Aula de Florestas de Manejo de Recursos Naturais

Aula de Florestas de Manejo de Recursos Naturais

(Parte 1 de 2)

Ambientes naturais:

Floresta Amazônica Cerrado Mata Atlântica Caatinga, Pantanal, Pampa/Campos e Banhados, Cocais, Zona Costeira

Áreas florestais de produção

Florestas plantadas de Produção: Produção Florestal Importância da Indústria de Base Florestal no Brasil Destinação por segmentos demandantes

Di versi da de Bi ológica Zoneamento Florestal Unidades de Conservação Exploração Racional da Floresta Manejo Florestal Sustentável Funções e Usos Múltiplos da Floresta Certificação Florestal Recuperação de Matas Ciliares Marci o N ahuz – CTFloresta IPT

Recursos Florestais do Brasil e de São Paulo -potencialidadesRecursos Florestais do Brasil e de São Paulo -potencialidades Tecnologias e Instrumentos para a Utilização Racional de Recursos Florestais

Ambientes Naturais no Brasil Ambientes Naturais no Brasil

Recursos Florestais do Brasil e de São Paulo -potencialidades

Recursos Florestais do Brasil e de São Paulo -potencialidades

Ambientes naturais:

Floresta Amazônica

•8 milhões km 2 na América do Sul; ocorre em todos os países exceto Chile, Argentina e Uruguai.

•Brasil: 4,1 milhões km 2 (AM, PA, R, RO, AC, AP, MA, TO, MT) –3% sob proteção especial (21% terras indígenas e 12% UCs).

•Floresta Amazônica: 2.500 espécies de árvores, 30.0 espécies de plantas, 170 povos indígenas (180 mil indivíduos), 357 comunidades ex-quilombos e outros.

•Importante para estabilidade ambiental: responsável pela absorção de 10% dos 3 bilhões tCretirados por ecossistemas terrestres e por 20% de toda a água doce despejada nos oceanos.

•Ecossistema frágil: a floresta extrai poucos nutrientes dos solos pobres e depende do próprio material orgânico lançado sobre este (cadeia de vida).

•Responsável por produzir 28 milhões m 3 de madeira nativa (87,5%) do total de 32 milhões m3 consumidos no Brasil.

Marci o N ahuz – CTFloresta IPT

Exploração Florestal

Aspectos de operações de exploração florestal visando exclusivamente a produção: sem preocupação com sustentabilidade

Polosmadeireiros na Amazônia Polosmadeireiros na Amazônia

Eixos de Transporte Madeireiro –Amazônia 2004 Eixos de Transporte Madeireiro –Amazônia 2004

Cerrado

•Ocupa 1,9 milhão km 2 , principalmente MA, PI, BA, MG, TO, GO, MT, MS, SP e PR, além de manchas em PA, RO, R, AP e DF.

•Detém 1/3 da biodiversidade brasileira; 5% da flora e fauna mundiais.

•Origem de 3 bacias hidrográficas: Amazônica, São Francisco e Paraná/Paraguai.

•Sob o cerrado estáo aqüífero Guarani, maior reserva de água doce do mundo.

•Fronteira agropecuária pós-1960 (políticas públicas, crédito, exportação de grãos).

•Abertura e ocupação de grandes áreas para expansão da agricultura comercial.

•Produção: 50% da soja (13% do total mundial), 20% do milho, 15% do arroz e 1% do feijão, além de 1/3 dos bovinos e 20% dos suínos.

•Cobertura vegetal original: apenas 20% preservados; só2,41% protegidos.

•Agricultura larga escala: concentração fundiária, êxodo rural, agricultura familiar inviáv el.

•Modelo de sustentabilidade discutível: desmatamento 1 mil ha/ano; degradação pastos.

Recursos Florestais do Brasil e de São Paulo -potencialidades

Marci o N ahuz – CTFloresta IPT

Cerrado

Diferentes aspectos dos cerrados brasileiros: campos cerrado, cerrado arbóreo, Chapada dos Guimarães

Mata Atlântica -1

•Distribuição ao longo da costa, do Piauíao Rio Grande do Sul; ocupava 1,36 milhão km 2 , reduzindo-se hoje a 7,3% do original.

•Patrimônio Nacional (1988), contém áreas de Patrimônio Mundial e éReserva da Biosfera (Unesco).

