Manual Internacional de Metrologia

Manual Internacional de Metrologia

(Parte 1 de 3)

Vocabulário Internacional de Termos Fundamentais e Gerais de Metrologia - VIM

Portaria Inmetro 029 de 1995.

Vocabulário Internacional de Termos Fundamentais e Gerais de Metrologia - VIM

Portaria Inmetro 029 de 1995.

©2003. INMETRO - Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial

INMETRO Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial

Av. N. S. das Graças, 50 – Xerém 25250-020 Duque de Caxias – RJ Tel.: (21) 2679-9351/9381 Fax: (21) 2679-1409 sepin@inmetro.gov.br

Ficha Catalográfica

INMETRO. Vocabulário internacional de termos fundamentais e gerais de metrologia. 3. ed. Rio de Janeiro, 2003. 75p.

ISBN 85-87090-90-9 METROLOGIA CDU: 389.16 (038)

DIVIT Divisão de Informação Tencológica SEPIN Serviço de Produtos de Informação

Portaria nº 29 de 10/03/19959
Preâmbulo da versão brasileira1
1 - Grandezas e Unidades13
2 - Medições23
3 - Resultados de Medição27
4 - Instrumentos de Medição35
5 - Características dos Instrumentos de Medição47
6 - Padrões59
Índice Português67
Índice Inglês70

SUMÁRIO Índice Francês .....................................................................................73

7VOCABULÁRIO INTERNACIONAL DE TERMOS FUNDAMENTAIS E GERAIS DE METROLOGIA 7VOCABULÁRIO INTERNACIONAL DE TERMOS FUNDAMENTAIS E GERAIS DE METROLOGIA

8VOCABULÁRIO INTERNACIONAL DE TERMOS FUNDAMENTAIS E GERAIS DE METROLOGIA

Portaria nº 29 de 10 de março de 1995

O Presidente do Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial - INMETRO, no uso de suas atribuições;

Resolve: Art. 1º - Alterar os termos do Art 1º da Portaria nº 102, de 10 de junho de 1988, que passa a ter a seguinte redação:

“Adotar, no Brasil, a nova versão do Vocabulário Internacional de Termos Fundamentais e Gerais de Metrologia, em anexo, baseada na 211ª edição (1993) do documento elaborado pelo Bureau Internacional de Pesos e Medidas (BIPM), pela Comissão Internacional de Eletrotécnica (IEC), pela Federação Internacional de Química Clínica (IFCC), pela Organização Internacional de Normalização (ISO), pela União Internacional de Química Pura e Aplicada (IUPAC) e pela União Internacional de Física Pura e Aplicada (IUPAP), com a devida adaptação ao nosso idioma, às reais condições existentes no país e às já consagradas pelo uso.”

Art. 2º - Permanecem inalterados os demais artigos estabelecidos na Portaria nº 102, de 10 de junho de 1988.

Art. 3º - Esta Portaria entrará em vigor na data de sua publicação.

JÚLIO CESAR CARMO BUENO Presidente do INMETRO

9VOCABULÁRIO INTERNACIONAL DE TERMOS FUNDAMENTAIS E GERAIS DE METROLOGIA 9VOCABULÁRIO INTERNACIONAL DE TERMOS FUNDAMENTAIS E GERAIS DE METROLOGIA

10VOCABULÁRIO INTERNACIONAL DE TERMOS FUNDAMENTAIS E GERAIS DE METROLOGIA

Prêambulo da versão brasileira

No presente trabalho, elaborado e consensado com significativa parcela da comunidade técnica e acadêmica, atuante no campo da metrologia, buscouse não apenas enfocar os aspectos da adequada correspondência dos termos entre as línguas estrangeiras envolvidas, mas também da própria filosofia de concepção do Vocabulário. Os esforços foram aqui direcionados no sentido de se atender ao máximo as diferentes correntes de opinião, decorrentes de processos culturais já consagrados em várias regiões de nosso país. Buscou-se, desta maneira, a desejável e necessária padronização, respeitando-se o atual “estado da arte” da linguagem metrológica brasileira.

Pelas premissas expostas, alguns verbetes são expressos de duas formas diferentes para uma mesma definição, ora para atender às necessidades brasileiras, ora simplesmente para acompanhar as versões inglesa e francesa. Porém, de um modo geral, nestes casos, manteve-se no corpo do texto os verbetes listados em primeiro lugar, devendo, no futuro, cair em desuso as respectivas segundas opções.

O uso de parênteses “(...)” separando palavras e alguns termos significa, como na edição original, que estas palavras podem ser omitidas, sem prejuízo de conteúdo ou risco de confusão.

