Apostila - suínocultura - raças e manejo

Apostila - suínocultura - raças e manejo

(Parte 1 de 5)

w.vetarquivos.blogspot.com Suinocultura

Generalidades

Índices comparativos

Brasil USA Humus

Desfrute % 36 9064

Situação do rebanho nacional

Principais Países exportadores de carne suína (mil ton)

De acordo com os dados expostos, o Brasil encontra-se em quarto lugar no "ranking" dos maiores exportadores de carne suína, apresentando menores valores de volume exportado somente para Canadá, Estados Unidos e Dinamarca; lembrando-se que estes são países tradicionais no tocante à produção e consumo de carne suína e que disputam o mercado internacional á décadas.

Obs: O consumo carne suína no Brasil é de 10kg/pessoa/ano. No mundo o consumo médio é de 25 kg/pessoa/ano. Rentabilidade: 1O vezes maiores que o bovino. Ex: 01 hectare/10 suínos/800 kg carne. O rebanho nacional é composto de

40 milhões de cabeças/ano.

Causa do baixo desfrute

- Pequena qualidade genética dos reprodutores; - Baixo consumo de carne bovina (6,7kg/pessoa/ano);

- Falta de técnicos especializados;

- Falta de assistência técnica;

- Baixo nível do criador (cultural e econômico)

- Falta de incentivos;

- Manejo inadequado;

- Falta de mão de obra especializada.

Raças

Características das raças para banha

Embora existam raças criadas exclusivamente para produção de banha (lard type) e outras para carne (bacon type), outras há que tanto se prestam para um fim como para outro, dependendo o tipo, sobretudo da alimentação e do regime a que os animais são submetidos. Por este motivo não fazemos uma nítida divisão entre as raças suínas.

O "Wiltshire type" é um porco para carne (bacon) bem comprido e de ótimaqualidade. A manta de toucinho do lombo, entre os 80 e 100 Kg é bastante reduzida, 03 a 04 cm. Esses melhores tipos para carne, cujo mais perfeito é representado pela Landrace Dinamarquesa, é comerciado geralmente sob forma resfriada, enquanto a carne de animais com maior abundância de gordura é transformada em conserva, para seu melhor aproveitamento industrial.

A descrição do porco tipo banha, em vista da preferência atual pelos porcos tipo carne, tem aqui o principal objetivo de mostrar o contraste de caracteres dos dois tipos.

Pelagem variável, o aspecto da pele e dos pelos é importante como indicador de qualidade. Os pelos devem ser lisos, macios, abundantes e, se demasiadamente fino, denotam fraqueza do animal. A pele deve ser lisa e macia de maneira uniforme, não escamosa e livre de pregas, que aparecem, sobretudo no adulto, nas espáduas, garganta, face e lados. Ocorrem mais facilmente se a raça tem o couro grosso.

Peso e Estatura variáveis. Os membros são em regra baixos.

Cabeça muito variável, segundo a raça, regularmente curta, dependendo do comprimento do focinho que deveria ser curto e não grosseiro. Os olhos são bem afastados, visíveis, as bochechas cheias e lisas, as orelhas muito variáveis em forma e tamanho, devem ser bem ligadas à cabeça, de textura fina, cobertas de pelos finos. As bochechas são ainda espessas carnudas e arredondadas.

Pescoço curto, largo e profundo, arredondado em cima, insensivelmente ligado à cabeça e às paletas.

Corpo largo, profundo, simétrico, baixo, liso, compacto. O peito é largo e cheio, com a ponta bem projetada para frente. As espáduas devem ser lisas e cheias, sobretudo em cima, bem cobertas de carne, bem ligadas às regiões vizinhas, sem depressão: não devem ser grosseiros nem salientes, Os costados, largos e profundos, com o cilhadouro cheio. A linha dorso-lombar deve ser comprida uniformemente larga e arqueada. Este arqueamento é variável, segundo a raça, porém nunca á muito pronunciado, diminuindo também com a idade, O lombo deve ser da mesma largura do dorso e a garupa, e na mesma linha. A garupa deve ser longa, da mesma largura geral do como, continuando suavemente a linha dorso-lombar A cauda muitas vezes é inserida baixo, Os pernis são largos, bem descidos, lisos, sem pregas, arredondados, Os lados devem ser longos, profundos, com costelas bem arredondadas ou chatas, segundo a raça, uniformemente lisos, O ventre deve ser bem sustido, com a linha inferior quase direita, salvo na porca criadeira. Os flancos são cheios, espessos, baixos.

