Alma, espírito e morte segundo a Bíblia

Alma, espírito e morte segundo a Bíblia

Observe, antes de qualquer coisa, esta citação a respeito do comportamento dos cristãos primitivos sobre examinar a Palavra de Deus. Atos 17.1: “Ora estes foram mais nobres do que os que estavam em Tessalônica, porque de bom grado receberam a palavra, examinando cada dia nas Escrituras se estas coisas eram assim”.

A palavra examinar (gr. anakrino) significa “peneirar para cima e para baixo; fazer um exame cuidadoso e exato”.

O cristão verdadeiro é humilde e reconhece a verdade e a autoridade da Palavra de Deus.

Ele procura fazer uma reflexão sincera em seu conteúdo, pois seu interesse é defender a verdade bíblica como ela se mostra ser e não fica preso em crenças ou dogmas estabelecidos por homens. Ele busca, com toda dedicação, compreender e aceitar a mensagem do verdadeiro Deus, cujo nome é Jeová, como fizeram os cristãos de Beréia do primeiro século, citado acima no versículo de Atos.

aceitar a verdade Bíblica acima de qualquer coisa. Está preparado?

Procure seguir o exemplo dos cristãos primitivos e perceberá que a verdade de Deus pode ser compreendida facilmente. O primeiro passo é estar com o coração disposto a

Muitas pessoas são levadas a acreditar que o homem possui uma alma ou espírito invisível e imortal dentro de si, que por ocasião da morte, deixa o corpo e continua a viver. Muitos filósofos gregos defendiam que a alma ou espírito era a parte imaterial do ser humano que abarcaria o pensamento, os sentimentos de amor e ódio, a irracionalidade, o desejo, a sensação e a percepção. Será que realmente está correto o que a maioria pensa sobre esse assunto? Como a Palavra de Deus nos ajuda entender esse isso? Examinemos, detalhadamente, alguns versículos bíblicos.

hebraico e psykhé, no grego. Gênesis. 2.7, diz “e o homem foi feito alma vivente”. A
Bíblia Viva verte essa tradução da seguinte forma: “e ele veio a ser alma vivente”.
“fôlego da vida”. Em Ezequiel 18.4, 20 está escrito “a alma que pecar, essa morrerá”.

Sabe-se que, originalmente, a Bíblia foi escrita quase que inteiramente nos idiomas hebraico e grego. Os termos bíblicos traduzidos por alma são as palavras néfesh, em Primeiramente pode-se perceber que a Bíblia não diz que o homem tem uma alma e sim que ele é (ou passou a ser) uma alma vivente, desde que Deus assoprou em suas narinas o Isso nos permite concluir que o homem não é constituído de uma alma imortal e sim que ele é uma alma mortal. Além disso, um versículo do livro de Êxodo mostra que a palavra alma pode ser interpretada como vida (Êxodo 4.19). Os outros animais como as aves, os peixes, os animais domésticos e os selvagens, enquanto estão vivos, também são chamados de alma vivente (veja Gênesis 1.20, 24; 9.10).

Muitos na cristandade também têm a concepção de que o homem possui uma alma imortal, ou seja, de que mesmo que o corpo humano pereça, sua alma continua a viver. Porém, foi possível entender que o homem não possui uma alma, mas ele mesmo é uma alma vivente enquanto está vivo. Quando ele morre, o que é chamado de “sua alma” também morre e a Bíblia mostra claramente isso (Ezequiel 18.4, 20) de forma que, a pessoa que morre é chamada de “alma morta” (Levítico 21.1).

Acreditar numa alma é imortal é uma doutrina bastante comum em quase todas as religiões no mundo. Embora cada uma defenda essa idéia de uma forma particular, todas compartilham da mesma visão: de uma forma ou de outra existe vida consciente após a morte. Sócrates e Platão, dois filósofos gregos da antiguidade, já defendiam a idéia de uma alma imortal, porém a Bíblia nos mostra quem foi o primeiro ser a incitar esse pensamento nos seres humanos (Gênesis 2.17; 3.4, 5). Satanás, o Diabo, enganou o primeiro casal humano ao dizer que eles não morreriam se desobedecessem ao Criador do Universo. Não é exatamente o que ele faz hoje enganando as pessoas com sua falsa doutrina da alma imortal?

