IT 16 Plano de Intervenção de Incêndio

IT 16 Plano de Intervenção de Incêndio

(Parte 1 de 2)

POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO Corpo de Bombeiros

SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Aplicação 3 Definições 4 Referências normativas 5 Procedimentos

INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº 16/2004 Plano de Intervenção de Incêndio

ANEXOS A Planilha de levantamento de dados B Fluxograma do Plano de Intervenção de IncêndioPla no de Interv enção de Incêndio

415Instrução Técnica nº 16/2004 - Plano de Intervenção de Incêndio

1 OBJETIVO Esta Instrução Técnica estabelece princípios gerais para: 1.1 Levantamento de riscos de incêndio; 1.2 Elaboração de Planos de Intervenção de Incêndio;

1.3 Padronização das formas de intervenção operacional nos locais de risco.

2 APLICAÇÃO

2.1 Esta Instrução Técnica aplica-se às edifi cações e áreas de risco em que é necessária a elaboração de um Plano de Intervenção de Incêndio, de acordo com o previsto no Decreto Estadual nº 46.076/01.

2.2 Outras edifi cações, que por suas características construtivas, localização ou tipo de ocupação necessitem de um planejamento prévio para as ações das equipes de emergência (públicas ou privadas), conforme solicitação do Corpo de Bombeiros.

3 REFERÊNCIAS NORMATIVAS E BIBLIOGRÁFICAS:

As normas e bibliografi as abaixo contêm disposições que estão relacionadas com esta Instrução Técnica:

Instituto de Pesquisas Tecnológicas de São Paulo, “Manual de Regulamentação de Segurança contra Incêndios”, 1992

FUNDACENTRO, Ministério do Trabalho, ”introdução à Engenharia de Segurança de Sistemas”, 4ª edição, 1994

FireEx Internacional de Proteção Industrial Ltda, “Introdução à Análise de Risco – sistemática e métodos”, 1ª edição, 1997

Sellie, Maj. Gerald, “Seminário sobre a Intervenção dos Bombeiros no Meio Industrial” - Instituto de Engenharia de São Paulo, 1997

Society of Fire Protection Engeniering, “the SFPE Handbook of Fire Protection Engeniering”, National Fire Protection Association, 2nd edition

National Fire Protection Association, “Handbook”, 18th edition

4 DEFINIÇÕES E CONCEITOS

Para efeito desta Instrução Técnica aplicam-se as defi nições constantes da IT nº 03 – Terminologia de segurança contra incêndio.

5 PROCEDIMENTOS

5.1 As edifi cações relacionadas no item 2 desta IT devem possuir um Plano de Intervenção de Incêndio.

5.2 Análise preliminar de riscos

5.2.1 Para a elaboração de um Plano de Intervenção de Incêndio é necessário realizar uma análise preliminar de riscos, buscando identifi cá-los.

5.2.2 A Análise preliminar de riscos é o estudo prévio sobre a existência de riscos, elaborado durante a concepção e o desenvolvimento de um projeto ou sistema.

5.2.3 O levantamento de risco de incêndios é elaborado pelo responsável pelo uso da edifi cação, por meio do preenchimento da planilha de levantamento de dados contida no Anexo A.

5.2.4 Em conjunto com a planilha de levantamento de dados da edifi cação deve ser apresentada uma planta de risco, cujo modelo encontra-se na IT nº 1 – Procedimentos administrativos.

5.2.4.1 A planta de risco acima citada é a mesma elaborada no processo de proteção contra incêndio aprovado no Corpo de Bombeiros.

5.2.4.2 A planta de risco deve ser elaborada no formato A2, A3 ou A4, em escala padronizada, podendo ser em mais de uma folha, indicando: a) Principais riscos; b) Paredes corta-fogo e de compartimentação; c) Hidrantes externos; d) Número de pavimentos; e) Registro de recalque; f) Reserva de incêndio; g) Armazenamento de produtos perigosos; h) Vias de acesso às viaturas do Corpo de Bombeiros; i) Hidrantes urbanos próximos da edifi cação (se houver).

5.2.4.3 Uma cópia da planta de risco deve permanecer num local como portaria, acesso principal ou recepção, de forma que seja acessível às guarnições do Corpo de Bombeiros, em caso de emergências.

