Técnicas em Enfermagem

Técnicas em Enfermagem

(Parte 3 de 3)

3- FLUXO

A Unidade Básica de Saúde encaminha o relatório , contendo os dados solicitados, para a Gerência de Atenção à Saúde do Distrito Sanitário (GERASA) que fica responsável por encaminhar para a Gerencia de Assistência /Coordenação de Atenção ao Adulto da SMSA/BH para avaliação.

asorientações cabíveis.

A Coordenação de Atenção ao Adulto avalia o relatório e emite parecer final: Se desfavorável: comunica a GERASA que repassa o parecer para a UBS com

Se favorável :Cadastra o usuário no programa; ● Comunica ao Almoxarifado Central, responsável pela liberação do material;

● Emite planilha para o Almoxarifado, a cada remessa, constando nome do usuário, UBS responsável pelo mesmo, aparelho e quantitativo de fitas liberadas.

• Emite planilha para a GERASA, antes de cada remessa, constando nome do usuário, data do nascimento, UBS responsável pelo mesmo e quantitativo de fitas liberadas, para correção dos dados

Unidades Básicas
● A Unidade Básica entrega o material para o usuário e / ou responsável, que assina

● O almoxarifado encaminha a planilha e o material para a GERASA ,do Distrito Sanitário referencia do usuário , responsável pela distribuição do mesmo as o Termo de Compromisso; ● Orienta o usuário e /ou responsável às condições do empréstimo (Regime de Comodato); ● Orienta o usuário e/ou responsável sobre o uso do equipamento, função e importância do procedimento; ● Fica responsável pelo acompanhamento do usuário. Acompanha a cada remessa o quantitativo de tiras usado até aquela data através da memória do Glicosímetro e controla o fornecimento das próximas tiras; ●Comunica a GERASA , as intercorrências que podem interferir neste fluxo (óbito, desvio do material, mudança de endereço do usuário, etc)

As tiras reagentes e lancetas serão enviadas , pelo Almoxarifado Central, a cada 50 dias.

Solicitações de aumento do número de tiras reagentes , deverão vir acompanhadas de

Relatório do endocrinologista justificando a solicitação: complicações, internações , quadro de descompensação clínica bem como o registro das glicemias por período de 30 dias ou 100 leituras com os respectivos horários.

3-OXIGENOTERAPIA DOMICILIAR (OTD)

A oxigenoterapia domiciliar e um componente do tratamento no domicílio para usuários com hipoxemia crônica, geralmente secundária a doença pulmonar obstrutiva crônica, ou menos freqüente, a outros nosologias como: seqüela de TB, fibroses pulmonares idiopáticas etc.

São indivíduos que estão submetidos a grande sofrimento físico e mental e freqüentemente necessitam de internação hospitalar. O uso da oxigenioterapia domiciliar objetiva propicia maior sobrevivência e melhor qualidade de vida aos portadores de pneumonia crônica com hipoxemia como também diminui custos com internações. Este usuário requer acompanhamento regular de equipe de saúde, visando o controle da evolução de seu problema ao longo do tempo, para que este tratamento seja efetivo.

Cuidado com a Oxigenioterapia Domiciliar (OTD) Cuidados básicos com o concentrador de oxigênio a o cilindro.

Para evitar acidentes

- Manter a fonte de oxigênio não é combustível por si próprio, mas pode sofre combustão quando próximo ao fogo.

- Não fumar durante o uso do oxigênio, manter suas mãos sempre limpas, sem cremes, graxas, óleos ou outras substâncias de qualquer espécie que possam sofrer combustão. - Cuidados com aparelhos elétricos que possam emitir faíscas.

- Nunca usar graxas ou óleos nas válvulas e no manômetro de oxigênio.

- Transportar o torpedo e concentrado com cuidado para evitar queda e risco de explosão. Nunca deite o concentrador ou cilindro. - Não colocar o concentrador ou cilindro na cozinha ou banheiro.

Cuidados específicos do concentrador de oxigênio:

- Ligar o concentrador em uma tomada exclusiva para este aparelho sem o uso de benjamim ou extensão.

- Colocar o concentrador em local arejado evitando encostar o lado do filtro deve 3/3 dias, em água corrente. O filtro deve estar bem seco para retornar para o concentrador. - O aparelho só deve funcionar com o filtro externo.

