Npen013121-1 2006

Npen013121-1 2006

(Parte 1 de 3)

Impress ão de docu ment o electrónico

©IPQ reprodução proibida

Norma Portuguesa

NP EN 13121-1 2006

Reservatórios e depósitos de PRFV para utilização acima do solo Parte 1: Matérias-primas Requisitos e condições de aceitação

Réservoirs et récipients en PRV pour applications hors sol Partie 1: Matières premières Conditions de spécifications et conditions d’utilisation

GRP tanks and vessels for use above ground Part 1: Raw materials Specification conditions and acceptance conditions

DESCRITORES Pedra; blocos de pedra; materiais de construção; resistência dos materiais; flexão; métodos estatísticos de análise; símbolos; equipamento para ensaio; preparação das amostras para ensaio; símbolos; relatórios; bibliografia

CORRESPONDÊNCIA Versão portuguesa da EN 13121-1:2003

HOMOLOGAÇÃO Termo de Homologação N.º 158/2006, de 2006-10-13

ELABORAÇÃO CT 58 (APIP)

EDIÇÃO Dezembro de 2006

CÓDIGO DE PREÇO X007

© IPQ reprodução proibida

2829-513 CAPARICAPORTUGAL
Tel. + 351-212 948 100Fax + 351-212 948 101

Rua António Gião, 2 E-mail: ipq@mail.ipq.pt Internet: w.ipq.pt

Impress ão de docu ment o electrónico

©IPQ reprodução proibida em branco

Impress ão de docu ment o electrónico

©IPQ reprodução proibida

NORMA EUROPEIA EN 13121-1 EUROPÄISCHE NORM NORME EUROPÉENNE EUROPEAN STANDARD Maio 2003

Comité Europeu de Normalização Europäisches Komitee für Normung Comité Européen de Normalisation European Committee for Standardization

Secretariado Central: rue de Stassart 36, B-1050 Bruxelas

© CEN 2003 Direitos de reprodução reservados aos membros do CEN Ref. nº EN 13121-1:2003 Pt

ICS: 23.020.10

Versão portuguesa

Reservatórios e depósitos de PRFV para utilização acima do solo.

Parte 1: Matérias-primas Requisitos e condições de aceitação

Oberirdische GFK – Tanks und –Behälter Teil 1: Ausgangsmaterialien Spezifikations – und Annahmebedingungen

Réservoirs et récipients en PRV pour applications hors sol Partie 1: Matières premières Conditions de spécifications et conditions d’utilisation

GRP tanks and vessels for use above ground Part 1: Raw materials Specification conditions and acceptance conditions

A presente Norma é a versão portuguesa da Norma Europeia EN 13121-1:2003, e tem o mesmo estatuto que as versões oficiais. A tradução é da responsabilidade do Instituto Português da Qualidade. Esta Norma Europeia foi ratificada pelo CEN em 2003-03-17. Os membros do CEN são obrigados a submeter-se ao Regulamento Interno do CEN/CENELEC que define as condições de adopção desta Norma Europeia, como norma nacional, sem qualquer modificação. Podem ser obtidas listas actualizadas e referências bibliográficas relativas às normas nacionais correspondentes junto do Secretariado Central ou de qualquer dos membros do CEN. A presente Norma Europeia existe nas três versões oficiais (alemão, francês e inglês). Uma versão noutra língua, obtida pela tradução, sob responsabilidade de um membro do CEN, para a sua língua nacional, e notificada ao Secretariado Central, tem o mesmo estatuto que as versões oficiais. Os membros do CEN são os organismos nacionais de normalização dos seguintes países: Alemanha, Áustria, Bélgica, Dinamarca, Eslováquia, Espanha, Finlândia, França, Grécia, Hungria, Irlanda, Islândia, Itália, Luxemburgo, Malta, Noruega, Países Baixos, Portugal, Reino Unido, República Checa, Suécia e Suíça.

Impress ão de docu ment o electrónico

©IPQ reprodução proibida

NP EN 13121-1 p. 4 de 26

Preâmbulo7
Introdução8
1 Objectivo e campo de aplicação9
2 Referências normativas9
3 Termos, definições, símbolos e abreviaturas1
3.1 Termos e definições1
3.2 Símbolos e abreviaturas1
4 Resinas termoendurecíveis12
4.1 Generalidades12
4.2 Resinas de poliéster não saturado14
4.3 Resinas viniléster14
4.4 Resinas viniléster-uretano14
4.5 Resinas epoxídicas14
4.6 Resinas furânicas14
4.7 Resinas fenólicas15
4.8 Caracterização de resinas termoendurecíveis no estado não curado15
4.9 Caracterização de resinas termoendurecíveis curadas15
5 Agentes de cura para resinas de poliéster e viniléster não saturadas16
5.1 Generalidades16
5.2 Catalizadores16
5.3 Aceleradores organometálicos16
5.4 Promotores16
5.5 Inibidores17
6 Materiais de reforço17

