Aspergillus

Aspergillus

PHS: DOENÇAS VEICULADAS POR ALIMENTOS

BACTÉRIA: ASPERGILLUS PARASITICUS

NOME: PAULO RODRIGUES ITAMI DA CRUZ

NUTRIÇÃO – NOITE N º 30

PROF ª: CLEIDE & KATIA

SANTOS2007

Sumário

Aplicação de Fungos 8

Aspergillus 4, 7

Conclusão 8

Crescimento e Distribuição 5

Cultura 8

Diagnóstico 7

Doenças 7

Importância Comercial 5

Indivíduos sob risco de infecção 7

Os fungos 9

Parede celular do Conídeo 7

Patogênese 7

Patologia 6

Pesquisas 6

Referências Bibliográficas 10

Aspergillus

Cabeça de um Conídeo de Aspergillus niger

Classificação Taxonômica

Reino: FungiFilo: AscomycotaOrdem: EurotialesFamilia: TrichocomaceaeEspécie: Aspergillus

Aspergillus é um gênero de fungo que apresenta coloração branca amarelada com formação de pedúnculos e uma ponta colorida. São mais de 200 espécies encontradas na natureza. O Aspergillus foi catalogado em 1729 pelo padre italiano e biólogo Pietro Antonio Micheli. Observando o fungo no microscópio, Micheli lembrou-se da forma de um aspergillum (borrifador de água santa), e nomeou a espécie de acordo com o objeto.

Crescimento e Distribuição

As espécies de Aspergillus são aeróbicas e encontradas em ambientes ricos em oxigênio, onde geralmente crescem na superfície onde vivem. As espécies de Aspergillus contaminam restos de comidas (como pães e batatas), e crescem em muitas plantas e árvores.

Importância Comercial

Espécies de Aspergillus são importantes microorganismos, como medicamentos e comercialmente. Algumas espécies podem causar infecções em humanos e em outros animais. Outros são importantes comercialmente na fermentação microbiológica.

Em países da Ásia, bebidas alcólicas como o SAKÊ são feitos a partir da fermentação do arroz. Esta fermentação é processada por microorganismos, ao invés da amilase de plantas ou de animais. Primeiramente, o Aspergillus oryzae é usado para converter o arroz em açucar (sacarificação), os quais são fermentado por outros microorganismos, como a levedura (Saccharomyces) e a bacteria do ácido lático.

Aliás, a mais nova conhecida aplicação do A. niger é a pesquisa do acido cítrico; este organismo aumenta mais de 99% da produção global do ácido citrico, ou mais do que 4.5 milhões de toneladas por ano. A. niger é também usada na produção de enzimas naturais ou artificiais, incluindo a glucose oxidase e da clara do ovo lysozina.

Pesquisas

Varios Penicillium, Aspergillus spp. (e alguns fungos) crescimento em cultura.

A. nidulans foi um dos organismos pioneiros a ter seu genoma seqüenciado.

Patologia

Algumas espécies de Aspergillus causam doenças em humanos e animais, e podem ser patogênicos. Aspergillus fumigatus e outras espécies de Aspergillus são tão importantes quanto a Candida spp como causadores de infecções fúngicas. Estes fungos, cosmopolitas, podem causar também reações de hipersensibilidade, pela inalação dos esporos, e proliferação não invasiva dos micélios na luz das vias respiratórias já lesadas. Podem ser diferenciadas três formas de aspergilose humana: alérgica, colonizante e invasiva. Além disso a toxina de Aspergillus flavus, uma espécie que não parece infectar seres humanos, pode constituir um importante carcinógeno hepático quando ingerido com alimentos. A aspergilose invasiva é difícil de diagnosticar, pois o Aspergillus é raramente demonstrável no escarro e no sangue.

Dependendo da forma de manifestação do fungo no ser humano, as respostas, alterações estruturais e funcionais serão diferentes. Os esporos de Aspergillus estão distribuídos amplamente no meio ambiente, especialmente em locais contendo matéria orgânica em decomposição. A Aspergilose Broncopulmonar Alérgica (ABPA) pode manifestar-se, inicialmente, como asma brônquica, clinicamente semelhante a outras formas de asma. Está associada a reações de hipersensibilidade Tipos I, III e IV desencadeadas por colonização superficial da mucosa brônquica, geralmente em atópicos. Com frequência, isso ocorre em pacientes já asmáticos, cujos sintomas se tornam mais intensos. Em alguns casos, a ABPA pode resultar em doença pulmonar obstrutiva crônica com fibrose peribrônquica e dilatação irreversível das vias respiratórias, também chamada de bronquiectasia. Nos indivíduos não-atópicos, a sensibilização ao Aspergillus fumigatus pode produzir alveolite alérgica por induzir reações de hipersensibilidade tipo III e tipo IV. As alterações morfológicas da ABPA compreendem um complexo de lesões broncopulmonares como: tampão mucoso nos brônquios, bronquite e bronquiolite exsudativa eosinofílica, granulomatose broncocêntrica, pneumonia eosinofílica, bronquiectasia central e fibrose pulmonar.