Foi introduzida, nesta versão brasileira, a colocação dos termos originais (em inglês e francês) ao lado de cada termo correspondente em português, o que, juntamente com o índice trilíngüe, deverá facilitar sobremaneira a pesquisa de um determinado termo.

11VOCABULÁRIO INTERNACIONAL DE TERMOS FUNDAMENTAIS E GERAIS DE METROLOGIA

Obviamente, não poderíamos ter a pretensão de produzir um trabalho unânime, até mesmo porque se admitem imperfeições na publicação original. No entanto, esperamos que seja atingido seu estrito objetivo de contribuir para a harmonização interdisciplinar de terminologia metrológica.

12VOCABULÁRIO INTERNACIONAL DE TERMOS FUNDAMENTAIS E GERAIS DE METROLOGIA

1 Grandezas e Unidades

1.1 GRANDEZAAtributo de um fenômeno, corpo ou substância (MENSURÁVEL), fque pode ser qualitativamente distinguido e (measurable) quantity quantitativamente determinado. grandeur (mesurable)

Observacões: 1) O termo “grandeza” pode referir-se a uma grandeza em um sentido geral (veja exemplo a) ou a uma grandeza específica (veja exemplo b).

Exemplos: a) Grandezas em um sentido geral: comprimento, tempo, massa, temperatura, resistência elétrica, concentração de quantidade de matéria; b) Grandezas específicas: - comprimento de uma barra

- resistência elétrica de um fio

- concentração de etanol em uma amostra de vinho.

2) Grandezas que podem ser classificadas, uma em relação a outra, em ordem crescente ou decrescente, são denominadas grandezas de mesma natureza.

13VOCABULÁRIO INTERNACIONAL DE TERMOS FUNDAMENTAIS E GERAIS DE METROLOGIA

3) Grandezas de mesma natureza podem ser agrupadas em conjuntos de categorias de grandezas, por exemplo: - Trabalho, calor, energia.

- Espessura, circunferência, comprimento de onda.

4) Os símbolos das grandezas são dados na norma ISO 31.

1.2 SISTEMA DEConjunto de grandezas, em um sentido geral, GRANDEZAS, mentre as quais há uma relação definida. system of quantities système de grandeurs

1.3 GRANDEZA DEGrandeza que, em um sistema de grandezas, é BASE, fpor convenção aceita como funcionalmente base quantityindependente de uma outra grandeza. grandeur de base

Exemplo: As grandezas comprimento, massa e tempo são geralmente tidas como grandezas de base no campo da mecânica.

Observação: As grandezas de base correspondentes às unidades de base do Sistema Internacional de Unidades (SI) são dadas na observação do item 1.12.

14VOCABULÁRIO INTERNACIONAL DE TERMOS FUNDAMENTAIS E GERAIS DE METROLOGIA

1.4 GRANDEZAGrandeza definida, em um sistema de grandezas, DERIVADA, fcomo função de grandezas de base deste sistema. derived quantity grandeur dérivée Exemplo:

o comprimento, a massa e otempo, a velocidade

Em um sistema que tem como grandezas de base é uma grandeza derivada, definida como: comprimento dividido por tempo.

1.5 DIMENSÃO DEExpressão que representa uma grandeza de um UMA GRANDEZA, fsistema de grandezas, como produto das dimension ofpotências dos fatores que representam as a quantitygrandezas de base deste sistema. dimension d’une grandeur Exemplo: a) Em um sistema que tem como grandezas de base comprimento, massa e tempo, cujas dimensões são representadas por L, M e T respectivamente, LMT-2 é a dimensão de força; b) No mesmo sistema de grandezas, ML-3 é a dimensão de concentração de massa, bem como de massa específica.

1) Osfatores que representam as grandezas de

Observações: base são chamados “dimensões” dessas grandezas de base. 2) Para detalhes da álgebra pertinente ver ISO 31-0.

15VOCABULÁRIO INTERNACIONAL DE TERMOS FUNDAMENTAIS E GERAIS DE METROLOGIA

1.6 GRANDEZA DEGrandeza em cuja expressão dimensional todos DIMENSÃO UM, fos expoentes das dimensões das grandezas de base quantity ofsão reduzidos a zero. dimension one grandeur de Exemplos: dimension unDeformação linear relativa, coeficiente de atrito, GRANDEZAnúmero de Mach, índice de refração, fração molar ADIMENSIONAL, f(fração de quantidade de matéria), fração de massa. dimensionless quantity grandeur sans dimension

1.7 UNIDADEGrandeza específica, definida e adotada por (DE MEDIDA), fconvenção, com a qual outras grandezas de unit (of measurement)mesma natureza são comparadas para expressar unité (de mesure)suas magnitudes em relação àquela grandeza.

