Planpo de metas JK

Planpo de metas JK

GOVERNO JUSCELINO KUBITSCHEK

  • PERÍODO: 1955-1960

PLANO DE METAS

  • Plano Quinquenal – 5 anos

  • Visava acelerar o processo de industrialização.

  • O governo investe em infra-estrutura

  • Facilitar e estimular as atividades e os investimentos privados.

PLANO DE METAS

  • METAS:

  • Estimular o crescimento do PIB em 2% por ano.

  • Controlar a inflação no patamar de 13,5% ao ano.

  • Substituição de 30% da pauta de exportação.

PLANO DE METAS

  • ÁREAS PRIORITÁRIAS

  • Energia

  • Transporte

  • Alimentação

  • Indústria de base

  • Educação

PLANO DE METAS

  • Meta de elevação de produção nos setores considerados prioritários

  • Energia

  • Carvão

  • Petróleo

  • Rodovias

  • Siderurgia

  • Cimento

  • Automobilística

  • Meta autonôma – Construção de Brasília

PLANO DE METAS

  • O Plano de Metas é uma fase importante do PSI

  • A lógica do Plano de Metas vai além do PSI, já que a industrialização por ele promovida não é apenas uma reação ao estrangulamento externo.

  • Alguns investimentos setoriais serviam para atacar alguns pontos de estrangulamento, outros setores eram tomados como pontos de germinação.

PLANO DE METAS

  • PONTOS DE ESTRANGULAMENTO

  • áreas de demanda insatisfeita em função das características desequilibradas do desenvolvimento econômico.

  • PONTOS DE GERMINAÇÃO

  • - áreas que geram demanda derivada

Aspectos relativos ao Plano de Metas

  • plano pode ser dividido em três pontos chaves: 

    • i. investimentos estatais em infra-estrutura (transporte e energia elétrica).
    • ii. estímulo ao aumento da produção de bens intermediários (aço, carvão, cimento, zinco etc).
    • iii. incentivos à introdução dos setores de consumo duráveis e de capital.
  • O cumprimento das metas estabelecidas foi bastante satisfatório

Plano de Metas: instrumentos

  • Os principais instrumentos de ação do governo para alcançar as metas foram:

    • investimentos das empresas estatais,
    • crédito com juros baixos e carência longa por meio do Banco do Brasil e do BNDE
    • uma política de reserva de mercado
    • avais para a obtenção de empréstimos externos.
    • incentivos ao capital estrangeiro

Plano de Metas: Problemas

  • Os principais problemas do plano estavam na questão do financiamento.

    • Os investimentos públicos, na ausência de uma reforma fiscal condizente com as metas e os gastos, tiveram que ser financiados pelo menos em parte pela emissão monetária.
    • Existe alguma aceleração inflacionária no período
    • Do ponto de vista externo há uma deterioração do saldo em transações correntes e o crescimento da dívida externa.

TEORIA CEPALINA

  • CRÍTICA DA CEPAL

  • Os países do centro são especializados na exportação de produtos manufaturados e importadores de matérias-primas, enquanto os países periféricos são o contrário.

  • Os países do centro são caracterizados por oligopólios e sindicatos fortes e os países periféricos (exportadores de matéria-prima) por mercados concorrenciais de produtos e fatores de produção.

TEORIA CEPALINA

  • Tendência à deterioração dos termos de troca dos países periféricos, com o que os frutos do comércio internacional e os ganhos de produtividade em nível mundial tenderiam a concentrar-se totalmente no países do centro.

CEPAL

  • Solução para CEPAL

  • Industrialização – Processo de Substituição de Importações

  • limites monetário-financeiros - existência de poupança interna para poder deslocar recursos aos investidores, e poupança externa para financiar a aquisição de tecnologia no exterior.

  • limites físicos referem-se à possibilidade física de materialização do investimento. Neste sentido, pode-se destacar a questão tecnológica, o equilíbrio entre os setores produtivos, a existência de uma infra-estrutura adequada e os fatores sociais

COMISSÃO MISTA BRASIL/EUA - CMBEU

  • OBJETIVO

  • Analisar os fatores que promovem ou retardam o desenvolvimento econômico brasileiro.

  • COORDENADORES

  • John Abbink – EUA

  • Otávio Gouveia de Bulhões - Brasil

COMISSÃO MISTA BRASIL/EUA CMBEU

  • RELATÓRIO ABBINK

  • Diagnóstico Ferramenta

  • Inflação Medidas monetárias e

  • financeiras contracionistas.

  • Insuficiência de

  • investimentos privados Atração de capitais privados externos

  • Papel do Estado

  • Restrito a investimentos nas áreas de energia e transportes e a operar medidas para atrair de atração do capital privado externo.

INSTRUÇÃO 113 – DA SUMOC

  • Gestão Eugênio Gudin – ministro da fazenda entre agosto 1954 – abril de 1955

  • CACEX – Carteira de Comércio Exterior do BB

  • Autorizada a emitir licença de importação sem cobertura cambial para máquinas e equipamentos financiados no exterior em prazo não inferior a cinco anos.

  • Favoreceu as empresas estrangeiras.

  • Transferiram maquinário industrial depreciado ou obsoleto, como se fosse equipamento novo.

  • Discrimina o capital privado nacional.

  • Atendeu os interesses dos EUA e do FMI.

Comentários