Membros curtos, fortes, direitos, afastados, dispostos no solo num retângulo, com boas quartelas, unhas não muito separadas, O curvilhão deve ser um pouco espesso, seco e nítido.

Características das raças para carne

Os porcos para a produção de carne - tipo carne, tipo Bacon ou Wiltshire - são mais esguios, compridos e pernudos, de pescoço mais longo que os do tipo para banha, que são muito mais compactos e baixos.

Pelagem de acordo com a raça. Os pelos devem ser finos, lisos e a pele sem pregas, lisa.

Peso e Estatura de médio a grande, de acordo com a idade e a raça. Deve pesar de 80 a 100Kg no ato do abate.

Cabeça um pouco mais longa que no tipo de banha, leve, com a marrafa larga e cheia, olhos bem espaçados, brilhantes e cheios. As orelhas são moderadamente finas, franjadas com cerdas finas. O focinho, de médio comprimento, não grosseiro. As bochechas, nítidas, não pendentes, de regular largura e musculatura.

Pescoço de comprimento médio, musculoso, sem ser arqueado em cima.

Corpo longo, profundo, liso, bem equilibrado ou com o quarto posterior predominando Peito largo e cheio, espáduas bem postas, bem cobertas, lisas. A linha superior é uniformemente arqueada, variando o arqueamento com a raça. O garrote, de mesma largura do resto das costas. O dorso e lombo são regularmente largos, musculados e fortes. A garupa, de mesma largura das costas, comprida, em nível, com a cauda de inserção alta. O tórax é cheio, com costelas longas e arqueadas. O costado é comprido, regularmente profundo e chato, no mesmo plano das espáduas, sem depressão no cilhadouro, formando um plano. Flanco cheio e baixo, ventre firme, espesso e bem sustido. Os pernis são cheios, carnudos, firmes, descidos, não muito bombeados, sem pregas.

Membros afastados, direitos, bem dispostos no solo, fortes, porém não grosseiros, com quartelas levantadas e cascos firmes. Os membros anteriores são de altura média e os posteriores um pouco compridos no geral. Locomovem-se, com facilidade, em linha reta.

A fêmea difere do macho pela cabeça e corpo mais leves e mais delicados, pescoço menos maciço, pelos mais finos, especialmente no pescoço e não terá menos que 12 tetas bem separadas e glandulosas. As diferenças sexuais, entretanto só se acentuam com a idade, sendo pequenas na ocasião da matança, em média aos 07 meses.

Raças nacionais

Piau, Canastra, Canastrão, Caruncho, Nilo, Macau, Piratininga, Pereira, Tatuí, Junqueira, Pinhal, Pedreira.

Obs: São animais para produção de banha, toucinho, rústicos, pouco precoce (tardios), pouco prolificos, podendo atingir 60Kg de peso vivo aos 6 meses, pouco exigente no trato.

Raças estrangeiras

São raças altamente especializadas na produção de carne, bastante precoce, (tardios), pouco prolífica (maior nº de leitões pardos), bastante econômica. Duroc (EUA), Polland China (EUA), Hampshire (EUA), Landrace (Dinamarca), Yorkshire (EUA), Lanaschwein (Alemanha), Wes-sex, Large White, Berkshire (Inglaterra), Pietrain (Bélgica), Edelswein (Alemanha).

Principais raças para mães

Landrece, Large White, Wessex; Sendo que das três a melhor é a Wessex.

Principais características: - Aptidão materna;

- Alta prolíficidade;

- Boa capacidade de produção de leite;

- Pequena espessura do toucinho;

- Boa conversão alimentar.

Principais raças para pais

Duroc, Hampshire, este último para fêmeas cruzadas.

Principais características: - Elevada conversão alimentar;

- Elevada capacidade de produção de carne;

- Boa qualidade da carcaça;

- Alta precocidade.

