Grandes biomas terrestres

Grandes biomas terrestres

(Parte 1 de 2)

BIOMAS TERRESTRES

São grandes ecossistemas constituídos por comunidades que atingiram o estágio-clímax.

São influenciados por vários fatores, tais como a latitude, as temperaturas médias e extremas da região, o relevo, o regime de chuvas e o tipo de solo.

TUNDRA

Palavra Tundra originada da língua finlandesa, “tunturia” que significando “terra despida de árvores”.

TUNDRA ÁRTICA: surge a sul da região dos gelos polares do Ártico, entre os 60º e os 75º de latitude Norte, e estende-se pela Escandinávia, Sibéria, Alasca, Canadá e Groelândia. Situada próximo ao pólo norte, no círculo polar Ártico, recebe pouca luz e pouca chuva, apresentando um clima polar frio e seco. O solo permanece gelado e coberto de neve durante a maior parte do ano.

Inverno:muito longos, duração do dia: muito curto, temperatura: máxima -6ºC (temperatura média entre os -28ºC e os -34ºC), precipitação: pouca. Apresenta um aspecto úmido e encharcado, em virtude da evaporação ser muito lenta e da fraca drenagem do solo causada pelo permafrost (camadas inferiores do solo congelada).

Verão: duração de cerca de 2 meses, (duração do dia é cerca de 24 h), temperatura não excede os 7 a 10 ºC, camada superficial do solo descongela, mas a água não consegue se infiltrar, pois as camadas inferiores encontram-se geladas (permafrost), que começa a uma profundidade de alguns centímetros e se prolonga até 1 metro ou mais. Formam-se então charcos e pequenos pântanos. A duração do dia é muito longa e ocorre uma explosão de vida vegetal, o que permite que animais herbívoros sobrevivam.

Animais: bois almiscarados, lebres árticas, renas e lemingues na Europa e na Ásia e caribús na América do Norte. Estes por sua vez constituem o alimento de outros animais, carnívoros, como os arminhos, raposas árticas e lobos. Existem também algumas aves como a perdiz-das-neves e a coruja-das-neves.

Vegetação: é composta de líquenes (plantas resultantes da associação de fungos e algas, que crescem muito lentamente e extraordinariamente resistentes à falta de água, que conseguem sobreviver nos ambientes mais hostis), musgos, ervas e arbustos baixos, devido às condições climáticas que impedem que as plantas cresçam em altura. As plantas com raízes longas não se podem desenvolver, pois o subsolo permanece gelado, pelo que não há árvores.

TUNDRA ALPINA

A Tundra Alpina encontra-se em vários países e situa-se no topo das altas montanhas, muito fria e ventos, não há árvores. Ao contrário da Tundra Ártica, o solo apresenta uma boa drenagem e não apresenta permafrost. Vegetação: ervas, arbustos e musgos, tal como a Tundra Ártica. Animais: cabras da montanha, alces, marmotas (pequeno roedor), insetos (gafanhotos, borboletas, escaravelhos).

TAIGA

Também conhecida como floresta de coníferas ou floresta boreal, localiza-se exclusivamente no Hemisfério Norte, encontra-se em regiões de clima frio e com pouca umidade. Distribui-se ao longo de uma faixa situada entre os 50 e 60º de latitude Norte e abrange áreas da América do Norte, Europa e Ásia. Localiza-se, portanto, a Sul da Tundra.

Clima: subártico, com ventos fortes e gelados durante o ano todo, recebem pouca precipitação: 40-100cm/ano. As estações do ano são duas, Inverno e Verão. O Inverno é muito frio, longo e seco, caindo à precipitação sob a forma de neve; os dias são pequenos. O Verão é muito curto e úmido e os dias são longos. Os valores da temperatura oscilam entre -54º e 21ºC.

Solo: fino, pobre em nutrientes e cobre-se de folhas e agulhas caídas das árvores tornando-se ácido e impedindo o desenvolvimento de outras plantas.

Vegetação: pouco diversificada devido às baixas temperaturas registradas (a água do solo encontra-se congelada), constituída por coníferas - abetos (Abeto do Norte) e pinheiros (como o Pinheiro Silvestre).

Animais: alces, renas, veados, ursos, lobos, raposas, linces, arminhos, martas, esquilos, morcegos, coelhos, lebres e aves diversas como, por exemplo, pica-paus e falcões. Os charcos e pântanos que surgem no Verão constituem um ótimo local para a procriação de uma grande variedade de insetos. Muitas aves migradoras vêm até a Taiga para nidificar e alimentar-se desses insetos. Tal como na Tundra, não aparecem répteis devido ao frio.

