Fisiologia celular

Fisiologia celular

(Parte 1 de 2)

23

FISIOLOGIA CELULAR

Prof. Ms. RODRIGO A. MONTEZANO V. LACERDA

FATEGÍDIO – TEÓFILO OTONI, MG

PRIMEIRA PARTE

INTRODUÇÃO À FISIOLOGIA:

A Fisiologia é o estudo das funções das matérias vivas do corpo humano. Seu objetivo principal é explicar os fatores químicos e físicos que ocorrem nos sistemas, responsáveis por origem, desenvolvimento e continuação da vida.

OBS: O homem é um ser autônomo pq é dotado de sensibilidades, sentimentos e conhecimento, esses atributos fazem parte da seqüência automática da vida, e são esses atributos que nos permitem existir, pois são eles quem nos conduzem à busca de energia vital. Por exemplo a fome nos leva à busca de comida, etc.

A CÉLULA

Def. das cel.

É a unidade básica da vida e do organismo, e cada órgão é um agregado de células. Existem aproximadamente, 75 trilhões de células em nosso organismo, estas com funções, e formas variadas. Ex: cel. Vermelhas → transportam O2 dos pulmões p/ os tecidos.

Todas as células precisam de alimentos, nutrientes p se manterem vivas, essas por sua vez utilizam quase sempre os mesmos nutrientes. E, a principal fonte de alimento das cel. É o O2.

ESEMPLO: O O2 combinado com o Carboidrato, com a gordura, com a Ptn, vão liberar energia. Após feito essa combinação, a cel. lança os produtos finais dessa combinação nos líquidos que as circundam/; membrana citoplasmática e membrana nuclear.

Composição das Cel.:

As cel. são formadas por:

Protoplasma: Águas, Eletrólitos, Ptn; Lipídeos e Carboidratos

Membrana Celular;

Membrana Nuclear;

Retículo Endoplasmático;

- Ret. End. Liso

- Ret. End. Rugoso

Citoplasma e organelas;

Mitocôndrias;

Lisossomos;

Núcleo.

PROTOPLASMA:

- Ptn depois da água é a matéria mais abundante, e é dividida em:

ptn estruturais: estão presentes na membrana celular, envoltório nuclear, retícuilo endoplasmático e mitocôndrias. Tem a consistência de tecido fibroso, por ser fibrilar, e fornece uma determinada resistência, a resistência têxtil. Exemplo: Cabelo

enzimas: são ptn isoladas ou agregadas em formas globurales. São solúveis na maioria das vezes. Em contato com outras ubstâncias catalizam reações químicas. Ex: reações que degradam glicose combinadas com O2 formam CO2 e H2O ATP.

- Lipídios: Triglicerídeos, fosfolipídios e colesterol, combinam-se com o H2O.

- Carboidratos: Ex: Glicose Glicogênio Carboidrato.

ATP.

MEMBRANA CELULAR:

É delgada e elástica, e é composta por ptn, lipídios e polissacarídeos.

A presença de polissacarídeos nas superfícies, torna a membrana hidrolífica, e o centro lipídico torna a membrana impermeável, principalmente em substâncias insolúveis em lipídios.

Os fosfolipídios são a porção gordurosa da mol e é atraída pela parte lipídica central, já a outra parte é atraída pela ptn, que é a parte polar (ionizante) da mol fosfolipídica, ligada eletroquimicamente com as camadas externas e internas das ptn. O fosfolipídeo, fosfato (PO4-3) associado a lipídios(gorduras). São os principais componentes das membranas celulares. A região do fosfato("cabeça") se encontra eletricamente carregada (região polar) enquanto que as duas cadeias de ácidos graxos(pertencentes ao lipídio)não apresentam carga elétrica (região apolar).

A fina camada de mucopolissacarídeo na face externa da membrana cel faz com que o lado externo seja diferente do lado interno, polarizando a membrana.

FUNÇÕES DA PORÇÃO PROTEICA:

  1. contribuir p resistência estrutural da membrana;

  2. age como enzimas para promover reações químicas;

  3. age como ptn carreadora p o transporte de substâncias através da membrana;

  4. forma interstícios mol na substância lipídica, e, portanto, estabelece poros através da membrana.

OBS.: Acredita-se que é através desses poros que substâncias de tamanho muito pequeno como por exemplo H2O e uréia passam com facilidade entre o interior e o exterior da cel.

MEMBRANA NUCLEAR

É constitu´pida de 2 membranas “unitárias”, uma circundando a outra, com amplo espaço entre elas. Cada membrana é quase idência à membrana celular, possuindo lipídeos no centro e ptn em suas duas superfícies, mas não apresentam mucopolissacarídeo. Possui grandes poros, chamados de orifícios com grande diâmetro em ANGOSTROMS. Estes por fim permitem que quase todas as substâncias dissolvidas movem-se com facilidade entre os lipídeos do núcleo e os do citoplasma.

