Instrumental cirurgico (CME)

Instrumental cirurgico (CME)

Instrumental Cirúrgico

  • Divisão

  • Preparo

Fabricação

  • Aço inoxidável, com conteúdo variável de ferro, carbono e cromo.

  • Polimento com ácido nítrico para retirar resíduos de carbono e criar uma camada protetora. Podem ser: espelhado, brilhante, altamente polido, acetinado ou fosco e base de ebanização com acabamento em preto (evitar reflexão do feixe).

Divisão dos Instrumentais

  • Especiais: São usados apenas em alguns tempos e determinados cirurgias.

  • Comuns: Fazem parte do instrumental básico utilizado em qualquer tipo de intervenção cirúrgica.

Classificação

  • Instrumental de Diérese: Destinados a corte e dissecção, compreendem os bisturis e tesouras em seus vários tamanhos e modalidades.

  • Instrumental de Hemostasia: Destinados para ocluir vasos sanguíneos. São pinças de anéis e cremalheiras, que possibilita mantê-los continuamente fechados.

Classificação

  • Instrumental de Síntese: Destinados para fechamento da ferida cirúrgica. Utilizados para manusear agulhas e fios de sutura.

  • Instrumental Especial: São instrumentais específicos usados em cada tipo de cirurgia. Serão sempre diferentes para cada tipo cirurgia e usado no momento nobre da mesma. Ex: Pinça Satinsky - cirurgia vascular.

Classificação

  • Instrumental de Apoio e Auxiliares: São constituídos pelos instrumentais que se destinam a auxiliar o uso de outros grupos de instrumentais. Exemplo: Pinça anatômica, Pinça Backaus Afastadores (Finochieto, Balfour), etc.

Os instrumentais são utilizados com a mesma ordem que se segue em um campo operatório. Inicialmente, faz-se a diérese da pele e do tecido celular subcutâneo, seguida da preensão das estruturas sangrantes e hemostasia, Após o término da abertura da parede - torácica ou abdominal - promove-se a exposição do órgão ou da cavidade, seguida do ato operatório principal com instrumentos especializados e finaliza-se com o fechamento dos planos teciduais - o que constitui a síntese.

  • Os instrumentais são utilizados com a mesma ordem que se segue em um campo operatório. Inicialmente, faz-se a diérese da pele e do tecido celular subcutâneo, seguida da preensão das estruturas sangrantes e hemostasia, Após o término da abertura da parede - torácica ou abdominal - promove-se a exposição do órgão ou da cavidade, seguida do ato operatório principal com instrumentos especializados e finaliza-se com o fechamento dos planos teciduais - o que constitui a síntese.

Tesouras

  • Suas funções são de cortar tecidos orgânicos, promover dissecção e divisão dos tecidos e para modelos apropriados cortar gaze, fios, borracha, plástico, etc.

  • São divididas em 5 grupos: tesouras para dissecção em geral; tesouras fortes; tesouras para bandagens; tesouras para retirada de pontos e tesouras especiais para determinado tipo de tecido ou órgão.

Pinças Hemostática

  • São instrumentos para preensão, com cremalheira, permanecendo presas aos tecidos ou vísceras em que foram aplicadas sem a necessidade de que o cirurgião as sustentam.

  • Possuem ranhuras pronunciadas para que os vasos possam ser comprimidos com força suficiente para interromper o sangramento evitando deslizamento.

Porta Agulhas

  • Podem ser divididas em delicados, semi-delicados ou robustos (fortes).

  • A escolha do tipo ideal determinada sutura relaciona-se diretamente com o tipo de agulha a ser utilizada, ou seja, seja, se delicada, semidelicada ou robusta,bem como com a resistência tecidual.

Afastadores

  • São instrumentais para retração de tecidos ou órgãos do local onde o cirurgião está trabalhando.

  • Divididos em afastadores de parede ou de conteúdo intracavitário (abdominal ou torácico); manuais ou autoestásticos (ou autofixantes) aqueles que permanecem em uma posição predeterminada pelo cirurgião.

Preparo dos Instrumentais para Esterilização

  • Fazer revisão, observar estado de limpeza e conservação.

  • Avaliar as articulações ou encaixe entre as hastes das pinças.

  • Avaliar a pega regular entre as ranhuras e/ou dentes e o bom funcionamento das cremalheiras.

Continuação

  • Dispor os instrumentais sobre mesa ou balcão. Agrupar e prender em alfinetes próprios.

  • Acondicioná-los para esterilizar em caixas metálicas perfuradas ou bandejas de aço inoxidável e campo de algodão.

  • Catálogos de pinças e pastas com relação dos instrumentais utilizados nas diferentes cirurgias.

Comentários