Lofoforados

Lofoforados

(Parte 1 de 2)

Protostômios

  • Clivagem espiral¹;

  • São animais cujo blastóporo² origina a boca;

  • Formação do celoma por esquizocelia³;

  • Mesoderme origina-se de uma única célula (célula 4d), mesentoblasto;

  • Cordões nervosos do sistema nervoso central ventrais;

  • Exemplos: Annelida, Arthropoda e Mollusca.

Obs¹: Clivagem espiral é a mitose de um zigoto na qual os blastômeros resultantes ficam dispostos de modo que formam um padrão espiral.

Obs²: Blastóporo é uma abertura que serve de comunicação na fase embrionária, pondo em comunicação o intestino primitivo (arquêntero) com o meio externo.

Obs³: Esquizocelia é o processo de formação do celoma, que nos Protostômios é resultante do alargamento de fendas das massas mesodérmicas.

Obs : Celoma é a cavidade originada da mesoderma que fomará a cavidade geral do corpo. Armazena as excretas e sustenta o corpo do animal, funcionando como um esqueleto hidrostático.

Deuterostômios

  • Clivagem radial¹;

  • São animais cujo blastóporo² origina o ânus;

  • Formação do celoma por enterocelia³;

  • Mesoderma surge de paredes do arquêntero;

  • Cordões nervoso do sistema nervoso central não ventrais;

  • Exemplos: Echinodermata, Phoronida e Ectoprocta.

  • Corpo trimérico: prossoma (anterior), mesossoma (médio) e Metassoma (posterior);

  • Prossoma (epístoma), mesossoma (lofóforo) e metassoma (vísceras)

  • Compartimentos celomáticos distintos e pareados: protocele, mesocele e matecele.

Obs¹: Clivagem radial é a mitose de um zigoto na qual os blastômeros resultantes ficam dispostos de modo que formam um padrão radial.

Obs²: Blastóporo é uma abertura que serve de comunicação na fase embrionária, pondo em comunicação o intestino primitivo (arquêntero) com o meio externo.

Obs³: Enterocelia é o processo em que o celoma se forma a partir das bolsas do arquêntero.

Obs : Arquêntero é o intestino primitivo.

Obs : Celoma é a cavidade originada da mesoderma que fomará a cavidade geral do corpo. Armazena as excretas e sustenta o corpo do animal, funcionando como um esqueleto hidrostático

Filos: Chaetognatha

Hemichordata

Chordata

Echinodermata

*Phoronida

*Ectoprocta

*Brachiopoda

Lofoforados

São animais que apresentam um lofóforo, isto é, uma estrutura que serve para alimentação e filtração, podendo ficar ao redor da boca ou em outros casos ao redor do ânus. São animais sésseis, por isso essa estrutura é tão importante.

O intestino desses animais é em forma de “U” para que fique longe do seu local de absorção. O trato digestivo inicia-se na boca e termina no ânus.

Apresentam corpo trimérico, sistema reprodutor simples e temporário.

São animais bentônicos e alguns colônias secretores de um envoltório externo em forma de tubo, concha ou exoesqueleto compartimentado.

  • Características gerais

a)Metassoma – (bulbo gástrico): concentra todas as vísceras. Cavidade – matacele.

b)Mesossoma – (lofóforo): utilizado na alimentação e respiração. Cavidade – mesocele.

c)Prossoma – (epistoma): canaliza o alimento até a boca do animal. Cavidade - protocele.

Obs: Peritôneo é uma membrana que recobre todas as vísceras da cavidade celomática.

Filo Phoronida

São animais vermiformes, apresentando corpo dividido em lofóforo e ampola terminal. São tubículas, com o tubo quitinoso enterrado ou cimentado no substrato. Possui dois gêneros: phoronis e phoronopses. Quando o animal se encontrar perturbado se retrai para dentro do tudo.

  • Características gerais

A superfície dorsal e reduzida a uma região entre a boca e o ânus – extremidade lofoforal e gástrica.

Possuem a parede do corpo coberta por uma cutícula fina e uma epiderme com células colunares densamente ciliadas (células glandulares – produção de muco e quitina) e células sensoriais.

Possuem uma fina camada de músculos circulares e uma espessa camada de músculos longitudinais.

O celoma é claramente tripartido:

a) protocele: restrita a uma pequena cavidade do epistoma.

b) mesocele: está presente como um anel celomático dentro do colarinho lofoforal com extensões para dentro de cada tentáculo.

c) Metacele: celoma torácico principal, separado da mesocele por um septo central.

A sustentação do corpo é feita por pressão hidrostática do celoma e pelo tubo. O fluído celomático possuiu vários tipos de células livres ou Celomócitos (células amebóides fagocitárias).

