Patologias de Restauro

Patologias de Restauro

(Parte 1 de 2)

PATOLOGIAS DAS ESTRUTURAS E MATERIAIS Curso de Gestão e Prática de Obras de Conservação e Restauro do Patrimônio CulturalCurso de Gestão e Prática de Obras de Conservação e Restauro do Patrimônio Cultural

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO Pró-Reitoria de Extensão DepartamentodeArquiteturaeUrbanismodoDepartamento de Arquitetura e Urbanismo do Centro de Artes e Comunicação

CECI -Gestãode Restauro–MóduloI –PatologiasdasEstruturase MateriaisProf. Jorge Eduardo LucenaTinoco9ª edição/2009

CECI -Gestãode Restauro–MóduloI –PatologiasdasEstruturase MateriaisProf. Jorge Eduardo LucenaTinoco9ª edição/2009

PATOLOGIA(derivado do grego pathos, doença, e logia, estudo) é o estudo das doenças em geral. No âmbito do patrimônio edificado estuda as alterações estruturais e funcionais produzidas por ações endógenas ou exógenas funcionais, produzidas por ações endógenas ou exógenas, nos materiais, técnicas e sistemas construtivos.

os materiaisA hermenêutica leva-nos à Etiologia que é o

POTOGENIAtrata da maneira pela qual os agentes agridem estudo das causas!

CECI -Gestãode Restauro–MóduloI –PatologiasdasEstruturase MateriaisProf. Jorge Eduardo LucenaTinoco9ª edição/2009

ANAMNESE(d t d i ói) é ANAMNESE(do ana, trazer de novo e mnesis, memória) é uma entrevista realizada por um profissional da área da saúde com um paciente com a intenção de construir um saúde com um paciente, com a intenção de construir um diagnóstico de uma doença. No âmbito do patrimônio construído é o processo de observação na linha do tempo da edificação para compreensão das “doenças”, ou seja dos danos, deteriorações.

SINTOMATOLOGIAé o estudo para conhecimento dos sintomas que indicam os estados doentios. Na nossa área trata-se do processo de identificação dos efeitos produzidos pelos agentes patogênicos.

CECI -Gestãode Restauro–MóduloI –PatologiasdasEstruturase MateriaisProf. Jorge Eduardo LucenaTinoco9ª edição/2009

DIRETOINDIRETO MISTO
InvasivoNão-Invasivo Moderado
DestrutivoNão-DestrutivoDestrutivo Não-Destrutivo

CECI -Gestãode Restauro–MóduloI –PatologiasdasEstruturase MateriaisProf. Jorge Eduardo LucenaTinoco9ª edição/2009

CECI -Gestãode Restauro–MóduloI –PatologiasdasEstruturase MateriaisProf. Jorge Eduardo LucenaTinoco9ª edição/2009 investigaçãoinvestigação

As causas das patologias são investigadas por prospecções.

Indireta ÆObservações visuais, análise de informações (não invasiva e não destrutiva)()

Diretas ÆObservações de contato, invasivas e destrutivas Emissão de Laudo

CECI -Gestãode Restauro–MóduloI –PatologiasdasEstruturase MateriaisProf. Jorge Eduardo LucenaTinoco9ª edição/2009 investigaçãoinvestigação

É um relatório técnico especializado com a avaliação de determinada situação convenientemente analisada no âmbito dos conhecimento investigado. O ld é tdã d itigõ iõ d O laudo é a tradução das investigações e impressões do técnico especialista, sendo resultado da sua expertise.

Diferente de parecer(opinião especializada, balizada por teorias e situações similares )

Resultado de vistoria, inspeção, perícia

CECI -Gestãode Restauro–MóduloI –PatologiasdasEstruturase MateriaisProf. Jorge Eduardo LucenaTinoco9ª edição/2009 investigaçãoinvestigação

Vistoria–relato da visita por procura de indícios e sintomas da ocorrência de algum fenômeno prejudicial o bom da ocorrência de algum fenômeno prejudicial o bom desempenho dos componentes construtivos da edificação.

Inspeção –relato da visita com o propósito de confrontação de eventos e fenômenos com uma norma ou padrão prétb l ides tabelecid o.

Perícia–relato de visita com o propósito de descobrir as Períciarelato de visita com o propósito de descobrir as causas ocultas de eventos e fenômenos.

CECI -Gestãode Restauro–MóduloI –PatologiasdasEstruturase MateriaisProf. Jorge Eduardo LucenaTinoco9ª edição/2009 investigaçãoinvestigação

1 –Determinação da existência e da gravidade do dano çg (constatação)

2 –Definição da extensão e do alcance do problema

3 Anamnese do caso3 –Anamnese do caso 4 –Análise de documentos e das técnicas construtivas

CECI -Gestãode Restauro–MóduloI –PatologiasdasEstruturase MateriaisProf. Jorge Eduardo LucenaTinoco9ª edição/2009 investigaçãoinvestigação

5 –Exames complementares (laboratoriais e ensaios)5 –Exames complementares (laboratoriais e ensaios)

6 –Diagnóstico Æcausa, natureza, origem e os agentesggg

7 –Prognóstico Æalternativas de intervenção 8 –Definição de conduta

CECI -Gestãode Restauro–MóduloI –PatologiasdasEstruturase MateriaisProf. Jorge Eduardo LucenaTinoco9ª edição/2009

Corresponde ao compêndio das degradações manifestadas Coespodeaocopêdodasdegadaçõesaestadas no materiais e componentes de construção. Trata-se do registros dos efeitos.

Por degradaçãocompreenda-se o fenômeno incidente em todos os elementos construtivos através do processo todos os elementos construtivos através do processo natural e irreversível (entrópico) de troca de energia. Pode ser natural ou provocado (forçado). É o mesmo que p(ç)q de terioração .

CECI -Gestãode Restauro–MóduloI –PatologiasdasEstruturase MateriaisProf. Jorge Eduardo LucenaTinoco9ª edição/2009

BasededadosBase de dados

Efeito: corresponde ao dano como esse se manifesta (sintomatologia)Efeito: corresponde ao dano como esse se manifesta (sintomatologia)

Causa–é a razão primária da manifestação da patológica configurando-se na justificativa mais evidente das patológica, configurandose na justificativa mais evidente das manifestações, pois descreve os efeitos. Podem ser endógenas e exo gênas

Natureza –é a razão secundária da manifestação patológica, está ligada aos aspectos produzem os danos.

Origem –é o “porquê” da manifestação patológica. Explica o razão principal do surgimento do dano, estando diretamente ligada às escolhas e eta pas do processo de construção.ppç

Agente: biológicos (insetos, fungos, animais...); ambientais (sismos, infiltrações, contaminações, intemperismo...); humanos (esforços,

CECI -Gestãode Restauro–MóduloI –PatologiasdasEstruturase MateriaisProf. Jorge Eduardo LucenaTinoco9ª edição/2009 sobrecargas...).

BasededadosBase de dados

Dano: Ruptura da cabeça de uma trave (barrote) do assoalho.

Manifestações: perdas com podridão e galerias de térmitas

Causas: ataquedeinsetosxilófagosCausas: ataque de insetos xilófagos

Natureza: infiltrações na alvenaria Origem: falência dos revestimentos externo

Agentes: infestação biológica esforços e sobrecargas Agentes: infestação biológica, esforços e sobrecargas, intemperismo, contaminantes, água.

CECI -Gestãode Restauro–MóduloI –PatologiasdasEstruturase MateriaisProf. Jorge Eduardo LucenaTinoco9ª edição/2009

BasededadosBase de dados

(Parte 1 de 2)

Comentários