Observações: 1) Unidades de medida têm nomes e símbolos aceitos por convenção. 2) Unidades de grandezas de mesma dimensão podem ter os mesmos nomes e símbolos, mesmo quando as grandezas não são de mesma natureza.

1.8 SÍMBOLO DESinal convencional que designa uma unidade UMA UNIDADEde medida. (DE MEDIDA), m symbol of a unit (ofExemplos: measurement)a) m é o símbolo do metro; symbole d’une unitéb) A é o símbolo do ampère. (de mesure)

16VOCABULÁRIO INTERNACIONAL DE TERMOS FUNDAMENTAIS E GERAIS DE METROLOGIA

1.9 SISTEMA DEConjunto das unidades de base e unidades UNIDADES (DEderivadas, definido de acordo com regras MEDIDA), mespecíficas, para um dado sistema de grandezas. system of units (of measurement) Exemplos: système d’unitésa) Sistema Internacioanl de Unidades SI; (de mesure)b) Sistema de Unidades CGS.

1.10 UNIDADE (DEUnidade de medida derivada que pode ser expressa MEDIDA) (DERIVADA)como um produto de potências de unidades COERENTE, fde base com fator de proporcionalidade um. coherent (derived) unit (of measurement)Observação: unité (de mesure)A coerência pode ser determinada somente em (dérivée)relação às unidades de base de um dado sistema. cohérenteUma unidade pode ser coerente em relação a um Sistema, mas não a outro.

COERENTE DEunidades derivadas sãocoerentes.

1.1 SISTEMASistema de unidades de medida no qual todas as UNIDADES (DE MEDIDA), mExemplo: coherent system ofAs seguintes unidades (expressas por seus units (of measurement)símbolos) fazem parte do sistema de unidades système cohérentcoerentes em mecânica, dentro do d’unités (de mesure)Sistema Internacional de Unidades, SI: m; kg; s;

17VOCABULÁRIO INTERNACIONAL DE TERMOS FUNDAMENTAIS E GERAIS DE METROLOGIA

1.12 SISTEMASistema coerente de unidades adotado e INTERNACIONAL DErecomendado pela Conferência Geral de Pesos e UNIDADES - SI, mMedidas (CGPM). lnternational System of Units, SIObservação: Système lnternationalO SI é baseado, atualmente, nas sete unidades d’Unités, SIde base seguintes:

Comprimento metro m Massa quilograma kg Tempo segundo s Corrente Elétrica ampère A Temperatura Termodinâmica kelvin K Quantidade de Matériamolmol

Intensidade Luminosa candela cd

MEDIDA) DE BASE, fumsistema de grandezas.
única unidade debase para cada grandeza

1.13 UNIDADE (DEUnidade de medida de uma grandeza de base em base unit (of measurement) Observação: unité (de mesure) de baseEm um sistema de unidades coerentes há uma fundamental.

18VOCABULÁRIO INTERNACIONAL DE TERMOS FUNDAMENTAIS E GERAIS DE METROLOGIA

MEDIDA) DERIVADA, fem umsistema de grandezas.

1.14 UNIDADE (DEUnidade de medida de uma grandeza derivada derived unit (of measurement) Observação: unité (de mesure) dérivéeAlgumas unidades derivadas possuem nomes e símbolos especiais; por exemplo, no SI:

GRANDEZAUNIDADE SI

Força newton N Energia joule J Pressão pascal Pa

1.15 UNIDADE (DEUnidade de medida que não pertence a um dado MEDIDA) FORA DOsistema de unidades. SISTEMA, f off-system unit (ofExemplos: measurement)a) O elétron-volt (aproximadamente unité (de mesure) hors1,602 18 x l0-l9 J) é uma unidade de energia fora

b) O dia,a hora, o minuto são unidades de

systèmedo sistema em relação ao SI; tempo fora do sistema em relação ao SI.

multiple d’une unitéa) Um dosmúltiplos decimais do metro é o

1.16 MÚLTIPLO DEUnidade de medida maior que é formada a partir UMA UNIDADEde uma dada unidade,de acordo com (DE MEDIDA), mconvenções de escalonamento. multiple of a unit (of measurement) Exemplos: (de mesure) quilômetro; b) Um dos múltiplos não-decimais do segundo é a hora.

