(Parte 1 de 3)

LISTA DE TABELASi
LISTA DE FIGURASiv
1. DADOS INICIAIS DO PROJETO1
2. DIMENSIONAMENTO DA LAJE NERVURADA2
2.1. Pré-dimensionamento2
2.2. Carregamentos nas lajes3
2.2.1. Carga Permanente ( )3
2.2.2. Carga Acidental ( )4
2.2.3. Carga Total ( )4
2.3. Verificação da flecha4
2.3.1. Flecha imediata5
2.3.2. Flecha diferida6
2.3.3. Flecha total7
2.3.4. Flecha limite7
2.4. Dimensionamento da armadura longitudinal7
2.4.1. Reações de apoio7
2.4.2. Momentos fletores8
2.4.3. Estimativa da altura útil9
2.4.4. Momentos de cálculo10
2.4.5. Cálculo de kc , ks , βx10
2.4.6. Cálculo da armadura mínima1
2.4.7. Cálculo da armadura principal1

SUMÁRIO 2.5. Dimensionamento da armadura da mesa ................................................................... 1

2.6. Verificação quanto ao Cisalhamento1
2.7. Detalhamento das armaduras13
2.7.1. Comprimento das barras positivas13
3. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS15
Tabela 1 - Coeficiente para o cálculo das reações8

LISTA DE TABELAS Tabela 2 - Coeficientes para a obtenção dos momentos ........................................................ 9 iv

Figura 1 - Detalhe da seção transversal – Dimensões em centímetros3
Figura 2 - Detalhe da seção transversal – Dimensões em centímetros5

LISTA DE FIGURAS Figura 3 - Comprimento das barras positivas ..................................................................... 13

1. DADOS INICIAIS DO PROJETO

Laje nervurada de edifício comercial, de sala de escritório, localizado em zona urbana e com fachada revestida com argamassa;

As vigas laterais têm 20 cm de largura; Classe de agressividade ambiental I (tabela 6.1 – NBR 6118:2003); Para facilidade de cálculo, consideraram-se os vãos teóricos até os eixos dos apoios; ; (de acordo com a tabela 7.2 da NBR 6118:2003); ;

Cimento CP-32 I; Divisórias com peso de 1,4 kN/m²; Aço CA-50 e CA-60.

2. DIMENSIONAMENTO DA LAJE NERVURADA

2.1. Pré-dimensionamento Vãos livres:

Vãos teóricos:

As vigas em que a laje se apóia têm espessura de 20 cm. Dessa forma, serão acrescidos 10 cm de cada lado para ambos os vãos das lajes, assim:

Distância adotada entre as nervuras (eixo a eixo):

Como , a verificação da flexão na mesa não será necessária. Largura das nervuras:

Largura adotada: Distância entre as nervuras:

Estimativa da altura total:

Altura adotada: Espessura da mesa:

Espessura da mesa adotada:

Figura 1 - Detalhe da seção transversal – Dimensões em centímetros

2.2. Carregamentos nas lajes Peso específico dos materiais e cargas de uso consultados na NBR 6120:1980.

2.2.1. Carga Permanente ()

Peso próprio: As lajes são de concreto armado.

O peso próprio da laje pode ser calculado considerando-se a área de 60 cm x 60 cm, correspondente às distâncias entre os eixos das nervuras nas duas direções.

Peso próprio (Pp):

Peso próprio (Pp) por m²:

bw =a = d = hf = bw =

Divisórias:

Carga Permanente ():

2.2.2. Carga Acidental () Sobrecarga:

2.3. Verificação da flecha Cálculo do centróide da seção bruta:

Figura 2 - Detalhe da seção transversal – Dimensões em centímetros

Cálculo do momento de inércia da seção bruta:

2.3.1. Flecha imediata A flecha imediata é obtida pela seguinte fórmula:

O cálculo da flecha imediata foi feito seguindo a tabela 2.5a do professor Libânio. A tabela fornece o coeficiente adimensional .

Para entrarmos na tabela, temos:

A laje tem suas 4 bordas simplesmente apoiadas, se encaixando no “caso 1”. Com isso, obtemos:

E, temos, ainda:

Para o cálculo da carga uniforme será utilizada a combinação de cargas quase permanentes. Com isso, (Carga acidental em edifícios comerciais). Assim, temos:

2.3.2. Flecha diferida A flecha diferida é obtida pela seguinte fórmula:

Sendo que:

Considerando t0 = 1 mês e t 70 meses, temos:

E: (taxa de armadura de compressão) Com isso:

2.3.3. Flecha total A flecha total é obtida pela seguinte fórmula:

2.3.4. Flecha limite

A flecha limite é fornecida na tabela 13.2 da NBR 6118:2003. Considerando aceitabilidade sensorial, temos:

Verificação: A flecha está dentro do limite.

2.4. Dimensionamento da armadura longitudinal

2.4.1. Reações de apoio

O cálculo das reações de apoio das lajes foi feito seguindo as tabelas de PINHEIRO (2007). As tabelas fornecem coeficientes adimensionais, como a laje é simplesmente apoiada, a mesma se encaixou no “caso 1”. Os coeficientes a serem obtidos são: e .

As reações de apoio são obtidas da seguinte forma:

Temos que:

(Parte 1 de 3)

Comentários