•Benefícios diretos e indiretos: protege nascentes, regula fluxo de mananciais, controla clima, assegura fertilidade do solo, protege escarpas e encostas(Serra do Mar).

•Abriga grande parte da diversidade biológica brasileira (20 mil espécies de planta -454 espécies de árvores/ha (BA) -2100 espécies de vertebrados, 1000 espécies de aves, 570 de anfíbios e répteis, 350 de peixes).

Recursos Florestais do Brasil e de São Paulo -potencialidades

Marci o N ahuz – CTFloresta IPT

•No domínio da Mata Atlântica estão 60% da população brasileira, com forte pressão e intervenção antrópica na vegetação, com intenso desmatamento e fragmentação de florestas.

•Estando protegida, na última década apresentou crescimento de área (2% em São Pau lo).

•Mata Atlântica abriga a floresta de Araucária (SP, PR, SC, RS); gera toda a erva mate produzida no Brasil, setor que envolve 166 mil propriedades rurais e emprega 700 mil pessoas (igual àindústria automobilística nacional).

•A boa gestão da Mata Atlântica traria melhoramento nos serviços ambientais prestados: produção de água, proteção de solo, controle climático, absorção de carbono.

Recursos Florestais do Brasil e de São Paulo -potencialidades

Marci o N ahuz – CTFloresta IPT

Floresta OmbrófilaDensa (Mata Atlântica Típica)

Floresta O mbrófila Mista (Floresta Mista de Araucária)

•Caatinga: 844 mil km2 , temperaturas elevadas, chuvas escassas, solos rasos e pedregosos, população empobrecida, concentração de terras (latifúndios), diversidade pouco (re)conhecida: fonte de frutas, plantas medicinais, fibras; cheias e secas, baixa densidade populacional, pecuária extensiva, pesca, turismo, extração de minérios, plantas medicinais;

•Pampa/Campos/Banhados: 190 mil km 2 (RS), áreas de agricultura extensiva, com drenagem de banhados para agricultura de arroz, pecuária, papel e celulose e fumo;

•Cocais: florestas dominadas por babaçu, carnaúba e buriti (MA, PI, CE, RN), exploração incipiente (óleo, álcool, acetatos, fibras e sedas);

•Zona Costeira: extensão 9.200 km de litoral, ecossistemas frágeis (estuários, manguezais, restingas), afetados por concentrações urbanas, criação de peixes, moluscos e camarões.

Marci o N ahuz – CTFloresta IPT

Recursos Florestais do Brasil e de São Paulo -potencialidades

Visão da Caatinga na Época das Chuvas

Visão da Caatinga na Época de Estiag em

Caatinga

Mandacaru, cardeiro - Cactácea

Pantanal Mato Grosso do Sul

Pampa –TaimRio Grande do Sul Pampa –TaimRio Grande do Sul

Áreas florestais de produção

•A cobertura florestal brasileira éformada por florestas nativas e plantadas, abrangendo 544 milhões ha, cerca de 2/3 do território nacional.

•Predominam florestas tropicais, com 539 milhões ha, sendo as plantações florestais cobrindo 1% da área total, ou seja, 5,45 milhões de ha.

•As florestas de produção (nativas): 242 milhões ha, (45% do total) e concentram-se na Região Amazônica,sendo 1/3 no Amazonas (79 MMha), 29% no PA (71 MMha) e 12% no Mato Grosso (1 MMha). Destas, 75 MMhasão públicas (federais e estaduais) e o restante, privad

Recursos Florestais do Brasil e de São Paulo -potencialidades

Marci o N ahuz – CTFloresta IPT

Florestas Plantadas de Produção

•Florestas plantadas de produção, privadas, cobrem 5,45 MMha, estabelecidos principalmente nos anos 70 e 80, com base em incentivos fiscais (1967 -1987), destinados àprodução de madeira industrial.

•Predominam plantios de Eucalipto -3.289 mil ha(60,4%). Os plantios de Pinus cobrem 1.965 mil ha(36%). Outras espécies (teca, acácia, seringueira, pinheiro brasileiro) ocupam 202 mil ha(3,6%).

•As florestas de Eucalipto concentram-se em MG -1,5 MMha(46% do total), SP -598 mil ha( 18,2%) e BA -389 mil ha.

•O plantios de Eucalipto restantes distribuem-se por ES, RS, PR, MS, AP e PA.

