Apostila Metodologia do Trabalho Acadêmico

Apostila Metodologia do Trabalho Acadêmico

(Parte 3 de 6)

O método científico: A investigação científica depende de um “conjunto de procedimentos intelectuais e técnicos” (Gil, 1999, p.26) para que seus objetivos sejam atingidos: os métodos científicos.

Os cientistas criam, então, um conjunto de teorias baseadas nesses estudos e observações, e essas teorias são sujeitadas a uma seleção natural, até que se chegue a uma explicação satisfatória para os fatos observados. Essa teoria deve ser consistente com os fatos. Deve poder prever que, em condições e situações idênticas, os resultados esperados devem se repetir. Qualquer pessoa, tendo acesso aos experimentos, deve poder obter os mesmos resultados independentemente. 

Métodos científicos são impessoais e objetivos. Explicações metafísicas são subjetivas, baseadas em experiências pessoais e em paixões.

É importante que o cientista saiba, dentre estas hipóteses ou conjecturas que está valorizando, quais efetivamente estão assumindo o caráter de hipóteses científicas (provisórias ou definitivas) a comporem os núcleos das teorias que estuda. Diremos então que uma hipótese será tanto mais científica quanto mais sujeitar-se à experimentação, seja através de testes diretos, seja através de testes às teorias a que a hipótese dá suporte.

A boa teoria nem sempre é aquela a respeitar os paradigmas vigentes. Pelo contrário, boas teorias são aquelas dotadas de um certo caráter revolucionário a contestar "verdades" até então aceitas como tais.

É importante que o teorizador conheça as hipóteses presentes em outras teorias relacionadas à sua, sejam elas compatíveis ou não.

O que apóia uma teoria científica, sem dúvida, é a experimentação. Mas a experimentação, por si só, ou falseia ou corrobora uma hipótese e/ou uma teoria.

O que torna o conhecimento científico distinto dos demais é que tem como característica fundamental a sua verificabilidade.

Para que um conhecimento possa ser considerado científico, torna-se necessário identificar as operações mentais e técnicas que possibilitam a sua verificação. Ou, em outras palavras, determinar o método que possibilitou chegar a esse conhecimento.

OS MÉTODOS CIENTÍFICOS NAS CONCEPÇÕES ATUAIS

Qualquer que seja o método científico, esse campo da investigação deve cumprir estas etapas:

  1. descobrimento do problema ou lacuna em um conjunto de conhecimento;

  2. colocação precisa do problema ou, ainda a recolocação de um velho problema à luz de novos conhecimentos;

  3. procura de conhecimentos ou instrumentos relevantes do problema 9dados empíricos, teorias, aparelhos de medição, técnica de medição, etc.)

  4. tentativa de uma solução (exata ou aproximada do problema com o auxílio de instrumento conceitual ou empírico disponível);

  5. investigação da conseqüência da solução obtida;

  6. prova (comprovação da solução, isto é, confronto da solução com a totalidade das teorias e das informações empíricas pertinentes);

  7. correção das hipóteses, teorias, procedimentos ou dados empregados na obtenção da solução incorreta.

O

Conscientizar-se de um problema

MÉTODO

Propor e definir um problema

Torná-lo significativo e delimitá-lo

Elaborar uma hipótese

Verificar a Hipótese

Concluir

Formulá-lo em forma de pergunta

Analisar os dados disponíveis

Formular a hipótese tendo consciência de sua natureza provisória

Prever suas implicações lógicas

Decidir sobre novos dados necessários

Recolhê-los

Analisar, avaliar e interpretar os dados em relação à hipótese

Invalidar, confirmar ou modificar a hipótese

Traçar um esquema de explicação significativo

Quando possível generalizar a conclusão

ESCOLHENDO O PERCURSO METODOLÓGICO

O percurso metodológico se refere ao caminho trilhado para que se atinja os objetivos definidos. Aqui cabe explicitar os instrumentos a serem utilizados na investigação e as fontes de pesquisa.

Método significa o caminho para chegar a um fim, enquanto logos indica estudo sistemático, investigação. Assim, no sentido etimológico, metodologia significa o estudo dos caminhos a serem seguidos, incluindo aí os procedimentos escolhidos.

Entendida como o caminho e o instrumental próprios para abordar aspectos do real, a metodologia inclui concepções teóricas, técnicas de pesquisa e a criatividade do pesquisador.

Os métodos são classificados em dois grandes grupos: os que proporcionam as bases lógicas da investigação científica (ou métodos de abordagem) e o dos que esclarecem acerca dos procedimentos técnicos que poderão ser utilizados (ou métodos de procedimento).

  1. Métodos que proporcionam as bases lógicas da investigação

  • Método Dedutivo: a dedução é o caminho das conseqüências, pois uma cadeia de raciocínio em conexão descendente, isto é, do geral para o particular, leva à conclusão.

  • Método Indutivo: Considera que o conhecimento é fundamentado na experiência, não levando em conta princípios preestabelecidos. No raciocínio indutivo a generalização deriva de observações de casos da realidade concreta.

