizam-se mais no corpo do bb do que nos efeitos cptais sobre o ambiente;

  • Primeiras adaptações adquiridas (ex: sugar diferentes objetos);

  • Iniciam-se as noções de espaço, tempo, causalidade e permanência de objeto.

Adaptações sensório-motoras intencionais e as reações circulares secundárias (4 meses e ½ - 8-9 meses)

  • Passam a se interessar mais pelo meio ambiente e repetem ações que trazem resultados instigantes e prolongam experiências estimulantes.

  • Ações são intencionais (repetição), mas inicialmente não orientadas a metas.

  • Mostram permanência do objeto parcial. Procuram um objeto parcial/e escondido.

Coordenação de esquemas secundários e sua aplicação a novas situações (8-9 meses a 11-12 meses)

  • Cptos mais deliberados a medida que bbs coordenam esquemas previamente aprendidos (como olhar e pegar um chocoalho).

  • Usam cptos aprendidos p/ chegar as suas metas (ex: engatinha p/ pegar um objeto).

  • Podem antecipar acontecimentos.

  • Permanência de objetos está se desenvolvendo, embora os bbs procurem um objeto no primeiro local aonde foi escondido.

Reação circular terciária e a descoberta de meios novos por experimentação ativa (11-12 meses a 18 meses)

  • Começam a experimentar ativamente novos cptos.

  • Mostram curiosidade a medida que variam propositadamente a sua ação p/ obter resultados (ex: jogar coisas).

  • Exploração ativa.

  • Métodos de tentativas e erros p/ resolução de problemas.

  • Permanência de objeto: acompanham deslocamentos destes, porém, como não são capazes de imaginar um movimento que não vêem, não procurar um objeto onde não tenham observado que foi escondido.

Invenção de meios novos pela combinação mental e início da representação (18 a 24 meses)

  • Transição para o estagio pré-operacional

  • Inicio da linguagem

  • Rudimentos do pensamento

  • Representam mentalmente os acontecimentos. Não mais se restringindo a tentativa e ao erro p/ resolver problemas.

  • Pensamentos simbólicos permitem que comecem a pensar sobre os acontecimentos e antecipem suas conseqüências sem recorrer à ação.

  • Permanência de objeto está totalmente desenvolvido.

Piaget postula quatro processos fundamentais como característica desta fase:

  • Categoria de objeto (antes, se não estava presente não existia);

  • Constituição de espaço (antes, tantos espaços qtos domínios sensoriais isolados);

  • Causalidade (antes, sem relação entre resultado empírico e a ação que o atrai);

  • Noção temporal (paralelo a causalidade).

Obs: Todas a título de categorias práticas ou de ação pura e não ainda como noções de pensamentos (caráter reflexivo).

  • Ao final do período sensório-motor, o universo prático é constituído em sua estrutura, ao mesmo tempo: substancial, espacial, causal e temporal.

  • Para Piaget o sentido do desenvolvimento pode ser interpretado como uma descentralização progressiva: a cça q no início está em um estado confusional total, vai pouco a pouco, estruturar o objeto, estruturar-se a si mesmo como sujeito, e é por este processo que o egocentrismo inicial transforma-se em relações objetivas.

  • Paralelo entre a afetividade e a vida intelectual: “Na vida sempre há o restabelecimento ou fortalecimento do equilíbrio. A conduta supõe instrumentos ou uma técnica: são os movimentos e a inteligência. Mas toda conduta implica tbem modificações e valores finais: são os sentimentos. Afetividade e inteligência são, assim, indissociáveis e constituem os dois aspectos complementares de toda conduta humana”.

  • Na fase sensório-motora exemplifica a proximidade de emoções c/ a fisiologia: medo, prazer, desprazer etc.

  • Comparações c/ a psicanálise: narcisismo sem “narciso”, relações maternas, édipo precoce. Analises da psicanálise a partir da construção intelectual do objeto.

ESTÁGIO PRÉ-OPERACIONAL (2 A 6 ANOS)

  • Em algumas obras consta como subestágio de operações concretas.

  • Denominado pré-operacional pq a cça ainda não realiza operações.

  • Cça realiza e atua sobre os objetos, já apresenta ações que servem como representações em vários graus de internalização: instruções, expressões cognitivas e isoladas, que não constituem estruturas organizadas.

  • No estágio operacional concreto os sistemas de ação são cada vez mais internos e moveis, reunidos em todas estruturas e coerentes, c/ pp// estruturais.

  • Período pré-operacional é descrito mais pela negação de características do período operacional concreto.

Características:

  • Gde desenvolvimento da capacidade de simbolização: não depende mais exclusivamente de suas sensações, já distingue um SIGNIFICADOR (imagem, palavra ou símbolo), do seu SIGNIFICADO (objeto ausente).

