Cultura Religiosa - Completa

Cultura Religiosa - Completa

(Parte 1 de 16)

Bibliografia: - ALVES, Ruben A. O que é religião. São Paulo. Brasiliense, 1986.

- WILGES, Irineu. Cultura religiosa: As religiões do mundo. 7 edição. Petrópolis: Vozes. 1993.

- SAMUEL, Albert. As religiões hoje. 3a edição. São Paulo.

- Konings, Johan, A bíblia nas suas origens e hoje, Vozes, Petrópolis, 2003

- Texto Campanha da Fraternidade 2008 – Fraternidade e defesa da vida

- BOFF, Leonardo. Os sacramentos da vida. Petrópolis: Vozes. 1980. - Cada ano a CNBB apresenta um tema diferente sobre a Campanha da Fraternidade.

- GAARDER, Jostein, O mundo de Sofia, Cia das Letras.

- GAARDER, Jostein, O Livro das Religiões, Cia das Letras.-

- BETTENNCOURT, Estevão, 15 Questões de fé. Aparecida, SP. Ed. Santuário.

- COLLINS, Francis S. A linguagem de Deus, segunda edição, editora Gente

-Enciclopédia Barsa.

- Bíblia Sagrada. - Revistas da Banca de Revistas.

- Enciclopédia Britânica.

- Dicionários de filosofia.

- Anotações nas aulas

SITE: w.pscjdi.com.br

1 – CAMPANHA DA FRATERNIDADE 20084
1.1 – VIDA OU MORTE, UMA OPÇÃO DE CADA UM DE NÓS4
1.2 – VIDA HUMANA DESDE A CONCEPÇÃO4
1.3 – JESUS QUER A VIDA PARA TODOS5
2 – RELIGIÃO : O QUE É?5
2.1 – RELIGIÃO E VIDA6
2.2 – FENÔMENO RELIGIOSO6
2.3 – VISÃO GERAL DO FENÔMENO RELIGIOSO MUNDIAL7
2.4 – SOMOS TODOS AFRICANOS? - NOSSAS ORIGENS7
2.5 – MITO – LENDA – FÁBULA8
2.6 - TENDÊNCIAS MISTICAS8
2.7 – CARACTERÍSTICAS DO ESTADO MÍSTICO10
2.8 – GRANDES CIENTISTAS RELIGIOSOS1
2.8.1 – ELEMENTOS DA RELIGIÃO1
2.9 – CIÊNCIA E RELIGIÃO: UM DIÁLOGO COM A BIOLOGIA12
2.10 – CONHEÇA O CAMELO13
2.1 – DEUS CRIOU TUDO QUE EXISTE?15
2.12 – ARTIGOS – OPINIÕES – ENTREVISTAS16
2.12.1 – Revista Veja – Edição 2040 ano 4 - nº 5116
2.12.2 – Ciência não exclui Deus2
2.12.3 – Entrevista: Michel Onfray – Veja 25 de maio de 200524
2.12.4 – Deus, Ele existe? Como provar?27
2.13 – FORMAS RELIGIOSAS27
3 – AS 5 BASES DA RELIGIÃO29
4 – RELIGÕES PRIMTIVAS30
4.1 – HALLOWEEN: ALL HALLOW EVE30
4.2 – ALGUMAS PALAVRAS QU DEVEM SER CONHECIDAS E NÃO CONFUNDIDAS30
4.3 – FRASES LATINAS31

