PROJETO ELÉTRICO Quadra Poliesportiva

Proprietário: Secretaria de Estado de Goiás Autora: LUCIANA DUTRA MARTINS - Engenheira Eletricista - CREA_8646/D

Sumário: 1_ Introdução

2_ Edificação

3_ Entrada e Medição de Energia

4_ Iluminação e Tomadas

5_ Aterramento 6_ Dimensionamentos

1_ INTRODUÇÃO

Este projeto tem como objetivo apresentar junto ao CREA as instalações elétricas de Quadra Poliesportiva Padrão 1A 19m x 32,90m. O projeto será padrão para quadras com a dimensão especificada e localizadas sob a área de fornecimento da CELG (Centrais Elétricas de Goiás) .

Para elaboração deste projeto foram consultadas as normas regulamentadoras locais assim como também a NBR 5410, para que as instalações possam ser feitas com maior segurança, respeitando todos os critérios de seletividade como também, considerando-se os princípios de conservação de energia, através da redução de perdas nas instalações elétricas.

O projeto está sendo apresentado em forma de desenho em uma prancha tipo A1 com a seguinte conteúdo:

Planta Baixa Elétrico – Iluminação e Tomadas Legenda e Notas Quadro de Cargas Diagrama Unifilar

Detalhes Luminária, Caixa de Passagem e Caixa de Aterramento Especificação de Material Lista de Material Memorial de Cálculo

2_ EDIFICAÇÃO

A obra em questão é constituída por uma Quadra Poliesportiva com área total 625,10 m2.

3_ ENTRADA DO QUADRO DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA DA QUADRA

O suprimento de energia do Quadro Geral de Energia da Escola é

EXISTENTE e feito pela concessionária local (CELG.). A alimentação do quadro de distribuição de energia da Quadra é originado a partir do quadro geral da Escola, e será através de eletroduto rígido PVC 32 m enterrado, com Cabo Isolado Sintenax de 6,0 mm2. O aterramento será de cobre nú de 6,0 mm2.

3.1_ CHAVE GERAL DO QDE DA QUADRA

A chave geral do quadro de distribuição de energia da Quadra será constituída de disjuntor termomagnético trifásico de 30A, tal disjuntor será responsável pela alimentação de toda a Quadra.

4_ ILUMINAÇÃO E TOMADAS

O sistema de iluminação e tomadas da Quadra Poliesportiva terá característica de acordo com as especificações contidas na prancha 1/2.

A iluminação foi calculada com base nas necessidades e finalidade do ambiente e de acordo com as normas técnicas brasileiras, NBR 5413 Iluminância de Interiores e NTD-04 CELG.

A lâmpada deverá ser de Vapor Metálico 400W e a luminária deverá ser

Projetor em alumínio anodizado brilhante.

As tomadas deverão ser Monofásicas F+N+T. Os eletrodutos deverão ser de Ferro Galvanizado ¾” aparente para instalação das luminárias, e de PVC ¾” embutido para instalação das tomadas.

5_ ATERRAMENTO

Deverá ser construída uma caixa de aterramento interligando a barra de cobre tipo Coperweld de 3m de comprimento à carcaça do quadro de distribuição da Quadra. As tomadas, e as carcaças das Luminárias deverão ser interligados ao aterramento e quaisquer outros elementos que venham a ser energizados ou expostos a eletricidade. A caixa aterramento deverá ser interligada a malha ou outro ponto de aterramento existente da escola.

6_ DIMENSIONAMENTOS 6.1_ CONDUTORES E ELETRODUTOS

Para o cálculo dos condutores desta instalação elétrica; foi definido que os condutores seriam de cobre com isolamento de PVC 1kV para a alimentação dos quadros de Distribuição e cobre com isolamento PVC 750V para os circuitos dos equipamentos.

Através da NBR-5410 determinamos as seguintes condições:

- Maneira de Instalar na tabela 28 ref. B-1 “Condutores isolados, cabos unipolares ou multipolares em eletroduto embutido em alvenaria” e “Condutores isolados ou cabos unipolares em eletroduto aparente de seção circular sobre parede ou espaçado da mesma”.

