(Parte 4 de 12)

4) Na atualidade, a maior ameaça que os pais enfrentam em relação a seus filhos é seguramente a possibilidade do uso abusivo de drogas. Esse não é um medo irreal. O senso comum vê na toxicomania uma problemática individual relacionada à classe social e à personalidade; quase uma doença física ou psíquica do jovem. A própria família do usuário de drogas assume, por desinformação, uma atitude preconceituosa, procurando, inconscientemente, negar a existência do problema, até que a realidade se interponha. Em relação ao texto e ao estudo sobre a família e as drogas, julgue os ítens a seguir:

0 () A toxicomania no jovem é, muitas vezes, mais do que um sintoma individual: é o sintoma de um desequilíbrio
1 () Uma mudança nas interações familiares possibilita uma modificação das regras relacionais do sistema familiar
2 () O tratamento forçado em clínicas de recuperação de drogados é uma medida eficaz, pois, além de desintoxicar
3 () A força de vontade de vencer e superar o vício é o fator mais importante na recuperação de drogados, mesmo

familiar. Em alguns casos, pode estar relacionada a crises da adolescência, mas pode também ser uma reação a conflitos e desequilíbrios da estrutura familiar. e a consequente saída do jovem de papel de “bode expiatório” e de portador do sintoma familiar. o organismo, retira o jovem do contexto de uso da droga, evitando uma recaída. sem o apoio familiar.

Drogas Ana Luisa Miranda Vilela w.biologia.bio.br

4 () No contexto de recuperação de toxicômanos, não só o dependente precisa ser ajudado física e

15 psicologicamente; a família deve também receber apoio psicológico.

5) Um executivo de uma empresa de porte costuma inalar cocaína, possivelmente levado por uma angústia existencial. Isto implica dizer que ele provavelmente (assinale a alternativa mais adequada e justifique sua resposta):

a () está sob pressão das exigências de sua empresa.
b () sente-se inadequado nos seus papéis de marido, pai e profissional.
c () comemora a realização de um bom negócio.
d () pretende obter ajuda de um superior para os seus negócios.

6) Como se distingue o uso de maconha por um colegial do Rio de Janeiro ou Brasília do uso da mesma droga por um camponês marroquino? (assinale a alternativa mais adequada e justifique sua resposta):

a () no Brasil, fumar maconha é ilegal; no Marrocos não.
b () não se distingue; ambos fumam maconha.
d () o colegial é um infrator; o camponês é integrado à sua cultura.

7) Como se distingue o uso de maconha por um adolescente do Rio de Janeiro ou Brasília do uso de “ganja” por um adolescente da área rural da Jamaica? (indique a resposta mais adequada e justifique):

a () na área rural da Jamaica usa-se “ganja” como energético e tônico; na área urbana do Brasil usa-se maconha
b () não há diferença; ambos consomem drogas.
c () em áreas rurais do Brasil fumar maconha não é considerado “ilegal”, como não o é fumar “ganja” na área rural
d () no Brasil maconha é ilegal, enquanto na Jamaica “ganja” é legal.

9) Tente situar, com poucas palavras, o ópio como droga tipicamente oriental, a cocaína como droga tipicamente ocidental.

a () meios de comunicação
b () amigos, colegas
c () escola
d () traficantes
e () família
f () religião
a () impunidade
b () presença de modelos estrangeiros
c () modas
d () insatisfação social
e () espírito de revolta
f () procura de alternativas
g () conflitos entre gerações

10) Segundo levantamentos epidemiológicos brasileiros, os primeiros contatos com as drogas se estabelecem através de uma série de contatos. Indique, entre as respostas abaixo, as duas que lhe parecem mais adequadas 1) A “cultura de drogas” no Brasil - se é que existe - é propiciada por: h ( ) contradições sociais

Drogas Ana Luisa Miranda Vilela w.biologia.bio.br

12) É corriqueiro ouvir dizer que os países desenvolvidos declaram como drogas legais aquelas que eles mesmo fabricam (ou sintetizam), e como drogas ilegais as substâncias naturais contrabandeadas de países do sul. Comente esta afirmação!

a () atentar ao tráfico de drogas ilícitas
b () preconizar intervenções repressivas entre os usuários
c () atentar às prevalências do uso em diversas regiões ou camadas sociais
d () implantar campanhas antidrogas apontando os perigos para a saúde
e () preocupar-se com o custo social do uso de drogas
a () situa-se acima dos padrões internacionais conhecidos
b () está crescendo gradualmente, segundo levantamentos recentes
c () privilegia as drogas ilícitas
d () provoca evasão escolar em ampla escala
e () representa uma fuga diante de situações sócio-econômicas intoleráveis
a () álcool, fumo e inalantes
b () medicamentos, maconha e inalantes
c () inalantes, maconha e cocaína
d () maconha, álcool e cocaína
e () álcool, maconha e inalantes

13) Considerar as drogas como um problema de saúde pública significa: 14) O uso e abuso de drogas pela população estudantil brasileira é preocupante porque: 15) As drogas mais consumidas no Brasil (uso-na-vida) são:

16) Dê sugestões concretas e que lhe pareçam executáveis: como baixar o custo social causado pelo uso indevido de drogas.

