Gestao de Custos PUC

Gestao de Custos PUC

(Parte 18 de 22)

Produto Matéria-prima Mão-de-obra direta Custos indiretos

Variáveis

Os Custos indiretos fixos são de aproximadamente $ 5.0.0 por mês e os preços de venda são: $ 20,0/u (para o A) e $ 120,0/u (para o B); as despesas variáveis representam 5% do preço de venda.

Dalmy Carvalho - Puc-Minas - 2008 w.dalmycarvalho.pro.br 7

O mercado consome, no máximo, 100.0 unidades de cada produto por mês, mas em outubro é prevista falta de matéria-prima, só estando à disposição da empresa 200.0 kg.

a) Qual a quantidade de cada produto que a empresa deve fabricar nesse mês para que maximize seu lucro? Qual o lucro máximo? b) Suponha agora que, no mês de novembro, haja normalização do mercado de matéria-prima, mas que haja um aumento de 50% sobre os salários e também seja autorizado pelo governo um aumento de 50% sobre os preços de venda, e que, devido às férias de vários empregados, esteja a empresa reduzida a uma capacidade de mão-de-obra direta máxima possível de 400.0 h nesse período.

Qual deve ser a quantidade fabricada de cada produto, sabendo-se que o mercado continua consumindo os mesmos volumes? Qual o lucro máximo?

10.4 A Indústria de Mantas e Cobertores “Beta” teve os seguintes custos e despesas em janeiro:

Mão-de-obra Direta: $ 170/unidade produzida Matéria-prima: $ 200/kg de lã utilizada Comissão de Vendas: $ 150/unidade vendida Custos Fixos: $ 5.224.0/mês Despesas Fixas: $ 430.600/mês

A Indústria rateou os Custos Fixos à base do tempo de fabricação (Horas Máquina) de cada um dos 4 produtos feitos no mês: os dados mais relevantes do período foram:

Produto Tempo Fabricação

Horas Máquina.

Lã consumida

Volume Produzido

Preço Venda

Cobertores de casal 9,5 h/u 3,5 kg/u 12.0 u 1.500/u Mantas de casal 7,6 h/u 2,8 kg/u 6.0 u 1.300/u Cobertores de solteiro 9,0 h/u 2,5 kg/u 8.0 u 1.260/u Mantas de solteiro 7,4 h/u 1,5 kg/u 4.0 u 1.0/u a) Faça os cálculos que você acha que deveriam ter sido feitos para uma correta apropriação de custos para fins de avaliação de estoques (custeio por absorção).

b) Em fevereiro a empresa recebeu 12.0 kg de matéria-prima a menos do que havia consumido em janeiro, e por isso teve que restringir sua produção e assim fabricou menos daqueles produtos que davam menor rentabilidade por unidade. Em ambos os meses conseguiram vender toda sua produção.

Quais produtos devem ser fabricados em fevereiro e em que quantidades, de maneira a maximizar o resultado da empresa? c) Faça o demonstrativo do resultado obtido com as vendas realizadas no mês de fevereiro, baseado na decisão tomada na letra b.

Dalmy Carvalho - Puc-Minas - 2008 w.dalmycarvalho.pro.br 78

10.5 A Cia PH de Calculadoras Eletrônicas fabrica dois modelos, um com impressora e outro sem. Para atender ao mercado a empresa produz, normalmente, 5.0 máquinas do primeiro e 4.0 do segundo tipo. Os materiais consumidos diretamente são de $ 3.993/u e $3.700/u, respectivamente.

Os demais custos variáveis são de $2.150 por unidade, além de $275/h de mão-deobra direta, tanto para um como para outro modelo.

Os Custos Fixos totalizam $3.360.500 por mês, e são rateados à base de horas de MOD (9,10h/u para o modelo com e 6,50 h/u para o sem impressora).

Os preços de venda são aproximadamente os das empresas concorrentes ($ 9.900/u e $ 8.810/u, respectivamente), e a PH não pretende altera-los.

a) Calcule o custo de cada um dos modelos, o lucro unitário e a margem de contribuição unitária.

b) Sabendo-se que há uma grande dificuldade de obter pessoal especializado na produção desses itens, dê sua opinião sobre qual modelo deve a empresa dedicar seus esforços de propaganda.

Dalmy Carvalho - Puc-Minas - 2008 w.dalmycarvalho.pro.br 79

1 Custeio Variável/direto

Método de custeio variável

O método de custeio variável é aquele em que somente os custos diretos ou indiretos variáveis são atribuídos aos objetos de custeio. Os custos e despesas fixos são levados integral e diretamente ao resultado do período. Dessa maneira, comporão o valor dos estoques apenas os custos variáveis, e as despesas variáveis são apropriadas após a valoração dos inventários para se apurar a chamada margem de contribuição.

De acordo com Perez Junior, Oliveira e Costa (1999, p. 141), o método de custeio variável é o "método que apura os custos de fabricação dos bens mediante apropriação somente de custos variáveis". Por esse método, os custos fixos não se incorporam ao custo dos bens ou serviços produzidos. São classificados diretamente como despesas operacionais. A legislação fiscal brasileira não admite a determinação dos custos por esse método. Esse sistema fundamenta-se na separação dos gastos em variáveis e fixos, isto é, em gastos que oscilam proporcionalmente ao volume de produção e vendas e gastos que se mantêm estáveis perante volumes de produção e vendas oscilantes dentro de certos limites.