Índice Página 6.1 Generalidades ............................................................................................................................... ........ 17

Impress ão de docu ment o electrónico

©IPQ reprodução proibida

NP EN 13121-1 2006

6.2 Mantas de superfície17
6.3 Manta de filamentos cortados17
6.4 Manta de filamentos contínuos18
6.5 Tecidos18
6.6 Filamentos para aplicações por enrolamento ou cortados18
7 Aditivos18
7.1 Generalidades18
7.2 Agentes tixotrópicos18
7.3 Cargas condutoras19
7.4 Retardadores de fogo19
7.5 Parafina19
7.6 Agregados e cargas19
7.7 Absorventes de ultravioleta19
7.8 Pigmentos19
7.9 Agentes tensioactivos19
8 Materiais de revestimento termoplásticos20
8.1 Generalidades20
8.2 Propriedades mecânicas e térmicas20
8.3 Consumíveis de soldadura2
8.4 Estabilidade dimensional2
9 Documentação de conformidade dos materiais2
9.1 Generalidades2
9.2 Resinas de poliéster, viniléster e viniléster uretano não saturadas2
9.3 Resinas epoxídicas e endurecedores2
9.4 Resinas furânicas e fenólicas23

9.5 Agentes de cura e aditivos................................................................................................................... 23

Impress ão de docu ment o electrónico

©IPQ reprodução proibida

NP EN 13121-1 p. 6 de 26

9.6 Mantas de superfície2 3
9.7 Manta de filamentos cortados23
9.8 Tecidos24
9.9 Filamentos para aplicações por enrolamento ou cortados24
9.10 Revestimentos termoplásticos24
Directiva da UE 97/23/CE25

Anexo ZA (informativo) Relação entre a presente Norma Europeia e os requisitos essenciais da Bibliografia ............................................................................................................................... ................ 26

Impress ão de docu ment o electrónico

©IPQ reprodução proibida

NP EN 13121-1 2006

Preâmbulo

A presente Norma Europeia (EN 13121-1:2003) foi elaborada pelo Comité Técnico CEN/TC 210, “GRP tanks and vessels”, cujo secretariado é assegurado pela DIN.

Esta Norma Europeia deve receber o estatuto de Norma Nacional, ou pela publicação de um texto idêntico em língua portuguesa, ou por adopção, o mais tardar até Novembro de 2003, e qualquer norma nacional divergente deve ser anulada até à mesma data.

Este documento foi elaborado no âmbito dum mandato atribuído ao CEN pela Comissão Europeia e pela Associação Europeia de Comércio Livre e vem apoiar os requisitos essenciais da(s) Directiva(s) da UE.

O Anexo ZA, informativo, apresenta a relação com a(s) Directiva(s) da UE e constitui parte integrante desta Norma.

De acordo com o Regulamento Interno do CEN/CENELEC, são obrigados a implementar esta Norma Europeia, os Organismos Nacionais de Normalização dos países a seguir indicados: Alemanha, Áustria, Bélgica, Dinamarca, Eslováquia, Espanha, Finlândia, França, Grécia, Holanda, Hungria, Irlanda, Islândia, Itália, Luxemburgo, Malta, Noruega, Portugal, Reino Unido, República Checa, Suécia e Suíça.

Impress ão de docu ment o electrónico

©IPQ reprodução proibida

NP EN 13121-1 p. 8 de 26

Introdução

A EN 13121, sob o título geral “Reservatórios e depósitos de PRFV para utilização acima do solo” consiste nas seguintes partes:

Parte 1: Matérias-primas – Requisitos e condições de aceitação (a presente Norma) Parte 2: Composite materials – Chemical resistance Parte 3: Design and workmanship Parte 4: Delivery, installation and maintenance

O conjunto destas quatro Partes define as responsabilidades do fabricante do reservatório ou depósito, dos fabricantes ou fornecedores dos materiais e dos compradores.

A concepção e o fabrico dos reservatórios e depósitos de PRFV, envolve a utilização de diferentes materiais tais como resinas, materiais de reforço e diferentes métodos de fabrico. Está implícito que reservatórios e depósitos conformes esta Norma deverão ser feitos por fabricantes e operadores competentes e bem equipados de forma a satisfazerem todos os requisitos, usando materiais de fornecedores competentes e experimentados.

