Resumo de TGA

Resumo de TGA

(Parte 1 de 4)

Teoria da Administração cientifica

Esta teoria teve origem na Revolução Industrial, esta troce um novo sistema produtivo, a industrialização, existiam máquinas rudimentares e havia uma fraca habilidade dos trabalhadores no manejamento das máquinas. A medida que as maquinas iam evoluindo empregavam-se mais trabalhadores mas não qualificados, com tarefas simplificadas. A tentativa de racionalizar a mão-de-obra, de substituir métodos rudimentares de trabalho por métodos científicos deu-se o nome de organização científica do trabalho.

Taylor foi o primeiro a fazer a abordagem científica do trabalho, este constatou que a produtividade era baixa então concluiu que sendo o operário responsável pela organização do seu trabalho sem receber qualquer orientação perde muito tempo e verificou que os trabalhadores que realizavam trabalho suplementar não recebiam qualquer contrapartida, não tendo assim motivação para aumentarem a produção.

Taylor preocupa-se com a organização científica do trabalho e a necessidade de incentivos salariais, a satisfação dos trabalhadores aumenta a produtividade e prosperidade da empresa.

A organização racional do trabalho assenta em dois aspectos fundamentais:

  1. Estudo dos tempos e dos movimentos => A organização científica do trabalho baseia-se na decomposição das tarefas, as tarefas são de tal forma simplificadas que podem ser aprendidas por mão-de-obra não qualificada. Tem por objectivo determinar o tempo médio que um operário normal demora a realizar a tarefa obtendo assim o tempo padrão que consideram como um instrumento básico de racionalização do trabalho.

Vantagens:

-permite eliminar movimentos inúteis e o desperdício de esforço humano

-torna a selecção do pessoal mais racional

-estabelecimento de normas bem delimitadas

-permite maior especialização e aumento da eficácia do operário.

São estabelecidos padrões de desempenho das tarefas, o administrador pode avaliar a eficiência do operário comparando o desempenho real com o padrão de desenvolvimento

  1. Divisão do trabalho => As tarefas são individualizadas, os postos de trabalho estão separados no espaço para evitar as comunicações inúteis, permitindo recompensar os operários mais activos. A especialização do operário e a divisão técnica do trabalho encontrou aplicação na linha de montagem. Este sistema foi aplicado nos países em fase de industrialização. A sequência ordenada de postos de trabalho constitui o chamado trabalho em cadeia.

Conceito de homem económico => Segundo a teoria da Administração Cientifica a motivação do homem para o trabalho é exclusivamente material, o trabalhador só desenvolverá o máximo esforço na produção se for materialmente recompensado através de incentivos salariais e prémios de produção

Condições de trabalho

Os aspectos relacionados com o arranjo material do local de trabalho são factores que podem contribuir para o aumento ou diminuição da capacidade de esforço.

Esta teoria defende as seguintes condições de trabalho:

-melhoria do ambiente físico do trabalho

-disposição das máquinas

-os instrumentos de trabalho ajustados a tarefa

As condições de trabalho são preocupação da empresa, não tanto por se valorizar o bem-estar físico do operário, mas por se considerar um importante factor de eficiência.

Linha de montagem => Henry Ford, influenciado por Taylor, concebeu a decomposição de fabrico de automóveis em fases simples e repetitivas. Assim, os operários aprendiam rapidamente qualquer tarefa.

Ford veio introduzir uma alteração revolucionária deixou o operário de se mover de carro para carro e sim os carros moverem-se de lentamente de operário para operário em que cada operário colocava lentamente as peça, surgindo a linha de montagem. A administração é que decidia a velocidade de funcionamento não havendo qualquer negociação porque os sindicatos estavam proibidos. A linha de montagem é que marcava o ritmo da fábrica e poucos trabalhadores aguentavam, Ford decidiu pagar salários mais elevados e dar-lhes uma percentagem dos lucros para evitar a rotatividade dos trabalhadores.

Estrutura organizacional => Taylor concluiu que a aplicação dos seus princípios só seria viável se fosse acompanhada se fosse acompanhada de uma estrutura geral da empresa

Taylor defende uma repartição de responsabilidades:

-a administração compete o planeamento das tarefas e métodos de produção, bem como a supervisão do processo produtivo

-Aos operários compete a execução pura e simples do trabalho

Taylor defende que a especialização dos operários seja acompanhada da especialização dos supervisores.

Taylor privilegia a estrutura funcional (existem supervisores especializados em sertãs áreas, com autoridade funcional sobre os seus subordinados, cada operário recebe orientação de vários chefes)

Vantagens desta estrutura:

-melhor supervisão técnica e maior eficiência no desempenho de cada cargo. -maior rapidez nas comunicações

-formação de quadros intermédios mais rápida e fácil

Desvantagens desta estrutura:

-as orientações que um subordinado recebe de vários supervisores podem ser diferentes e ate contraditórias, que gera conflito.

-falta de visão do conjunto da organização por parte dos especialistas das áreas pode levar à competição e divergência de objectivos.

Princípios da Administração Cientifica => Taylor pretendia definir princípios científicos para a administração das empresas. Tinha por objectivo resolver os problemas que resultam das relações entre os operários como consequência modificam-se as relações humanas dentro da empresa, o bom operário não discute as ordens, nem as instruções, faz o que lhe mandam fazer.

