resumo orçamento

resumo orçamento

ORÇAMENTO EMPRESARIAL – José Carlos Pizzolato 1

1. Introdução

O Sistema orçamentário da empresa utiliza a técnica de projeções para gerar as informações necessárias na peça orçamentária, para orientar a direção da empresa no processo de tomada de decisão. É através desta importante ferramenta que os gestores poderão visualizar as medidas que deverão ser executadas, bem como as expectativas a respeito do futuro da empresa. As decisões importantes, quando embasadas no planejamento e nos controles financeiros, têm grande possibilidade de serem eficazes e de alcançarem êxito na empresa.

O orçamento empresarial se faz necessário para que a empresa possa visualizar, antecipadamente, as atividades que deverão ser desenvolvidas no período projetado, bem como o caminho que será percorrido pela mesma.

Este é um instrumento de gestão necessário para qualquer empresa, independentemente de seu porte ou tipo de atividade econômica. A eficiência, a eficácia e a efetividade práticas do sistema de planejamento financeiro e orçamento dependerão da cúpula diretiva, cabendo-lhe informar as macropolíticas de atuação e realizar as correções necessárias para que se constituam em importantes instrumentos de trabalho à organização. Mas, é importante que a gerência e as pessoas que participam do processo orçamentário estejam comprometidos com o sucesso do mesmo.

Todo o processo de gerenciamento contábil tem seu ponto culminante, em termos de controle, no orçamento empresarial. O orçamento é ferramenta de controle por excelência de todo o processo operacional da empresa, pois envolve todos os setores da companhia.

ORÇAMENTO EMPRESARIAL – José Carlos Pizzolato 2

2. Definição

“Orçar significa processar todos os dados constantes do sistema de informação contábil de hoje, introduzindo os dados previstos para o próximo exercício.” Padoveze (1994, pg. 3)

“É o instrumento que descreve o plano geral de operações e/ou de capital, orientado por objetivos e metas propostos pela alta cúpula diretiva da empresa para um determinado período.” Zdanowicz (1998, pg. 21)

3. Objetivo

O Objetivo do plano de orçamento não é apenas prever o que vai acontecer e seu posterior controle. Ponto básico e fundamental é o processo de estabelecer e coordenar objetivos para todas as áreas da empresa, de forma tal que todos trabalhem sinergicamente em busca dos planos de lucros.

4. Características

O Orçamento pode ser caracterizado através das seguintes premissas básicas:

a) Projeção para o futuro – a preparação do orçamento determinará as novas condições de trabalho como as estimativas: das vendas, dos custos de aquisição de matérias-primas, das contratações de mãode-obra, dos demais custos indiretos de fabricação e das despesas operacionais da empresa. Desta forma, a projeção para o futuro deverá especificar o quanto e quando as atividades deverão concretizar-se, considerando, em parte, o presente para projetar o futuro;

ORÇAMENTO EMPRESARIAL – José Carlos Pizzolato 3 b) Flexibilidade na aplicação – o orçamento como instrumento de planejamento financeiro deverá ser rapidamente adaptado as novas condições de trabalho e de mercado da empresa; não poderá ser visto como peça estática e imutável no tempo, pois mudanças ocorrerão na economia, com certeza e, por sua vez, irão exigir ágeis adequações em relação ao que foi estabelecido no plano inicial; c) Participação direta dos responsáveis – a técnica orçamental não é de competência exclusiva da cúpula diretiva, mas, ao contrário, será de todos os níveis da empresa, ou seja, todos deverão participar do processo e comprometer-se em alcançar as metas fixadas no plano geral de operações, pois comente assim o orçamento será uniforme, lógico e realista; d) Global – no sentido de abarcar todas as unidades e atividades operacionais da empresa, no período considerado; e) Prático – a elaboração do orçamento deverá ser em tempo hábil, para que a sua execução possa ocorrer no momento certo; f) Critérios uniformes - para elaborar-se o orçamento na empresa, princípios e padrões terão que ser definidos, previamente, permitindo assim realizar-se a avaliação do mesmo; g) Quantificação – o orçamento deverá ser expresso, em valores físicos e monetários; h) Economicidade – deverá revelar, em termos econômicos, o que se terá de fazer e o que se pretende fazer na empresa no período orçamentário.

5. Condições para implantação

A implantação e implementação na empresa exige algumas condições mínimas a seguir apresentadas: a) Estrutura organizacional compatível com os objetivos e as metas;

ORÇAMENTO EMPRESARIAL – José Carlos Pizzolato 4 b) Contabilidade aberta, informatizada e descentralizada, com processo autogerenciável, ou seja, o lançamento contábil irá ocorrer na origem pelo próprio usuário; c) Fixação dos objetivos e das metas da empresa; d) Disciplina e seriedade na elaboração e cumprimento fiel de sua execução.

6. Processo de elaboração A seguir, é apresentado um fluxograma do processo de elaboração:

7. Estrutura da empresa

Cumpre destacar que os orçamentos de vendas, produção e despesas operacionais serão considerados como instrumentos de apoio ou auxiliares,

ORÇAMENTO EMPRESARIAL – José Carlos Pizzolato 5 enquanto o orçamento de caixa, a Demonstração do Resultado do Exercício projetado e o Balanço patrimonial Projetado constituir-se-ão em peças essenciais do sistema de planejamento financeiro e orçamento da empresa. 7.1 O fluxograma a seguir evidencia a estrutura acima comentada:

ORÇAMENTO EMPRESARIAL – José Carlos Pizzolato 6

7.2 Relacionamento entres os elementos no plano de negócios de uma organização:

8. Segmentos do plano orçamentário

O plano orçamentário, que também é chamado orçamento global, comporta pelo menos três grandes áreas de orçamentos:

a) Orçamento Operacional; b) Orçamento de investimento; a) Orçamento Operacional

O Orçamento Operacional é que contém a maior parte das peças orçamentárias, pois engloba todos os orçamentos específicos que atingem a estrutura administrativa, a estrutura de produção e a estrutura de vendas da empresa.

ORÇAMENTO EMPRESARIAL – José Carlos Pizzolato 7

C) Orçamento de Investimento

Essa parte do orçamento global comporta os aspectos não operacionais ligados aos novos investimentos em ativos permanentes, bem como suas conseqüências em termos de financiamentos. Este orçamento ao ser agregado ao orçamento operacional irá então, impactar no orçamento de caixa, com relação à parcela que vincenda no curto prazo. A parcela de longo prazo é relativa a investimentos necessários para suportar os projetos de investimentos em novos produtos a serem gastos a efetuar no próximo exercício, mas que provavelmente serão produtos a serem produzidos em exercícios futuros.

9. Desdobramento do Orçamento Operacional

A seguir relacionamos as principais peças orçamentárias, resultantes do orçamento operacional.

9.1Orçamento de Vendas 9.2 Orçamento de Produção 9.3 Orçamento de Despesas Operacionais - De Vendas

- Administrativas

- Financeiras

- Tributárias 9.4 Orçamento de Caixa

Comentários