gestão integrada

gestão integrada

(Parte 1 de 8)

Marcel Pedral Pinheiro Rodrigues

Dissertação de mestrado

Florianópolis 2002

Dissertação de Mestrado apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção da Universidade Federal de Santa Catarina, como requisito parcial para obtenção do título de Mestre em Engenharia de Produção. Orientadora: Aline França de Abreu, Ph.D.

Florianópolis 2002

R696i Rodrigues, Marcel Pedral Pinheiro

Identificação de estratégias de ação para implantação de sistemas de gestão integrada – um estudo exploratório na construção civil / Marcel Pedral Pinheiro Rodrigues. – Florianópolis, 2002. 133 f.

Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção) –

Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2002.

1. Implantação de sistemas. 2. Sistemas integrados de

gestão. 3. Construção civil. I. Título.

CDD 624

Marcel Pedral Pinheiro Rodrigues

Esta dissertação foi julgada e aprovada para a obtenção do título de

Mestre em Engenharia de Produção no Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção da Universidade Federal de Santa Catarina.

Florianópolis, 28 de outubro de 2002.

Prof. Edson Pacheco Paladini, Dr. Coordenador do Curso

_ Profª. Aline França de Abreu, Ph.D. Orientadora

Prof. Pedro Felipe de Abreu, Ph.D.

Co-orientador

Prof. Gregório Jean V. Rados, Ph.D. Prof. Rolf Erdmann, Dr.

Para conseguir vencer os desafios é importante contar com a compreensão, amor e carinho de uma família unida.

Assim, dedico este trabalho a minha esposa Maristela, aos meus pais Ivan Pinheiro Rodrigues e Rosa Pedral Pinheiro

Rodrigues e aos meus irmãos Cássio e Ivan Jr. por estarem sempre ao meu lado.

À Profª. Aline França de Abreu, com quem muito aprendi, pelo entusiasmo e pela competente orientação.

Ao Prof. Pedro Felipe de Abreu, pelas valiosas conversas e trocas de idéias que sem dúvida contribuíram muito para o desenvolvimento deste trabalho.

Ao Prof. Gregório Jean V. Rados e ao Prof. Rolf Erdmann, pela leitura desta dissertação e pelas sugestões que, certamente, serão importantes para o aperfeiçoamento deste e de outros trabalhos.

A toda a equipe do IGTI – Núcleo de Estudo em Inovação, Gestão e Tecnologia da Informação - com quem tive oportunidade de conviver, estudar e aprender.

À equipe NPU – Nec Plus Ultra Gestão & Tecnologia, pela grande colaboração com os projetos.

À minha segunda família, Paulo, Diva e meus cunhados Marcelo, Adriana e Ana Paula, pelo grande estímulo.

Ao Maurício Vilella e ao Olavo Kucker pela amizade e troca de idéias.

À Lia Leal, pela grande dedicação, amizade e revisão gramatical e ortográfica deste trabalho.

Ao corpo docente do Programa de Pós-Graduação do Departamento de Engenharia de Produção da Universidade Federal de Santa Catarina pelos ensinamentos e pelo crédito concedido a esta pesquisa.

À Dorzeli, pela ajuda na formatação do trabalho, e à Juliana, pelo apoio ao longo do curso.

RODRIGUES, M. P. P. Identificação de estratégias de ação para implantação de sistemas de gestão integrada – um estudo exploratório na construção civil. 2002. 133 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção) – Programa de Pós- Graduação em Engenharia de Produção, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2002.

O presente trabalho busca identificar estratégias de ação baseadas em análise do contexto organizacional para implantação de sistemas de gestão integrada (ERP). Assim, foram levantados nove indicadores com base nas experiências vivenciadas em implantação de sistemas de gestão integrada e na literatura referente ao tema. Procurou-se ainda detalhar as variáveis que influenciam cada indicador. Por meio de estudos de casos, foram analisados esses indicadores em três fases definidas do processo de implantação para oito organizações. Em seguida, fez-se uma análise comparativa entre os casos, selecionando características positivas e negativas de cada indicador para implantação de sistemas de gestão integrada. Por fim, foram recomendadas quatro estratégias diferenciadas de implantação, levando em consideração as características levantadas nas organizações. O estudo propõe, em síntese, que não há uma estratégia única para implantação de sistemas de gestão integrada, pois a estratégia mais adequada a ser adotada depende das características positivas e negativas levantadas em cada organização. Assim, um trabalho inicial de diagnóstico na empresa, antes do início da implantação, é importante para se conhecer tais características. Neste sentido, o papel do coordenador do projeto de implantação da contratante e da contratada é imprescindível para direcionar o processo à medida que novas características positivas ou negativas apareçam.

Palavras-chave: ERP; Estratégias; Implantação de sistemas; Sistemas integrados de gestão; Softwares corporativos; Construção civil.

