Solos - Calagem

Solos - Calagem

PERGUNTAS

Por que fazer a análise de fertilidade do solo?

As plantas, em geral, obtêm os nutrientes de que precisam do solo.

A avaliação da disponibilidade de nutrientes em solos é feita, em geral, com base na análise de fertilidade.

Por que a maioria dos solos, no Brasil, são ácidos?

A acidificação dos solos é um processo químico que ocorre naturalmente na biosfera.

Todos os solos "envelhecem", ou sofrem intemperismo, e a acidificação é parte deste envelhecimento natural.

O Brasil, por estar sob clima tropical, em que a ação de chuvas e altas temperaturas é intensa o ano inteiro, possui solos mais velhos e, por isso, mais ácidos.

O que devo fazer para melhorar a fertilidade, ou seja, a acidez e a quantidade de nutrientes, do meu solo?

Normalmente se utilizam dois tipos de produtos: o calcário para corrigir a acidez do solo e os fertilizantes, ou adubos, para corrigir a falta de nutrientes.

A decisão do quê, quando e quanto aplicar de calcário e fertilizante SOMENTE DEVE SER FEITA COM BASE NA ANÁLISE DE FERTILIDADE DO SOLO E COM O AUXÍLIO DE UM AGRÔNOMO.

O que é calagem? Para que serve?

Calagem é a prática de incorporar calcário ao solo.

Calcário é o nome que normalmente se dá para o carbonato de cálcio e/ou magnésio.

A calagem proporciona vários benefícios:

* corrige a acidez do solo;

* fornece cálcio e magnésio, dois nutrientes muito importantes para as plantas;

* neutraliza o efeito fitotóxico do alumínio e do manganês.

Quais são os nutrientes das plantas?

Pelo ponto de vista de essencialidade e de quantidade exigida pela maioria das plantas, tem-se o seguinte:

*macronutrientes (entre parênteses o símbolo químico): nitrogênio (N), fósforo (P), potássio (K), cálcio (Ca), magnésio (Mg) e enxofre (S);

* micronutrientes (entre parênteses o símbolo químico): zinco (Zn), boro (B), manganês (Mn), cobre (Cu), ferro (Fe), molibdênio (Mo) e cloro (Cl).

Por que utilizar o solo para produzir alimentos e fibras, uma vez que já existe a hidroponia (cultivo de plantas em água com nutrientes) e a aeroponia (cultivo de plantas com pulverização de nutrientes nas raízes)?

Toda nova tecnologia de cultivo de plantas é bem-vinda.

Entretanto, é preciso saber utilizá-la e verificar se há viabilidade econômica na sua adoção.

Hidroponia e aeroponia são tecnologias bastante exigentes e o solo constitui-se, ainda, no substrato de cultivo mais rentável e versátil.

Além de adubos verdes existem outros adubos orgânicos?

Existem, sim. Existe o composto orgânico, vermicomposto, esterco de curral, esterco de galinha, esterco de suíno, lodo de esgoto, resíduo de curtume, lixo sólido, vinhaça e uma série de adubos orgânicos comerciais.

Qual é o melhor adubo orgânico?

O melhor adubo orgânico é aquele que atenda às necessidades do solo e da planta cultivada.

O adubo orgânico deve ser obtido em quantidades compatíveis com a área cultivada e a um custo compatível com a capacidade do agricultor e também com o benefício que ele irá trazer a longo prazo.

É sempre importante consultar um agrônomo para auxiliar na escolha do adubo orgânico, pois é preciso saber das exigências da cultura, analisar o solo, analisar o adubo orgânico existente na região, verificar sua origem (adubos oriundos de resíduos industriais podem conter metais pesados em excesso como zinco e cádmio, que podem causar problemas à saúde pública) e verificar se ele atende às necessidades.

SOLOS

Atividade biológica do solo

A atividade biológica do solo é uma denominação genérica para a ação dos organismos vivos do solo, tanto animais quanto vegetais.

Esses organismos têm forte influência na gênese e manutenção da organização dos constituintes do solo, principalmente nos horizontes superficiais.

As raízes das plantas , por exemplo, alteram o pH do solo ao seu redor e, ao morrer e se decompor, deixam canais.

