Interpretação de texto - aula 02 - estevam

Interpretação de texto - aula 02 - estevam

INTERPRETAÇÃO DE TEXTO – ESTEVAM www.professorestevam.com.br , professorestevam@yahoo.com.br , prof.estevam@hotmail.com

AULA 02 (29.11.07)

OS TREZE MANDAMENTOS DA INTERPRETAÇÃO DE TEXTO:

1) Ler observando idéias, linhas e palavras;

2) Observar a idéia principal e as idéias secundárias (argumentos);

3) Dizer se o texto é não literário ou literário (utilitário);

4) Atentar para a tipologia textual, ou seja, dizer se o texto é narrativo, descritivo ou dissertativo:

Tipologia textual:

NARRATIVO:

- Direto: é quando o próprio personagem diretamente fala. Ex: O Padre confessou: - Estou muito doente.

- Indireto: é quando narrador dá voz a esse personagem. Ex: O Padre confessou que está muito doente.

- Semi-Indireto ou Indireto Livre: quando temos a presença do narrador personagem

DESCRITIVO:

- Objetivo: ocorre quando não dá juízo de valor. Ex: manual de equipamentos, bula de remédio.

- Subjetivo: ocorre quando dá juízo de valor. Ex: comentários pessoais.

DISSERTATIVO:

- Objetivo: quando utiliza a 3ª pessoa.

- Subjetivo: quando utiliza a 1ª pessoa.

5) Observar a linguagem aplicada ao texto e qual a predominante (denotativa ou conotativa);

- Denotativo: é a real, dicionarizada, restrita;

- Conotativa: ampla, metafórica;

6) Observar as funções da linguagem e qual a predominante (fática, referencial, emotiva, poética, metalingüística, apelativo-conativa);

7) Observar as figuras de linguagem e se existe uma predominante (metáfora, comparação, antítese, paradoxo, ironia, eufemismo, hipérbole, personificação, silepse);

- Metáfora: afirma, colocando uma palavra em seu sentido não original. Ex: Amor é fogo.

- Comparação: faz um paralelo entre o dele o outro no texto. Ex: Amor é como fogo.

- Antítese: palavras opostas em sentido. Ex: A vida é luz e a morte, trevas (vida e luz: metáfora; morte e trevas: metáfora; vida e morte: antítese; luz e trevas: antítese) – como há duas metáforas e duas antíteses, não há predominância de figuras de linguagem.

- Paradoxo: idéias opostas que se excluem. Ex: Amor é fogo que arde sem se ver. É ferida que dói e não se sente. É um contentamento descontente. É dor que desatina sem doer.

- Ironia: dizer o contrário do que realmente se quer falar. Ex: Você está “maravilhosa!”.

- Eufemismo: suaviza palavras chocantes (ironia suave). Ex: Ela foi para o céu; Eu sou servidor do TJ (ele diz que é servidor para não dizer que é servidor de café).

- Hipérbole: aumentar o diminuir com exagero. Ex: Estou morto de fome; Eu lavo seu carro em um segundo.

- Personificação ou prosopopéia: dar características de seres vivos a seres inanimados. Ex:

- Silepse: concordância com um termo subtendido. Ex: A turma (alunos), depois da prova, foi para o pátio.

8) Procurar não ser tão mecanicista no trato com idéias ou palavras do texto;

9 ) Equilibrar nossa subjetividade com a lógica textual;

10) Atentar para a gramática aplicada ao texto, ou seja, a gramática textualizada;

11) Observar os tipos de discurso e qual o predominante (direto ou indireto);

12) Observar as pessoas do discurso e qual a predominante (1ª ou 3ª pessoa);

13) Atentar para o campo semântico e campo lexical (do sentido e das palavras).

COESÃO E CORERÊNCIA TEXTUAL

  • Coesão: ligação entre os termos. Há textos que não possuem coesão, porém a tendência é ter;

  • Coerência: sentido, entendimento. Obrigatório em TODOS os textos.

OBS: Elemento anafórico é aquele que retoma idéia anterior (mais usada). Já o elemento catafórico é aquele que faz referência à idéia que ainda será exposta.

ELEMENTOS DE COESÃO E COERÊNCIA:

  1. Epíteto: troca de um nome por um qualificador. Ex: Glauber Rocha fez filmes memoráveis. Pena que o cineasta mais famoso do cinema brasileiro tenha morrido tão cedo.

  1. Metonímia: substituição de uma palavra por outra por haver entre elas uma relação de significação. Ex: O Governo se reuniu hoje. O Planalto divulgará suas propostas amanhã.

  1. Pronomes: substituem o nome. Ex: A secretária chegou. Ela começou seu trabalho após arrumar a mesa.

  1. Elipse: omissão de um termo. Ex: A secretária chegou. Começou (quem começou? Ela ou secretária) seu trabalho após arrumar a mesa.

  1. Advérbios Pronominais: retomam idéia de localidade. Ex: Fui ao colégio. encontrei minha antiga namorada. (aqui, ali, lá).

  1. Numeral: retomada de idéia utilizando o numeral. Ex: A turma fez a prova. Dois terços conseguiram aprovação.

  2. Repetição do nome ou parte dele: Ex: José Ricardo não veio hoje. Ricardo está doente.

  1. Termo Síntese: termo que resume idéias anteriores. Ex: O País é cheio de entraves burocráticos. É preciso preencher um monte de papéis. Depois pagar uma infinidade de taxas. Todas essas limitações acabam prejudicando importador. Termo síntese

Comentários