A Parte 1 da presente Norma define os requisitos relativos à especificação das condições de aceitação das matérias-primas – resinas, agentes de cura, revestimentos termoplásticos, materiais de reforço e aditivos – em termos de propriedades técnicas do material e de processos de fabrico. Estes requisitos são necessários de forma a garantir as propriedades de resistência química determinadas na Parte 2, bem como as propriedades mecânicas, térmicas e de concepção determinadas na Parte 3, os requisitos e condições de aceitação de matérias-primas asseguram que o reservatório ou depósito está apto a satisfazer os requisitos de concepção, particularmente no que se refere à resistência química/térmica e aos requisitos de resistência à pressão e outras solicitações. A Parte 4 desta Norma faz recomendações relativas ao fornecimento, manuseamento, instalação e manutenção dos reservatórios e depósitos em PRFV.

Impress ão de docu ment o electrónico

©IPQ reprodução proibida

NP EN 13121-1 2006

1 Objectivo e campo de aplicação

A presente Norma especifica os requisitos relativos às condições de aceitação de matérias-primas para reservatórios e depósitos de PRFV com ou sem revestimento interior para armazenamento ou processamento de fluidos, executados em fábrica ou no local, com ou sem pressão, para utilização acima do solo.

2 Referências normativas

A presente Norma incorpora por referências datadas ou não datadas, disposições de outras publicações. Estas referências normativas estão citadas nos locais apropriados do texto, e as normas encontram-se a seguir referidas. Para as referências datadas, as emendas ou revisões subsequentes de uma qualquer destas normas só se aplicam a esta Norma quando nela incorporadas por emenda ou revisão. Para as referências não datadas é válida a última edição da norma referida (incluindo emendas).

EN 59 Glass reinforced plastics – Measurement of hardness by means of a Barcol impressor

EN 10204:1991 Metallic products – Types of inspection documents prEN 13121-2:1999*)GRP tanks and vessels for use above ground – Part 2: Composite materials – Chemical resistance prEN 13121-3:2001 GRP tanks and vessels for use above ground – Part 3: Design and workmanship EN 29092 Textiles – Nonwovens – Definition

EN ISO 75-2 Plastics – Determination of temperature of deflection under load – Part 2: Plastics and ebonite (ISO 75-2:1993)

EN ISO 178 Plastics – Determination of flexural properties (ISO 178:2001)

EN ISO 306 Plastics – Thermoplastic materials – Determination of Vicat softening temperature (VST) (ISO 306:1994)

EN ISO 472:2001 Plastics – Vocabulary (ISO 472:1999)

EN ISO 572-2 Plastics – Determination of tensile properties – Part 2: Test conditions for moulding and extrusion plastics (ISO 527-2:1993 including Corr 1:1994)

EN ISO 868 Plastics and ebonite – Determination of indentation hardness by means of a durometer (shore hardness) (ISO 868:2003)

EN ISO 13 Plastics – Determination of the melt mass-flow rate (MFR) and the melt volume-flow rate (MVR) of thermoplastics (ISO 13:1997)

EN ISO 1163-1:1999 Plastics – Unplasticized poly(vinyl chloride) (PVC-U) moulding and extrusion materials – Part 1: Designation system and basis for specifications (ISO 1163-1:1995)

EN ISO 1675 Plastics – Liquid resins – Determination of density by the pyknometer method (ISO 1675:1985)

EN ISO 1889 Reinforcement yarns – Determination of linear density (ISO 1889:1997)

*) Nota Nacional: à data da presente versão portuguesa, o prEN 13121-2:1999 é já EN 13121-2:2003.

Impress ão de docu ment o electrónico

©IPQ reprodução proibida

NP EN 13121-1 p. 10 de 26

EN ISO 2114:2000 Plastics (polyester resins) and paints and varnishes (binders) – Determination of partial acid value and total acid value (ISO 2114:2000)

EN ISO 2535:2002 Plastics – Unsaturated polyester resins – Measurement of gel time at ambient temperature (ISO 2535:2001)

EN ISO 2554 Plastics – Unsaturated polyester resins – Determination of hydroxyl value (ISO 2554:1997)

EN ISO 2555 Plastics – Resins in the liquid state or as emulsions or dispersions –

Determination of apparent viscosity by the Brookfield Test method (ISO 2555:1989)

EN ISO 2592:2001 Determination of flash and fire points – Cleveland open cup method (ISO 2592:2000)

EN ISO 3001 Plastics – Epoxy compounds – Determination of epoxy equivalent (ISO 3001:1999)

EN ISO 3219 Plastics – Polymers/resins in the liquid state or as emulsions or dispersions –

Determination of viscosity using a rotational viscometer with defined shear rate (ISO 3219:1993)

EN ISO 3251:2003 Paints, varnishes and plastics – Determination of non-volatile-matter content (ISO 3251:2003)

EN ISO 3244 Reinforcement products – Determination of moisture content (ISO 34:1997).

