Formulário Medicina Esportiva

Formulário Medicina Esportiva

(Parte 6 de 9)

Ação : Melhora da síntese de proteína após exercício de resistência.

Uso : Tomar 1 dose 1 hora após o exercício físico.

Fórmula no 59

Maltodextrina 35 g

Creatina 5 g

Whey protein 2,5 g

Indicação : Melhora da performance em jogadores de Squash.

Ação : Melhora da performance em jogadores de Squash.

Uso : Tomar 1 dose ao dia, fracionada em 4 tomadas.

Fórmula no 60

Glutamina 1 g

Creatina 5 g

Whey protein 4 g

Indicação : Melhora da performance física em musculação.

Ação : Ganho de massa muscular.

Uso : Tomar 1 dose até 1 hora após o exercício físico.

Fórmula no 61

Glucosamina sulfato 2 g

Manganês 1 mg

Magnésio 200 mg

Cálcio 1 g

Vitamina D 400 UI

Boro 2 mg

Ácido ascórbico 400 mg

Selênio 100 mcg

Colágeno hidrolisado qsp 20 g

Indicação : Exercícios de impacto

Ação : Protege a cartilagem, reduzindo a possibilidade de problemas causados pelo impacto constante durante o exercício físico ou mesmo caminhada.

Uso : Tomar 1 dose ao dia.

Fórmula no 62

Glutamina 500 mg

Arginina 350 mg

Leucina 600 mg

Isoleucina 200 mg

Valina 200 mg

Treonina 150 mg

Lisina 200 mg

Prolina 250 mg

Metionina 250 mg

Histidina 100 mg

Fenilalanina 300 mg

Triptofano 300 mg

Vitamina B1 5 mg

Vitamina B2 1 mg

Vitamina B3 15 mg

Vitamina B5 10 mg

Vitamina B6 10 mg

Ácido ascórbico 150 mg

Vitamina D 100 UI

Vitamina E 50 mg

Cálcio 200 mg

Ferro 10 mg

Indicação : Fadiga muscular.

Ação : Melhora do desempenho físico e diminuição da fadiga.

Uso : Tomar 1 dose 30 minutos antes e até 1 hora após o exercício físico.

Fórmula no 63

Glutamina 1g

Arginina 500 mg

Leucina 1g

Isoleucina 400 mg

Valina 400 mg

Treonina 200 mg

Lisina 300 mg

Prolina 250 mg

Metionina 350 mg

Histidina 200 mg

Fenilalanina 500 mg

Triptofano 500 mg

Vitamina A 1.000 UI

Vitamina B1 5 mg

Vitamina B2 2,5 mg

Vitamina B6 10 mg

Niacina 12 mg

Pantotenato de cálcio 5 mg

Ácido ascórbico 120 mg

Vitamina D 50 UI

Vitamina E 20 mg

Cálcio 200 mg

Ferro 5 mg

Indicação : Fadiga muscular.

Ação : Melhora do desempenho físico em exercício de peso diminuindo a fadiga muscular pós- exercício.

Uso : Tomar 1 dose até 3 horas antes e 3 horas após o exercício físico.

Fórmula no 64

Histidina 10,9 g

Isoleucina 10,1 g

Leucina 18,6 g

Lisina 15,5 g

Metionina 3,1 g

Fenilalanina 15,5 g

Valina 11,5 g

Indicação : Mix para ganho líquido.

Ação : Recuperação da perda de proteína muscular em exercício de resistência.

Uso : Tomar 6 g 1 hora após o exercício físico.

Fórmula no 65

L-Carnitina 2 g

Indicação : Exercícios aeróbicos, musculação, corrida.

Ação : Diminui a fadiga muscular.

Uso : Tomar 1 dose diluída em água ou suco durante o exercício físico ou corrida.

Fórmula no 66

Piruvato de cálcio 4 g

Creatina 1 g

Indicação : Otimização da performance física.

Ação : Melhora da performance em aeróbica e perda de peso pós-corrida.

Uso : Tomar 1 dose ao dia.

Fórmula no 67

Ácido Linoléico Conjugado 2 g

Indicação : Otimização da performance física.

Ação : Induz perda de gordura e aumenta a massa magra.

Uso : Tomar 1 dose diluída em água ou suco durante o exercício físico ou corrida.

GLOSSÁRIO

ÁCIDO ASPÁRTICO

O L-ácido aspártico é um aminoácido não-essencial que comprovadamente contribui para conter a fadiga, além de desempenhar importante papel anti-catabólico, pela sua capacidade de neutralização da amônia. Essa substância é utilizada em fórmulas para treinamento e aperfeiçoamento aeróbicos.

ÁCIDO GLUTÂMICO, GABA E GLUTAMINA

Esse trio de aminoácidos é fundamental para o metabolismo cerebral. O ácido glutâmico é um neurotransmissor estimulante das funções cerebrais e precursor da glutationa, o GABA atua acalmando e controlando os estímulos elétricos no cérebro e a Glutamina é difícil de ser classificada uma vez que exerce várias funções no órgão nobre.

A Glutamina ainda atua no transporte de amônia e é precursor da glutationa.

