(Parte 1 de 4)

SUMÁRIO

1. CHAVE SECCIONADORA (anexo1) 3

1.1Conforme a norma nbr 6935, secionador é: 4

1.1.1 Abertura Lateral 4

1.1.2 Abertura Central 4

1.1.3 Dupla Abertura Lateral 5

1.1.4 Abertura Vertical 5

1.1.5 Abertura Semi-Pantográfica Horizontal 6

1.1.6 Abertura Semi-Pantográfica Vertical 6

1.1.7  Lâmina Terra 7

1.2 Principais partes constituintes de um Secionador 8

1.2.1 Polo Seccionador: 8

1.2.2 Base 8

 1.2.3 Mancal 8

1.2.4 Sub-Bases(Sup. Isolador) 8

1.2.5 Coluna Isolante 8

1.2.6 Lâmina Principal 9

1.2.7 Suporte dos Contatos 9

1.2.8 Contatos 9

1.2.9 Mecânismo de Acionamento 10

1.2.10 Contatos de arco (chifres) convencionais 10

1.2.11 Mecanismo Motorizado 10

2. MANUTENÇÃO 11

2.1 Estudos preliminares dos defeitos mais comuns em chaves secionadoras 11

2.1.1 No armário de comando (anexo 2) 11

2.1.3 No conjunto mecanismo superior (anexo 4, 5 e 6) 12

2.2 Material e métodos 12

2.3 Verificação durante ajuste 14

2.4 Verificação do estado das chaves seccionadoras 673 138kv 15

2.4.1 Chega-se então aos possíveis defeitos: 15

3. CHAVE FUSÍVEL 17

3.1 Distribuição modelo “dhc” (anexo 12) 17

3.1.1 Características construtivas: 17

3.1.2 Acessórios 17

3.2 Fusíveis limitadores hh tipo drval (anexo31, 32) 18

3.2.1 Construção 18

3.2.2Normas 18

4. SECIONADORA UNIPOLAR MODELO “DP”(anexo 22) 19

4.1 Características construtivas 19

5. SECIONADOR TRIPOLAR DUPLA ABERTURA LATERAL MODELO “DL”(anexo 25) 20

5.1 Isoladores 20

5.2 Mecanismo de operação 20

5.3 Opcionais 20

5.4 Fornecimentos especiais (opcionais) 20

6. SECIONADOR TRIPOLAR 21

6.1 De abertura vertical reversa modelo “avr” (anexo 27) 21

6.1.1 Isoladores 21

6.1.2 Mecanismo de operação 21

6.1.3 Opcionais 21

6.1.4 Fornecimentos especiais (opcionais) 21

6.2 Seccionador tripolar de abertura central modelo “ac”(anexo 29) 22

6.2.2 Mecanismo de operação 22

6.2.3 Opcionais 22

6.2.4 Fornecimentos especiais (opcionais) 22

7. CHAVE ELETROMAGNÉTICA 23

8. VÍDEO (SECCIONADORA EM CARGA) 23

9. ANEXOS: 24

10. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 42

1. CHAVE SECCIONADORA (anexo1)

Esse equipamento de manobra conhecido durante décadas como chave seccionadora, teve sua designação normalizada pela ABNT, nas NBR's 6935/85 e 7571/85 que trata do equipamento, ou seja, foi renomeado como secionador. Porém, face ao que é comumente usado, continuaremos a tratá-lo como chave seccionadora.

Equipamentos de manobra são componentes do sistema elétrico de potência que têm não somente a função de estabelecer a união entre geradores, transformadores, consumidores e linhas de transmissão e separá-los ou secioná-los de acordo com as exigências desse serviço, como também são utilizados praticamente para proteção de todos os componentes elétricos contra a atuação perigosa de sobre-cargas, correntes de curto-circuito e contatos a terra. As chaves seccionadoras são equipamentos que fazem parte do grupo denominado Equipamento de Manobra. 

As chaves são dispositivos mecânicos de manobra, que na posição aberta assegura uma distância de isolamento e na posição fechada mantêm a continuidade do circuito elétrico, nas condições especificadas.

    1. Conforme a norma nbr 6935, secionador é:

“Um dispositivo mecânico de manobra capaz de abrir e fechar um circuito elétrico quando uma corrente de intensidade desprezível é interrompida ou restabelecida. Também é capaz de conduzir correntes sob condições normais do circuito e, durante um tempo especificado, correntes sob condições anormais, como curto-circuito“.