5.2.5 Conforme a complexidade dos riscos existentes, o levantamento deve ser elaborado por profi ssionais de um grupo multidisciplinar (engenheiros, técnicos, especialistas em gerenciamento de emergências).

5.2.6 A partir do levantamento de dados e do mapeamento das áreas de risco, é elaborado o Plano de Intervenção de Incêndio.

Instrução Técnica nº 16/2004 - Plano de Intervenção de Incêndio

5.3 Plano de Intervenção de Incêndio

5.3.1 O Plano de Intervenção de Incêndio consiste num planejamento prévio para a provável ocorrência de uma emergência e visa a facilitar o reconhecimento da edifi cação por parte das equipes de emergência.

5.3.2 Por meio do plano de intervenção de incêndio, busca-se garantir: a) A segurança da população do edifício; b) A segurança da população das edifi cações vizinhas; c) A segurança dos profi ssionais responsáveis pelo socorro, no caso de haver um incêndio; d) O controle da propagação de incêndios; e) A proteção do meio ambiente.

5.3.3 O Plano de Intervenção de Incêndio de uma edifi cação contém os seguintes dados: a) Planilha de Levantamento de Dados, conforme item 5.2.2; b) Descrição das possíveis causas de incêndio; c) As ações a serem tomadas pelos responsáveis pelo uso e funcionários; d) A orientação aos usuários temporários; e) Os itinerários mais indicados para as viaturas do

Corpo de Bombeiros; f) Outros dados julgados necessários, a critério do Corpo de Bombeiros.

5.3.4 O Plano de Intervenção de Incêndio é avaliado por um ofi cial da seção de atividades técnicas, em conjunto com o comandante do Posto de Bombeiros mais próximo da edifi cação, devendo ser apresentado, pelo responsável pelo uso da edifi cação, na primeira renovação de vistoria.

5.3.5 Uma vez elaborado e ratifi cado pelo Corpo de Bombeiros, o plano é arquivado em três vias: a) Uma via no processo de proteção contra incêndio; b) Uma via no Posto de Bombeiros mais próximo da edifi cação; c) Uma via no acesso principal da edifi cação.

5.3.6 O Plano de Intervenção de Incêndio deve ser ensinado à população permanente da edifi cação.

5.3.7 Durante o período de validade do Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros recomenda-se que se realize, no mínimo, um simulado com a participação integrada da brigada de emergências da edifi cação e do Corpo de Bombeiros.

417Instrução Técnica nº 16/2004 - Plano de Intervenção de Incêndio

Vias de acesso e pontos de referência:

Anexar planta baixa de prédio e de sua localização na página do guia da Cidade.

O prédio possibilita, junto ao leito carroçável ou no seu interior, a utilização de viaturas ou equipamentos de Bombeiro

( ) sim ( ) não

Área do terreno:m2
Área construída:m2
( ) concreto ( ) metálica( ) madeira
( ) outras especifi car:
Nº de pavimentos:
Material de acabamento das paredes:
Material de acabamento dos pisos:
Material da cobertura:

1 Dados relativos à construção do imóvel: Tipo de estrutura:

2 Equipamentos e sistema de combate a incêndio:

quantidade:
( ) 38 m ( ) 63 m
Localização do registro de recalque:
Capacidade:m3
Manancial natural ou artifi cial nas proximidades:

2.1 Hidrantes: ( ) simples ( ) duplo ( ) interno ( ) externo Tipo (s) de mangueira (s): Obs.: colocar a quantidade entre os parênteses 2.2 Instalações automáticas: Chuveiros automáticos: ( ) sim ( ) não Gás carbônico (CO2): ( ) sim ( ) não Gases especiais: ( ) sim ( ) não Sistema de detecção de incêndio e alarme: ( ) sim ( ) não 2.3 Bombas de recalque: ( ) elétrica ( ) óleo ( ) gasolina ( ) vapor Sendo elétrica, há gerador para emergência? ( ) sim ( ) não Qual o hidrante urbano mais próximo: 2.4 Reservatório de água para incêndio ( ) subterrâneo ( ) elevado 2.5 Pessoal treinado: ( ) bombeiros profi ssionais ( ) Brigada de Incêndio ( ) Socorristas

(Parte 1 de 2)

Comentários