Valores de herdabilidade para suínos Comprimento da carcaça 60% Espessura do toucinho 50% Pernil em relação ao peso carcaça 60% Cortes gordos sobre o peso da carcaça 60% Gordura 63% Conversão alimentar (C.A.) 31% Velocidade do crescimento (Precocidade) 29% Peso da ninhada na desmama 17% nº de leitões desmamados 12% nº de leitões nascidos 15%

Local da cobertura: porca na pocilga do porco.

Berkshire

Antiga raça, bastante uniforme, obtida no Sul da Inglaterra entre 1780-1850, por cruzamento do antigo porco do tipo Céltico, com porcos Chineses, Siameses e Napolitanos. Foi uma das raças mais populares e cosmopolitas para a produção de bacon. Os de origem norte-americana são mais altos, mais longos e mais delgados, que os ingleses.

Descrição:

Pelagem preta, com os 6 pontos brancos: as quatro patas, o focinho e a vassoura da cauda. São admitidas pequenas manchas brancas na paleta, lados, etc. Um tom bronzeado sobre o fundo preto é condenável, embora não desqualifique. As malhas brancas sofrem uma variação maior ou menor na sua extensão, porém sua ausência desvaloriza o animal. São ainda admitidas pequenas manchas avermelhadas sobre o fundo preto. As cerdas são abundantes, finas, lisas, muito duras, tolerando-se apenas que sejam fresadas ao nível da nuca. A pele é preta, fina e livre de rugas.

Cabeça curta e larga, de perfil ultracôncavo, fronte larga, entre as orelhas e olhos. Focinho curto e largo. Olhos grandes, proeminentes e afastados. Orelhas de tamanho médio, direitas, e algumas vezes eretas, um pouco inclinadas para frente, especialmente com a idade, afastadas e de textura fina, nitidamente ligadas à cabeça. Ganachas cheias, leves lisa, sem papada.

No Berkshire americano o perfil é menos côncavo, o focinho mais longo e menos arrebitado, de forma que sua face não é tão curta como antigamente.

Pescoço curto, regularmente largo em cima, levemente arcado e bem ligado.

Corpo notavelmente longo, moderadamente largo, profundo, refinado, quase cilíndrico. É condenável na raça o tipo curto e compacto. A linha superior é direita e ligeiramente arcada, a inferior direita e bem sustida, e as laterais direitas e planas. As espáduas são largas e afastadas, bem cobertas, tanto dos lados como na ponta, não mais larga que o corpo. Tórax largo e profundo, sem depressão atrás das espáduas. Dorso e rins levemente arqueados, espessamente musculados, longos, largos e cheios. Às vezes os rins são um pouco mais estreitos que o resto do corpo, o que constitui defeito. A garupa deve ser longa, plana, larga, sendo condenável a garupa curta e caída, ou estreita, o que ocorre às vezes. Os lados são muito bem feitos: longos, direitos, profundos e lisos, com os flancos baixos e cheios. A linha do ventre será direita, sendo um grave defeito o ventre caído, alvo na porca criadeira, pois o ventre deve ser largo, firme e carnudo, mostrando bom desenvolvimento das mamas na porca. Os pernis são bem desenvolvidos, espessos, cheios e bombeados até o curvilhão.

Membros curtos, direitos, fortes, aprumados, dispostos bem separados no solo, com articulações secas, ossatura boa (fina e densa) e pesunhas direitas. No americano, os membros têm um comprimento moderado.

Aptidões e qualidades

O Berkshire é um porco de aparência muito atrativa, intermediário na produção de carne (bacon), pois embora seja muito bem musculado, sua carne é entreverada e possue regular manta de toucinho. É bastante vigoroso, rústico, adaptando bem à criação semi-intensiva. É uma das raças de maior poder de aclimação, dando-se bem em nosso país e pode ser recomendada para melhorar a forma e a musculatura de nossos porcos comuns, deficientes nestas qualidades. É ativo, tendo boa disposição para pastar. A prolificidade é apenas média, de 8 a 6 leitões. A precocidade é boa, porém, aos 6-7 meses, seu peso não se pode comparar com o -de raças mais pesadas, mas sim em idade mais avançada. Tem tendência a engordar, com a idade. Suas carcaças são boas para carne fresca, mas para a produção de carne magra não pode competir com a Landrace e seus mestiços.

