Protocolo Clinica Medica

Protocolo Clinica Medica

(Parte 1 de 18)

SUMÁRIO

1.0 INTRODUÇÃO 7

2.0 ROTINA DE PRECAUÇÃO UNIVERSAL 8

3.0 ROTINA DE BIOSEGURANÇA 10

4.0 ROTINA DE LAVAGEM DE MÃOS 12

5.0 CALÇAR E RETIRAR LUVAS 15

6.0 ROTINA DE PRECAUÇÃO DE CONTATO 17

7.0 ROTINA DE ADMISSÃO 19

8.0 PUNÇÃO VENOSA 21

9.0 ROTINA DE PREPARO DE SOROTERAPIA 24

10.0 ROTINA DE PREPARO E ADMINISTRACAO DE MEDICAMENTO 27

10.1 Via oral 27

10.2 Via intraocular 29

10.3 Aplicação tópica 29

10.4 Via retal 30

10.5 Clister 31

10.6 Via nasal 33

10.7 Via subcutânea 34

10.8 Via intradérmica 35

10.9 Via intramuscular 36

10.10 Via endovenosa 37

11.0 PASSAGEM DE PLANTÃO 39

12.0 ROTINA DE SONDAGEM GÁSTRICA 41

13.0 ROTINA DE SONDAGEM ENTÉRICA 44

14.0 ROTINA DE ADMINISTRAÇÃO DE DIETA 46

14.1 Paciente que não come sozinho: 47

14.2 Cliente lactente: 48

14.3 Cliente com sonda: 48

15.0 LAVAGEM GÁSTRICA 50

16.0 DIETA POR GASTROSTOMIA 52

17.0 ROTINA DE SONDAGEM VESICAL 54

17.1 Sondagem de Alívio (SVA) 54

17.1.1Paciente feminino 55

17.1.2 Paciente masculino 55

17.2 Sonda vesical de demora 56

18.0 ROTINA DE COLETA DE URINA PARA EXAMES 59

19.0 ROTINA DE COLETA DE URINA EM PACIENTES COM CATÉTER VESICAL 61

20.0 ROTINA DE BANHO DE LEITO 63

21.0 ROTINA DE BANHOS MEDICAMENTOSOS 65

22.0 BANHO DE LEITO EM QUEIMADOS 67

23.0 ROTINA DE BANHO DE CHUVEIRO 69

24.0 HIGIENE GENITOANAL 71

24.1 Cliente feminino 72

24.2 Cliente masculino 73

25.0 ROTINA DE HIGIENE DO COURO CABELUDO 75

26.0 HIGIENE OCULAR 77

27.0 ROTINA DE HIGIENE ORAL 80

28.0 MUDANÇA DO DÉCÚBITO 82

29.0 MASSAGEM DE CONFORTO 84

30.0 ROTINA DE HEMODERIVADOS 86

31.0 OXIGENOTERAPIA 88

31.1 Tipos de administração de oxigênio 88

31.1.1 Cateter nasal interno (CNI) 88

31.1.2 Cateter extra nasal 90

31.1.3 Hood/ Tenda 91

31.1.4 CPAP 92

31.1.5 Ventilação mecânica 93

32.0 ASPIRAÇÃO DE SECREÇÃO DAS VIAS AÉREAS 96

33.0 ROTINA DE CURATIVO LIMPO 98

34.0 CURATIVO CONTAMINADO 100

35.0 ROTINA DE CURATIVO DE OSTOMIA 102

36.0 CURATIVO ACESSO VENOSO CENTRAL 104

37.0 COLETA DE PONTA DE CATÉTER VASCULAR 106

38.0 ROTINA DE TROCA DE SELO D’ÁGUA 108

39.0 ROTINA DE RETIRADA DE PONTOS 110

40.0 BALANÇO HÍDRICO 112

41.0 ROTINA DE TRICOTOMIA 114

42.0 ROTINA DE APLICAÇÃO DE CALOR 116

43.0 ROTINA DE APLICAÇÃO FRIA 118

44.0 REANIMAÇÃO 120

45.0 PRÉ-OPERATÓRIO 123

46.0 PÓS-OPERATÓRIO 125

47.0 DIÁLISE PERITONEAL 127

48.0 ROTINA DE PREPARO DE CORPO NO PÓS-MORTE 130

49.0 ROTINA DE MANUSEIO DE ROUPAS SUJAS 132

50.0 ROTINA DE MANUSEIO DE ROUPAS LIMPAS 134

51.0 LIMPEZA E DESINFECÇÃO DE MATERIAL 135

52.0 PREPARO SÍTIO CIRÚRGICO 138

52.1 Preparo das mãos 139

52.2 Paramentação 139

53.0 EVOLUÇÃO DE ENFERMAGEM 141

54.0 CHECAGEM DE BALAS DE O2 143

55.0 ROTINA DE ACESSO CENTRAL 145

56.0 ROTINA DE PUNÇÃO VENOSA CENTRAL (PVC) 147

57.0 ROTINA DE CARDIOVERSÃO 149

58.0 RELATÓRIO DE ENFERMAGEM 151

59.0 ISOLAMENTO RESPIRATÓRIO 153

60.0 ISOLAMENTO DE CONTATO 155

61.0 PRECAUÇÕES ENTÉRICAS 156

62.0 – PRECAUÇÕES COM AIDS E HAPATITE B 158

63.0 LIMPEZA DIÁRIA OU CONCORRENTE 160

64.0 LIMPEZA GERAL DA UNIDADE DO PACIENTE 161

65.0 ARRUMAÇÃO DA CAMA DO CLIENTE 165

65.1 Cama fechada 165

65.2 Cama aberta 166