17) O fenômeno da toxicomania resulta da confluência de três dimensões. No triângulo abaixo, indique essas dimensões, escrevendo seus nomes em cada vértice:

18) Um usuário de drogas durante uma sessão de terapia atribui grande peso na determinação do seu estado à falta de disciplina em sua casa. A qual dimensão estava ele se referindo?

19) ABL, sexo feminino, 15 anos, estava no banheiro do colégio, quando uma colega lhe passou um cigarro aceso, dizendo ser maconha. Encorajou-a a experimentar, contou-lhe dos efeitos extraordinários que a droga proporciona. ABL puxou um trago, porém, sentiu náuseas e logo vomitou, sendo sua primeira e última experiência com drogas. Dadas as características do uso de drogas, ABL se qualificaria em qual categoria de usuário?

() habitual ( ) dependente ( ) experimentador ( ) recreativo

20) Os pais de uma adolescente de 17 anos imprimiram-lhe uma educação doméstica com ênfase em valores morais tradicionais. Com base no texto, particularmente a seção “perdas da adolescência”, que comportamentos reativos esta adolescente poderia assumir? Exemplifique, dando justificativa.

Toxicomania

Drogas Ana Luisa Miranda Vilela w.biologia.bio.br

21) Comportamentos de adolescentes podem ser manifestações de motivações inerentes a essa fase da vida humana. Abaixo estão apresentadas algumas dessas manifestações (coluna da direita) e suas motivações (coluna da esquerda). Associe-as, colocando na coluna da direita os números correspondentes:

(1) transgressão () imitar uma “estrela” rock
(2) jogo com a morte () brincar de “roleta russa”
(3) droga como fator de união () praticar furtos
(4) procura de ídolos () portar arma de fogo
() participar de uma “rodada” de cocaína

4- A FAMÍLIA E AS DROGAS

Na atualidade, a maior ameaça que pais enfrentam em relação a seus filhos é seguramente a possibilidade do uso abusivo de drogas. Esse não é um medo irreal. O senso comum vê na toxicomania uma problemática individual relacionada à classe social e à personalidade; quase uma doença física ou psíquica do jovem. A própria família do usuário de drogas assume, por desinformação, uma atitude preconceituosa, procurando, inconscientemente, negar a existência do problema, até que a realidade se interponha.

A toxicomania no jovem é, muitas vezes, mais do que um sintoma individual: é o sintoma de um desequilíbrio familiar. Em alguns casos, pode estar relacionada a crises de adolescência, mas pode também ser uma reação a conflitos e desequilíbrios da estrutura familiar.

A história individual, a natureza do vínculo do usuário com a família, seu papel na estrutura familiar, os mitos característicos a cada família e as patologias familiares são alguns dos elementos importantes para a compreensão do fenômeno e a intervenção terapêutica.

A família deve ser conscientizada de que é parte da problemática do jovem e como tal deve assumir sua parte de responsabilidade na solução do problema.

É comum os pais questionarem: como são as famílias típicas de um usuário de drogas; qual sua classe social e que problemas essas famílias enfrentam; em suma qual é a parte de “culpa” dos pais na dependência dos filhos às drogas?

O imaginário popular tenta responder a essas questões apontando o fator classe social como determinante de excessos ou faltas.

Nas famílias ricas, os “filhinhos de papai” usariam a droga porque “sempre tiveram tudo em excesso”.

Não teriam, portanto, aprendido a lidar com as frustações, limitações, faltas e outras contingências da existência humana. Na adolescência - momento de responsabilizarem-se por si próprios - procurariam nas drogas a “infância perdida”, prazerosa, sem limitações e responsabilidades.

Nas famílias de baixa renda, encontraríamos uma situação inversa, ou seja, carência acentuada de serviços e bens sociais (educação, moradia, alimentação, vestuário, transporte, saúde, lazer), que estimularia o amadurecimento precoce. Convivendo com muitas privações, as crianças seriam levadas a assumir responsabilidades de adulto, o que estaria na origem da busca das drogas como paliativo à fome, ao medo e ao abandono familiar e social. As drogas seriam, nesse caso, a alternativa de prazer mais acessível.

Embora essas hipóteses pareçam coerentes, estão longe de colocar o problema em toda sua abrangência, pois o uso de drogas não se explica apenas pelo contexto social. A personalidade do jovem, o significado que ele dá à droga e seu papel individual dentro do contexto familiar são aspectos de grande relevância para a comprensão da toxicomania.

A nível familiar, a conduta de sacrifício consiste no fato de que o adolescente recebe sobre si uma parte da violência e dos sofrimentos da família. O alcoolismo do pai, o abuso de medicamentos pela mãe, as condutas delinquenciais do irmão, os conflitos do casal, tudo se apaga em favor de um único culpado, que é toxicômano. A nível grupal, podemos considerar a toxicomania como uma conduta de sacrifício dos jovens enquanto grupo, que seriam designados como vítimas expiatórias, para que se estabeleça contra eles uma unidade social.