Os quatro princípios fundamentais da administração Científica são:

  1. Princípio do planeamento

  2. Princípio da preparação dos trabalhadores

  3. Princípio do controlo

  4. Princípio da execução

Apreciação Critica

Criticas a teoria da Administração de Taylor:

  1. Concepção mecanicista da administração => Esta teoria é considerada a teoria da máquina, estuda os tempos e os movimentos, a especificação das tarefas e cargos, ao aumento da produtividade, esquecendo-se do elemento humano.

  2. Excessiva especialização do trabalho => Os artesãos qualificados são transformados em simples peças de uma máquina, ao reduzir o número de atribuições de cada operário nega-lhes a oportunidade de conhecer o processo produtivo como um todo.

  3. Concepção atomista do ser humano => Taylor considerou o operário isolado do grupo, trabalhando como um apêndice da máquina, ignorando-o como ser humano e social. Não considera as relações dos operários, esqueceu a importância dos grupos informais na organização.

  4. Ausência de comprovação => Taylor constata evidências, observando comportamentos relativos às tarefas dos operários, a sua análise é uma abordagem empírica.

  5. Abordagem de sistema fechado => Taylor visualiza apenas o que se passa dentro da empresa como se ela fosse um sistema fechado, não tem em conta o ambiente em que a organização esta inserida.

Teoria Clássica da Administração

Origem desta teoria

Henri Fayol vai desenvolver uma teoria que visa aumentar a eficiência das empresas através da organização e da aplicação de princípios de administração. Enquanto Taylor observava os operários a trabalhar, Fayol reflectia sobre os comportamentos que deveriam ser seguidos para se atingir uma boa prática administrativa. Segundo Fayol, os gestores valorizavam apenas o trabalho técnico, esquecendo-se de administrar as fabricas.

Para Fayol, uma empresa de qualquer dimensão distinguem-se seis funções:

  1. Função técnica => Actividade relacionada com a produção de bens e serviços.

  1. Função comercial => Actividade relacionada com a compra e venda de produtos.

  1. Função financeira => Actividade relacionada com a obtenção e aplicação de capitais.

  1. Função de segurança => Actividade relacionada com a protecção dos bens, propriedades e pessoas que trabalham na empresa.

  1. Função de contabilidade => Actividade que envolve o registo, cálculos de custos/lucros, Balanços, Inventários, Estatísticas…

  1. Função administrativa => Actividade que se refere a coordenação de todas as outras funções.

Fayol considera que todas as funções descritas são interdependentes e fundamentais para o funcionamento de uma empresa mas vai dar importância à uma actividade em especial, a administrativa. A profissão de administrador surge, assim, como uma necessidade das organizações a medida que estas vão aumentando.

As funções básicas administrativas são:

  1. Previsão => Implica uma avaliação do futuro da empresa no sentido de se atingirem os objectivos.

  1. Organização => Vai mobilizar os recursos, materiais e humanos necessários a execução dos planos da empresa. É necessário organizar matérias-primas, mão-de-obra, capitais.

  1. Comando => Tem o objectivo de dirigir os trabalhadores.

  1. Coordenação => Tem por objectivo de assegurar que os recursos e actividades da organização são os mais adequados para atingir os objectivos definidos.

  1. Controlo => Tem por objectivo verificar se o programa adoptado pela empresa está a ser cumprido

Princípios da administração

Fayol enuncia catorze princípios que deviam servir de modelo para a acção dos administradores das empresas:

  1. Divisão do trabalho

  2. Autoridade e responsabilidade

  3. Disciplina

  4. Unidade de comando

  5. Unidade de direcção

  6. Subordinação do interesse individual ao bem comum

  7. Remuneração

  8. Centralização

  9. Hierarquia

  10. Ordem

  11. Equidade

  12. Estabilidade de pessoal

  13. Iniciativa

  14. Espírito de equipa

Fayol concebe a organização exclusivamente no seu aspecto formal, ou seja, no modo como as diferentes partes que a compõem se dispõem e se relacionam.

Fayol vai se preocupar com a estrutura da organização em que a organização do trabalho é tanto mais eficiente quanto mais elevada a divisão do trabalho.

A divisão do trabalho deve ser feita segundo os níveis de autoridade e responsabilidade, assim, quanto mais elevado é o nível na hierarquia, maior é a responsabilidade e a autoridade, isto designa-se por cadeia de comando e cadeia escalar.

Fayol privilegia a organização linear, Baseada na unidade de comando e direcção e na centralização da autoridade.

Esta estrutura apresenta as seguintes vantagens:

  • Estrutura simples e de fácil implementação

  • Rigorosa delimitação das atribuições e responsabilidades

E as seguintes desvantagens:

  • Rigidez e inflexibilidade, que dificultam a adaptação a situações novas e às rápidas mudanças da sociedade moderna

  • Possibilidade do comando único se tornar autoritário

  • O facto de os chefes ao acumularem o poder de decisão se tornarem generalistas e não se especializarem em nada

  • As demoras e distorções a que as comunicações estão sujeitas, por terem de obedecer a escala hierárquica

(Parte 1 de 4)

Comentários