RETÍCULO ENDOPLASMÁTICO

Retículo endoplasmático (RE): atua como transportador de substâncias. Há duas formas: O R.E. liso, onde há a produção de lipídios, e o R.E. rugoso, onde se encontram aderidos a sua superfície externa os ribossomos, sendo local de produção de proteínas, as quais serão transportadas internamente para o Complexo de Golgi.

O complexo de Golgi é uma região especializada do RE e tem a fç de armazenar temporariamente e conensar substâncias de secreção e prepará-las para secração fiunal. Além disso sintetiza carboidrato para formar Glicoproteínas, está envolvido na formação dos lisossomos, organelas citoplasmáticas importantes para a digestão intracelular.

MITOCÔNDRIAS:

É uma Organela formada por duas membranas lipoprotéicas. Dentro delas se realiza o processo de extração de energia dos alimentos que será armazenada em moléculas de ATP (adenosina trifosfato). É o ATP que fornece energia necessária para as reações químicas celulares.

LISOSSOMOS

É uma estrutura que apresenta enzimas digestivas capazes de digerir um grande número de produtos orgânicos. Realiza a digestão intracelular. É importante nos glóbulos brancos e de modo geral para a célula já que digere as partes desta (autofagia) que serão substituídas por outras mais novas, o que ocorre com freqüência em nossas células.

NÚCLEO

Uma das principais características da célula eucarionte é a presença de um núcleo de forma variável, porém bem individualizado e separado do restante da célula:

Ao microscópio óptico o núcleo tem contorno nítido, sendo o seu interior preenchido por elementos figurados. Dentre os elementos distingem-se o nucléolo e a cromatina.

Quando uma célula se divide, seu material nuclear (cromatina) perde a aparência relativamente homogênea típica das células que não estão em divisão e condensa-se numa serie de organelas em forma de bastão, denominadas cromossomos. Nas células somáticas humanas são encontrados 46 cromosssomos.

Há dois tipos de divisão celular: mitose e meiose . A mitose é a divisão habitual das células somáticas, pela qual o corpo cresce, se diferencia e realiza reparos. A divisão mitótica resulta normalmente em duas células-filhas, cada uma com cromossomos e genes idênticos aos da célula-mãe. A meiose ocorre somente nas células da linhagem germinativa e apenas uma vez numa geração. Resulta na formação de células reprodutivas (gametas), cada uma das quais tem apenas 23 cromossomos.

DIVISÃO CELULAR:

Processo pelo qual as células de animais se dividem, produzindo, cada uma, duas células idênticas à original. A reprodução de células-filhas iguais à original tem como finalidade repor as células mortas no organismo, ou possibilitar o aumento do número delas nos processos de crescimento. Outro processo de divisão celular é a meiose, que produz duas células com metade dos cromossomos da célula-mãe.

No período que antecede a mitose, ocorre a duplicação dos cromossomos, numa fase denominada de interfase. Então, os filamentos simples de cromossomos passam a ser duplos, recebendo o nome de cromátides. Nas células humanas, os 23 cromossomos passam a ser 23 pares, unidos por um ponto denominado centrômero.

A divisão da célula realiza-se em cinco diferentes fases: prófase, prómetafase, metáfase, anáfase e telófase.

MITOSE

Prófase – No núcleo da célula, os cromossomos condensam-se e passam a ser cada vez mais curtos e grossos. No citoplasma, massa fluida dentro da célula na qual o núcleo está mergulhado, os dois centríolos (organóides que se localizam junto ao núcleo e respondem pelo movimento dentro das células) se duplicam e começam a migrar em direções opostas.

Prometáfase – A membrana nuclear rompe-se e os cromossomos espalham-se pela célula. Estes irão se prender no conjunto de fibras, cujas extremidades terminam próximas aos centríolos, agora já localizados em pólos opostos na célula.

Metáfase – O conjunto de fibras, denominado fuso acromático, forma uma "ponte" entre os dois centríolos, que estão localizados nas extremidades da célula. As cromátides permanecem no meio da célula.

Anáfase – Os centrômeros rompem-se, os pares de cromossomos separam-se em lotes idênticos e são puxados para os pólos opostos da célula na direção dos centríolos, indo constituir o núcleo das células-filhas.

Telófase – Os cromossomos de cada pólo entrelaçam-se, de modo que não se pode mais distingui-los separadamente, até ficarem invisíveis e serem envolvidos dentro de um novo núcleo. As fibras do fuso desaparecem e a célula começa então a se dividir, dando origem a duas células independentes.

(Parte 1 de 2)

Comentários