O Custeio Variável é um método de custo que carrega os produtos somente com os custos que variam diretamente com o volume. Usam-se somente os custos primários, mais as despesas indiretas de produção variáveis para avaliar os inventários e determinar o custo de vendas [...] Toda despesa indireta de produção fixa é custo que deve ser excluído (MATZ, CURRY e FRANK, 1987, p. 609).

Muitas são as possibilidades de a contabilidade de custos auxiliar na tomada de decisões gerenciais por meio da utilização do método de custeio variável. Dentre as mais comuns, podem ser citadas: a fixação de preço de venda, o cálculo da lucratividade de produtos, a seleção do mix de produtos, dentre outros Cada vez mais está sendo difundido o método de custeio variável como aquele que pode gerar informações mais adequadas e ágeis para a tomada de decisões.

O método de custeio variável não atende aos princípios contábeis geralmente aceitos e não é reconhecido pelas autoridades fiscais para fins de relatórios externos.Entretanto, este fato não deve ter muita importância para os tomadores de decisões, pois as empresas podem acomodar tanto esse método como outro. A questão importante é que os relatórios internos devem usar a abordagem do custeio variável que é considerada por muitos, como a melhor técnica disponível para fins de avaliação e controle.

Dalmy Carvalho - Puc-Minas - 2008 w.dalmycarvalho.pro.br 80

Método de custeio direto

Partindo-se da premissa de que um custo é direto ou indireto em relação à sua objetiva identificação e mensuração por unidade de produto ou serviço, e de que o custo indireto é identificável somente via rateio, o qual depende de variedade de produtos e/ou volume, pode-se definir o método de custeio direto como sendo aquele que leva aos objetos todos os custos e despesas variáveis ou fixas que se permitem ser apropriados objetivamente à unidade de produto.

A apropriação da parcela fixa dos custos indiretos de fabricação às unidades produzidas, por intermédio de critérios subjetivos de rateio constitui a única fonte de complicação quando da identificação do verdadeiro custo dos produtos. O método de custeio direto não considera os custos indiretos de fabricação fixos comuns como custo dos produtos e o trata como custo do período, lançando-o diretamente para resultado, considerando apenas os custos indiretos de fabricação fixos específicos. Em outras palavras, no custeio direto, apenas a matéria-prima, a mão-de-obra direta, o custo indireto de fabricação variável, o custo indireto de fabricação fixo específico, as despesas operacionais variáveis e as despesas operacionais fixas específicas são considerados elementos do custo de fabricação.

Quanto à classificação de um custo em direto ou indireto, entendemos que o custeio direto sai do nível unitário e vai para o total, enquanto o custo indireto sai do total e vai par ao nível unitário. Portanto, não há custos fixos diretos de unidades de produto, visto que a identificação desse tipo de custo às unidades de produto vai depender, na melhor das hipóteses, de uma divisão do montante total do custo do período pelas unidades produzidas nesse mesmo período; e tal divisão (em função do volume) configura um rateio. De outra forma, pode haver custos fixos diretos de linha de produtos, centros de custos, departamentos ou outros objetos de custeio mais amplos do que as unidades de produtos ou serviços. Nesse caso, é preferível denominá-los não custos diretos, mas, sim, gastos específicos ou próprios do objeto de custeio em questão, contrariamente aos gastos comuns que dizem respeito a várias linhas de produto, centros de custos, departamentos dentre outros.

Assim, preferencialmente, o método de custeio direto deveria ser chamado de método de custeio específico.

Iudícibus (1995) se refere a um método de custeio situado entre o custeio por absorção e o custeio variável (que ele denomina custeamento direto puro), que é exatamente o método de custeio direto ou, como já sugeríamos há pouco, o método de custeio específico. Veja suas palavras:

em certas circunstâncias, como veremos mais adiante, poderemos atribuir aos departamentos (e, portanto à produção) certos tipos de custos fixos perfeitamente identificados com e no departamento (por exemplo, depreciação das máquinas utilizadas no departamento), e deixar os demais como custo de período. Trata-se de um meio termo entre o Custeamento

Dalmy Carvalho - Puc-Minas - 2008 w.dalmycarvalho.pro.br 81 direto puro e o Custeio por Absorção. Parece-nos uma abordagem bastante racional. Todavia, isto somente será possível se tivermos uma departamentalização de custos. De qualquer forma, todavia, as vantagens do custeamento direto para certas tomadas de decisões são evidenciáveis (IUDICIBUS, 1995, p. 191).

Portanto, o método de custeio direto (ou específico) é um método intermediário ou híbrido, na medida em que incorpora conceitos do custeio por absorção e do custeio variável.

Vantagens e desvantagens O método de custeio variável e o método de custeio direto, assim como praticamente todos os sistemas de custeio, apresentam vantagens e desvantagens. Segundo Padoveze (1997), estes apresentam as seguintes vantagens:

· os custos dos produtos são mensuráveis objetivamente, pois não sofrerão processos arbitrários ou subjetivos de distribuição dos custos comuns;

• o lucro líquido não é afetado por mudanças de incremento ou diminuição de inventários;

• os dados necessários para a análise das relações custo-volume-lucro são rapidamente obtidos do sistema de informação contábil;

• é mais fácil para os gerentes industriais entenderem o custeamento dos produtos sob custeiovariável, pois os dados são próximos da fábrica e de sua responsabilidade, possibilitando a correta avaliação de desempenho setorial;

• o método de custeio direto e o método de custeio variável são totalmente integrados com o custo-padrão e orçamento flexível, possibilitando o correto controle de custos;

• o método de custeio direto e o método de custeio variável constituem um conceito de custeamento de inventário que corresponde diretamente aos dispêndios necessários para manufaturar os produtos;

(Parte 18 de 22)

Comentários