CALVINISMO

História

O calvinismo foi uma doutrina criada por João Calvino (século XVI), um dos principais reformadores protestantes. Na escola de Calvino, em Genebra, receberam instruções os fundadores da Igreja Presbiteriana. Calvino tentou transformar Genebra num Estado de fé Calvinista. Queria criar uma teocracia - forma de governo em que a autoridade, emanada dos deuses ou de Deus, é exercida por seus representantes na Terra. Assim, estabeleceu leis que foram dirigidas por suas doutrinas religiosas, abriu escolas, estimulou o comércio exterior, proibiu jogos de azar, alcoolismo, danças e outros.

Perseguia seus opositores e defendia a pena de morte a hereges. Mandou queimar Miguel Serveto, que era um médico contrário às suas doutrinas. Jacques Gruet foi decapitado, acusado de blasfêmia. Entre os anos de 1542 e 1546 havia em Genebra vinte mil pessoas apenas. Dessas, cinqüenta e sete foram executadas, sessenta e seis banidas e um número incalculável de encarceramentos. Todos esses casos foram por motivos religiosos.

O calvinismo desde meados do século XVII era a corrente protestante mais numerosa da Inglaterra, dividindo-se em várias facções, sendo a mais importante a dos “puritanos” representados principalmente pela média burguesia, contrária ao Estado absolutista e a religião oficial anglicana, que limitavam o direito de propriedade, fazendo com que os puritanos assumissem uma postura de oposição mais radical.

Os “presbiterianos”, marcados por um comportamento mais moderado, de aceitação ao Estado absolutista, visto que sua composição social majoritária era formada pela alta burguesia e por latifundiários favorecidos pelo Estado. Os “anabatistas” constituíam o grupo mais radical. Eram socialmente formados por artesãos e camponeses pobres, que combatiam o Estado, reivindicando a devolução de terras e o sufrágio universal. Além de perseguidos pelo Estado anglicano, eram discriminados pelos puritanos que consideravam a pobreza como expressão da falta de graça divina.

LIVROS

O Calvinista é pois no extremo um profundo conhecedor da Bíblia, um moralista, um puritano, que pondera todas as suas ações pela sua relação individual com a moral cristã. O Calvinismo é também o resultado de uma evolução independente das idéias protestantes no espaço europeu de língua francesa, surgindo sob a influência do exemplo que na Alemanha a figura de Martinho Lutero tinha exercido. A expressão "Calvinismo" foi aparentemente usada pela primeira vez em 1552, numa carta do pastor luterano Joaquim Westphal, de Hamburgo.

SALVAÇAO DA ALMA

O Calvinista acredita que Deus escolheu um grupo de pessoas e que as restantes vão para o Inferno. Consequentemente, a pergunta que qualquer Calvinista se faz é: "Estarei eu entre os escolhidos ?".

Como é que um Calvinista sabe se está entre os escolhidos ou não ? Teoricamente, não é ele que o determina. A decisão está tomada. Foi tomada por Deus.

Os Calvinistas tinha como livro sagrado a Bíblia, João Calvino era um grande e profundo conhecedor do livro do Autor da Vida, os Calvinistas só conseguiriam ter a salvação de sua alma por Deus, que Deus já tinha seus eleitos lá no céu, e para o homem não perder seu direito de salvação ele tinha que honrar a Deus com o seu trabalho, se o homem não trabalhasse seria como um insulto ao Senhor.

A doutrina segue os princípios do protestantismo, afirmando o dogma da predestinação, segundo o qual o homem está destinado a salvação ou condenação por escolha divina. Prega a disciplina e a salvação para seus membros, o calvinismo admite os sacramentos do batismo e da Ceia. Na Ceia, Calvino afirma: nela o fiel comunga, com a carne de Cristo, um alimento espiritual real. O Pão não é o Corpo do Senhor, mas significa sua presença, "alimento celeste" para os predestinados e "pão e vinho" para os condenados.