  • Significativo avanço na linguagem.

  • Egocentrismo: incapacidade de se colocar no ponto de vista do outro (ex. proximidade).

  • Centralização: focalização de apenas um atributo (uma dimensão) do estímulo (ex. formato da massinha de modelar).

  • Estados e transformações: pensamento pré-operacional é estático e rígido. A cça fixa um estado momentâneo (ex. compreender uma representação gráfica, transformações da água).

  • Irreversibilidade: incapacidade da cça de entender que certos fenômenos são reversíveis (ex. estados de água, massinha de modelar).

  • Desequilíbrio constante: predomínio das acomodações sobre as assimilações (mudanças internas radicais).

  • Raciocínio transdutivo: cça chega a conclusões, logicamente incorretas partindo do particular e chegando no particular. No adolescente e no adulto: pensamento dedutivos (do geral p/ o particular) e indutivos (do particular p/ o geral).

  • Realismo nominal: atitude exageradamente concreta (nomes, sonhos, pensamentos).

  • Animismo: atribuição de vida a seres inanimados.

  • Antropomorfismo: atribuição de características humanas a seres não humanos.

ESTÁGIO DE OPERAÇÕES CONCRETAS (7 A 11 ANOS)

  • Declínio do egocentrismo intelectual e crescente incremento do pensamento lógico.

  • Período de gdes aquisições mentais para Piaget.

  • Formação de esquemas conceituais – realidade passara a ser estruturada pela razão e não mais pela assimilação egocêntrica (tendência lúdica do pensamento, onde real e fantasia se misturam). Ex. noções de conservação de quantidades – cça entende que o n° de elementos permaneceu igual apesar da mudança de posição (fichas, tampinhas etc)

  • Adquire a noção de reversibilidade (operação direta e inversa faz parte da mesma lógica).

  • Atitude crítica. Necessidade de explicar logicamente suas idéias e ações.

  • Diminuição tbem do egocentrismo social: cça c/ maior possibili// de perceber que outras pessoas tem sentimentos, pensamentos e necessidades diferentes das suas – interações sociais mais genuínas.

  • Começa a entender regras de jogos.

  • Pq estágio da operação concreta?

  • - Sensório-motor = conhecimento essencialmente perceptual, através das ações físicas.

  • - Pré-operacional = conhecimento essencialmente através de ações físicas (pré-conceitual: exercícios mentais, porém com as necessidades de ações físicas).

  • - Operacional concreto = operações mentais (ações físicas realizadas mental/e) e esquemas conceituais referem-se a objetos e ações que existam na realidade.

  • - Operações formais = possibili// de esquemas conceituais abstratos (não mais presentes concretamente na realidade).

Provas operatórias clássicas:

  • Noções de quantidade (descontinua)

1° situação

2° situação

*****

*****

*****

* * * * *

  • Conservação de volume (quantidade continua)

  • Conservação de massa

  • Conservação de peso

  • Inclusão de classes

  • Correspondência espacial ou ótica.

  • Pensamento intuitivo = submetido primado percepção.

  • Meio caminho entre experiência efetiva e mental.

  • Para raciocínio lógico falta mobilidade e reversibilidade.

  • Estimativa da linha de nível de liquido.

ESTÁGIO DE OPERAÇÕES FORMAIS (12 ANOS EM DIANTE)

  • Possibilidade de esquemas conceituais abstratos (não mais presentes concretamente na realidade) como: amor, liberdade, justiça, entre outros, realizando com este operações regidas pela lógica formal. Pensamento/ raciocínio hipotético dedutivo.

  • Riqueza imensa em termos de conteúdo e de flexibilidade de pensamento.

  • Capacidade de critica em relação a tudo: valores sociais, morais etc.

  • Possibilidade de novas proposições, formação e testagem de hipóteses.

  • Consciência do pp pensamento, auto-reflexão.

  • Lida com relações entre relações.

  • Reflexão livre e destacada do real.

  • Segundo Piaget, ao adquirir as características mencionadas o indivíduo atingiu sua forma final de equilíbrio (somente através desta é que conseguiu chegar a sua teoria e nos conseguimos entendê-la)

AFETIVIDADE

  • Há um estreito paralelismo entre o des/o da afetividade e das fçs intelectuais.

  • Afeto e intelecto são aspectos indissociáveis de cada ação.

  • Ação:

  • - motivação e dinamismo energético = afetividade.

  • - técnicas e ajustamento ao meio = racionalidade.

Nunca há ações puras. Ex: sentimentos surgem na resolução de problemas. Amor pressupõe compreensão.

Desenvolvimento:

  • Emoções próximas a reações fisiológicas.

  • Interesses – relacionados a necessidades.