5 – RELIGIÃO OCIDENTAL E RELIGIÃO ORIENTAL – DUAS VISÕES DISTINTAS...31

ESTAR EM VIVER DIGNAMENTE32
5.1.1 –HINDUÍSMO = Sanatana Darma = Lei Eterna32
5.1.2 - BUDISMO3
5.1.3 – JAINISMO36
5.1.4 – CONFÚCIO: poeta, professor, músico, filósofo, administrador, sábio, pensador36
5.1.5 – XINTOÍSMO: caminho dos deuses37
5.1.6 – TAOÍSMO38
5.1.7 – IGREJA MESSIÂNICA MUNDIAL38
5.1.8 – PERFECT LIBERTY – PL39
5.1.10 – HARE KRISHNA - (SALVE A DIVINDADE)40
6 – ESPIRITISMO E PARAPSICOLOGIA40
6.1 – ESPIRITISMO40
6.2 - CULTOS AFRO-BRASILEIROS42
6.2.1 – Sincretismo42
6.2.2 – O Candomblé (atabaque)43
6.2.3 – Umbanda45
6.2.4 – Vudu ou Vodu48
6.3 – PARAPSICOLOGIA = AO LADO DA PSICOLOGIA48
6.4 – HOROSCOPO COMPROVADAMENTE FALSO51
7 – MAÇONARIA53
7.1 – MAÇON: PEDREIRO53
7.2 – A IGREJA CATÓLICA E A MAÇONARIA5
7.3 – PARECER DA IGREJA CATÓLICA QUANTO A UM FIEL PERTENCER À MAÇONARIA:56
8 – RELIGIÕES PROFÉTICAS57
8.1 – MUÇULMANOS57
8.2 – JUDAÍSMO59
8.3 – ORIENTE MÉDIO – CONFLITOS PALESTINOS E JUDEUS60
8.4 – O CRISTIANISMO60
8.4.1 - Igreja Oriental – Ortodoxa – Russa – Grega X Ocidental – Roma62
8.4.2 - Uma papisa uma mulher que se tornou Papa?62
8.5 – INQUISIÇÃO62
8.6 - REFORMA PROTESTANTE64
9 - BÍBLIA65
9.1 – BÍBLIA O QUE É?65
9.2 – ALGUMAS CITAÇÕES BÍBLICAS: devem ser entendidas dentro do contexto antigo67
9.3 – BÍBLIA: FUNDAMENTALISMO OU EXEGESE68
9.4 – FATOS OCORRIDOS NO EVANGELHO69
9.5 – OS MANUSCRITOS DO MAR MORTE:70
9.6 - LINHA DO TEMPLO BÍBLICO ANTIGO TESTAMENTO:72
9.7 – BÍBLIA: NOVO TESTAMENTO74
9.8 – O POVO ESSÊNIO75

1 – CAMPANHA DA FRATERNIDADE 2008

TEMA: FRATERNIDADE E DEFESA DA VIDA. LEMA: “ESCOLHE, POIS, A VIDA” – Deuteronômio 30,19.

1.1 – VIDA OU MORTE, UMA OPÇÃO DE CADA UM DE NÓS

vida em todas as circunstâncias e do compromisso do amor fraterno

A CF 2008 propõe-nos defender a vida. Seu lema é o seguinte: ”escolhe, pois, a vida” - Dt 30,19. Vida e morte são colocadas diante de nossos olhos. Vamos escolher a vida, preservando-a dentro de princípios morais, éticos, cristãos, resguardando os Direitos Humanos, declarados e assumidos pela ONU em 1948, exigindo que todos os seres humanos sejam respeitados em seus direitos fundamentais, independentemente da idade, peso, cor, raça ou religião. A Igreja e a sociedade defendem a vida humana, desde a concepção até a sua morte natural, como um dom de Deus. Proteger a vida é co-responsabilidade de todos, na busca de sua plenificação, a partir da beleza e do sentido da

Os bispos da América Latina e do Caribe, reunidos com o Papa, em Aparecida, São Paulo, maio passado, afirmaram que somos chamados a escolher entre caminhos que conduzem à vida ou caminhos que conduzam à morte.

Os caminhos da morte são os que dilapidam os bens que recebemos de Deus, que traçam uma cultura atéia ou deísta, sem os mandamentos de Jesus ou inclusive contra Deus, animada pelos ídolos do poder, da riqueza e do prazer passageiro.

Os caminhos da vida são os que conduzem à plenitude de vida que Cristo nos trouxe. Na vida divina cristã se desenvolve em cheio a existência humana, em sua dimensão pessoal, familiar, social e cultural. Essa é a verdadeira vida que Deus nos oferece gratuitamente. Só essa vida nos realiza plenamente como pessoas humanas.

Os caminhos da morte são enganosos. Podem até causar lucro e prazer imediatos. São, porém, sempre fugazes.

