Tecnologia da Informação e Comunicação -TIC

Tecnologia da Informação e Comunicação -TIC

(Parte 1 de 2)

Universidade do estado do Pará

Centro de Ciências Sociais e Educação -CCSE Curso de Licenciatura Plena em ciências naturais.

Andryw Roberto Motta de Souza;

Carla Cristine Barroso Pereira;

Eliane Garcia de Moura;

Flavia Pereira da Rocha; Rodrigo da Silva Garcez; Roger Leomar da Silva Ferreira.

Prática Docente I

Universidade do estado do Pará

Centro de Ciências Sociais e Educação -CCSE Curso de Licenciatura Plena em ciências naturais.

Andryw Roberto Motta de Souza;

Carla Cristine Barroso Pereira;

Eliane Garcia de Moura;

Flavia Pereira da Rocha; Rodrigo da Silva Garcez; Roger Leomar da Silva Ferreira.

Tecnologia, Informação e Comunicação- TICs

Trabalho entregue e apresentado com requisito total, referente à 1°avaliação da disciplina Prática docente I, do curso de Licenciatura em ciências Naturais, orientado e ministrado pela professora Inês Trevisan.

I- Introdução

As TIC (Tecnologia da Informação e Comunicação), de maneira simplória, é o uso de recursos tecnológicos, em especial, voltado para o aplicação de tal no ensino de ciências, usando como principal recurso tecnológico os Software educativo, com a finalidade de ser uma ferramenta auxiliar na prática de ensino, sendo inserido no contexto escolar com a função de ser um catalisador educativo.

Vale ressaltar que as TIC não estão restritas à educação, mas também podem ser muito útil na área financeira, bancária, segurança, transportes, engenharia, comércio e como foi supracitado na educação.

Usaremos como funcionalidade as seguintes perguntas: O que é isso? Para que serve os TICS? Onde aplicá-los? Como usar, todos esses questionamento, será discutido em nosso trabalho escrito e apresentado.

I- Tecnologia da Informação e Comunicação no ensino de Ciências (TIC’s)

As TIC’s Podem ser definidas como tecnologias e instrumentos usados para compartilhar, distribuir e reunir informação, como para comunicarem-se umas com as outras, individualmente ou em grupo, mediante o uso de computadores e redes interconectados. As TIC’s também têm outras funções, pois funcionam interferindo na forma como as informações fluem nos meios físico, social e psíquico de um ambiente humano, abrangendo, portanto o contexto dos equipamentos, eletrônicos, sonoro, visual, sensitivo e o contexto humano dos relacionamentos.

2.1- A má divulgação das TIC’s Torna-se necessário então o pleno conhecimento das TIC’s para construção da sociedade da informação. A mídia precisa correr contra o tempo e lidar com excesso de informações que chegam às redações proporcionadas pelo grande avanço da tecnologia que possibilitou o maior fluxo de informação. As TIC’s são assuntos relativamente novos, no qual poucos possuem o acesso real (de tocar, saber mexer, conhecer) e naturalmente desconhecem o seu sentido. Então a divulgação das mesmas não pode ficar restrita a internet, jornais, televisão, revistas, dentre outros, mas sim incentivar a criação de cursos, especializações simpósios para falar desta questão tão nova. Só assim teremos pessoal capacitado para melhor aproveitar os novos recursos das TIC’s e melhor direcioná-los, como exemplo, para a educação.

2.2- Palavras-chaves: Educação, Tecnologia e Ensino Os TIC vêm com o intuito absoluto de integrar a escola com os meios de produção e comunicação, caso não se integre fica isolada, porém os TIC não vieram para substituir o meio de ensino e sim com o intuito de ser uma ferramenta auxiliar de extrema importância ao ensino usando como uma nova prática e tirando a idéia inicial que podem servir apenas para transmitir conhecimentos, seguindo um modelo tradicional, em que os professores e os conteúdos programáticos ocupam o processo educativo.

Defende-se a idéia dos TIC devam ser aplicadas desde o inicio do ensino Préescolar, pois é quando a criança começa sua formação como cidadã e também seus desenvolvimentos de capacidades cognitivas como observar e refletir, sua coordenação psicomotora e dos sentidos. As tecnologias (software, multimídias e etc.) tornam-se um instrumento indispensável, por que reúnem simultaneamente, imagens, cores sons e ainda todos os efeitos sonoros e visuais que conseguem prender a atenção da criança.

Para os TIC funcionarem com eficácia é necessário a escola tenha uma coordenação entre os centros ou recursos educativos de documento, bibliotecas, midiotecas, todos em volta da escola voltados, para ter um bom andamento nos projetos da mesma.

As potencialidades pedagógicas das TIC, são usadas de forma planeada e sistemática que permitem autonomia para os alunos (necessidade para toda vida), acesso a informação com rapidez e velocidade, análise de reflexões, aprenderem a conhecer outras culturas, organizar seus pensamentos, trabalhar em grupo, registrar sons e imagens, todos esses trabalhos pressupõem um profundo trabalho ou internacionalidade, cujo espaço de realização pode ser o CRE (Conselho Regional de Educação).