Formigas, cupins e minhocas manipulam, ingerem e excretam material de solo formando microagregados e construindo poros ).

Principais Limitações dos Solos do Brasil

O Brasil é um País com dimensões continentais, eminentemente tropical e que apresenta grande variedade de solos, e portanto, com diferentes potenciais. Como o material básico utilizado é generalizado, as informações aqui contidas apresentam apenas um caráter ilustrativo.

* Solos com Problemas de Acidez (84%)

Solos que possuem elevada concentração de alumínio e, em menor escala, ferro e manganês.

Estes elementos prejudicam o crescimento radicular e diminuem a disponibilidade de alguns nutrientes.

Esta limitação (acidez) pode ser corrigida com a aplicação de corretivos específicos .

* Solos com Problemas de Salinidade (2%)

Solos que apresentam elevada concentração de sais, principalmente sódio.

Existe dificuldade para o crescimento radicular, absorção de água devido ao potencial osmótico (seca fisiológica) e desbalanceamento geral entre os nutrientes.

A correção destas terras é viável com drenagem e a utilização de carreadores químicos (gesso) e elevada quantidade de água para a retirada do sódio do sistema .

* Solos Rasos (7%)

Solos que apresentam pequeno volume para o desenvolvimento radicular. Com isto, as plantas absorvem poucos nutrientes, ficam sujeitas facilmente à deficiência hídrica e ao tombamento.

Tipo de limitação onde não existe correção.

* Solos com Ausência de Oxigênio em Alguma Época do Ano (16%)

Solos que apresentam variação significativa do lençol freático, atingindo a zona radicular e, dependendo do solo, saturação (encharcamento) permanente ou por um período do ano.

Esta limitação pode ser corrigida ou minorada através de práticas de engenharia (drenagem).

* Solos sem Limitação para Uso Agrícola (9%)

Os solos que não apresentam limitações relevantes para a produção agrícola , e portanto maximizam o retorno do capital investido, apresentam boa reserva de nutrientes, boa drenagem, boas propriedades físicas (estrutura, textura, entre outras) e teor de água que atenda o ciclo da planta.

CALAGEM

Calagem é uma etapa do preparo do solo para cultivo agrícola na qual se aplica calcário com os objetivos de elevar os teores de cálcio e magnésio, neutralização do alumínio trivalente (elemento tóxico para as plantas) e corrigir o pH do solo, para um desenvolvimento satisfatório das culturas.

(calagem = aplicação de calcário)

Agronomicamente a necessidade de calagem é calculada por três métodos distintos, tomados como base a análise de solo, são eles: método da Embrapa, método do IAC e método pH -SMP.

A acidez do solo é um problema comum a quase todas as regiões brasileiras, e a tendência, se não for corrigida, é ampliar-se, sobretudo nas regiões de solos arenosos sujeitos a altas precipitações e cultivos intensivos.

Há no Brasil, aproximadamente 285 milhões de hectares de terras cultiváveis, dos quais 40 ou 50 milhões necessitam de correção de acidez.

Efeitos da Calagem

Praticamente, só os solos com pH abaixo de 5,5 e superior a 7,0 apresentam problemas relacionados com a disponibilidade de alguns nutrientes, com a toxidez de outros, com a estrutura do solo, com a vida microbiana e simplificação da matéria orgânica, fixação de nitrogênio e enxofre, etc.

Os efeitos da calagem poderiam ser resumidos da seguinte maneira:

* Efeitos Físicos

Melhoria da estrutura pela granulação das partículas (estrutura, porosidade, permeabilidade, aeração).

* Efeitos Químicos

Controle de pH (Controle da acidez);

Eliminação do alumínio trivalente;

Aumento da disponibilidade e assimilação do Cálcio, Magnésio, Fósforo e Molibdênio;

Diminuição da solubilidade do Alumínio, Ferro e Manganês (esses elementos, além de dificultarem o aproveitamento de alguns nutrientes pela planta, ainda podem se tornar tóxicos).

* Efeitos Biológicos

Estímulo ao desenvolvimento da vida microbiana.

Comentários