  • Valores – sistemas de regulação interno/externo.

  • Sentimentos de auto-valorização: inferiores/superiores.

QUESTÕES:

  1. Considerando a biografia de Piaget realize associações com sua obra.

Piaget teve suas origens ligada aos seus estudos, seu pai era historiador e sua mãe uma mulher inteligente e dinâmica. Com 11 anos seu 1° artigo foi publicado e logo depois estudou sobre moluscos, tendo se formado em biologia. Por influência de seu padrinho, começou ler sobre filosofia, dedicando-se a epistemologia relacionado com o estudo do conhecimento. Depois de formado teve contato com a psicologia e através de testes com crianças elaborou a idéia central de sua teoria: a inteligência nas diferentes faixas etárias não é quantitativa e sim qualitativa. Partiu então, para a tarefa de verificar a relação entre o pensamento e a lógica, o indivíduo e o meio, como as crianças elaboravam seu pensamento para chegar a determinadas respostas.

  1. O que é epistemologia genética?

É uma teoria elaborada por Piaget, advinda da biologia, da lógica e da epistemologia, enfatiza o aspecto evolutivo da inteligência humana, buscando a origem do conhecimento.

  1. Para Piaget o que é inteligência?

É um caso particular de adaptação biológica. Uma forma de equilíbrio para a qual tendem todas as estruturas. Um sistema de operações de vivas e atuais.

  1. Qual a relevância da hereditariedade para Piaget? E do meio?

Piaget é interacionista, não nega a hereditariedade e nem o meio, acredita que todas as nossas estruturas tem suas origens vindas da hereditariedade, não descartando a influência do meio na vida de cada um para o seu desenvolvimento.

  1. Defina com as suas palavras:

  1. Conteúdo: são as questões pessoais, como o indivíduo pensa para solucionar determinada situação ou problema, seus interesses.

  2. Estruturas hereditárias: são estruturas que herdamos dos nossos pais, como as nossas reações comportamentais automáticas quando cça, o sistema nervoso. Etc.

  3. Psicológicas: as desenvolvemos em contato com o meio, o qual vai modelando e aperfeiçoando com o passar do tempo.

  4. Esquemas: são comportamento ou ações que manifestamos, sendo estas ações regularmente aplicadas em várias situações; é uma série de atividades intelectuais, idéias que formamos.

  5. Funções de adaptação: todo organismo tem tendência de si adaptar ao ambiente. Acomodação – o indivíduo faz algumas modificações das estruturas internas para adaptar-se a nova situação, ainda não tem esquemas suficientes. Assimilação – o indivíduo tenta solucionar a situação nova com base nas suas estruturas antigas, assimilando o ocorrido, já tem esquemas suficientes para a ação bastando agir. Organização – estamos sempre em busca de equilíbrio interno, organizando nossos processos em sistemas que se tornam coerentes para nós.

  1. Para Piaget, como se dá o processo de conhecimento? Descreva citando exemplos de acomodação e assimilação.

O processo de conhecimento ocorre na interação do individuo com o seu ambiente em busca de solucionar necessidades internas, causadas por uma situação nova (estimulação) onde esta provoca um desequilibro. Através dos processos de adaptação e organização ocorrem alterações nos esquemas e estruturas buscando o equilíbrio perturbado pelo novo evento.

Ex. criança brincando de carrinhos. Ao receber um novo carrinho a criança o manipulará da mesma forma que realizava com os outros (assimilação), porém o carrinho tendo Fricção, diferente dos seus outros brinquedos, fará um processo de modificação interna para poder efetuar o novo movimento com o seu carrinho (acomodação).

  1. Por que para Piaget a inteligência das crianças não é inferior a dos adultos?

A inteligência dos adultos passou por um processo de modificação no decorrer do tempo, o qual a criança ainda não passou, sendo assim, as crianças possuem apenas um modo diferente de pensar dos adultos, não sendo a sua inteligência inferior e sim qualitativamente diferente.

  1. Qual a metodologia utilizada por Piaget? Descreva-a.

Piaget utiliza o método clínico, isto é, o estudo detalhado, flexível, de poucos casos, durante longo período de tempo utilizando a observação natural. Piaget, colocava as crianças em experimentos simples onde eram feitas perguntas ou elaborados problemas e questionamentos sobre o raciocínio, observando-as em suas ações.

  1. Discorra sobre o princípio do equilíbrio.

Desde o momento que nascemos buscamos organizar nossas estruturas em processos mais complexos, mantendo-nos em constante equilíbrio.

Sujeito interação meio

Situação nova (estimulação)

Necessidade de cada um

Desequilíbrio

Adaptação (assimilação/ acomodação)

Organização

Alteração das estruturas e esquemas

Modificação

Busca do equilíbrio

Comentários