RODRIGUES, M. P. P. Identification of strategies for the implementation of integrated management system – an exploratory study at the civil construction sector. 2002. 133 f. (M.Sc. in Production Engeneering) – Federal University of Santa Catarina, Florianópolis, 2002.

The present work intends to identify strategies of action based in analysis of the organizational context for integrated management systems implementation (ERP). Thus, it was taken nine indicators based in the experiences lived in integrated management systems implementation and searched in literature about the theme. There was still an attempt to detail the variables that influence each indicator. Through the studies of cases, these indicators were analyzed in three definite phases of the implementation process for eight organizations. After that, there was a comparative analysis among the cases, selecting positive and negative characteristics of each indicator for integrated management systems implementation. Finally, it was recommended four differentiated strategies of implementation considering the characteristics raised in the organizations. The study suggests, in synthesis, that there is not a unique strategy for integrated management systems implementation, considering that the strategy more adequate to be adopted depends on the positive and negative characteristics raised in each organization. Thus, an initial diagnosis work in the company, before the beginning of implementation, is important to know these characteristics. In this sense, the role of the implementation coordinator of the contracting and the contracted company is essential to direct the process while new positive or negative characteristics appear.

Keywords: ERP; Strategies; Systems implementation; Integrated management systems; Corporatives softwares; Civil construction

Figura 01 – Reação humana à mudançap. 25
Figura 02- Fluxo da metodologia aplicadap. 41
Tabela 1 – Benefícios e problemas de sistemas ERPp. 2
Tabela 2a - Indicador I: maturidade de processamento de dadosp. 37
Tabela 2b - Indicador I: aprendizado em equipep. 37
Tabela 2c - Indicador I: mapa mental ou modelos mentaisp. 37
Tabela 2d - Indicador IV: visão sistêmica ou pensamento sistêmicop. 38
Tabela 2e - Indicador V: maestria pessoal ou domínio pessoalp. 38
Tabela 2f - Indicador VI: visão compartilhadap. 38
Tabela 2g - Indicador VII: alteração em equipep. 39
Tabela 2h - Indicador VIII: reengenhariap. 39
Tabela 2i - Indicador IX: gerenciamento de mudançap. 39
Tabela 3 – Status atribuídos para classificação dos indicadores por organizaçãop. 40
Tabela 4 – Fases do processo de implantaçãop. 40
cenários que motivaram a escolha das organizações estudadasp. 52

Tabela 5 - Características levantadas com base na análise comparativa dos Tabela 6 - Indicador I: maturidade de processamento de dados...................................p. 53

processamento de dadosp. 58
Tabela 8 - Indicador I: aprendizado em equipep. 59

Tabela 7 - Características levantadas na análise do indicador I: maturidade de

organizacionalp. 64
Tabela 10 - Indicador I: mapa mental ou modelos mentaisp. 65

Tabela 9 - Características levantadas da análise do indicador I: aprendizado

organizacional (mapa mental ou modelos mentais)p. 75
Tabela 12 - Indicador IV: visão sistêmica ou pensamento sistêmicop. 76

Tabela 1 - Características levantadas na análise do indicador I: aprendizado

organizacional (visão sistêmica ou pensamento sistêmico)p. 81
Tabela 14 - Indicador V: maestria pessoal ou domínio pessoalp. 82

Tabela 13 - Características levantadas na análise do indicador IV: aprendizado

organizacional (maestria pessoal ou domínio pessoal)p. 90
Tabela 16 - Indicador VI: visão compartilhadap. 90

Tabela 15 - Características levantadas na análise do indicador V: aprendizado

organizacional (visão compartilhada)p. 96
Tabela 18 - Indicador VII: alteração da equipep. 97

Tabela 17 - Características levantadas na análise do indicador VI: aprendizado

organizacional (alteração da equipe)p. 102
Tabela 20 - Indicador VIII: reengenhariap. 103

Tabela 19 - Características levantadas na análise do indicador VII: aprendizado

gestão (reengenharia)p. 106
Tabela 2 - Indicador IX: gerenciamento da mudançap. 107

Tabela 21 - Características levantadas na análise do indicador VIII: modelo de

(gerenciamento da mudança)p.1

Tabela 23 - Características levantadas na análise do indicador IX: modelo de gestão

dos cenários que motivaram a escolha das organizações estudadasp. 112
Tabela 25 – Características positivas levantadas por indicadorp. 112

Tabela 24 – Características positivas levantadas com base na análise comparativa

dos cenários que motivaram a escolha das organizações estudadasp. 115
Tabela 27 - Características negativas levantadas por indicadorp. 115

Tabela 26 - Características negativas levantadas com base na análise comparativa

Tabela 28 – Correlação entre os estudos de casos e as estratégias adotadas para implantação de sistemas de gestão integrada...............................................................p. 121

(Parte 1 de 8)

Comentários