Apostila de Inspetor de soldagem

Apostila de Inspetor de soldagem

(Parte 10 de 11)

-::=:::M::::::±:_::::&::I:::~:m:=~~~..Revestimento1:;:-e~ ,,-r-T

Alma do eletrodo Alma dO eletrodo

ÂNGULO DO BISEL (bevel angle) Ângulo formado entre a borda preparada do componente e um plano perpendicular à superfície deste componente (Ver figo 1).

CURSO INSPETOR DE SOlDAGEM NíVEL 1

MÓDULO 02- TERMINOLOGIA DA SOlDAGEM E DAS DESCONTINUIDADES

ÂNGULO DO CHANFRO (groove angle) Ângulo integral (soma dos dois biseis) entre as bordas preparadas dos componentes (Ver figo1).

ÂNGULO DE DESLOCAMENTO OU DE INCLINAÇÃO DO ELETRODO (travei angle) Ângulo formado entre o eixo do eletrodo e uma linha de referencia perpendicular ao eixo da solda localizado num plano determinado pelo eixo do eletrodo e o eixo da solda. (Ver figo3)

ÂNGULO DE TRABALHO (work angle)

Ângulo que um eletrodo faz com uma linha de referencia posicionada perpendicularmente à superfície da chapa, passando pelo centro do chanfro, localizada em um plano perpendicular ao eixo da solda. (Ver figo3)

FIGURA 2 A, B, C - Ângulo de Deslocamento, Ângulo de Inclinação e Ângulo de Trabalho de

Ângulo de dC$locamcnto

Angulo de l.rabalho

Referência Bibliográfica FBTS Revisão 04 Fev.2009 3

CONSULTORIA - TREINAMENTO - INSPEÇÃO CURSO INSPETOR DE SOlDAGEM NíVEL 1 p~nlUS MÓDULO 02 - TERMINOLOGIA DA SOlDAGEME DAS DESCONTINUIDADES

ARAME (rod) Ver termo eletrodo nu.

ARAME TUBULAR Ver termo eletrodo tubular.

ATMOSFERA PROTETORA (protective atmosfere)

Envoltório de gás que circunda a parte a ser soldada, com a finalidade de proteger a peça de fusão.

ATMOSFERA REDUTORA (reducing atmosfere)

Atmosfera protetora quimicamente ativa que, em elevadas temperaturas reduz óxidos ao seu estado metálico.

BISEL (bevel) Borda do componente a ser soldado, preparada na forma angular. (Ver figo 1)

BRASAGEM (brazing) Processo de união de materiais onde apenas o metal de adição sofre fusão. O metal de adição se distribui por capilaridade na fresta formada pelas superfícies da junta, após fundir-se a temperatura superior a 450'C.

CAMADA (Iayer) Deposição de um ou mais passes consecutivos dispostos lado a lado.

FIGURA 4 - Camada, Cordão de Solda ou Passe e Seqüência de Passes.

Passes de solda

Camadas A B

CHANFRO (groove) Abertura devidamente preparada, na superfície de uma peça ou entre dois componentes, para conter a solda. Os principais tipos de chanfros são os seguintes (fig. 5).

a) Chanfro em J (single-J-groove); b) Chanfro em duplo J (double-J-groove); c) Chanfro em U (single-U-groove); d) Chanfro em duplo U (double-U-groove); e) Chanfro em V (single-V-groove); f) Chanfro em X (Double-V-grooove); g) Chanfro em meio V (single-bevel-groove); h) Chanfro em K (double-bevel-groove); i) Chanfro reto ou sem chanfro (square-groove). \i\

, l-I i~ P~TRUS

CURSO INSPETOR DE SOlDAGEM NíVEL 1

MÓDULO 02 - TERMINOLOGIA DA SOlDAGEM E DAS DESCONTINUIDADES

FIGURA 5 - Principais Tipos de Chanfro

Chanfro em V (single • V • groove) Chanfro em X (double . v· groovC'1

Chanfro em J (single • J . groove) Chanfro em duplo J (double . J . grOO\'ci Chanfro em U (single· U • groove) Chanfro em duplo U (double . U • groovcl

Chanfro em meio V (single • bevel . groove) Chanfrá em K (double . bevel • groove)

Chanfro reto, sem chanfro (square • groove)

CERTIFICADO DE QUALIFICAÇÃO DO SOLDADOR Documento certificando que o soldador executa soldas de acordo com padrões pré-estabelecidos.

CHAPA DE TESTE DE PRODUÇÃO (Production test plate ou vessel test plate)

Chapa soldada e identificada como extensão de uma das juntas soldadas do equipamento, com finalidade de executar ensaios mecânicos, qulmicos ou metalográficos.

CHAPA OU TUBO DE TESTE (test coupon) Peça soldada e identificada para qualificação de procedimento de soldagem ou de soldadores ou de operadores de soldagem.

Referência Bibliográfica FBTS Revisão 04 Fev.2009 5

CONSULTORIA - TREINAMENTOCURSO INSPETOR DE SOLDAGEM N MÓDULO 02 - TERMINOLOGIA DA SOLDAGEM E DAS DESCONTINUIDADES

COBRE-JUNTA (baeking) Material ou dispositivo colocado no lado posterior da junta a ser soldada, ou em ambos os lados

(caso dos processos eletroescória e eletrogás), cuja finalidade é suportar o metal fundido durante a execução da soldagem. O meterial pode ser parcialmente fundido, já que não precisa se fundir necessariamente durante a soldagem. O mesmo pode ser o metálico ou não metálico. Exemplo de cobre-junta: metal de base, cordão de solda, material granulado (fluxo), cobre, cerâmica, carvão.

FIGURA 6 - Cobre-Junta, Mata-Junta ou baeking

CONSUMíVEL (eonsumable) Todo material usado para deposição ou proteção da solda, tais como: eletrodo revestido, varetas, arames, anel consumível, gás, fluxo, entre outros

CORDÃO DE SOLDA (weld bead) Depósito de solda resultante de um passe (Ver figo4).

CORPO DE PROVA (test speeimen)

Amostra retirada e identificada da chapa ou tubo de teste, quando se objetiva conhecer as propriedades mecânicas, entre outras propriedades do material analisado.

CORRENTE ElETRICA DE SOlDAGEM (welding eurrent) Corrente elétrica no circuito de soldagem durante a execução de uma solda.

CORTE COM ELETRODO DE CARVÃO (earbon are eutting) Processo de corte a arco elétrico, no qual metais são separados por fusão devido ao calor gerado pelo arco formado entre um eletrodo de grafite e o metal de base. Para a retirada do metal líquido localizado na região do corte, utiliza-se o ar comprimido.

(Parte 10 de 11)

Comentários