  • Método hipotético-dedutivo: quando os conhecimentos disponíveis sobre determinado assunto são insuficientes para a explicação de um fenômeno, surge o problema. Para tentar explicar a dificuldades expressas no problema, são formuladas conjecturas ou hipóteses. Das hipóteses formuladas, deduzem-se conseqüências que deverão ser testadas ou falseadas. Falsear significa tornar falsas as conseqüências deduzidas das hipóteses. Enquanto no método dedutivo se procura a todo custo confirmar a hipótese, no método hipótetico-dedutivo, ao contrário, procuram-se evidências empíricas para derrubá-la

  • Método dialético: Hegel (1770-1831) apresenta a dialética como um movimento histórico do espírito em direção à autoconsciência. Didaticamente essa teoria é apresentada como consistindo de tese [posição] que produz sua antítese [oposição]. A união dessas duas produz a síntese [composição] que é uma nova tese que produzirá sua antítese.

  • Método fenomenológico: Husserl foi seu criador e não foi concebido para ser dedutivo, nem empírico, consistindo na descrição do fenômeno, tal como ele se apresenta, sem reduzi-lo a algo que não aparece. Considera como fundamental a relação. Epistemologicamente, opõe-se à visão de sujeito e objeto isolados, passando a considerá-los como correlacionados, já que a consciência é sempre intencional.

2. Métodos que indicam os meios técnicos de investigação

Os métodos de procedimentos não são exclusivos entre si, mas devem adequar-se a cada área de pesquisa e relacionando-se mas com as etapas do trabalho.

  • Método Experimental

  • Método Observacional

  • Método Comparativo

  • Método Estatístico

  • Método Clínico

  • Método Monográfico

TIPOS DE PESQUISA

Tipos de pesquisas segundo os objetivos

Tipos de pesquisas segundo os procedimentos de coleta

Tipos de pesquisas segundo as fontes de informação

Tipos de pesquisas segundo a natureza dos dados

Tipos de pesquisas segundo seus fins

  • explotarória

  • descritiva

  • explicativa

  • experimental

  • levantamento

  • estudo de caso

  • bibliográfica

  • documental

  • participantiva

  • campo

  • laboratório

  • bibliográfica

  • documental

  • quantitativa

  • qualitativa

  • pura

  • aplicada

  1. Tipos de pesquisas segundo os objetivos

A pesquisa explotarória: caracteriza-se pelo desenvolvimento e esclarecimento de idéias, com objetivo de oferecer uma visão panorâmica, uma primeira aproximação a um determinado fenômeno que é pouco explorado.

Geralmente querem saber o que está acontecendo, fazem perguntas, avaliam o problema sob uma nova luz. Geralmente, mas não necessariamente são qualitativas. Permitem uma primeira aproximação de um problema para criar familiaridade.Esse tipo de pesquisa também é denominado pesquisa de base, pois oferece dados elementares que dão suporte para a realização de estudos mais aprofundados sobre o tema.

Em geral é feita com pesquisa bibliográfica + entrevistas.

A pesquisa descritiva objetiva escrever as características de um objeto de estudo. Dentre esse tipo de pesquisa estão as que atualizam as características de um grupo social, nível de atendimento do sistema educacional, como também aquelas que pretendem descobrir a existência de relações entre variáveis. Nesse caso, a pesquisa não está interessada no porquê, nas fontes do fenômeno; preocupa-se em apresentar suas características.

Apresenta as características conhecidas e componentes do fato/fenômeno ou problema escolhido. Faz observações sistemáticas e a varredura de todo o universo.

Só descreve? Não é tarefa simples, pois busca as razões que existem nas coisas. Por exemplo, um estudo que pretende demonstrar como grupos populares se apropriam e reelaboram o saber da ciência médica, enriquecendo-o. Permite a visualização desse processo de resignificação por parte dos pobres. Como o objetivo da pesquisa estava relacionado com a explicitação desse movimento de apropriação/reelaboração por parte dos grupos populares, eleger o tipo de pesquisa descritiva foi a opção mais acertada.

A pesquisaexplicativa pretende identificar os fatores que contribuem para ocorrência e o desenvolvimento de um determinado fenômeno. Buscam-se aqui as fontes, as razões das coisas. Note bem: no geral, a pesquisa explicativa convive muito bem com os tipos de pesquisa colocados anteriormente.

Visam criar uma teoria aceitável a respeito de um fato/fenômeno/problema. Ocupa-se com os porquês de um fato/fenômeno/problema. Faz a identificação de fatores de ocorrência ou maneiras da ocorrência. Aprofundam o conhecimento da realidade para além das aparências. Geram as informações mais importantes das várias ciências.

  1. Tipos de pesquisas segundo os procedimentos de coleta

Pesquisaexperimentalé aquela que se refere à manipulação controlada de eventos, de modo a produzir observações que confirmam ou rejeitam uma ou mais teorias ou hipóteses rivais. Ocorre num meio especialmente criado para estudar os objetos da pesquisa.

Qualquer espaço dedicado ao trabalho experimental é um laboratório.

É possível fazer pessoas de “cobaias” em experimento de laboratório sem que elas percebam (custo: alguma decepção). Ex.: testes feitos em ambientes com diferente decoração.

Ex. testar conhecimento palativo de homens e mulheres diante de situações controladas.

Experimentar é colocar questões à natureza e o método experimental é contrastado com a aceitação passiva daquilo que ocorre ao longo das observações.

(Parte 3 de 6)

Comentários