- Trocar a água do copo do concentrador a cada 48h e completar quando necessário, usar sempre água filtrada.

Cuidados especiais com o cilindro de oxigênio

- Manter o umidificador com água até a marca ou no mínimo 2/3 de sua capacidade. - A água utilizada no umidificador deve ser trocada diariamente.

- Quando o nível de água do umidificador estiver baixo, desprezar a água restante e colocar nova água para evitar que se torne meio de cultura. Observações:

- Administrar o oxigênio como prescrito.

- O oxigênio não vicia e nem é tóxico. - O oxigênio deve sempre ser administrado umidificado, podendo causar lesão no epitélio da mucosa caso não ocorra. - Limpar as narinas e observar se o cateter não está obstruído.

Dispensação do Equipamentos

Fluxo

I – Cadastramento do usuário com indicação de OTD na unidade de referência secundária Campos Sales (URS – C. Sales). Endereço: Rua Campos Sales, 472 – 1° Andar – Sl. 117 – Bairro Gameleira Fone 3277-7048

Pré requisitos:

A – Laudo médico para OTD devidamente preenchido por generalista, clínico, pediatra ou pneumologista. Deverá ser utilizado o formulário padronizado pela SMSA/BH (vide manual de procedimentos). Este formulário está disponível na URS Campos Sales, URS Sagrada Família ou UBS.

B – Comprovante de Residência – Em áreas cobertas pelo PSF, deverá ser apresentada a declaração do centro de saúde confirmando que o usuário reside em sua área de abrangência. Áreas não cobertas pelo PSF, serão considerados adequados ou outros comprovantes de residência habitualmente aceitos como contas de luz, água, telefone, correspondência bancária, etc, em nome do usuário.

Obs. Somente serão cadastrados os moradores de Belo Horizonte.

C – Requerimento de OTD Devidamente preenchido. Formulário padronizado pela SMSA/BH (vide manual de procedimentos). Este formulário está disponível na URS Campos Sales e centros de Saúde.

D – Resultados de exames:

- Imagem do tórax : Realizado há no máximo um ano - ECG ou Ecocardiograma : Realizado há no máximo um ano

- Gasometria Arterial ou Oxiometria de pulso : Realizado há no máximo trinta dias

- Hematócrito : Realizado há no máximo trinta dias

Obs: - O cadastramento poderá ser realizado por familiar e ou responsável pelo usuário.

- Se o usuário apresentar laudo médico preenchido por médico de outro serviço, o centro de saúde deverá adequá-lo às normas da SMSA/BH, se necessário, refaze-lo nos impressos próprios e seguir o fluxo acima descrito.

I – Avaliação do laudo médico por pneumologista da URS Campos Sales.

- O pneumologista emitirá parecer técnico final sobre a indicação ou não da OTD. - O parecer será entregue ao usuário ou responsáveis que serão orientados sobre os procedimentos subseqüentes

I – Fluxo após parecer técnico do pneumologista

Parecer técnico sem indicação de OTD Parecer técnico indicando OTD

URS Campos Sales

- Comunicará o parecer técnico ao centro de saúde de referência e ao usuário e ou responsáveis.

- No parecer técnico constarão as observações do pneumologista para continuidade do tratamento

Centro de Saúde

- Fará os encaminhamentos necessários.

URS Campos Sales

- Comunicará o parecer técnico ao centro de saúde de referência e ao usuário e ou responsáveis.

- Agendará a dispensação do equipamento com o usuário e ou responsáveis e informará ao centro de saúde de referencia.

- Autorizará o fornecimento do equipamento.

- Emitirá Termo de Responsabilidade pelo empréstimo do equipamento, assinado pelo usuário e ou responsável.

- Informará o usuário e ou responsável sobre as condições do empréstimo.

Centro de Saúde

- Agendará nova consulta para o usuário, no centro de saúde, no prazo de dois meses após o inicio do uso de OTD, para avaliação. Emitirá novo laudo.

- Responsabilizará pelo acompanhamento e orientação ao usuário e ou responsável.

- Se o usuário não tiver sido avaliado por pneumologista, fará o agendamento de uma primeira consulta na URS Campos Sales.

Providenciará a reavaliação médica a cada seis meses, a visita domiciliar da enfermeira a cada seis meses intercaladas com a do médico a visita da auxiliar de enfermagem mensalmente.

(Parte 3 de 3)

Comentários