E o que dizer sobre o espírito, será que ele é um ente imortal? O que a Bíblia ensina sobre ele? Veremos isso no próximo parágrafo.

pneuma no grego. Em Gênesis 2.7 também está escrito “e assoprou em seus narizes o

Da mesma forma que as pessoas acreditam numa alma imortal, elas também acreditam num espírito imortal, ou até chegam a dizer que alma e espírito são a mesma coisa. Não é exatamente isso que a Bíblia diz. O termo bíblico para espírito é rúahh em hebraico e fôlego da vida...”, ocasião em que o escritor usa o termo hebraico rúahh, traduzido por fôlego da vida. É possível notar que Deus forneceu algo ao homem que o tornou capaz de viver, ou seja, de ser uma alma vivente. Será que esse “fôlego da vida” é o que chamamos de espírito? Veja Gênesis 7.2, “Tudo que tinha fôlego de espírito de vida em seus narizes, tudo que estava no seco, morreu”. Realmente esse “fôlego da vida” é o termo hebraico traduzido por espírito em outros trechos (veja Salmos 146.4). Vamos fazer uma importante reflexão em cima do texto citado. É fácil notar que em Gênesis 7.2 (leia o versículo 21) não há distinção entre homens e animais (veja Eclesiastes. 3.18, 19) e isso significa que todos têm o mesmo espírito. É realmente importante lembrar que o episódio retratado é o Dilúvio e que ao serem todos engolidos pela água, homens e animais sucumbiram à catástrofe e morreram. O texto diz que eles tinham o “fôlego de espírito de vida”, mas morreram, portanto não o têm mais (veja Tiago 2.26). Pode-se concluir, então, que esse “fôlego da vida” ou “espírito” presente nos seres vivos é a força vital ou energia vital de todas as almas viventes (Gênesis 6.17). Uma semelhança satisfatória é pensar numa televisão. Ela precisa de energia elétrica para funcionar. Se ela estiver funcionando e for tirada instantaneamente da tomada com certeza parará de funcionar, pois não haverá mais energia elétrica para que continue seu funcionamento. Acontece da mesma forma com os seres vivos, quando sai-lhes o espírito, subitamente morrem. Assim como a energia elétrica não é um ente com forma definida e consciência própria o espírito também não é. Ainda se pode chamar essa força vital de “respiração” (veja Salmos 104.29).

A cristandade defende a existência de uma entidade presente “dentro” de todos os humanos, o chamado espírito, que, independente da alma, tem uma existência imortal e não sucumbe à morte. Felizmente a Bíblia nos permite entender claramente, se procurarmos fazer um estudo sincero e minucioso, que isso não é verdade. Ela mesma evidencia que o que é chamado de espírito nada mais é do que a força ou energia vital presente nos seres vivos, o qual ainda se pode chamar de “fôlego da vida”, “fôlego de espírito de vida” ou simplesmente “respiração”.

É importante agora pensar na seguinte questão: O que acontece, então, quando morremos? Para onde vamos? Veremos o que a Bíblia diz a partir de agora.

interessante evidência se encontra em Salmos 146.4: “Sai-lhes o espíritonaquele mesmo
Outra evidência de que a vida cessa após a morte é o que está escrito em Ec. 3.18-21 (“
o que sucede aos filhos dos homenstambém sucede aos animais... todos têm o mesmo

