FINALIDADESistema para coloração de células em esfregaços de sangueperiférico, medula óssea ou para estudo citológico deelementos celulares colhidos por punção, raspagem ouconcentrados de elementos celulares de derrames cavitários.Somente para uso diagnóstico in vitro.

PRINCÍPIOOs corantes para esfregaços sangüíneos, também chamadosde pancrômicos, são uma mistura de corantes decaracterísticas neutras, dependentes do pH da soluçãocorante, que em condições apropriadas coram oscomponentes nucleares e citoplasmáticos dos leucócitos, compredominância de tons vermelhos (quando ácidos) eazulados diversos(quando básicos).O corante de May-Grunwald (1902) é uma mistura de eosinae azul de metileno (não oxidados), que quimicamente setransforma em eosinato de azul de metileno.Giemsa (Alemanha) desenvolveu, no mesmo período, umcorante que leva seu nome e que hoje se sabe ser umamistura de azur I (mistura equimolar de azur 1 e azul demetileno) e eosinato de azur I (corante formado pelacombinação equimolar de azur 1, azul de metileno e eosinaamarelada).Esses dois corantes são utilizados em um método decoloração mais demorado, em que após fixação e coloraçãopelo May Grunwald, se processa uma segunda coloraçãocom solução de Giemsa, obtendo-se um resultado finalmelhor e mais detalhado.A necessidade de um único corante, que pudesse corarglobalmente os elementos celulares com os detalhes do MG-Giemsa, levou ao desenvolvimento de novos corantes:Leishman (Inglaterra,1901) e Wright (Inglaterra,1902). Sãocorantes basicamente idênticos, compostos de eosinaamarelada e produtos de oxidação do azul de metileno. Adiferença entre ambos se restringe ao fato de que o processode maturação é mais longo na feitura do corante Leishman(em pó).

PARTICULARIDADES DOS CORANTES PANCRÔMICOSDOLESNa manipulação dos corantes pancrômicos são utilizadoscorantes específicos, previamente aprovados e de procedênciatradicional. O solvente é representado por metanol, grauanalítico, tamponado a pH 6,7 - 6,8.

Frasco 1 x500mL
Frasco1 x 1000mL

REAGENTES E APRESENTAÇÃOCorante seg. Giemsa apresenta a seguinteformulação:Corante Giemsa, em pó8gGlicerol500mLMetanol (tamponado pH 6,8) q.s.p.1000mL Apresentação MATERIAIS NECESSÁRIOS NÃO FORNECIDOS•Suporte para coloração.•Cronômetro.•Lâminas.•Água destilada ou deionizada.•Metanol.•May Grunwald.

ARMAZENAMENTO E ESTABILIDADE DO REAGENTEO corante deve ser mantido no frasco original, bem vedado,armazenado à temperatura ambiente (20-30C) e ao abrigoda luz solar. Estável até a data de vencimento indicada norótulo do frasco, se obedecidas as condições dearmazenamento.Na prática diária o corante é utilizado sob forma de gotas.Sugere-se o uso de pequeno frasco conta-gotas,periodicamente alimentado com o corante do frasco estoque.

CUIDADOS E PRECAUÇÕES COM O USO DOSREAGENTESPor tratar-se de uma solução alcoólica, deve-se tomar oscuidados inerentes ao uso do álcool em laboratório. Evitepipetar o corante com o uso da boca. A ingestão acidentaldo metanol, dependendo da quantidade absorvida, podeser fatal. As soluções corantes são para uso exclusivoin vitro. Seu manuseio deve ser cuidadoso, evitando-se ocontato com pele e mucosas. Em caso de contaminaçãoacidental, lavar a área afetada em água corrente. Odescarte do material utilizado deverá ser feito obedecendo-se aos critérios de biossegurança estabelecidos pelolaboratório, de acordo com as normas locais, estaduais oufederais.

AMOSTRASangue periférico colhido por punção digital ou de coletavenosa, com o uso de anticoagulantes adequados (heparinaou soluções de EDTA). Esfregaços de medula óssea econcentrados celulares de derrames cavitários. Osesfregaços feitos a partir de sangue colhido comanticoagulantes devem ser confeccionados em até 30minutos, para se evitar deformações celulares sob efeitodo anticoagulante (ver desenhos: como fazer esfregaçossangüíneos).Todas as amostras biológicas devem ser consideradas como potencialmente infectantes.

1. Dispensar uma gota de sangue sobre a lâmina.

2. Com o uso de uma lâmina extensora, realizar o esfregaço.

3. O esfregaço deve ser uniforme em toda a lâmina.

4. Desenho esquemático de esfregaço. Resultados homogêneos na contagem diferencial são obtidos examinando-se a porção mediana do esfregaço.