EN ISO 6721-2 Plastics – Determination of dynamic mechanical properties – Part 2: Torsionpendulum method (ISO 6721-2:1994, including Technical Corrigendum 1:1995)

EN ISO 9073-1 Textiles – Test methods for nonwovens – Part 1: Determination of mass per unit area

EN ISO 9073-2 Textiles – Test methods for nonwovens – Part 2: Determination of thickness (ISO 9073-2:1995)

EN ISO 9073-3 Textiles – Test methods for nonwovens – Part 3: Determination of tensile strength and elongation

EN ISO 9072 Plastics – Amine epoxide hardeners – Determination of primary, secondary and tertiary amine group nitrogen content (ISO 9072:1996)

EN ISO 9771 Plastics – Phenolic resins – Determination of the pseudo-adiabatic temperature rise of liquid resols when cured under acid conditions (ISO 9771:1995)

ISO 1183 Plastics – Methods for determining the density and relative density of noncellular plastics

ISO 1887 Textile glass – Determination of combustible-matter content ISO 2113 Reinforcement fibres – Woven fabrics – Basis for a specification

ISO 21 Liquid chemical products – Measurement of colour in Hazen units (platinumcobalt scale)

ISO 2559 Textile glass – Mats (made from chopped or continuous strands) – Designation and basis for specifications

Impress ão de docu ment o electrónico

©IPQ reprodução proibida

NP EN 13121-1 2006

ISO 2797 Textile glass – Rovings – Basis for a specification

ISO 3374 Reinforcement products – Mats and fabrics – Determination of mass per unit area

ISO 5661 Petroleum products – Hydrocarbon liquids – Determination of refractive index ISO 6271 Clear liquids – Estimation of colour by the platinum-cobalt scale

ISO 11359-2 Plastics – Thermomechanical analysis (TMA) – Part 2: Determination of coefficient of linear thermal expansion and glass transition temperature

3 Termos, definições, símbolos e abreviaturas

3.1 Termos e definições

Para os fins desta Norma aplicam-se os termos e definições dados no prEN 13121-3:2001 e na EN ISO 472:2001.

3.2 Símbolos e abreviaturas Para os fins da presente Norma aplicam-se os símbolos e abreviaturas dados no Quadro 1.

Quadro 1 – Símbolos e abreviaturas

Símbolo/abreviatura Unidade Designação

HDT ºC Temperatura de deflexão sob carga MFR g/10 min Índice de fluidez

TgºC Temperatura de transição vítrea εt% Alongamento à rotura σfMPa Resistência à flexão σtMPa Resistência à tracção ShD - Dureza Shore D ρ g/ml Massa volúmica

EtMPa Módulo de elasticidade em tracção EfMPa Módulo de elasticidade em flexão

Impress ão de docu ment o electrónico

©IPQ reprodução proibida

NP EN 13121-1 p. 12 de 26

4 Resinas termoendurecíveis

4.1 Generalidades

As resinas utilizadas para reservatórios e depósitos de PRFV são líquidas ou liquidificáveis, endurecíveis por polimerização (poliadição ou policondensação) com ou sem agentes de cura (catalizadores, aceleradores/promotores).

O processo de produção e o plano de cura dos estratificados de resina termoendurecível devem estar de acordo com as recomendações do fabricante da resina. A maior parte das resinas termoendurecíveis requerem uma temperatura pós-cura elevada para reforçar a resistência química e térmica.

A maior parte das resinas de poliéster não saturado e das resinas de viniléster podem ser classificadas de acordo com o Quadro 2.

De forma a poder classificar uma resina específica de acordo com o Quadro 2, o fabricante da resina deve declarar que essa resina está conforme os requisitos dados nesse quadro e satisfaz os requisitos de resistência química dados no prEN 13121-2.

Quando requerido, a inflamabilidade e a condutividade eléctrica devem ser consideradas.

Impress ão de docu ment o electrónico

©IPQ reprodução proibida

NP EN 13121-1 2006 σfMPa min. 90 75 90 75 120 110 100 110 130 130 13 εt% min. 2,0 1,5 2,0 1,5 3,0 3,0 1,5 2,0 4,0 3,5 2, 5 σtMPa min. 60 50 60 50 75 65 50 60 75 75 75

HDT ºC min.

Tg ºC min. 85 120 85 120 140 120 120 130 110 120 15

Teor de estireno em ma ssa % ma x.

Ti po de áci dos

Áci do ort o ft álico

Ácido s d i carbo x ílico s d e etilen

Áci do ort o ft álico

Ácido s d i carbo x ílico s d e etilen

(Parte 1 de 3)

Comentários