Embriologia das angiospermas

Embriologia das angiospermas

(Parte 2 de 2)

Nas pteridófitas o promeristema, localizado na região apical, é constituído por uma única célula apical. Nas angiospermas o promeristema é constituído por uma região central de células com atividade mitótica baixa, denominada centro quiescente (Fig. 8B), parcialmente envolvida por algumas camadas de células, com atividade mitótica maior.

Logo a seguir, um pouco acima, estão os meristemas primários, parcialmente diferenciados: a protoderme que origina a epiderme, o procâmbio que formará o cilindro vascular e o meristema fundamental que dará origem ao sistema fundamental de tecidos.

Figura 8 - Ápice radicular: A – Esquema do ápice radicular; B - Vista geral, evidenciando a Coifa (Root cap), o Promeristema (RAM) e os meristemas primários: protoderme (Protoderm); Procâmbio (Procabium) e Meristema Fundamental (Ground Meristem). C - Detalhe do centro quiescente do meristema apical da raiz. w.botany.hawaii.edu/

4. MERISTEMA APICAL CAULINAR - ÁPICE CAULINAR

O caule com seus nós e entrenós, folhas, gemas axilares, ramos e também as estruturas reprodutivas resultam, basicamente, da atividade do meristema apical. Várias teorias tentam descrever a organização do meristema apical caulinar.

A teoria mais aceita para explicar a organização do meristema apical do caule, nas angiospermas, foi proposta por Schimitd (1924) e é denominada organização do tipo túnica-corpo (Fig. 9). Essas duas regiões são reconhecidas pelo plano de divisão de suas células. A túnica, com uma ou mais camadas de células periféricas, que se dividem perpendicularmente à superfície do meristema (divisões anticlinais) e o corpo, logo abaixo da(s) camada(s) da túnica, formado por um grupo de células que se dividem em vários planos, promovendo crescimento em volume do meristema. Assim, esse grupo de células centrais acrescenta massa à porção apical do caule pelo aumento do volume, enquanto as células derivadas da túnica dão uma cobertura contínua sobre o conjunto central (corpo). O corpo, assim como cada camada da túnica possuem suas próprias células iniciais.

Assim como no meristema apical da raiz, quando se observa o ápice caulinar pode-se ver que à medida que se formam novas células, as mais velhas vão se diferenciando e sendo incorporadas às regiões situadas abaixo do promeristema. Essas novas células vão sendo incorporadas aos tecidos meristemáticos em processo inicial de diferenciação: protoderme que origina a epiderme, o procâmbio que dará origem ao sistema vascular e o meristema fundamental que formará o córtex e a medula (Fig. 9).

Figura 9 - Meristema apical de Coleus sp – A. Vista geral do ápice caulinar; B. Detalhe evidenciando a organização túnica-corpo. w.ualr.edu/~botany/meristems

(Parte 2 de 2)

Comentários