Depois de entender o que a Bíblia diz sobre a alma e o espírito é possível fazer a seguinte pergunta: depois da morte existe consciência do que está acontecendo? Ao analisarmos Salmos 115.17, onde diz “Os mortos não louvam ao SENHOR, nem os que descem à cova”, claramente se observa a ausência de capacidade emotiva, ou seja, de capacidade de expressar emoções quando se morre. Outra passagem que também traz uma dia perecem os seus pensamentos”. Esse trecho mostra que após a morte não existe consciência, ou seja, a pessoa que morreu não tem consciência de nada que está acontecendo e por isso não pode pensar, exatamente como acontece no sono ao dormirmos. Por causa disso, Jeová inspirou alguns escritores da Bíblia a citar a comparação da morte ao momento quando estamos dormindo (Mt. 9.18, 23, 24; Jo. 1.1-14; 1 Co. 15.6 ). Com certeza, é possível afirmar que a morte é o estado de inexistência, onde não há nenhuma possibilidade pensar, refletir, raciocinar, perceber algo ou se emocionar (veja Ec. 9.4-6,10). fôlego...”). Não está evidente que tanto homens quanto animais são almas viventes e possuem o mesmo “fôlego”, “espírito”, ou “força vital”? Será que os animais têm algum tipo de existência após a morte? Naturalmente que não.

Não podemos nos esquecer também de que, quando o homem estava no jardim do Éden, foi dada a ordem para que ele não comesse do fruto do conhecimento do bem e do mal, pois teria uma conseqüência trágica: a morte (Gn. 2.17). Depois de o homem ter desobedecido, realmente veio a sentença: “No suor do teu rosto comerás pão, até que voltes ao solo, pois dele foste formado. Porque tu és pó e ao pó voltarás” (Gn. 3.17). Note o que significa morrer na visão bíblica: “...tu és pó e ao pó voltarás”. Ao morrer, Adão retornaria à sua condição anterior, ou seja, nada. Simplesmente ele deixaria de existir, assim como era antes de ser formado.

mocidade, antes que venham os maus diase o pó volte a terra, como era, e o espírito volte

Finalmente, é possível ver em Ec. 12.1, 7 (“Lembra-te do teu Criador nos dias da tua a Deus, que o deu”.) que o “espírito”, “fôlego da vida”, “fôlego de espírito de vida”, “força vital” ou simplesmente “respiração” é proveniente de Deus e “retorna” a Ele quando o homem morre, independente de ser bom ou mau (Ec. 9.6). Uma ilustração bastante interessante é pensar num departamento de abastecimento de água que abastece sua residência. Se, por alguma dívida, cortarem o abastecimento de água de sua residência, mesmo assim terá água armazenada na caixa d’água do departamento. Comparando com o departamento de água, mesmo que a vida de alguém cesse por falta de espírito, Jeová continuará sendo a fonte da vida (ou espírito) (Sl. 36.9) e, por isso, pode fazer aquele que morreu voltar a viver. É justamente nesse sentido é que o espírito “volta a Deus”. Em Sl. 104.30 lemos, “Envias o teu Espírito, e são criados, e assim renovas a face da terra”. Segundo o texto, é inquestionável dizer que os seres são dotados vida ou força vital quando Deus envia do seu Espírito. Ora, o que Deus dá aos seres não é o “fôlego da vida” ou o “espírito”? O que será então o Espírito de Deus?

Lembre-se, o estudo das Escrituras e uma oração sincera a Deus pedindo conhecimento é que vai ajudar a entender melhor esse assunto. Portanto, não deixe de ler mais vezes esse artigo, acompanhar os versículos bíblicos e pedir a Deus o verdadeiro conhecimento.

“Isto significa vida eterna, que absorvam conhecimento de ti, o único Deus verdadeiro, e daquele que enviaste, Jesus Cristo”, João 17.3.

Qual é o papel de Cristo na história da humanidade, já que o homem morre e a vida acaba?

Essa pergunta e outras que porventura possam surgir, poderão ser respondidas com um estudo bíblico mais detalhado. Você aceita?

Nunca se esqueça do exemplo dos cristãos primitivos!

Comentários