DENOMINAÇOES

O Calvinismo é a doutrina de diversas denominações evangélicas, dentre elas destacamos:

• Igreja Reformada Suíça - religião oficial da maioria dos cantões da Suíça.

• Igreja Protestante Evangélica Holandesa - recentemente unificada, não é mais a religião oficial dos Países-Baixos

• Igreja Reformada Francesa - a igreja dos Huguenotes

• Igreja Congregacional - concentrada na Nova Inglaterra, nos Estados Unidos, hoje parte da Igreja Unida de Cristo.

• Igreja Reformada Húngara

• Igreja da Escócia

• Igreja Presbiteriana do Brasil

• Igreja Evangélica Cristo Vive

• Igreja Presbiteriana Independente do Brasil

• Igreja Presbiteriana Unida do Brasil

• Igreja Presbiteriana Conservadora do Brasil

• União das Igrejas Evangélicas Congregacionais do Brasil

• Igreja Presbiteriana Renovada

• Comunhão Batista Reformada do Brasil

Principais igrejas presbiterianas no Brasil Hierarquia

• IPB - Igreja Presbiteriana do Brasil • Conselho de presbíteros

• IPIB - Igreja Presbiteriana Independente • Pastor titular

• IPRB - Igreja Presbiteriana Renovada do Brasil • Presbíteros

• IPP - Igreja Pentecostal Presbiteriana • Diáconos

• UIEC - União de igrejas Evangélicas Congregacionais

CRENÇAS

Depravação Total – O calvinismo diz que o homem não regenerado é absolutamente escravo de Satanás, e por isso, é totalmente incapaz de exercer sua própria vontade livremente (para salvar-se), dependendo, portanto, da obra de Deus, que deve vivificar o homem, antes que este possa crer em Cristo.

Eleição Incondicional – O calvinismo sustenta que o pré-conhecimento de Deus está baseado no propósito ou no plano de Deus, de modo que a eleição não está baseada em alguma condição imaginária inventada pelo homem, mas resulta da livre vontade do Criador à parte de qualquer obra de fé do homem espiritualmente morto.

Expiação Limitada – O calvinismo diz que Cristo morreu para salvar pessoas determinadas, que lhe foram dadas pelo Pai desde toda a eternidade. Sua morte, portanto, foi cem por cento bem sucedida, porque todos aqueles pelos quais ele não morreu receberão a “justiça” de Deus, quando forem lançados no inferno.

Graça Irresistível – O calvinismo entende que a graça de Deus não pode ser obstruída, visto que sua graça é irresistível. Os Calvinistas não querem significar com isso que Deus esmaga a vontade obstinada do homem como um gigantesco rolo compressor! A graça irresistível não está baseada na onipotência de Deus, ainda que poderia ser assim, se Deus o quisesse, mas está baseada mais no dom da vida, conhecido como regeneração. Desde que todos os espíritos mortos (= alienados de Deus) são levados a Satanás, o deus dos mortos, e todos os espíritos vivos (= regenerados) são guiados irresistivelmente para Deus (o Deus dos vivos), nosso Senhor, simplesmente, dá a seus escolhidos o Espírito de Vida. No momento que Deus age nos eleitos, a polaridade espiritual deles é mudada: Antes estavam mortos em delitos e pecados, e orientados para Satanás; agora são vivificados em Cristo, e orientados para Deus.

Perseverança dos Santos – O calvinismo sustenta muito simplesmente que a salvação, desde que é obra realizada inteiramente pelo Senhor – e que o homem nada tem a fazer antes, absolutamente, “para ser salvo” -, é óbvio que o “permanecer salvo” é, também, obra de Deus, à parte de qualquer bem ou mal que o eleito possa praticar. Os eleitos ‘perseverarão' pela simples razão de que Deus prometeu completar, em nós, a obra que ele começou.

Comentários