•As plantações de Pinusocupam cerca de 2 MMha. PR e SC abrigam mais de 50% do total dessas plantações. SP, RS, MG, MS e AP respondem pelo restante.

•As florestas plantadas de produção públicas são principalmente as FLONAS localizadas no Sul em SP; somam 24 mil ha, com produção pouco expressiva.

Recursos Florestais do Brasil e de São Paulo -potencialidades

Marci o N ahuz – CTFloresta IPT

Aracruz - ES Aracruz - ES

Produção Florestal

•Brasil: 2ªmaior reserva de florestas do planeta e alta capacidade de produção sustentada, considerando as florestas nativas.

•Capacidade de produção sustentada: 390 MMm³/ano, sendo 242 MMm³de florestas nativas (62%) e 148 MMm³de florestas plantadas (38 %); estas cobrem apenas 2% da área total.

•Em suprimento, a situação se inverte: 73,6% da madeira consumida vem de florestas plantadas e apenas 26,4% de florestas nativas. A razãoéa alta produtividade das florestas plantadas.

•Florestas plantadas: concentração de produção de matéria-prima industrial em relativamente pequena área: redução da pressão sobre florestas nativas.

Recursos Florestais do Brasil e de São Paulo -potencialidades

Marci o N ahuz – CTFloresta IPT

Importância da Indústria de Base Florestal no Brasil •PIB Indústria de Base Florestal: 4,1% do PIB Brasil

•Investimentos a 2010: Produtos de Madeira -US$ 6 bilhões; Celulose e Papel - US$ 14 bilhões; Indústria de Base Florestal -US$ 20 bilhões

•Empregos gerados: 6,5 milhões (diretos e indiretos) na Cadeia produtiva

•Exportações : 1991 -US$ 1,7 bilhões; 26% madeira; 74% celulose e papel; 2004 -US$ 6,8 bilhões; 57% madeira; 43% celulose e papel.

–Madeira serrada: China, França, EUA, Espanha –Painéis de madeira: EUA, Reino Unido, Bélgica, Alemanha

–Manufaturados (pisos, molduras, portas, painéis): EUA, China, Bélgica, Itália

•Barreiras não-tarifárias: nível da tecnologia agregada, conformidade, origem

Recursos Florestais do Brasil e de São Paulo -potencialidades

Marci o N ahuz – CTFloresta IPT

Destinação por segmentos demandantes

•Os principais segmentos demandantes como matéria prima industrial são:

–Madeira serrada: o segmento produz 23,5 MMm³sendo 14,5 MMm³de madeiras tropicais (61,7%) e 9 MMm³de pinus(38,3%). Nesse segmento de produção o consumo doméstico é de 13 MMm³de madeira serrada tropical e 7,5 MMm³de pinusserrado.

–Chapas compensadas: o segmento produz 3,8 MMm³, sendo 1,4 MMm³de compensados tropicais e 2,4 MMm³de compensados de pinus, parte para exportação. O consumo doméstico éde 375 mil m³de compensados tropicais e 500 mil m³de pinus

–Produtos manufaturados: este segmento inclui os produtos de maior valor agregado, cuja produção e consumo estão indicados a seguir

Marci o N ahuz – CTFloresta IPT

PMVA Produção Consumo

Molduras680 mil m³70 mil m³ EGP450 mil m³310 mil m³

Portas 6,9 M un- Pisos24 MMm²16 MMm²

Recursos Florestais do Brasil e de São Paulo -potencialidades

Diversidade Biológica

•Conservação da biodiversidade: manutenção da variedade de espécies e estabilidade climática, manutenção de “ilhas”florestais (garantindo a perpetuidade de espécies vegetais), criação de corredores ecológicos (garantindo a reprodução de espécies animais);

•Existência de porções significativas de ambientes naturais: garante a manutenção e reprodução das comunidades (área mínima).

Marci o N ahuz – CTFloresta IPT

Tecnologias e Instrumentos para a Utilização Racional de Recursos Florestais

Zoneamento Florestal

•Ocupação do território a qualquer custo, para comprovar a apropriação da terra, estimulou a degradação dos recursos florestais;

2 desmatados na Amazônia até2003, 160 mil km2 estão abandonados;

•O zoneamento ecológico econômico (ZEE) florestal indica as possibilidades e alternativas de usos sustentáveis dos recursos florestais;

•Indica para terras públicas ou privadas: categorias de uso (implantação florestal, exploração, extrativismo, conservação, assentamento florestal);

•Coordena-se com o manejo florestal sustentável, que estabelece os volumes exploráveis por espécie e área praticáveis para garantir a perpetuidade do recurso.