  1. Ampola terminal: ancoragem no tubo e abriga o estômago.

  2. Boca: em forma de fenda situada dentre as cristas portadores de tentáculos e coberta pelo epístoma.

  3. Cristas laterais: espiraladas e posicionadas lateralmente ao ânus dorsal e aos nefredióporos.

    • Lofóforo, alimentação e digestão

São animais suspensívoros/filtradores. São organismos bentônicos, que se alimentam de matéria orgânica, fito e zooplâncton, que está em suspensão na coluna d’água. Correntes de água levam o alimento por entre os tentáculos, filtrada por correntes ciliares em direção à boca e carregando também as excretas para longe do animal.

  1. Tentáculos: prolongamentos ciliados ocos de mesossoma com um vaso sanguíneo de fundo cego e celoma.

  2. Nefrídeos: filtram o fluído celomático eliminando as excretas pelos nefridióporos. São responsáveis também pela liberação de gametas (ovos). Além disso, são responsáveis por controlar a osmolaridade interna do animal.

  3. Trato digestivo em forma de “U”: tubo bucal, pré-estômago, estômago (bulbo terminal), intestino e ânus.

    • Circulação

Esses animais apresentam extenso sistema circulatório formado pelos vasos aferente e eferente. A troca sanguínea ocorre nas extremidades lofoforal e gástrica. Este se move por contração muscular das paredes dos vasos sanguíneos.

  1. Vaso Aferente (chega): Vaso circular aferente (em forma de “U”) – irriga o lofóforo. Não-ramificado na porção entre o bulbo terminal e o lofóforo.

  2. Vaso Eferente (sai): Vaso circular eferente (em forma de “U”) – drena o lofóforo. Forma cecos capilares no metassoma, que irrigam o trato digestivo.

  3. Plexo estomacal hemal: Sangue flui por espaços entre os vasos eferente e aferente.

    • Trocas gasosas

As trocas gasosas ocorrem nos tentáculos do lofóforo. O sangue contém hemoglobina, pigmento respiratório que transporta oxigênio.

  • Sistema nervoso

Sistema nervoso simples devido ao estilo de vida sedentário, redução generalizada da cefalização. O sistema nervoso está associado a epiderme sendo intra-epidérmico, com um anel nervoso situado próximo ao lofóforo.

Possuem neurônios sensoriais simples ou organizados em feixes e neurônios motores dentro das camadas musculares.

  1. Anel nervoso dorsal: Supre os tentáculos lofoforais, ramica-se em nervos motores para músculos longitudinais do metassoma e um feixe de neurônios lofoforais se estende do anel nervoso para cada um dos órgãos lofoforais.

    • Reprodução

Esses animais podem se reproduzir assexuadamente, isto é, por brotamento, regeneração de partes perdidas do corpo e autonomia de partes da extremidade lofoforal.

Quando ocorre a reprodução sexuada, são espécies dióicas ou hermafroditas (hermafroditas simultâneos). Suas gônadas são temporárias e os gametas são gerados por proliferação na metacele e eliminados via nefrídios. Na maioria das vezes a fertilização é externa.

  1. Glândulas nidimentais: São áreas de incubação que a fêmea possuiu onde os espermatóforos produzidos nos órgãos lofoforais são transferidos e ficam incubados para posterior fecundação interna.

    • Desenvolvimento

Possuem desenvolvimento indireto e suas larvas são chamadas de actinotrocas.

  1. Prossoma: Capuz préoral/lobo – (epistoma). Cavidade – protocele.

  2. Mesossoma: Anel parcial de tentáculos – (lofóforo). Cavidade – mesocele.

  3. Metassoma: Saco metassômico na superfície ventral. Cavidade – metacele.

Filo Ectoprocta (Bryozoa)

É formada por colônias sésseis de zoóides, geradas por reprodução assexuada a partir da ancéstrula, zoóide primário. São diversos no ambiente marinho e também encontrados em água doce e salobra.

Nesses animais houve perda do sistema circulatório e do sistema excretor, por estes serem animais bem pequenos e a distância de sua parede corpórea ser bem fina.

Podem possuir exoesqueleto calcário, quitinoso e gelatinoso. Através dessas características, de sua forma e dos tipos de zoóides que formam a colônia, se dá a identificação do animal.

Os Ectoproctas têm como característica particular o mecanismo de retração e extensão do lofóforo. Essa característica é importante na diferenciação das espécies.

* Exoesqueleto quitinoso ou gelatinoso – Classe phylactolaemata (ordem ctnostomata).

* Exoesqueleto gelatinoso – Classes stenolaemata e Gymnolaemata (ordem cheilostomata)

  • Características gerais

  1. Cistídio/Zoécio: envoltório externo e as partes da parede do corpo ligadas ao envolório;

(Parte 1 de 2)

Comentários