Conforme a norma NBR 6935, os secionadores são classificados nos seguintes tipos:

1.1.1 Abertura Lateral

O secionador SAL/PMB40 obedece o padrão construtivo AL da ABNT. Cada pólo é composto por duas colunas de isoladores, sendo uma fixa e outra rotativa.

A coluna rotativa é responsável pelo acionamento do equipamento.

Quando acionado o comando motorizado, que é responsável pelo acionamento da coluna rotativa, este modelo de chave abre lateralmente.

1.1.2 Abertura Central

O secionador SAC obedece o padrão construtivo AC da ABNT. Cada pólo é composto por duas colunas de isoladores, sendo ambas rotativas.

A coluna rotativa é responsável pelo acionamento do equipamento.

A abertura deste modelo de chave acontece bem no centro da lâmina principal no momento que é acionado o mecanismo motorizado.

1.1.3 Dupla Abertura Lateral

O modelo secionador SDA obedece o padrão construtivo  da ABNT ou o tipo B da ANSI. Cada pólo é composto por duas colunas laterais fixas e uma central rotativa.

A coluna rotativa que é central é responsável pelo acionamento do equipamento.

Acionando o comando motorizado, acontece o acionamento da coluna rotativa, abrindo o polo seccionador duplamente em suas extremidades, por isso é considerada dupla abertura. Em Furnas verificamos durante o estágio que este modelo é muito utilizado. Os grandes fornecedores deste tipo de chave são Camargo Corrêa, Laelc, Siemens.

1.1.4 Abertura Vertical

Obedece ao padrão construtivo AV da ABNT ou o tipo A da ANSI. Cada pólo é composto por três colunas de isoladores, sendo duas fixas e uma rotativa.

A coluna rotativa fica em uma extremidade, junto ao mecanismo de acionamento do equipamento é responsável pelo acionamento do equipamento.

Quando acionado o comando motorizado, que é responsável pelo acionamento da coluna rotativa, a abertura desta chave acontece verticalmente.

Os grandes fornecedores deste tipo de chave são Camargo Corrêa, Laelc, Siemens. Podemos ter chaves neste modelo que podem operar em tensões de até 800kV.

1.1.5 Abertura Semi-Pantográfica Horizontal

Obedece ao tipo SH da ABNT. Cada pólo é composto por três colunas de isoladores, sendo duas fixas e uma rotativa.

A coluna rotativa fica em uma extremidade, junto ao mecanismo de acionamento do equipamento é responsável pelo acionamento do equipamento.

Quando acionado o comando motorizado, que é responsável pelo acionamento da coluna rotativa, a abertura desta chave acontece verticalmente, ocorrendo um desdobramento central, pois no centro da lãmina principal, os contatos são todos articulados. Portanto neste caso o tipo de abertura é semi-pantográfica. Como esta chave é montada horizontalmente em uma subestação, ela é considerada montagem horizontal.

Os grandes fornecedores deste tipo de chave são Camargo Corrêa, Laelc, Siemens. Podemos ter chaves neste modelo que podem operar em tensões de 345kV até 550kV.

1.1.6 Abertura Semi-Pantográfica Vertical

Obedece ao tipo SV da ABNT. Quanto à composição das colunas de isoladores e o tipo de fechamento vertical, podem ser os seguintes modelos:

A coluna rotativa fica em uma extremidade, junto ao mecanismo de acionamento do equipamento é responsável pelo acionamento do equipamento.

Quando acionado o comando motorizado, que é responsável pelo acionamento da coluna rotativa, a abertura desta chave acontece verticalmente, ocorrendo um desdobramento central, pois no centro da lamina principal, os contatos são todos articulados. Portanto neste caso o tipo de abertura é semi-pantográfica. Como esta chave é montada verticalmente em uma subestação, ela é considerada montagem vertical.

Os grandes fornecedores deste tipo de chave são Camargo Corrêa, Laelc, Siemens. Podemos ter chaves neste modelo que podem operar em tensões de 345kV até 550kV.

1.1.7  Lâmina Terra

 É uma chave de terra acoplada a um seccionador, serve para aterrar a parte do circuito secionado e desenergizado, mas que pode estar com carga capacitiva ou ainda ter uma tensão induzida por linhas energizadas próximas ao circuito aberto. A lâmina de terra possui um comando independente ao comando do seccionador, porém ambas devem estar intertravadas mecanicamente para evitar que a lâmina de terra seja fechada quando o seccionador estiver fechado e vice-versa.

A lâmina de terra não precisa ter capacidade de condução de uma corrente nominal, mas deve ter capacidade para suportar corrente de curta duração.  