FLORESTAS TEMPERADAS OU FLORESTAS DECÍDUAS

Bioma encontrado principalmente na Europa e Norte dos Estados Unidos. Estações do ano bem definidas (Verão, Primavera, Outono e Inverno).

Clima: Estações quentes com temperaturas amenas e pluviosidade moderada. Estações frias com frio rigoroso e poucas chuvas.

Vegetação: árvores das florestas temperadas perdem as folhas no outono (Plantas decíduas ou caducifólias). Daí estas florestas também serem denominadas de Florestas Decíduas. Há presença de árvores gigantes como as sequóias gigantes e redwood.

FLORESTA TROPICAL

Bioma típico de região quente e úmida da faixa equatorial do planeta.

Clima: Temperaturas médias elevadas (entre 21 e 32 ºC). Grande índice pluviométrico.

Vegetação: em vários estratos e densa, é permanentemente verde.

As árvores têm suas folhas grandes e lisas, que, quando caem, são imediatamente substituídas. Encontramos muitas trepadeiras, como cipós, e epífitas, como samambaias, orquídeas e liquens. As raízes das árvores não são profundas e espalham-se por uma delgada camada de nutrientes em permanente reciclagem.

Solo: é coberto por uma camada de matéria orgânica em decomposição (húmus), que apesar de não ser muito espessa, mantém a exuberância de mata. Esse solo, embora pobre, está protegido da erosão pela cobertura vegetal que também não deixa passar muita luz para os estratos inferiores.

Animais: imensa variedade de mamíferos (macacos, preguiças, capivaras, onças), de aves (araras, papagaios, beija-flores), de répteis, de anfíbios e diversos invertebrados. Grande biodiversidade.

CAMPOS, ESTEPES E SAVANAS.

Alguns são campos tropicais e outros são campos de regiões secas.

Existem as Grandes Planícies da América do Norte, os Pampas e Cerrados da América do Sul, as Estepes da Eurásia e as Savanas da África.

Todos esses campos são cobertos por gramíneas e outras plantas adaptadas às chuvas irregulares, como na Europa e na América do Norte, ou as chuvas estacionais, como as chuvas das monções na Ásia e as chuvas de inverno na África.

DESERTO

Lugares muito quentes e secos. Pode fazer mito calor durante o dia e muito frio durante a noite. Formado de areia e rochas. Animais: insetos, aracnídeos, répteis, aves, camelo.

BIOMAS AQUÁTICOS

As comunidades aquáticas estão incluídas em dois Biociclos:

Talassociclo ou Biociclo Marinho

Limnociclo ou Biociclo de Água Doce.

Talassociclo: Os mares e oceanos ocupam 3/4 da Biosfera. Os principais fatores abióticos no ambiente marinho são: luz, temperatura, salinidade e pressão hidrostática.

As biocenoses marinhas são classificadas em três grupos:

1. Plâncton - seres que vivem na superfície da água; transportados passivamente pelo movimento das águas.

Divide-se em: Fitoplâncton: algas e Zooplâncton: animais (protozoários, larvas de crustáceos, peixes, etc.);

2. Bênton: seres que vivem no fundo do mar, fixos ou movendo-se no fundo;

3. Nécton: animais livres natantes, representados por peixes, polvos, mamíferos marinhos, tartarugas etc.

 

Divisões do Ambiente Marinho:

 

- Província Bentônica: baseada no relevo submarino, compreendendo quatro zonas:

a) zona litorânea: zona afetada pelas flutuações das marés, ora emersa, ora submersa. É bem iluminada; oxigenada e rica em nutrientes. Apresenta algas, microcrustáceos, macrocrustáceos, moluscos e peixes. São abundantes os organismos fixados em rochas, como algas, cracas e mexilhões;

b) zona nerítica: compreende a chamada plataforma continental, indo até cerca de 200 metros de profundidade. É a zona de maior importância econômica, pela riqueza imensa de plâncton e nécton, principalmente grandes cardumes de peixe;

c) zona batial: vai de 200 a 2.000 metros de profundidade, ocupando o chamado talude continental. Devido à ausência de luz não existe vegetação e os animais são reduzidos; d) zona abissal: estende-se desde 2.000 metros até as maiores profundidades, as quais apresenta condição difícil para a vida tais como grandes pressões, ausência de luz, frio, pouco alimento. Mesmo assim, muitos organismos adaptam-se a estas condições especiais. Uma das características destes seres é a bioluminescência. Têm visão muito sensível, capaz de responder a pequenos estímulos luminosos, formas bizarras, boca e dentes grandes para facilitar a captura das presas. 