Os CRE podem criar condições para os professores que os TIC se tornam de fato uma FERRAMENTA que ajuda nas práticas pedagógicas EMERGENTES (inovadoras).

exterior onde o aluno vai absorver grande parte do assunto ministrado em sala

Os TIC nos processos de aprendizagem podem contribuir um fato de inovação pedagógica, porem as escolas tem que acompanhar as transformações sociais (o que não ocorre na maioria das vezes) têm-se a idéia que por natureza a escola é lenta, analítica, e tendenciosas ao passado, porem têm que haver a capacidade de torna-se mais atraente, diminuindo a forma que o separa do mundo

I- Ensino de Ciências: O futuro em risco

3.1-Uma oportunidade para o desenvolvimento Na sociedade atual, o conhecimento é o melhor recurso. Fala-se, com razão, da sociedade do conhecimento, que vive, talvez como nunca na história, um significativo desenvolvimento da ciência e da tecnologia, alem do incremento constante de conhecimentos e da integração e intercambio nas áreas políticas, econômica, social e cultural entre todos os países. Entretanto, se, por um lado, a sociedade do conhecimento tem esta face luminosa, por outro, amplia as desigualdades entre países e dentro de cada país. As áreas que dispõe maior capacidade de gerar conhecimento e educação de qualidade tendem a atrair mais atividades econômicas dinâmicas, gerar mais empregos qualificados, produzir mais receita fiscal e melhorar as condições de vida, gerando, assim, o circulo virtuoso do desenvolvimento humano.

Se for indiscutível a importância da ciência e tecnologia para o desenvolvimento econômico e social do país, é preciso reconhecer que entre os condicionantes desse desenvolvimento estão uma educação cientifica de qualidade nas escolas; a formação de profissionais qualificados; a existência de universidades e instituições de pesquisas consolidadas; integração entre a produção cientifica e tecnológica e a produção industrial; a busca de solução dos graves problemas e sociais das desigualdades.

Neste sentido, o ensino de ciências é fundamental para a população não só ter a capacidade de desfrutar do conhecimento científico e tecnológico, mas para despertar vocações, a fim de criar estes conhecimentos.

3.2-Educação Cientifíca no Brasil vai bem? Na escola brasileira, o ensina de Ciências tem sido tradicionalmente livresco e descontextualizado, levando o aluno a decorar, sem compreender os conceitos e a aplicabilidade do que é estudado. Assim, as Ciências experimentais são desenvolvidas sem relação com as experiências e, como resultado, poucos alunos se sentem atraídos por elas. A maioria se aborrece, acha o ensino difícil e perde o entusiasmo. Em outras palavras, a escola não esta preparada para promover um ambiente estimulante de educação cientifica e tecnologia. Outra importante questão a ser considerada é a formação que os professores de Ciências recebem no Brasil. Estudos mostram que essa formação é muito teórica, compartimentada, desarticulada da prática e da realidade dos alunos. Assim, os professores têm muita dificuldade em transformar a sala de aula e criar oportunidades de aprendizagem interessantes e motivadoras para o estudo de Ciências.

A ineficácia dos nossos sistemas de ensino na promoção de uma educação cientifica de qualidade tem custo alto pelo Brasil.

3.3-Trabalhar o presente para assegurar o futuro: Vital para o desenvolvimento da economia e da indústria, a educação cientifica e tecnológica é também essencialmente importante no processo de promoção da cidadania e inclusão social, uma vez que propicia às pessoas oportunidades para discutir, questionar, compreender o mundo que as cerca, respeitar os pontos de vista alheios, resolver problemas, criar soluções e melhorar sua qualidade de vida.

O desenvolvimento de uma política de educação cientifica visa a promover a inclusão social e a melhoria da qualidade da educação, de modo a contribuir para que as crianças e jovens desenvolvam as competência, habilidades, atitudes e valores que lhes permitam aprender e continuar aprendo compreender, questionar, interagir, tomar decisões e transformar o mundo em que vivem, promovendo valores sociais e culturais de uma sociedade solidária, pacífica, participativa e democrática. Líderes comprometidos devem promover uma política de educação cientifica e tecnológica, considerando as seguintes diretrizes, que se baseiam nas lições de experiências passadas e atuais:

Fortalecer a escola como foco de transformação, criando ambientes e clima propício para a aprendizagem em ciência e tecnologia;

Oferecer aos docentes de Ciências um plano sistêmico de formação em serviços, que assegure a inter-relação teórico-prática, o acompanhamento ao longo de todo o processo de formação e a reflexão permanente;

Promover o trabalho conjunto e integrado de formadores, professores, diretores de escolas, coordenadores e investigadores, propiciando a construção coletiva do conhecimento cientifico;

Disponibilizar para os alunos materiais diversos que estimulem a curiosidade cientifica e promovam a aprendizagem com base na busca, indagação e investigação. O estimulo à curiosidade deve ser o motor de ensino-aprendizagem;

Incentivar a popularização da ciência mediante o uso das novas tecnologias da informação e da comunicação.