A família é o contexto mais próximo do jovem e participa ativamente de seu problema. Devemos levar em conta o sofrimento da família e do jovem dependente de drogas, que é portador do sintoma familiar, e procurar o significado desse sintoma dentro da organização familiar.

Uma mudança nas interações familiares possibilita uma modificação das regras relacionais do sistema familiar e a consequente saída do jovem do papel de “bode expiatório” e de portador do sintoma familiar.

Essa mudança faz com que a família funcione sem necessidade do sintoma toxicomaníaco, proporcionando uma organização menos rígida do sistema e dando acesso a uma autonomia real para os diferentes membros da família.

Drogas Ana Luisa Miranda Vilela w.biologia.bio.br

1) Existem duas fases no processo de introdução de drogas no âmbito da família. Quais são essas fases?

2) A família de SBT foi cientificada pelo diretor da escola de que ela havia sido pega fumando maconha no banheiro da escola. SBT tem 14 anos e essa havia sido a segunda vez que fumava maconha num intervalo de um semestre. Preocupada com essa ocorrência, a mãe de SBT leva-a a um psiquiatra recomendado pelo diretor da escola. No seu entender, a conduta da mãe de SBT foi adequada? Justifique.

3) TGP, sexo masculino, 21 anos, é um usuário dependente de drogas. Desempregado, reside com os pais. No serviço de aconselhamento, a mãe de TGP narra sua vida pessoal e familiar. Refere-se ao período de menopausa que está atravessando e às crises de relacionamento com seu marido, as quais tem-se intensificado nos últimos meses. Na sua fala, a mãe de TGP atribuiu-lhe o desequilíbrio conjugal por que está passando. A qual dos mitos a condição de TGP está ligada?

() o mito da expiação ( ) o mito da harmonia familiar
() o mito da loucura dentro da família

4) Tomando como referência o caso de TGP, descrito na questão 3, várias patologias poderiam desenvolver-se no ambiente familiar, associadas à condição de dependência de drogas de TGP. Considerando apenas a situação da mãe de TGP, você poderia indicar uma manifestação patológica entre outras possíveis, que aquela senhora poderia apresentar?

5) GDF, 25 anos, sexo masculino, é usuário habitual de drogas. Filho mais velho de uma família de 5 filhos, GDF faz faculdade, trabalha e tem carro próprio. Ele reside com seus pais, ambos profissionais liberais. Dada esta descrição de GDF, que tipo de dependência estaria implícita na sua circunstância de vida? Justifique.

() dependência intelectual ( ) dependência material ( ) dependência afetiva

5- AS DROGAS E SEUS EFEITOS NO ORGANISMO:

Todos os dias um grande número de pessoas no mundo inteiro consome os mais variados produtos com a finalidade de aliviar dores físicas, diminuir tensões nervosas, fazer dormir ou permanecer acordado, levantar o ânimo, esquecer problemas, aumentar a confiança em si mesmo e no mundo ou, simplesmente, experimentar novas sensações.

Segundo a OMS, “droga é toda substância que, administrada ao organismo, produz modificações em uma ou mais de suas funções.”

Drogas psicotrópicas são aquelas que atuam sobre nosso cérebro, alterando de alguma maneira o nosso psiquismo. Mas estas alterações não são sempre no mesmo sentido e direção, dependem do tipo de droga que foi usada. E quais são esses tipos?

Um primeiro grupo é aquele de drogas que diminuem a atividade do nosso cérebro, ou seja, deprimem o funcionamento do mesmo, fazendo a pessoa ficar “desligada”, “devagar”, desinteressada pelas coisas. Por isso estas drogas são chamadas de Depressores da Atividade do Sistema Nervoso Central ou psicolépticos.

Num segundo grupo, estão aquelas que atuam aumentando a atividade de nosso cérebro, ou seja, estimulando o funcionamento do mesmo, fazendo com que a pessoa fique “ligada”, “elétrica”, sem sono. Por isso essas drogas recebem a denominação de Estimulantes da Atividade do Sistema Nervoso Central ou psicoanalépticos, nooanalépticos, timolépticos.

Finalmente , há um terceiro grupo, constituído por aquelas drogas que agem modificando qualitativamente a atividade de nosso cérebro; não se trata, portanto, de mudanças quantitativas, como de aumentar ou diminuir a atividade cerebral. Aqui a mudança é de qualidade! O cérebro passa a funcionar fora de seu normal, e a pessoa fica com a mente perturbada. Por essa razão este terceiro grupo de drogas recebe o nome de Perturbadores da Atividade do Sistema Nervoso Central ou psicodélicos, psicoticomiméticos, alucinógenos, psicometamórficos.

Drogas Ana Luisa Miranda Vilela w.biologia.bio.br

As principais drogas psicotrópicas, e que são usadas de maneira abusiva, de acordo com a classificação mencionada aqui, estão relacionadas abaixo:

(Parte 4 de 12)

Comentários