Pesquisas mostram que a Glutamina é o maior destaque entre os chamados aminoácidos anti-catabólicos, combatendo a perda da massa muscular durante a atividade física , além do seu efeito de fortalecer o sistema imunológico. É mediador da atividade do ácido glutâmico e do GABA.

O ácido glutâmico não é um aminoácido essencial já que pode ser sintetizado no organismo e convertido em GABA e glutamina.

ÁCIDO PANTOTÊNICO ( Vitamina B5 )

O ácido pantotênico faz parte do complexo B e desempenha inúmeras funções metabólicas essenciais ao corpo humano, inclusive algumas relacionadas à produção de Hormônios da glândula adrenal e à produção de energia. Faz parte da estrutura da coenzima A, envolvendo-se com o metabolismo de hidratos de carbono, lipídeos e aminoácidos. Também é cofator do Ciclo de Krebs e está relacionado com a biossíntese dos hormônios esteróides e formação de acetilcolina. Está se tornando cada vez mais popular como suplemento nutricional, amplamente utilizado por sua capacidade de aumentar a energia e o desempenho atlético. A deficiência do ácido pantotênico em seres humanos pode causar dor abdominal, vômito, cãibra, dor e queimação dos calcanhares, fadiga e insônia. Também foram observados sinais de redução da imunidade a alguns agentes infecciosos na deficiência de pantotenato. Estudos recentes, no qual corredores de longas distâncias bem treinados foram submetidos a uma dose diária de ácido pantotênico de 2 gramas, o desempenho desses atletas superou o de outros corredores igualmente bem treinados que receberam placebos para fins de comparação. Os consumidores de ácido pantotênico usaram 8% menos de oxigênio para desempenhar o mesmo trabalho e sua produção de ácido lático caiu 17%.

AMINOÁCIDOS

No âmbito esportivo, os aminoácidos mais utilizados como suplementos nutricionais para melhora da performance são os aminoácidos de cadeia ramificada, também denominados de BCAA ( Branched chain amino acids ) que compreendem a leucina, isoleucina e valina; e são lançados na corrente sangüínea pelo fígado em decorrência da queda da glicemia, com conseqüente estimulação hormonal levando à degradação protéica no fígadoeliberação hepática dos BCAA . A leucina vai formar a acetil-coA enquanto que a valina e a isoleucina vão gerar succinato no ciclo de Krebs, liberando um composto tóxico, a amônia ( NH3 ). Aamônia liberada étransformada em glutamato.

Outro aminoácido importante na performance esportiva é a glutamina, que pode ser metabolizada nas células intestinais e retornar ao Ciclo de Krebs fornecendo energia. Aintensidade do exercício parece o fator crítico para a maior necessidade da ingestão de aminoácidos. Segundo Brouns ( 1989 ) e Friedman ( 1989 ); foi observada

uma necessidade maior de aminoácidos em exercícios de alta intensidade, o mesmo nãosendo observado em exercícios de moderada intensidade [ ( Gontzea e cols. ( 1975 ), Todd ( 1984 ), Calloway ( 1984 )]. Diversos estudos [ Brooks ( 1981 ), Lemon ( 1982 ), Babij e cols. ( 1983 )] correlacionaram diretamente a oxidação dos aminoácidos com a intensidade do exercício, tendo como mecanismo responsável a ativação da BCAA- desidrogenase decorrente do nível de esforço na atividade física. Pesquisas realizadas em atletas de alto rendimento durante exercício prolongado e extenuante - ciclistas durante o Tour da França - constataram a necessidade protéica de 1,2-1,4 grama/Kg para a manutenção do balanço nitrogenado positivo. Na prática diária, para atletas de elite em trabalhos de carga máxima e aeróbico a ingestão protéica de 2 - 2,5 gramas/Kg.

BIOTINA ( Vitamina H - Coenzima R)

É uma vitamina hidrossolúvel do complexo B produzida nos intestinos pelas bactérias e obtida através da alimentação. Funciona como co-fator nas reações de carboxilase que fazem parte da síntese de ácidos graxos, nucleotídeos purina ( envolvidos na síntese do ácido nucleico e na formação da molécula de ATP ) e no metabolismo das cadeias de aminoácidos. Portanto é uma coenzima envolvida com o metabolismo de carboidratos e síntese de proteínas e lipídeos. Tem uma atividade antioxidante importante. Argumenta-se que os atletas apresentam níveis reduzidos de biotina e que a suplementação pode melhorar o desempenho atlético. A biotina é importante no metabolismo das cadeias dos aminoácidos valina, isoleucina e leucina.

BORO

O Boro tem capacidade de aportar grupos hidroxila ( não radicais ) que permitem a formação de Hormônios esteroidais. Estes Hormônios estão relacionados com o metabolismo do cálcio, fósforo e magnésio, tanto no metabolismo ósseo como no crescimento muscular. Alguns autores dizem que o boro tem efeito anabolizante, por isso tem sido utilizado na preparação de atletas. Oligoelemento específico para a otimização do metabolismo bioenergético.

(Parte 6 de 9)

Comentários