Wessex

São contraditórias as opiniões sobre a origem desta raça, embora seu aperfeiçoamento seja relativamente recente. O Pig-Book foi estabelecido em 1918. Consta que era criado na Ilha de Puerbeck, na Grã-Bretanha, há mais de 100 anos (200 anos, segundo outros). Provavelmente esta referência diz respeito a porcos pretos, cintados. Foi melhorado na Inglaterra, com a introdução do sangue Napolitano e possivelmente Chinês. Cria-se principalmente no condado de Wessex e na Irlanda. Deu origem ao Hampshire Americano, com exportações que se fizeram do Hampshire em 1825 e anos subseqüentes. A nós, nos parece que na formação do Hampshire (americano) interveio o Berkshire. A não ser na pelagem, as duas raças - Wessex e Hampshire - são hoje tão distintas, uma da outra, que seria recomendável no Brasil não se falar em "Hampshire Inglês" para evitar confusão. Na Inglaterra é a segunda raça em importância, vindo logo depois da Yorkshire.

Descrição:

Pelagem - Corpo inteiramente preto, com exceção de uma faixa branca, que desce da cruz pelas paletas e braços até atingir as unhas e que não deve ultrapassar 2/3 do comprimento do corpo. Será defeituosa se demasiado larga ou estreita. Não devem ocorrer malhas brancas em outras regiões. Debaixo da malha branca a pele deveria ser despigmentada. Os pelos devem ser lisos, finos e bem assentados, constituindo defeito redemoinhos, cerdas frizadas e pele enrugada, aliás, como em todas as raças aqui descritas.

Cabeça um pouco comprida, com focinho forte e direito, de tamanho regular, e fronte ligeiramente côncava e pouco larga, e sem papada. As orelhas são largas, grandes, de grossura média, dirigidas para frente e para baixo, aproximadas, sem taparem os olhos, nem serem caídas. Pescoço médio e musculoso.

Corpo bastante longo, igualmente largo e espesso, com a linha superior ligeiramente arcada, a cruz e a anca quase do mesmo nível. O tórax é largo e profundo, as espáduas pequenas e pouco aparentes, bem ligadas ao pescoço, à cruz e ao costado. O dorso e lombo são igualmente largos e musculosos, quase retos e a garupa longa, levemente inclinada. As costelas são bem arcadas e o ventre sustido, com pelo menos 12 tetas boas bem dispostas. A cauda é forte e comprida, com um tufo de pelos pretos longos na ponta.

Membros fortes e aprumados, aparentemente curtos, sobretudo devido ao grande comprimento do corpo. A ossatura e a musculatura são bem desenvolvidas. Os pernis são bem conformados, descidos e cheios, sem excesso de graxa. Andar firme, direito e desembaraçado.

Aptidões e qualidades

O Wessex é um porco que se dá excelentemente num regime de pastoreio em todas as fases da criação. Pertence ao tipo intermediário, mas pode ser usado também para carne magra, principalmente nos cruzamentos com Landrace.

É uma raça notável pela prolificidade, produtividade, mansidão e excepcional qualidade materna. São muito leiteiras e capazes de aleitar grandes ninhadas de leitões, robustos e uniformes. Em 1947, de 3000 parições, se obtiveram 9,96 leitões em média, dos quais se criaram 8,39. As reprodutoras não têm tanta tendência a engordar como se observa nalgumas raças americanas, principalmente se em regime de pastoreio. É bastante rústica, suporta bem as variações de temperatura, tendo se adaptado perfeitamente ao Brasil, onde foi introduzida em 1934 pelo Ministério da Agricultura. Seu prestigio nos Estados do Centro e do Sul é cada vez maior. Os mestiços provenientes de seu cruzamento com as porcas de raça nacional são excepcionalmente bons. Podem, pois servir de lastro para melhoramento dos rebanhos mais primitivos.

(Parte 1 de 5)

Comentários