65.3 Cama para cliente operado 169

66.0 MANIPULAÇÃO DE MATERIAL ESTERILIZADO 170

67.0 MANIPULACAO, PREPARO E ENCAMINHAMENTO DE MATERIAL CONTAMINADO 172

68.0 DEVOLUÇÃO DE MEDICAMENTOS E MATERIAL 174

69.0 ROTINA DE SOLICITAÇÃO DE MEDICAMENTOS E MATERIAIS 176

70.0 VERIFIÇÃO DE SINAIS VITAIS 177

71.0 CUIDADOS DE ENFERMAGEM NA DRENAGEM TORÁCICA 188

72.0 ENEMA OU CLISTER 192

73.0 CATÉTER HEPARINIZADO 195

74.0 ASPIRAÇÃO DE SECREÇÃO 199

75.0 INSULINOTERAPIA 207

76.0 TESTE DE SENSIBILIDADE 210

77.0 DESSENSIBILIZAÇÃO 212

78.0 ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM AO CLIENTE GRAVE OU ESPECIAL 215

79.0 POSIÇÕES PARA EXAMES 219

79.1 Decúbito Dorsal: 219

79.2 Posição Fowler: 219

79.3 Decúbito Ventral 220

79.4 Posição de Sims: 220

79.5 Posição Genu-Peitoral 221

79.6 Posição Ginecológica: 221

79.7 Litotômica : 222

79.8 Trendelemburg: 222

79.9 Posição Ortostática: 222

80.0 ELETROCARDIOGRAMA 223

81.0 TRANSPORTE DE CLIENTE 226

81.1 Passar o cliente da cama para a maca e da maca para cama 228

81.1.1 Técnica de mobilização da maca para a cama com lençol 228

81.1.2 Técnica para mobilização da cama para a maca com lençol 229

81.1.3 Técnica de sentar o cliente em cadeira comum e de rodas 230

81.1.4 Técnica de passar o cliente da cadeira para a cama 231

83.0 PADRONIZACAO DE DILUIÇÃO DE MADICAMENTOS VENOSOS 239

ADRENALINA 239

GENTAMICINA 242

1.0 INTRODUÇÃO

Este manual apresenta as rotinas de enfermagem necessárias ao desenvolvimento das ações de enfermagem em Clínica Médica.

Aborda de forma prática os objetivos, a competência, os materiais utilizados e a seqüência lógica de cada rotina implantada nos serviços hospitalares.

Esperamos que seja útil e que venha acrescentar e esta equipe, subsídios suficientes que proporcionem condutas uniformes na assistência de enfermagem.

2.0 ROTINA DE PRECAUÇÃO UNIVERSAL

Objetivo:

  • Evitar a transmissão de microorganismos veiculados pelo sangue ou por outros materiais biológicos do cliente para a equipe;

  • Prevenir a disseminação de microorganismos no ambiente hospitalar.

  • Reduzir a possibilidade de infecção cruzada;

  • Auto proteção.

Competência:

  • Compete a toda equipe multiprofissional a execução da rotina.

Material:

  • Luvas de procedimento;

  • Avental;

  • Máscara;

  • Óculos protetores;

  • Álcool 70% glicerinado;

  • Água;

  • Sabão neutro;

Procedimento:

  • Prender cabelo;

  • Retirar anéis, relógio, pulseira;

  • Lavar as mãos com água e sabão, friccionar álcool 70% glicerinado;

- Antes e após contato com o cliente;

- Após contato com material biológico;

- Antes e após procedimentos

  • Calçar luvas de procedimento sempre que houver risco de contato com sangue, secreção, mucosas ou lesão de pele de todos os clientes, excretas ou outros líquidos corporais;

  • Colocar avental sempre que houver risco de contato com material biológico e ou risco de contaminação do uniforme com sangue e secreções corporais;

  • Colocar máscara e óculos protetores sempre que houver risco de contato com material biológico com seu rosto (olhos, mucosas, cabelos, nariz e boca) .

Obs: Em caso de clientes em isolamento de contato, utilizar EPI (equipamento de proteção individual).

