Avaliação Nutricional I

Avaliação Nutricional I

(Parte 1 de 6)

Elaborado por:

Profª Ms Adriana Lopes

Profª Ms Ana Flávia de Oliveira

Profª Ms Rozane Toso Bleil

Revisado em 2008 por: Profª Ms Rozane Toso Bleil

FACULDADE ASSIS GURGACZFACULDADE ASSIS GURGACZFACULDADE ASSIS GURGACZFACULDADE ASSIS GURGACZ

Avenida das Torres, 500

CEP: 85.806-095 – Cascavel – Paraná E-mail: nutricao@fag.edu.br

PARTE 1 – INTRODUÇÃO

Estado nutricional:

“ É o grau pelo qual a necessidade fisiológica de nutrientes do indivíduo está sendo atendida através do alimento que ele está ingerindo”. (Mahan, 1998)

“É o estado de equilíbrio do indivíduo entre a ingestão e o gasto ou necessidade de nutrientes”(Mahan, 1998).

“Condição de saúde de um indivíduo, influenciada pelo consumo de nutrientes, identificada pela correlação de informações obtidas de estudos físicos, bioquímicos, clínicos e dietéticos”(Vasconcelos, 2000).

“O estado resultante do equilíbrio entre suprimento de nutrientes e o gasto do organismo do outro” (Vasconcelos, 2000)

• Dimensão social do conceito de Estado Nutricional: “ É a parte integrante da totalidade do processo social de produção, é a síntese orgânica das relações entre homem-natureza-alimento que se estabelecem no interior de uma determinada sociedade”. (Vasconcelos, 2000)

• Dimensão biológica do conceito de Estado Nutricional:

Consumo ou ingestão alimentar

Necessidades ou gastos nutricionais

Insuficiência de consumo (carência nutricional)

Normalidade nutricional

Excesso ou desequilíbrio de consumo ou utilização (distúrbios nutricionais)

Desnutrição protéico energética Anemia ferropriva Hipovitaminose A Bócio endêmico Carie dental Outras carências nutricionais

Obesidade Diabetes Aterosclerose Hipertensão Outras doenças degenerativas

Avaliação nutricional de indivíduos: “A avaliação do estado nutricional envolve o exame das condições físicas do indivíduo, crescimento e desenvolvimento, comportamento, níveis de nutrientes na urina, sangue ou tecidos e a qualidade e quantidade de nutrientes ingerida” (Mahan, 1998)

Fatores determinantes do estado nutricional: • Fatores econômicos (renda, acesso)

• Fatores sociais (hábitos, modismos, estéticos, mídia, colegas,etc.)

• Fatores culturais (descendência, costumes)

• Fatores religiosos (mitos, tabus, crenças)

• Fatores psicológicos (necessidade, prazer, desconforto, insegurança)

• Fatores fisiopatológicos

Alterações do estado nutricional: Definição: quando ocorre o consumo inadequado de alimentos, em quantidade e qualidade, provocando distúrbios ou carências nutricionais

PARTE 2 - AVALIAÇÃO DO ESTADO NUTRICIONAL:

Ficha utilizada para orientar o entrevistador a coletar informações importantes e diversas, relativas ao indivíduo que está sendo avaliado.

Geralmente é composta dos seguintes itens: • Dados pessoais

• Condições socioeconômicas

• História clínica

• Avaliação dietética

• Avaliação antropométrica

• Exame físico/clínico

• Avaliação bioquímica

• Conduta nutricional

Métodos de avaliação do estado nutricional: 1) Métodos diretos:

A) Inquéritos alimentares (R24h, QFCA, DA, HÁ) b) Avaliação antropométrica C) Exames laboratoriais/bioquímicos

2) Métodos indiretos:

A) Avaliação subjetiva global (ASG) B) Exame clínico/físico

Métodos diretos, utilizados para avaliação do consumo alimentar de indivíduos e populações em um determinado período de tempo previamente estabelecido: DIA – MÊS - ANO Usado em crianças, adolescentes, adultos, idosos e gestantes. Podem fornecer tanto informações quantitativas como qualitativas sobre a ingestão alimentar, podendo relacionar a dieta ao estado nutricional de indivíduos e sua relação com o aparecimento de doenças crônicodegenerativas Pode ser o início de uma investigação e da identificação de deficiências nutricionais. Cada método apresenta vantagens e desvantagens Diferença entre eles inclui a participação do entrevistado, necessidade do mesmo ser alfabetizado, dependência da memória, número de aplicações do instrumento, estimativa da ingestão habitual e interferência no comportamento alimentar.

MÉTODOS QUANTITATIVOS:

Baseados na quantidade e tipo de alimentos ingeridos pelo indivíduo em determinado período de tempo:

1) Recordatório de 24 horas (R24h): proposto por Betha Burke (1930); usado para avaliar a ingestão de alimentos e nutrientes de indivíduos e grupos populacionais; não pode ser usado em dia seguintes a finais de semana e feriados. 2) Registro ou Diário Alimentar(DA): proposto por Burke e Stuart (década de 30); avaliar ingestão alimentar em um período de 3 dias; uso de formulários próprios; alternar períodos – semana e fim de semana.

MÉTODOS QUALI-QUANTITATIVOS: 3) História alimentar ou dietética (HA): proposto por Burke (1947); avaliar o consumo alimentar habitual; informações sobre hábitos passados e presentes: n° refeições, apetite, preferências, uso suplementos, R24h e outras informações adicionais. 4) Questionário de freqüência de consumo alimentar (QFCA): proposto por Burke (1947) e adaptado por Willet (final da década de 60); obter informação qualitativa, semi-quantitativa ou quantitativa sobre o padrão alimentar e ingestão de alimentos ou nutrientes específicos; prevê medir a exposição

VANTAGENS E DESVANTAGENS DE CADA MÉTODO Método Vantagens Desvantagens

Recordatório de 24 horas (R24h)

(Parte 1 de 6)

Comentários