 

- Província Pelágica: representa o domínio de águas plenas, constituindo a grande massa de água do alto-mar, encontra-se afastada da costa, estando o seu início marcado pelo término da plataforma continental. Apresenta águas cristalinas com poucas formas de vida.

 

Limnociclo - águas continentais que possuem pequeno volume, cerca de 190.000 quilômetros cúbicos, têm pequena profundidade, raramente ultrapassando 400 m e sofrem variações de temperatura mais intensas do que o mar, sendo, portanto, menos estáveis.

 Tipos:

     - Águas Lênticas ou Dormentes: aparentes águas paradas, mas que na verdade estão sempre sendo renovadas. Correspondem desde uma poça d'água formada pelas chuvas, lagoas, até os grandes lagos.

 

     - Águas Lóticas ou Correntes: correspondem aos riachos, córregos e rios. Encontram-se três regiões: nascente; curso médio e curso baixo (foz).

     O homem influencia decisivamente nas águas continentais, promovendo drenagens, construções de açudes, usinas hidrelétricas e provocando a poluição das águas com agrotóxicos carregados pelas enxurradas no período chuvoso e o lançamento de esgotos ricos em nutrientes orgânicos provoca uma intensa ação dos decompositores, diminuindo o suprimento de oxigênio (eliminando os seres aeróbicos).

BIOMAS BRASILEIROS

Localizado entre 5º de latitude N a 32º de latitude S, com altitudes que vão do nível do mar a mais de 3.000 m e importantes variações de condições climáticas, O Brasil, com uma superfície territorial de 8.511.996 km2 e no ranking dos países de maior megabiodi-versidade do mundo, ocupa a quinta colocação, reúne cerca de 70% de todas as espécies vegetais e animais do Planeta. A biodiversidade pode ser qualificada pela diversidade em ecossistemas, em espécies biológicas, em endemismos e em patrimônio genético. Devido a sua dimensão continental e à grande variação geomorfológica e climática, o Brasil abriga 07 (sete) biomas, 49 (quarenta e nove) ecorregiões, já classificadas, e incalculáveis ecossistemas. Neste contexto, é inegável a importância do conhecimento e da conservação de seus biomas tanto para o equilíbrio do planeta quanto para a conservação da natureza como um legado às próximas gerações.

AMAZÔNIA

O Brasil possui a maior cobertura de florestas tropicais do mundo, dos 6 milhões de km2 da área total da floresta amazônica, 67% estão em território brasileiro, sendo o restante distribuído entre a Venezuela, Suriname, Guianas, Bolívia, Colômbia, Peru e Equador.

As águas amazônicas possuem características diferentes, resultantes da geologia das suas bacias fluviais. Os rios chamados de rios de água branca, barrenta ou turva, como o Solimões, Madeira e Amazonas, percorrem terras ricas em minerais e suspensões orgânicas. Os rios chamados de água preta, como o Negro, oriundos de terras arenosas pobres em minerais, são transparentes e coloridos em marrom pelas substâncias húmicas. Existem também rios de águas claras, como o Tapajós, que nascem nas áreas dos antigos escudos continentais, também pobres em minerais e nutrientes.

Existem de 5 a 30 milhões de plantas diferentes, a maioria não identificada. São 30 mil espécies vegetais reconhecidas, ou 10% das plantas do mundo, espalhadas em 3,7 milhões de quilômetros quadrados (parte brasileira). A Floresta Amazônica está distribuída em diversos tipos de ecossistemas associados:

  • Florestas fechadas de terra firme onde despontam árvores de 30 a 60 metros de altura,

  • Várzeas ribeirinhas,

  • Campos,

  • Campinas,

  • Igapós

  • Campinaranas.

As matas alagadas possuem várias espécies arbóreas de importância econômica através de seus produtos madeireiros (sumaúma – Ceiba pentandra) e não madeireiros (seringueira Hevea brasiliensis, a sorva Couma utilis, a andiroba Carapa procera, o buriti Mauritia flexuosa, como a borracha, óleos, resinas e fibras).

(Parte 1 de 2)

Comentários