3 .0 ROTINA DE BIOSEGURANÇA

Objetivo:

  • Reduzir o número de acidentes com pérfuro-cortantes e fluidos corporais;

  • Prevenir a propagação de doenças transmissíveis.

Competência:

  • Compete ao enfermeiro orientar a equipe quanto a execução da rotina;

  • Compete a equipe de enfermagem e limpeza a comunicação em caso de acidente.

Material:

  • EPI (equipamento de proteção individual):

  • Luvas de procedimento;

  • Capote;

  • Máscara;

  • Óculos;

Procedimento:

  • Usar luvas de procedimento sempre que entrar em contato com secreções, sangue, urina, fezes, vômito e pele com lesões;

  • Utilizar capote sempre que for manipular cliente em isolamento de contato e/ou contato com material biológico nas roupas do profissional;

  • Utilizar mascara e óculos sempre que houver risco de contato com material biológico com o rosto do profissional;

  • Jogar o material perfuro-cortante dentro do recipiente próprio (rígido), preencher até 2/3 de sua capacidade, e lacra-lo com fita adesiva. NUNCA REENCAPAR AGULHAS.

4 .0 ROTINA DE LAVAGEM DE MÃOS

Introdução:

A maioria das infecções hospitalares é transmitida através das mãos contaminadas do profissional da área de saúde sem hábito de lavagem das mãos antes e após cada procedimento.

Por tanto, a higiene das mãos tem a finalidade de prevenir a propagação de doenças, evitar infecções cruzadas e proteção pessoal.

Sendo assim, é muito importante lavar as mãos, utilizando técnica correta, antes e após prestar qualquer cuidado ao cliente.

Objetivo:

  • Remover sujidade;

  • Eliminar a flora transitória das mãos

Competência:

  • Compete ao enfermeiro treinar e supervisionar a execução da rotina;

Material:

  • Água;

  • Sabão líquido neutro;

  • Álcool a 70% glicerinado;

  • Papel toalha.

Procedimento:

  • Retirar anéis, relógios e pulseiras;

  • Prender cabelos;

  • Abrir a torneira;

  • Molhar as mãos até o antebraço;

  • Ensaboar as mãos e antebraço massageando na região das unhas, dedos e espaços interdigitais, por período de 30 segundos;

  • Enxaguar da ponta dos dedos em direção ao antebraço, retirando completamente os resíduos de sabão;

  • Secar as mãos e antebraços com papel toalha;

  • Fechar a torneira com o próprio papel toalha ou com o cotovelo;

Obs: Quando realizar lavagem de mãos:

- Ao iniciar e terminar jornada de trabalho;

- Antes e após o preparo de medicação;

  • Antes e após contato com o cliente;

  • Antes e após uso do banheiro;

  • Antes e após se alimentar;

- Antes e após a administração da dieta;

- pós o contato com material contaminado.

5.0 CALÇAR E RETIRAR LUVAS

Objetivo:

  • Reduzir o índice de infecção;

  • Evitar contaminação durante e após o procedimento (auto-proteção e proteção do cliente).

Competência:

  • Compete ao enfermeiro treinar e supervisionar a execução da rotina;

  • Compete ao profissional de enfermagem a execução da rotina.

Material:

  • Água;

  • Sabão líquido;

  • Álcool 70% glicerinado;

  • Papel toalha;

  • Pacote com luva esterilizada.

Procedimento:

  • Lavar as mãos até o a antebraço com água e sabão;

  • Enxugar as mãos com papel toalha;

  • Friccionar álcool 70% glicerinado;

  • Abrir o envelope de luvas;

  • Retirar uma luva pela parte dobrada e calçar, depois de retirar a outra com a mão enluvada segurando por dentro da parte dobrada. Ou pegar as duas luvas pela parte dobrada e calçá-las individualmente;

  • Ajustar ambas as luvas;

  • Ter cuidado para não haver contaminação.

  • Retirar luvas:

  • Pegar a luva por cima sem tocar na pele;

  • Retirar a outra luva com a mão que se encontrar sem luva, segurando por dentro, sem tocar na parte externa da mesma;

  • Colocar o ambiente em ordem;

  • Lavar as mãos.

6 .0 ROTINA DE PRECAUÇÃO DE CONTATO

Objetivo:

  • Evitar a transmissão de microorganismos veiculados pelo sangue ou por outros materiais biológicos do paciente para a equipe;

  • Prevenir a disseminação de microorganismos no ambiente hospitalar.

Competência:

  • Compete a toda equipe multiprofissional a execução da rotina.

Material:

  • Luvas de procedimento;

  • Avental;

  • Máscara;

  • Óculos protetores;

  • Álcool 70% glicerinado;

  • Água

  • Sabão neutro

Procedimento:

  • Prender cabelo;

  • Retirar anéis, relógio, pulseira;

  • Lavar as mãos com água e sabão, friccionar álcool 70% glicerinado;

(Parte 1 de 18)

Comentários