Aspergillus

Muitas espécies de Aspergillus são conhecidas, sendo que 7 estão associadas com doenças humanas (aspergiloses). A. Fumigatus correspondem a mais do que 90 % de todas as infecções. Fungos saprofíticos : crescem em organismos em decomposição. Os aspergilos, incluindo A. fumigatus não são dimórficos, eles crescem apenas na forma miceliana

Parede celular do Conídeo

  • Hidrofóbica – hidrofóbicas

  • Proteínas ricas em resíduos de cisteína

  • Permitem a interação com proteínas como albumina e colágeno

Patogênese

  • Trabalhadores

  • Do campo

  • demolição

  • Inalação

  • Conídeos em aerossol:

  • Sistema de ventilação

Doenças

  • Pneumonite hipersensitiva,

  • asma

  • renite

  • Aspergillose

Indivíduos sob risco de infecção

  • Neutropênicos

  • Leucemia

  • Transplante de medula

Diagnóstico

Como o Aspergillus contamina freqüentemente culturas, o significado patogênico de um único isolado não fica claro. Se em geral, as espécies de Aspergillus é consistentemente isolada de lesões ou exudatos de um determinado paciente em culturas repetidas, esse resultado passa a ser significativo.

Cultura

O diagnóstico definitivo é estabelecido pela demonstração de hifas, que são, freqüentemente abundantes no tecido.

Aplicação de Fungos

  • Fornecedores de químicos (antibióticos)

  • Controle biológico

  • Simbiontes mutualistas

  • Parasitas

  • Bebidas e alimentos

  • Biodegradação

  • Biotecnologia

Conclusão

  • Usar grãos não contaminados;

  • Dar ênfase sobre a importância de micotoxinas;

  • Rentabilidade;

  • Procurar produtos de qualidade;

  • Higiene humana;

A descoberta do genoma ajudará no combate a doença e conduzirá a novas drogas

 

 

Um consórcio internacional de pesquisadores liderados pela Universidade de Manchester decifrou o código genético existente numa família de fungos, que inclui ao mesmo tempo dois fungos que são respectivamente a principal causa de morte nos pacientes com leucemia e transplante de medula óssea, e o principal ingrediente do molho de soja.

 

As “sequências genômicas” ou os “mapas genéticos” dos fungos Aspergillus fumigatus, Aspergillus nidulans e Aspergillus oryzae estão sendo publicadas no número de 22 de Dezembro da revista Nature. Apesar de serem da mesma família de fungos, eles demonstraram ser tão geneticamente diferentes entre si como o peixe e o homem.

 

Aspergillus é um patógeno comum que é disseminado pelo mundo através do ar na forma de esporos. Embora usualmente inofensivo, a espécie Aspergillus fumigatus foi identificada como uma causa de infecção em 1848, e é agora a principal causa de morte em pacientes vulneráveis com leucemia e transplante de medula óssea. Aspergillus nidulans tem sido um dos principais sistemas modelo, ajudando nos últimos 50 anos na descoberta de diversos processos celulares fundamentais. Aspergillus oryzae tem sido usado no Oriente por 2000 anos para a produção de sake (vinho de arroz), miso (pasta de soja) e shoyu (molho de soja).

 

Os pesquisadores descobriram que as três espécies possuem somente em torno de 68 % das mesmas proteínas, uma percentagem semelhante aquela encontrada entre mamíferos e peixes que divergiram a 450 milhões de anos. Eles também diferem consideravelmente no tamanho do genoma, com Aspergillus oryzae sendo 31% maior que Aspergillus fumigatus e 24% maior que Aspergillus nidulans. Curiosamente, mais que 30 % dos 9500 a 14000 genes identificados são novos para a ciência e possuem função e estrutura desconhecidas.

 

Os resultados estão sendo relatados em três artigos diferentes na Nature e refletem os esforços de uma colaboração internacional de cientistas e centros de sequenciamento. O coordenador do projeto, o Professor David Denning da Universidade de Manchester disse que “Os fungos (incluindo Aspergillus) representam um papel crítico nos ecossistemas da Terra, sendo responsáveis pela quase totalidade da degradação de resíduos vegetais e pela reciclagem de nitrogênio. Aspergillus fumigatus é o maior constituinte dos processos de compostagem e fungos filamentosos têm sido importantes fontes de drogas, incluindo a penicilina e a ciclosporina (para transplantes)”.