Observar ainda a simbologiaconstante nos rótulos do produto: InflamávelIrritante

SAC: (62) 3269 0 (Grande Goiânia) / 0800 644 6433 (Demais localidades) / FAX: (62) 3269 0001

RESULTADOS ESPERADOSHemácias: róseo Plaquetas: azul Leucócitos:

PROCEDIMENTO TÉCNICOPreparo da solução corante seg. GiemsaEm tubo de ensaio, misturar 3 gotas do corante Giemsa paracada 2mL de água destilada.A seguir são recomendadas duas opções para coloração como corante Giemsa. O laboratório deverá optar por uma dascolorações de acordo com sua preferência e/ou finalidade.Opção 1-Coloração May-Grunwald-Giemsa1.Cobrir cada lâmina com 15 a 20 gotas do corante de MayGrunwald por 1 a 2 minutos, de acordo com a extensãodo esfregaço.2.Acrescentar à lâmina igual número de gotas de águadestilada, homogeneizar e deixar agir durante 2 minutos.3.Deixar escorrer a água da lâmina e cobrir em seguida comsolução diluída de Giemsa, preparada no momento dacoloração. Corar durante 10 minutos. Deixar escorrer elavar a lâmina em água corrente.4.Secar a lâmina, mantendo-a em posição vertical.Opção 2-Coloração Giemsa1.Fixar o esfregaço, cobrindo-o com 15 a 20 gotas de metanolpor 2 minutos.2.Escorrer o álcool metílico e, sem lavar ou deixar secar, cobrira lâmina com solução de uso de Giemsa (aproximadamente5mL).3.Proceder à coloração por 10 minutos.4.Lavar a lâmina em água corrente e deixá-la secar em posiçãovertical. •••••Linfócitosnúcleo: azul violetacitoplasma: azul

•••••Eosinófilosnúcleo: azulcitoplasma: rosa pálidogrânulos volumosos: vermelho a vermelho laranja. LIMITAÇÕES DO SISTEMA

CONTROLE DE QUALIDADE DO SISTEMA1.O controle de qualidade em microscopia de esfregaçossangüíneos depende diretamente da formação e daexperiência do profissional que avaliará a qualidade dosesfregaços, coloração, etc..2.A limpeza e a secagem adequada do material a ser utilizadosão de fundamental importância para a estabilidade dosreagentes e obtenção de resultados corretos. Não usardetergente à base de fosfato.3.A água utilizada na limpeza do material e no preparo dosreagentes deve ser de boa qualidade.4.Colunas deionizadoras saturadas liberam íons diversos,aminas e agentes oxidantes, que deterioram os reagentes.

5.As lâminas para confecção do esfregaço devem estarperfeitamente limpas, isentas de gordura e polidas.6. A gota de sangue não deve ser muito grande. Quanto maiora gota, mais espesso o esfregaço.7.O esfregaço satisfatório deve ser fino e homogêneo, demargens livres, pois só os que reúnem estas condiçõesapresentam os leucócitos e eritrócitos sem deformações econvenientemente distribuídos.

CARACTERÍSTICAS DE DESEMPENHOReprodutibilidade: foram realizados testes com corantehematológico Giemsa, em 10 indivíduos escolhidosaleatoriamente, sendo confeccionados dois esfregaços paracada indivíduo, totalizando 20 lâminas estudadas. As amostrasforam coletadas sem anticoagulantes e os esfregaços,confeccionados em lâminas novas, desengorduradas. Utilizou-se água recém-deionizada para diluição do corante e metanolp.a. para fixação do esfregaço. O procedimento técnico seguiu,rigorosamente, as instruções de uso, havendo assim totalconcordância das características tintoriais de eritrócitos,neutrófilos, linfócitos, monócitos e plaquetas, entre as lâminasestudadas.Observamos que a reprodutividade do corante está relacionadacom a qualidade da água, qualidade do metanol e limpeza dalâmina onde foi confeccionado o esfregaço e tempo decoloração.

Repetitividade: durante l2 meses consecutivos, foramrealizados testes em esfregaços sangüíneos confeccionadose corados em condições ideais, utilizando-se o mesmo lotede corante. Houve concordância das características tintoriaisdos elementos sangüíneos durante todo o período de teste. BIBLIOGRAFIA CONSULTADA •••••Walf : Practical clinical hematology interpretation andtechniques, 375-376; 1973.

TERMOS E CONDIÇÕES DE GARANTIA DAQUALIDADE DO PRODUTOAs garantias do fabricante ao consumidor seguemestritamente as relacionadas na Lei n 8.078, de 1 desetembro de 1.990 - Código de Defesa do Consumidor.Todos os reagentes que compõem este sistema paradiagnóstico são garantidos na sua performance,reprodutibilidade e qualidade até a data de vencimento dosmesmos, se obedecidas as condições abaixo:1.O usuário do sistema seguir, rigorosamente, o procedimentotécnico.2.As condições de armazenamento deverão estar de acordocom o estabelecido nas instruções de uso.3. Os materiais necessários e não fornecidos deverão estarem boas condições técnicas.Todos os produtos que apresentarem problemastécnicos comprovados serão substituídos, sem ônuspara o consumidor.

Doles Reagentes e Equipamentos para Laboratórios Ltda.CNPJ: 01.085.513/0001-05Rodovia BR 153, Km 1273, Lt.07, Chácara RetiroCEP: 74001-970 Goiânia - GO - BrasilCaixa Postal 1051e-mail: doles@doles.com.brwww.doles.com.br M.S.: n10231810018 Revisão: 09 (05/2007)

Sistema da Qualidade certificado desde 1999

Comentários