1.2 Principais partes constituintes de um Secionador

Algumas peças que compõe o seccionador são:

1.2.1 Polo Seccionador:

É a parte do seccionador, incluindo o circuito principal, isoladores e a base, associada exclusivamente a um caminho condutor eletricamente separado e excluindo todos os elementos que permitem a operação simultânea.

1.2.2 Base

É construída em aço laminado, galvanizado a quente, com perfis U, I, U dupla, treliça ou tubos de aço de parede reforçada. 

 1.2.3 Mancal

É a  parte rotativa da base do seccionador, onde o será fixado a coluna rotativa.

1.2.4 Sub-Bases(Sup. Isolador)

Destinam-se a elevar a altura da coluna isolante, equiparando-se com as outras.

1.2.5 Coluna Isolante

       As colunas isolantes mantêm a isolação entre a parte viva e a base do secionador, é, portanto parte fundamental na função isolante do seccionador. Elas devem suportar as mais variadas formas de solicitações dielétricas e mecânicas. As colunas isolantes devem atender as seguintes especificações: suportar os esforços dielétricos, os esforços mecânicos e não devem produzir níveis elevados de ruído.

1.2.6 Lâmina Principal

É feita de tubo ou barra de material altamente condutor (cobre ou alumínio).  

 A lâmina é uma peça móvel que na posição fechada do seccionador conduz a corrente elétrica de um terminal a outro e na posição aberta assegura uma distância de isolamento.  

É a parte mais crítica do seccionador, pois além de reunir alta condutividade e boa rigidez mecânica, a lâmina deve ser, sobretudo, leve o suficiente para permitir a operação de seccionador sem esforço demasiado. Dependendo da forma construtiva do mesmo a lâmina influi consideravelmente na vida útil do equipamento.   

1.2.7 Suporte dos Contatos

São construídos em ligas de cobre ou alumínio e dimensionados de forma tal que resistem aos esforços de operação. Além disso, eles devem ter uma seção suficientemente grande para não se aquecerem com a passagem das correntes nominais e de curto-circuito.

1.2.8 Contatos

É o conjunto de duas ou mais peças condutoras de um seccionador, destinadas a assegurar a continuidade do circuito quando se tocam, e que devido ao seu movimento relativo durante uma operação, fecham ou abrem esse circuito.  O contato propriamente dito é então feito através das superfícies de prata ou sua liga. A pressão nos contatos é dada por molas de aço inox, bronze fosforoso ou cobre-berílio. É a parte do seccionador que mais apresenta problemas, com necessidade de substituição, pois é onde ocorre o contato direto entre contato móvel da lâmina principal.

1.2.9 Mecânismo de Acionamento

É o conjunto que, recebendo o comando através da coluna isolante rotativa, opera a lâmina dando-lhe os movimentos necessários para cumprir a sua função.

Geralmente possui molas dentro dos chamados canhões, para suavizar a abertura e o fechamento da lâmina. Durante o estágio verificamos que este tipo de peça sobressalente dificilmente apresenta qualquer tipo de problema, pois é uma peça bastante robusta.

1.2.10 Contatos de arco (chifres) convencionais

São utilizados para interromper pequenas correntes como, por exemplo, a corrente de magnetização do transformador, a corrente de uma linha ou barramento em vazio etc. São duas hastes metálicas, uma fixa ao contato fixo e a outra à ponta da lâmina móvel e são instaladas de tal modo que quando a lâmina começa a sair do contato fixo, o caminho da corrente fica estabelecido entre os chifres, evitando que o arco venha a queimar os contatos da chave. São de cobre e geralmente possuem a área de contato em  material de tungstênio.  

1.2.11 Mecanismo Motorizado

Composto por uma caixa fabricada em alumínio e pintada, com os componentes elétricos acoplados internamente e um motor com redutor.  

Função  principal:

Transmitir o torque produzido pelo motor-redutor a haste de descida, possibilitando a realização de manobra dos pólos dos seccionadores e dos pólos das lâminas de terra.

2. MANUTENÇÃO

Nesta etapa do trabalho tem-se como objetivo o desenvolvimento de uma metodologia que possa dar suporte para a determinação de quando efetuar manutenção numa chave seccionadora, fazendo a análise das curvas da corrente do motor de acionamento verificando suas variações em função dos problemas que possam ocorrer, determinando se esta análise poderá trazer informações importantes para a manutenção da mesma.

(Parte 1 de 4)

Comentários