 

 

“Contudo, eles sao como Jekyll e Hyde e também produzem toxinas conhecidas como micotoxinas, tais como aflatoxina, que podem causar câncer de fígado. Aspergillus causa uma infecção com risco de vida para pacientes leucêmicos e transplantados, sendo também um grande alergênico para asmáticos”.

 

“A identificação desses genomas transformará a compreensão científica do porque este grupo de fungos é tão letal e alergênico. É inestimável a importância do projeto no auxílio ao desenvolvimento de novas drogas e testes diagnósticos, e na compreensão e prevenção de alergias e doenças tais como a pneumonia e a sinusite. A informação obtida também ajudará na compreensão da compostagem e da produção de micotoxinas, e assim proporcionará benefícios para muitas áreas da ciência e da medicina”.

 

Os fungos

 

Aspergillus fumigatus é a espécie mais comum de fungo que causa doença, e é quase única no sentido que causa infecção em ambos extremos da função imune do corpo. Aspergillosis (as doenças causadas por Aspergillus) principalmente invadem os pulmões e os sinus nasais, mas podem se espalhar para outros órgãos tais como o cérebro. Assim, da mesma forma que com os pacientes com leucemias e transplantes de medula óssea, a “aspergillosis invasiva” está aumentando de forma acentuada em outros grupos de pacientes em hospitais e é muito difícil de ser tratada. Mais da metade daqueles que sofrem de aspergillosis, morrem desta condição, e 1 em 25 pacientes que morrem em hospitais universitários Europeus estão com aspergillosis.

Outros pacientes imunocomprometidos (transplantados, AIDS, tratamentos com esteróides, etc) estão tendo a sua sobrevivência afetada de forma acentuada, com pneumonia e sinusite causada por Aspergillus. Aspergillus pode piorar a asma e causar

sinusite alérgica em pacientes com tendências alérgicas e causar cavidades no pulmão criadas pela tuberculose (que afetam um terço da população mundial) causando uma condição geral de doença no paciente e hemorragias no pulmão. O fungo também pode causar doenças em animais e plantas.

 

As fontes comuns de Aspergillus incluem adegas e porões, potes domésticos de plantas, facilidades de compostagem, computadores (incluindo aqueles em hospitais), escavações de terra e “spices”. Os projetos de construções em hospitais têm também sido implicados em surtos da doença. 

 

Aspergillus nidulans, um modelo de genética clássica que tem sido usado desde a década de 1940, para a compreensão de processos de genética básica e celulares. Este organismo é central para os esforços de compreensão e manipulação de todas as espécies de Aspergillus. Ele proporcionou uma espinha dorsal de compreensão sobre a família Aspergilli, e organizou as ferramentas e “expertise” para ajudar no conhecimento da sua biologia, incluindo como essas células crescem e realizam padrões de divisão celular complexos visando a geração de novas estruturas. Por outro lado, este trabalho tem ajudado no desenvolvimento de outras espécies visando o seu uso em facilidades industriais de produção de matéria-prima para alimentos, enzimas industriais e fármacos. 

 Agora que o genoma desses fungos foi determinado, os pesquisadores serão capazes de expandir e acelerar enormemente os futuros esforços da pesquisa, e novas e excitantes descobertas sobre as funções celulares básicas em geral e de Aspergilli em particular são esperadas.

 

 Aspergillus oryzae é amplamente usado na indústria Japonesa tradicional de fermentação, que se originou aproximadamente há 2000 anos atras na China, e também para a produção de enzimas por companhias de biotecnologia. Acredita-se que os valores de vendas das indústrias que tem alguma relação com este fungo alcancem a marca de 1 % do produto nacional bruto Japonês (aproximadamente 50 bilhões de dólares). A sua importância levou ao que tem sido chamado no Japão o “kokkin”, que significa o “microorganismo nacional”.

Aspergillus oryzae fragmenta o amido e as proteínas respectivamente em açúcares e peptídios, produzindo grandes quantidades de enzimas hidrolíticas. Recentes desenvolvimentos têm facilitado o seu uso para a producão de diversas proteínas para aplicações industriais.

 

Referências Bibliográficas

http://en.wikipedia.org/wiki/Aspergillus_parasiticus

http://www.aspergillus.man.ac.uk/

http://www.aspergillustrust.org/

Comentários