- Temperaturas características dos condutores, tabela 30 ref. “Cloreto de Polivinila ( PVC)”.

Para calcular os condutores dos circuitos terminais e circuitos de distribuição, observou-se os critérios de Ampacidade e Queda de Tensão. É importante ressaltar que o critério de ampacidade observou-se as questões relacionadas a: – Rendimento;

– Fator de potência;

– Fator de utilização;

– Fator de demanda;

– Temperatura;

– Agrupamento e Proximidades dos eletrodutos, sendo que neste caso fez-se observância a disposição horizontal e vertical.

Para o dimensionamento de queda de tensão observou-se os limites estabelecidos nas normas técnicas vigentes.

Pelo exposto adotou-se a maior bitola que os referidos critérios indicaram. Sendo assim, os dimensionamentos foram determinados como se segue:

6.2_CORRENTE DE PROJETO (IB):

Pn = potência nominal, depende de cada circuito.

a = 1 / fp*h, ƒp = fator de potência, h = rendimento ƒp = 0,90 para circuito de iluminação, ƒp = 1,0 para circuito de força h = 0,80 para circuito de iluminação , h = 1,0 para circuito de força u = fator de utilização u = 1,0 i = fator de demanda i = 1,0 d = prev. de aumento de carga d = 1,0 para circuitos de iluminação d = 1,0 para circuitos de força e alimentação geral e = fator para circuito de motores e = 1,0 f = 1 / Vn , sendo que Vn =220V para circuitos monofásicos f = 1 / (Vn 3 ) , sendo que Vn = 380V para circuitos trifásicos A corrente a ser considerada será:

K1 = fator de correção de temperatura K2 = fator de agrupamento K3 = fator de agrupamento de dutos (K3=1)

Da tabela 35 da NBR-5410, temos para a condição deste projeto: K1 = 1,06

Da tabela 37 da NBR-5410, temos para a condição deste projeto: K2 = 0,80; e K2 = 1,0 para alimentação geral.

De posse da corrente “ I ” determinamos a bitola do condutor pela Tabela 31 da NBR 5410. O s resultados são apresentados na tabela abaixo:

Pela Tabela – 43, Seções Mínimas – Adotado no Projeto

6.3_ CÁLCULO PELA QUEDA DE TENSÃO:

Circuito Monofásico:

r = resistividade do material condutor, para o projeto em questão, no qual está sendo utilizado cobre esta constante se equivale a r = 1/56 W*mm2 /m. Lc = comprimento do circ. em metros Ic = corrente total do circ. em amperes

DV% = queda de tensão máxima admitida no projeto Vfn = tensão entre fase e neutro

Vff = tensão entres fases.

A tabela 46 da NBR-5410 recomenda que a queda de tensão entre a origem da instalação e o ponto mais afastado da carga não pode exceder 7% para utilizações diversas e 4% para circ. de iluminação.

De posse do valor de “ Sc ” determinamos a bitola do condutor pelo

Critério de Queda de Tensão. O s resultados são apresentados na tabela abaixo:

Pela critério de Queda de Tensão foi calculado somente a alimentação trifásica do quadro de distribuição.

Seção Condutor – Adotado no Projeto

Foi previsto uma reserva de carga, para instalações futuras . Os condutores adotados dos circuitos monofásicos de iluminação e tomadas foram através do cálculo da Ampacidade porque os valores são superiores ao cálculo da queda de tensão. E o condutor adotado do circuito trifásico da alimentação foi através do cálculo de Queda de Tensão.

OBS.: Toda e qualquer alteração referente a este projeto somente poderá ser feita mediante aprovação do projetista. Quaisquer mudanças, críticas e sugestôes feitas por outros profissionais deverão ser dirigidas com presença do Autor do projeto.

Luciana Dutra Martins

Engª. Eletricista CREA-GO 8646/D

Comentários