19VOCABULÁRIO INTERNACIONAL DE TERMOS FUNDAMENTAIS E GERAIS DE METROLOGIA

1.17 SUBMÚLTIPLO DEUnidade de medida menor que é formada UMA UNIDADE (DEa partir de uma unidade, de acordo com MEDIDA), mconvenções de escalonamento. submultiple of a unit (of measurement) Exemplo: sous-multiple d’une unitéUm dos submúltiplos decimais do metro é o (de mesure) milímetro.

1.18 VALOR (DE UMAExpressão quantitativa de uma grandeza GRANDEZA), mespecífica, geralmente sob a forma de uma value (of a quantity)unidade de medida multiplicada por um número. valeur (d’une grandeur)

Exemplos: a) Comprimento de uma barra: 5,34m ou 534cm; b) Massa de um corpo: 0,152kg ou 152g; c) Quantidade de matéria de uma amostra de água (H2 O): 0,012 mol ou 12 mmol.

Observações: l ) O valor de uma grandeza pode ser positivo, negativo ou nulo. 2) O valor de uma grandeza pode ser expresso por mais de uma maneira. 3) Os valores de grandezas adimensionais são geralmente expressos apenas por números. 4)Uma grandeza que não puder ser expressa por uma unidade de medida multiplicada por um número, pode ser expressa por meio de uma escala de referência convencional, ou por um procedimento de medição, ou por ambos.

20VOCABULÁRIO INTERNACIONAL DE TERMOS FUNDAMENTAIS E GERAIS DE METROLOGIA

1.19 VALORValor consistente com a definição de uma dada VERDADEIRO (DE UMAgrandeza específica. GRANDEZA), m true value (of a quantity)Observações: valeur vraie (d’une1) É um valor que seria obtido por uma grandeur) medição perfeita.

2) Valores verdadeiros são, por natureza, indeterminados.

3) O artigo indefinido “um” é usado, preferivelmente ao artigo definido “o” em conjunto com “valor verdadeiro”, porque pode haver muitos valores consistentes com a definição de uma dada grandeza específica.

1.20 VALORValor atribuído a uma grandeza específica e VERDADEIROaceito, às vezes por convenção, como tendo CONVENCIONAL (DEuma incerteza apropriada para uma dada UMA GRANDEZA), mfinalidade. conventional true value (of a quantity)Exemplos: valeura) Em um determinado local, o valor atribuído a conventionnellementuma grandeza, por meio de um padrão de vraie (d’une grandeur)referência, pode ser tomado como um valor verdadeiro convencional; b) O CODATA (1986) recomendou o valor para a constante de Avogadro como sendo

1)“Valor verdadeiro convencional” é às vezes

Observações: denominado valor designado, melhor estimativa

do valor, valor convencional ou valor dereferência.
usado na observação doitem 5.7.

21VOCABULÁRIO INTERNACIONAL DE TERMOS FUNDAMENTAIS E GERAIS DE METROLOGIA “Valor de referência”, neste sentido, não deve ser confundido com “valor de referência” no sentido

2) Freqüentemente, um grande número de resultados de medições de uma grandeza é utilizado para estabelecer um valor verdadeiro convencional.

1.21 VALOR NUMÉRICONúmero que multiplica a unidade na expressão (DE UMA GRANDEZA), mdo valor de uma grandeza. numerical value (of a quantity)Exemplos: valeur numériqueNos exemplos em 1.18 os números: (d’une grandeur)a) 5,34 e 534; b) 0,152 e 152; c) 0,012 e 12.

1.2 ESCALA DEPara grandezas específicas de uma dada natureza, REFERÊNCIAé um conjunto de valores ordenados, contínuos ououououou CONVENCIONAL, fdiscretos, definidos por convenção e como uma conventional referencereferência para classificar em ordem crescente ou scaledecrescente grandezas de mesma natureza. échelle de repérage ESCALA DE VALOR DEExemplos: REFERÊNCIA, fa) Escala de dureza Mohs; reference-value scaleb) Escala de pH em química; échelle de repéragec) Escala de índice de octano para combustíveis derivados de petróleo.

22VOCABULÁRIO INTERNACIONAL DE TERMOS FUNDAMENTAIS E GERAIS DE METROLOGIA

2 Medições

2.1 MEDIÇÃO, fConjunto de operações que tem por objetivo measurementdeterminar um valor de uma grandeza. mesurage

Observação: As operações podem ser feitas automaticamente.

2.2 METROLOGIA, fCiência da medição metrology métrologie Observação:

A metrologia abrange todos os aspectos teóricos e práticos relativos às medições, qualquer que seja a incerteza, em quaisquer campos da ciência ou da tecnologia.

(Parte 1 de 3)

Comentários