Podendo até ter explicação científica. Mas não têm consistência antropológica. Não apresentam solução definitiva. Impedem de se poder ver o que seja mesmo o sentido do sofrer, do bem e do mal especialmente do amor gratuito dignificante. Uma ciência pragmática sem Deus leva à destruição da vida.

descartável. Não se respeita a pessoa humana inteligente e livre, feita à imagem e semelhança de Deus

Perde-se, assim, o sentido sagrado da vida humana. O amor ali se confunde com a realização do desejo egoísta e da mais valia. O desejo de posse sobre o mais fraco, desconhece a grandeza da doação gratuita. A vida perde seu caráter de dignidade sagrada. As pessoas mais pobres são utilizadas como objeto e como cobaias de laboratório, algo

A CF 2008 quer levar-nos a: - VER. Ver a realidade da saúde o povo brasileiro em todos os aspectos, desde a concepção da criança, a gestação, a amamentação e alimentação dos seres humanos, bem como a mortalidade infantil, as desigualdades sociais e a falta de atendimento médico básico.

- JULGAR. Analisar sobre a educação, a formação, a proteção da vida humana, a gestão da saúde pública, seus valores, conquistas, bem como a corrupção que suga e desaparece o dinheiro destinado à saúde pública.

- AGIR, fazer algo em favor da saúde especialmente dos mais desfavorecidos pela sorte, vitimas da corrupção e da violência de parte dos governantes que provocam o desemprego, a falta de moradia, o êxodo rural e a falta de instrução.

1.2 – VIDA HUMANA DESDE A CONCEPÇÃO

A vida humana começa no ato da fecundação, na junção de dois gametas, um espermatozóide e em óvulo, formando-se uma nova unidade genética diferente da soma das duas partes que se uniram, provenientes do pai e da mãe. Um ser especial, diferenciado, para viver independente de suas origens! Aos 24 dias da fecundação, o zigoto, apenas chegado ao útero, é um tubo neural. Já faz o coração ter batimentos próprios. Com 70 dias de gestação já tem todos os órgãos formados até mesmo sua impressão digital, deixando de ser embrião para ser chamado de feto. Não é um animal ou vegetal, mas GENTE HUMANA que está nascendo.

Vejamos o que está ameaçando a vida: A pobreza, a exclusão social. A falta de recursos básicos para uma vida digna até mesmo para a sobrevivência física das pessoas. A precariedade dos serviços públicos de saúde e seguridade social. Sofrem as gestantes, padecem as crianças. Doentes e idosos são tratados com desprezo.

A falta de instrução. A violência urbana. As drogas. O tabagismo. O alcoolismo. O materialismo. Os que levam uma vida sem sentido. A poluição. O desmatamento. A destruição dos rios, da fauna e da flora. Tudo isso destrói a vida.

A vida humana tem como autor o mesmo Deus que é o Criador. Os pais unem-se em amor comprometido, criando um fruto abençoado de seu amor, que é a criança gerada com toda a santidade no útero materno. A vida vem de Deus. A vida leva-nos a Deus. Devemos preservá-la e fazer de tudo para que se viva dignamente. Os abortistas para os cristãos não passam de assassinos covardes, dado que o ser humano que está sendo gerado, não pode se defender. O feto é outra pessoa com seus direitos inalienáveis e próprios de viver e de receber total assistência bio e psicológica, afetiva e moral. As mães são honradas com esta criança a ser gerada em seu útero. Os seus filhos não são seus! A criança não pediu para nascer. Assim que foi concebida, a criança é gente, pessoa, um dom de Deus feito para ser feliz, para ser amada e para amar. Preservemos a vida, dom de Deus!

1.3 – JESUS QUER A VIDA PARA TODOS

A proposta de Jesus é que todos tenham vida e em abundância. Cabe a nós cristãos defender, resgatar, restaurar e promover a vida especialmente a vida humana. A vida criada por Deus é perfeita. A beleza e a bondade manifestas na criação foram consideradas tradicionalmente um caminho para se chegar ao conhecimento de Deus e de seu amor. A vida é um bem, um presente de Deus, oferecido a nós gratuitamente.