Marci o N ahuz – CTFloresta IPT

Tecnologias e Instrumentos para a Utilização Racional de Recursos Florestais

Unidades de Conservação (UCs)

•Áreas protegidas por lei, guardando grande parte da biodiversidade, compreendem hoje 8% do território nacional;

•UCspermitem: conservação in situde partes significativas dos ecossistemas naturais, preservação da diversidade genética; efetivação de rede de áreas protegidas, que podem interagir para garantir o processo evolutivo; a autoregulaçãodos ecossistemas; e a participação da comunidade nas ações de conservação;

•UCsde proteção integral do meio ambiente: visam essencialmente a preservação de ecossistemas naturais (parques nacionais, reservas biológicas, etc);

•UCsde uso sustentável: permitem ocupação humana, pesquisas e uso sustentável dos recursos disponíveis na unidade (APA, flona, reserva extrativista, reserva de desenvolvimento sustentável, etc);

Marci o N ahuz – CTFloresta IPT

Tecnologias e Instrumentos para a Utilização Racional de Recursos Florestais

Reserva Particular de Patrimônio Natural (RPPN) -IP

Parque Nacional do Iguaçu

Parque Florestal Barra Mansa Parque Florestal São Marcelo

Exploração Racional da Floresta

•Utiliza técnicas para a extração da madeira com baixo impacto para a floresta.

•Na Amazônia poucas espécies eram exploradas, por falta de conhecimento das características e usos.

•Pesquisas permitiram aumentar esse número, evitando a escassez das madeiras de alto valor comercial.

•Árvores de valor comercial somente são abatidas ao atingir a maturidade.

•Nas clareiras abertas são replantadas espécies selecionadas (enriquecimento).

•Cuidados no abate permitem proteger as árvores vizinhas.

•O transporte éfeito com o menor impacto ambiental, pois o enriquecimento éfeito com espécies nobres em picadas abertas na mata e em capoeiras.

•Áreas degradadas são reflorestadas, garantindo o suprimento de madeira sem aumentar a área jáexplorada.

•A longa rotação das espécies florestais pode ser amenizado com a agrosilvicultura, por meio de consórcio com frutíferas; garante o aproveitamento econômico das áreas em exploração.

Marci o N ahuz – CTFloresta IPT

Tecnologias e Instrumentos para a Utilização Racional de Recursos Florestais

Exploração Florestal: abate direcionado de árvore de médio porte em floresta tropical

Exploração mecanizada de floresta de eucalipto em regime de alta produção –BoiseCascade, Guaíba -RS

Manejo Florestal Sustentável

Conjunto de técnicas e procedimentos empregados para produzir bens (madeira, frutos e outros) ou serviços (manutenção da qualidade da água, proteção de nascentes e outros) a partir de uma floresta, com o mínimo impacto ambiental possível, garantindo a sua manutenção, regeneração natural e conservação a longo prazo.

Benefícios: redução de desperdícios no corte e arraste, aumento da produtividade na exploração (abertura de estradas e pátios, corte, arraste), redução de danos ecológicos (diminuição das árvores danificadas no processo) e melhoria da segurança do trabalho.

Os benefícios econômicos do manejo superam os custos.

Marci o N ahuz – CTFloresta IPT

Tecnologias e Instrumentos para a Utilização Racional de Recursos Florestais

Manejo sustentável de floresta plantada (Veracel)

Técnicos realizando inventário durante manejo florestal –Mata nativa (FFT –Belém PA).

Funções e Usos múltiplos da floresta

•sociais, ligadas àSociedade em geral e diretamente às comunidades próximas, dela dependentes, através dos serviços que presta e da melhoria da qualidade de vida que proporciona;

•de produção, associadas àgeração de produtos e serviços.

•Deve-se buscar a conjugação dos dois grupos de funções:

•a preservação do meio ambiente e ecossistemas florestais com a geração de madeira como matéria-prima industrial;

•a manutenção da biodiversidade da floresta e a implantação de florestas clonais de alta produção;

•as atividades de pequenos e médios empreendimentos de escala familiar e aquelas das grandes empresas, tendendo àproduções grandes e uniformes.

(Parte 1 de 2)

Comentários