Para produzir efeitos, este conjunto relativamente simples de ações precisa ser concretizado de maneira integrada, produzindo sinergia. É preciso consistência e continuidade de esforços ao longo do tempo. Os resultados logo chegam, sob a forma e alunos entusiasmados que aprendem e professores empenhado em ensinar.

Mas a continuidade é fundamental, porque os resultados mais preciosos vêm depois quando os jovens e adultos sabem usar os conhecimentos em favor de si e da sociedade.

sob pena de colocar em risco o futuro do país

O custo de não fazer é ficar para trás. Portanto, não há mais tempo a perder,

IV- Projetos de Aprendizagem e o uso de TIC s.

A construção de um currículo escolar não é uma tarefa fácil. Pois a maior parte dos professores o constrói e planejam antes do início do ano letivo,antes de ser aplicado.Com isso no primeiro dia de aula cada professor já sabe quais os conteúdos que serão ensinados, em quais momentos e de que forma. Nesse contexto, quem são os alunos e de que forma são os autores do aprendizado? Parece-nos que não é considerada a subjetividade de cada individuo e acabasse por tentar formar pessoas segundo um modelo prévio.

Será que é isso que desejamos? Trabalhar a nossa disciplina sem respeitar as efetivas conexões dela com todas as outras e, principalmente, com o cotidiano que nos cerca de forma a facilitar a compreensão e a resolução dos nossos reais problemas.

Dessa forma, esse processo possibilita que o aluno utilize todas as ferramentas e os mecanismos disponíveis para a realização de pesquisas, investigações e aprendizagem, sejam elas consultas bibliográficas (livros, revistas, artigos, web sites), realização de experimentos, ações colaborativas e cooperativas, discussões síncronas (chats) e assíncronas (fórum de discussões, correio eletrônico), etc.

Assim o uso das TICs torna a aprendizagem mais dinâmica, possibilitando ao aluno ser o construtor do seu conhecimento a partir das descobertas que os ambientes informatizados em rede podem facilitar.

Deste modo, o que não se pode negar é que as TICs invadiram o âmbito educacional, e através delas os indivíduos tem maior acesso a dados e informações nunca visto em outros tempos. Antes mesmo de influir sobre a aprendizagem do aluno, a utilização das novas tecnologias (informática e internet) implica ao educador repensar sua pratica docente. Deste modo, ao utilizar a informática como ferramenta pedagógica o professor necessita reestruturar seu planejamento escolar, e adaptar sua pratica as novas possibilidades de ensino e aprendizagem. Certamente não estará somente a prática educativa se dirigindo ao novo rumo, os educandos, sujeitos em formação, estarão seguindo caminhos numerosos que unem distintas e diversas áreas do conhecimento, uma trilha repleta de novidades.

V- Narrativa, mito, ciência e tecnologia

Este texto fala sobre o projeto Ciências, Tecnologia e Sociedade abreviado por

CTS e sua forma de adocão no ensino formal que ocorre nas escolas. E começa por analisar o espaço que a mídia, por meio de filmes, programas de TV, artigos de jornais e revistas dedicam seus espaços na divulgação da científica. Comenta sobre temas discutidos por esses meios de divulgação como o caso do bug do milénio em que os computadores teriam problemas na passagem de 1.9 para 2000 e, como esse fato tomou conta nas discussões na época.

Falando sobre como esse debate migra para a sala de aula, menciona que os livros didáticos e para didáticos trazem para o ambiente escolar essa realidade. O MEC por meio dos PCN's aponta a necessidade de se colocar no currículo o debate entre ciência, tecnologia e sociedade.

É importante levantar esse debate porque a ciência esta cada vez mais incorporada no cotidiano da sociedade. Trazendo o impacto que a ciência e tecnologia trouxeram para a sociedade se faz necessário esse debate, devido percebc-se que, alem da situação da fome e outros problemas que deixa o cidadão de foram da sociedade, há pessoas que estão à margem do progresso da ciência e tecnologia por não se encontrarem "alfabetizadas" para entenderem o mundo atual.

Baseado nessa problemática houve uma pesquisa que verificasse a relação da

CTS na educação, essa pesquisa teve o apoio da FMEP, CNPQ e da FAPERJ, objetivando discutir a formação do cidadão por meio da escola e do museu.

Esta pesquisa foi dividida em várias etapas: Levantamento de informações sobre visão de professores;

Trabalho de observação da visita de professores à exposição do museu; Seminários.

Essa pesquisa trouxe a importância de se discutir a relação entre narrativa, mito, ciência e tecnologia.

A narrativa como sendo uma forma de se apreender processos interativos a respeito de resultados de aprendizagem visando sua ampliação científica e tecnológica dos aprendizes. Feita por meio de levantamento individual e coletivo.

O pensamento narrativo consiste construir significados por meio de história que dêem sentido às experiências dos indivíduos. O pensamento paradigmático é lógico-matemático ou científico. E a diferença entre os dois modos de pensamento está na formação de se trabalhar com a abstração. Já o mito, é trabalhado com duas concepções:

(Parte 1 de 2)

Comentários