A vida é uma grande manifestação de Deus, um sinal da sua presença, claro vestígio da sua glória. A glória de

Deus é o homem vivo.

“Vê, ofereço-te hoje, de um lado, a vida e o bem; do outro, a morte e o mal. Coloco diante de ti a vida e a morte, a felicidade e a maldição. Escolhe a vida. Então, viverás feliz com toda a tua posteridade, Dt 30.

Jesus inaugura para nós o Reino da Vida do Pai. Jesus, o bom pastor quer nos comunicar a sua vida e se colocar a serviço da vida. Dá a vista ao cego. Dignifica a samaritana. Cura os enfermos. Acolhe os leprosos. Alimenta os famintos. Liberta os prisioneiros do egoísmo.

Cristo é o caminho, a verdade e a vida. Sua conduta contrasta com a da eutanásia e a do aborto. Anuncia a dignidade única da pessoa humana.

Somos amados por Deus de modo especial, de modo personalizado. Antes que fôssemos concebidos, Deus já nos amava.

Temos valor único e irrepetível. Cristo, bom pastor, dá a vida pelas suas ovelhas, Jo 10,10. Viver dignamente é o critério válido de todas as nossas ações, ou seja, é a opção fundamental do ser humano: ser livre de escolher o bem viver e se afastar das obras da morte.

A caridade é uma postura de acolhida e discernimento diante das ameaças à vida. A caridade leva-nos a acolher gratuitamente o outro como irmão. A caridade leva-nos a nos relacionar intimamente com Deus e ter o verdadeiro sentido da vida como um dom divino.

Quem se forma como médico, doutor em prol da vida, prepara-se longos anos para defender a vida desde os seus primeiros momentos até os últimos minutos de funcionamento de seu sistema nervoso e glandular. É o guardião, o anjo, o protetor competente e ético, sábio e inteligente, amoroso e compassivo, misericordioso e totalmente dedicado ao bem estar das pessoas. Aliás, TODOS nós somos seres vivos, humanos, racionais, chamados a viver dignamente e a preservar a vida. Jesus quer que TODOS tenham a vida e a tenham em abundância.

2 – RELIGIÃO : O QUE É?

“A religião é um sentimento ou uma sensação de absoluta dependência” Friedrich Schleiermacher. 1768-1804. “Religião significa a relação entre o homem e o poder sobre-humano no qual ele acredita ou do qual se sente dependente. Essa relação se expressa em emoções especiais – confiança, medo – e ações – culto e ética”. C.P. Tiele 1830-1902.

“A religião é a convicção de que existem poderes transcendentes, pessoais ou impessoais, que atuam no mundo, e se expressa por insight, pensamento, sentimento, intenção e ação”. Helmuch von Glasenapp – 1891-1963.

tem religião

“A única coisa interessante sobre a terra são as religiões”: Baudelaire. O Homem é um animal religioso. A diferença entre o homem e o animal: o homem tem religião e o animal não

O homem primitivo, fascinado, espantado, estarrecido, assustado, sem saber explicar a causa dos fenômenos da natureza, criou Alguém como a causa das causas. Esse Alguém foi chamado de Deus. Alguns povos imaginavam que existisse UM Deus apenas. Outros criaram vários. Outros conjeturaram um deus para cada fenômeno da natureza. Para agradar ao(s) deuses, os povos faziam ofertas, sacrifícios, danças, rituais, celebrações, procurando apaziguá-los.

Sacrifícios, ofertas, celebrações oferecendo aos deuses os PRIMOGÊNITOS OU AS PRIMÍCIAS deram início ao sacerdócio e às religiões. Juanita foi a menina inca, do Peru, oferecida aos deuses.

Daí nasceu a religião, a tentativa de entrar em contacto com força, energia ou Pessoa, que causasse fenômenos como relâmpagos, frio, quente, vento, trovoadas, chuvas, tempestades, rios, marés e mares, florestas, vulcões, vida, gestação, doenças, curas, o ciclo das estações do ano, germinação das plantas. Pelo medo ou pela gratidão, os primitivos criaram e organizaram a religião que deveria orientar a vida, as famílias, os costumes, a organização das tribos e dos governos.

(Parte 1 de 16)

Comentários