RESUMO- Em busca da felicidade

RESUMO- Em busca da felicidade

Em busca da felicidade.

O filme conta a história de Chris Gardner que investiu boa parte da suas economias em máquinas de tomografias que ele julgava um bom negócio, mas os médicos vêm como algo caro e desnecessário. E cada vez mais problemas aparecem em sua vida, contas, dívidas, problemas familiares. Até que sua mulher o deixa com seu filho e Chris corre para não ficar na rua e dar uma boa condição de vida para seu filho. Ele vê uma oportunidade de estágio como corretor de valores, a chance de melhora, mas infelizmente o estágio é sem remuneração e somente o melhor irá conseguir se efetivado, e quando digo o melhor, é o melhor mesmo, vê-se isso claramente no filme, e Chris não tem esse tempo para esperar. Mas em meio em tudo isso, os problemas não para de aparecer, e é ai que aparece um pai que luta incessamente para dar tudo de bom para seu filho. Um filme fantástico, um drama fantástico, uma história fantástica, que alguns momentos você sente o desespero do personagem claramente e até mesmo não ver mais saídas para tais situações e os dois pai e filho vão superando tudo isso. Uma excelente lição de vida, que dá uma grande vontade de viver e seguir um exemplo parecido.

Para Chris, obter a felicidade estava simplesmente em ter uma vida digna, o que é direito de qualquer pessoa. Depois de ser abandonado pela mulher, que não agüentava a falta de dinheiro, e é nesse preciso momento que tudo começa a desmoronar-se à sua volta.... O senhorio faz-lhe um ultimato para abandonar a casa, o seu carro é apreendido pela policia e ele detido sem possibilidade de sair sem pagar as muitas multas... Entretanto a entrevista para o estágio é no dia seguinte e ele está na esquadra em fato de trabalho e cheio de tinta (porque quando foi detido estava a pintar a casa - exigência do senhor para lhe prolongar o prazo por uma semana). Ultrapassando várias obstáculos, Chris consegue sair a tempo da entrevista e mesmo naquele "preparo" consegue convencer os administradores que é uma boa aposta deixá-lo freqüentar o estágio não remunerado na esperança de conseguir um emprego melhor em uma grande empresa.... Começa uma verdadeira luta pela sobrevivência... tem que sair de casa e vai com o filho para um Motel, freqüenta o estágio de dia, depois visita possíveis clientes e estuda durante a noite... Mas as complicações não ficam por aqui... As primeiras comissões que consegue logo fazer são-lhe cativadas pelo fisco. Sem dinheiro nenhum ele chega a mendigar 14 dólares que um amigo lhe devia. Sempre a tentar que não percebam no escritório o que se passa, as coisas chegam ao ponto de chegarem ao Motel à noite completamente arrasados e verificarem que tinham sido "despejados".Chris nunca desiste nem baixa os braços, com o seu filho e os poucos haveres que lhe cabem nas mãos vê-se obrigado a dormir em albergues para mendigos e até na estação de metro num casa de banho pública, onde para mim se dá uma das cenas de maior intensidade dramática deste filme. Chris é o primeiro dos 20 candidatos à vaga na Empresa de Corretagem... a carga emocional que ele nos consegue transmitir na cena em que lhe é comunicado que ganhou o lugar faz os mais "duros" limparem discretamente uma lágrima.

Ele atropela todas as dificuldades, todos os obstáculos em busca de sua felicidade. Apesar de parecer um discurso demagogo, para obter a felicidade atualmente basta se encaixar nos padrões do consumo. A palavra felicidade pode ser sinônimo de riqueza, luxuria, ostentação. A felicidade pode estar no status que bens materiais e comercializáveis concedem aos pobres mortais. Infelizmente, o julgamento da felicidade leva a uma sentença muito pobre. Em números finais, o que nos traz a felicidade é muito pouco durável. Quem não pode ter aquela roupa da moda, aquele carro espetacular, aquele tênis fashion, reclama que não é feliz.

Enfim, atualmente contar com uma pessoa que te ama de verdade e ter o que comer já é motivo de felicidade. É fácil falar, mas muito difícil de acatar: seria fundamental aprendermos a enxergar a felicidade naquilo que temos, e não no que a gente não possui. Aceitar bem o que está ao nosso alcance não é acomodar. É apenas um ganho de vitalidade para conseguir chegar onde realmente desejamos. O importante é perceber que a capacidade de encontrar a felicidade está dentro de nós mesmos.

Comentários