Quantificação do teor de álcool em gasolina

Quantificação do teor de álcool em gasolina

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS

DISCIPLINA: Laboratório de Química Geral

CURSO DE ENGENHARIA DE MINAS

Prof. Mário Godinho

QUANTIFICAÇÃO DO TEOR DE ÁLCOOL EM GASOLINA

INTRODUÇÃO

A utilização do petróleo como fonte de energia foi essencial para garantir o desenvolvimento industrial verificado no século XX. Através de sua destilação fracionada, podem-se obter vários produtos derivado de grande importância econômica, tais como ás natural, o querosene, diesel, gasolina, dentre outros. Mas a fração do petróleo que apresenta maior valor comercial é a gasolina, tipicamente uma mistura de hidrocarbonetos saturados que contem de 5 a 8 átomos de carbono por molécula (MORRISON E BOYD, 1996; Solomons, 1996).

A qualidade da gasolina comercializada no Brasil tem sido alvo de questionamentos, pois é adicionado à gasolina o etanol antes de sua comercialização, já que a quantidade de etanol na gasolina influencia no rendimento do veiculo, além de a gasolina ser um produto relativamente mais caro que o etanol. A quantidade de etanol presente na gasolina deve respeitar os limites estabelecidos pela ANP que são: Teor entre 20% a 25%. (Lei 10.696 – 2003. Art. 18). A falta ou excesso de álcool em relação aos limites estabelecidos pela ANP compromete a qualidade do produto que chega aos consumidores brasileiros. Assim, avaliar a composição da gasolina, verificando se o teor de álcool está adequado, é uma atitude muito importante.

A determinação do teor de etanol na gasolina através da extração com água é muito conhecida e utilizada, pois permite aplicar ou ilustrar conceitos relacionados com medidas quantitativas, como o teor expresso em porcentagem. A interpretação dos fenômenos que ocorrem durante o experimento, considerando a estrutura das moléculas envolvidas, também pode ser explorada para permitir estabelecer relações entre as propriedades físicas e químicas dos materiais. Através do presente experimento é possível estabelecer relações entre propriedades físicas como a solubilidade e densidade, e a sua utilização no processo de identificação e quantificação de substâncias.

OBJETIVOS

Determinar a porcentagem do álcool na gasolina experimentalmente, calculando suas massas e verificar se a porcentagem de álcool contido na gasolina está ou não dentro dos limites estabelecidos pela Agência Nacional do Petróleo.

PARTE EXPERIMENTAL

Materiais utilizados:

  • Gasolina comum;

  • Balão volumétrico 100 mL;

  • Balão volumétrico 50 mL;

  • Proveta 100mL;

  • Béquer 50 mL;

  • Erlenmeyer 250 mL;

  • Bastão de vidro;

  • Balança analítica.

Procedimento experimental

Pesou-se 4,97g (1,7 Mol) de NaCl (sal de cozinha) , adicionou-se água neste soluto até que o mesmo fosse totalmente dissolvido, em seguida a solução foi transferida para um balão volumétrico com capacidade de 50 mL, completou-se o volume deste balão com água destilada. Em outra etapa, mediu-se 50 mL de gasolina em uma proveta com capacidade de 100 mL, após a medição, a gasolina foi transferida para um Erlenmeyer com capacidade de 250 mL, em seguida, adicionou-se à gasolina a solução saturada de NaCl. Agitou-se algumas vezes a substancia com um bastão de vidro, em seguida, transferida para a proveta com capacidade de 100 mL.

RESULTADOS E DISSCUSSÕES

Pretendia-se obter 1,7 Mol de NaCl a ser dissolvido em 50 mL de água destilada. Para isto, fez-se a relação para 1000 mL de água destilada em seguida fez-se a relação para 50 mL.

Resultado obtido:

58,5g 1 Mol de NaCl

X 1,7 Mol de NaCl

X = 99,5g/1000 mL

99,5g 1000 mL

X 50 mL

X = 4, 97g/50 mL

Notou-se no experimento que houve a separação do álcool na gasolina quando foi adicionada a solução aquosa de NaCl. Isto é devido à polaridade que a água adquire quando em solução com o sal de cozinha.

A mistura água-álcool é um sistema homogêneo, monofásico com propriedades diferentes daquelas a mistura Soluçao de NaCl­gasolina é um sistema heterogêneo, bifásico. Quando a Soluçao de NaCl é misturada à solução gasolina­álcool, o álcool é extraído pela água e o sistema resultante continua sendo bifásico: Gasolina­Soluçao de NaCl­álcool.

Para determinar o teor de álcool na gasolina foi observado o nível de acréscimo da solução mais clara (Solução de NaCl + Álcool) em 10 mL. Para esta determinação retirou-se os seguintes dados:

Solução total obtida (Gasolina+Álcool+solução de NaCl): 98 mL

Houve um desvio de solução, pois a solução total a ser obtida deveria ser de 100 mL, isto ocorreu devido a resquícios de solução que ficam nos frascos nos quais foram feitas as medidas.

Sendo:

Solução mais clara (Solução de NaCl + Alcool): 60 mL

Gasolina: 38 mL

Considerando-se V1 o volume da mistura água/álcool, e V2 o volume de álcool na gasolina, temos:

O volume da mistura álcool/água encontrado foi de 60 ml, assim temos:

A partir do volume se calcula a porcentagem de álcool na gasolina (x):

50 mL x

O teor de álcool nessa amostra de gasolina é de 20%.

CONCLUSÃO

A partir da nossa análise, podemos concluir que a gasolina não está adulterada, pois a sua concentração é de 20%, e a concentração de álcool na gasolina brasileira, segundo o CNP (Conselho Nacional do Petróleo), deve estar entre 20 % e 25%. Assim, podemos dizer que a gasolina utilizada para análise está em condições de uso.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Site: http://www.anp.gov.br - Acessado em 08/06/2010 – (Lei 10.696 – 2003. Art. 18).

Associação Brasileira de Normas Técnicas. Determinação da Massa Específica e do Teor Alcoólico do Álcool Etílico e suas Misturas com Água. Rio de Janeiro.ABNT, NBR – 5992. Jul. /1966.

Atualidades, Edições 73-78Por Conselho Nacional do Petróleo/1981.

Ensino Médio, Química Analítica, gasolina. Por Melissa Dazzani, Paulo R.M. Correia, Pedro V. Oliveira e Maria Eunice R. Marcondes. Nº 17, MAIO 2003.

Comentários